Tribunal de Justiça do RJ autoriza gastos de R$ 13 milhões com garçons

Eles serviriam magistrados, eventos da presidência e conselhos de sentença do Tribunal de Justiça; medida foi autorizada no último dia 22; estado está quebrado

Mesmo com o estado quebrado e com servidores com os salários atrasados, o Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) abriu mão do exemplo, como instituição pública, e autorizou o gasto de mais de R$ 13 milhões com serviços de copeiro, garçom e insumos.

Os profissionais seriam contratados para servir magistrados, eventos da presidência e os conselhos de sentença dos quatro tribunais do júri do Tribunal de Justiça do Rio.

A decisão do presidente do Tribunal de Justiça, Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho, foi publicada no Diário da Justiça, no dia 22 de dezembro, e autoriza a contratação dos serviços para os próximos eventos.

Com isso, a Diretoria-Geral de Logística pode abrir um processo licitatório para contratação de mão de obra, materiais, equipamentos e insumos para um período de 2 anos, o que daria cerca de R$570 mil por mês.

A medida do Tribunal de Justiça foi amplamente criticada pelos chefes de sindicatos e associações de servidores do estado, que vão receber os salários de novembro parcelados- os depósitos serão feitos nos dias 5, 9, 11, 13 e 17 de janeiro- e tiveram que recorrer a doações para terem ceia na noite de Natal. Já o Estado segue o mesmo exemplo e teve suas contas bloqueadas por causa das dívidas.

Com informações da Band

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário