TST fixa reajuste e determina fim de greve nos Correios

In Brasil, Destaque
Espalhe essa informação

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou o fim da paralisação dos trabalhadores da Empresa de Correios e Telegráfos (ECT), em greve desde o dia 17 de setembro. O fim da greve foi determinado pela Justiça após o fracasso das negociações entre os trabalhadores e a empresa. O plenário seguiu o voto do relator, ministro Fernando Eizo Ono, que definiu reajuste salarial de 8% e de 6,27% nos benefícios e negou a abusividade da greve. Os servidores que aderiram à paralisação terão de voltar ao trabalho a partir da quinta-feira (10).

A decisão acata proposta apresentada pelos Correios e rejeitada pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresa de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect). O acordo coletivo chegou a ser aprovado pelos servidores da empresa em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Tocantins, Bauru (SP), no Rio Grande do Norte, em Rondônia e no Amapá, mas não foi referendado pela Justiça.

Os trabalhadores que reivindicavam reajuste de 7,13%, alegando defasagem salarial causada pela inflação recente, mais 15% de aumento real, e R$ 200 de aumento linear para todos. A categoria pedia também mais 20% pelas perdas salariais ocorridas desde a implantação do Plano Real. Com a decisão, o percentual de aumento real será apenas 1,7%.

“O julgamento não atende às reivindicações trabalhadores. As decisões foram previsíveis, o tribunal meio que repetiu o acórdão do ano passado”, disse a secretária Nacional da Fentect, Anaí Caproni.

O TST também decidiu manter na íntegra a Cláusula 11 do acórdão vigente sobre o plano de saúde da categoria, que garante todos os atuais direitos dos trabalhadores – manutenção dos atuais beneficiários (inclusive para pais do empregado já cadastrados); cobertura de procedimentos; rede credenciada e percentual de compartilhamento; nenhum custo adicional, repasse ou mensalidade aos empregados. A empresa deve permanecer como gestora do Correio Saúde, que é o plano da categoria. “O atendimento de saúde é fundamental, pois a atividade expõe os profissionais a muitos riscos de saúde”, avaliou Anaí.

O TST determinou ainda a concessão de vale extra, no valor de R$ 650,65, a ser creditado em dezembro, e vale-cultura dentro das regras de adesão ao programa do governo federal. Também ficou decidido que a compensação dos dias parados será feita em até 180 dias, com o acréscimo de até duas horas no expediente, observados os intervalos entre a jornada de trabalho e o descanso semanal remunerado. O tribunal concedeu prazo até amanhã (9) para que a categoria decida se vai acatar as determinações.

O dissídio foi instaurado pela ECT em setembro, após a deflagração da greve da categoria. O TST realizou duas audiências de conciliação, na tentativa de encontrar uma solução consensual para as reivindicações dos trabalhadores, sem sucesso.

 

Fonte: Agencia Brasil

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!

You may also read!

Goleiro Bruno se entrega à polícia antes de receber voz de prisão

Goleiro Bruno se entrega à polícia antes de receber voz de prisão

Espalhe essa informação Como a delegacia ainda não havia sido informada da decisão do STF, o jogador do Boa

Read More...
Pai leva interno foragido de volta para Fundação Casa de Ferraz, em SP

Pai leva interno foragido de volta para Fundação Casa de Ferraz, em SP

Espalhe essa informação De acordo com a fundação, 17 internos fugiram no último domingo (23); dois voltaram para a

Read More...
Travesti morre em São Carlos, SP, após complicações devido ao uso de silicone

Travesti morre em São Carlos, SP, após complicações devido ao uso de silicone

Espalhe essa informação Veronica Rios tinha 35 anos estava internada há 12 dias na UTI da Santa Casa. Ela

Read More...

Deixe uma resposta

Mobile Sliding Menu