Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Travesti é morto á golpe de faca por companheiro que não aceitava fim de relacionamento

Michelle, de 47 anos, foi assassinada com uma facada no pescoço, em Cuiabá. Polícia diz que vítima já havia entrado duas vezes com medidas protetivas contra o suspeito

0

Um homem de 39 anos foi preso nesta quarta-feira (25) suspeito de matar uma travesti identificada pelo nome social Michelle, segundo a Polícia Civil, no último dia 11, em Cuiabá. A vítima tinha 47 anos e foi morta com uma facada no pescoço, desferida pelas costas, dentro da casa dela, no Residencial Altos do Parque, na capital.

O suspeito foi identificado como Sebastião Ribeiro Sobral e foi preso na mesma casa onde o crime ocorreu. Ele era companheiro de Michelle e teve o mandado de prisão decretado pela Justiça. À polícia, ele nega ter cometido o crime.

De acordo com a delegada Juliana Palhares, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o caso é investigado como feminicídio, motivado pela condição de gênero, uma vez que a vítima se identificava como mulher. As investigações, segundo a delegada, apontam que Michelle foi vítima de violência doméstica.

A vítima já havia entrado com pedido de medidas protetivas contra o companheiro dela em 2015, mas o Juízo de 1º grau indeferiu o pedido. Porém, após recorrer, Michelle conseguiu garantir para si os mesmos direitos previstos na Lei Maria da Penha.

Em setembro deste ano, ela voltou a requisitar proteção por estar sofrendo violência doméstica. Ela dizia que queria se separar de Sebastião, mas que ele não aceitava o fim do relacionamento. O suspeito foi notificado sobre as medidas protetivas no dia 4 de outubro e MIchelle foi assassinada uma semana depois.

Quando foi ouvido pela polícia, o suspeito disse que não estava com a vítima no momento em que o crime ocorreu, tendo saído de casa para se encontrar com um amigo. Na época, ele apresentou um álibi que chegou a ser confirmado. Porém, duas pessoas que mantiveram contato com Sebastião logo após o crime afirmaram que ele era o autor do crime.

G1/MT

Comentários
Carregando