“Vai Quem Quer” leva mais de 100 mil pessoas às ruas de Porto Velho

Banda é tradição no Carnaval e já desfila há 37 anos nas avenidas locais

A “Banda do Vai Quem Quer” abriu, neste sábado (25), o terceiro dia do Carnaval 2017 de Porto Velho. Cerca de 100 mil pessoas seguiram o bloco, que saiu às 17h da Praça das Três Caixas D’Água, segundo os organizadores. Neste ano o bloco completa 37º ano de folia e mantém a tradição de desfilar sempre no sábado de carnaval. Neste ano, três trios elétricos saíram às ruas da capital para animar os foliões.

Neste ano, a animação dos foliões ficou por conta da marchinha “Contra as maracutaias e a impunidade: a Banda do Vai Quem Quer promove alegria de verdade”. O tema de cenário político já é tradição na banda.

Segundo o diretor geral do bloco, Silvio Santos, mais conhecido como Silvinho, a expectativa de brincantes é sempre superada e a banda sempre tenta manter a tradição.

“A Banda do Vai Quem Quer sempre foi um sucesso. A gente procura manter essa tradição que é nosso carnaval e a gente faz um carnaval tradicional. Nós fazemos marchinhas de compositores e músicos locais. A gente sempre procura falar de situações locais e claro, a nossa política é uma cama para gente deitar e rolar no que desrespeita a satirizar principalmente esse lado político do nosso Brasil, que infelizmente é uma vergonha”, disse Silvinho.

O bloco da banda é para muitas famílias um momento de diversão. O funcionário público Fernando conta que vai todo ano com a família. As fantasias escolhidas pelos parentes para 2017 foram as da personagem Emília, do Sítio do Pica-Pau Amarelo.

“Todo ano a gente está na Banda do Vai Quem Quer. O portovelhense que não curtir a Banda do Vai Quem Quer não é portovelhence. Tem que estar aqui, com diversão, brincando, com saúde e respeito. Isso é o mais importante no carnaval. A Banda é o carnaval da família, é o carnaval de Porto Velho”, afirma Fernando.

A mãe da Ingredi Roberta, Cineide, leva todo ano a filha para curtir e brincar no carnaval e a Banda do Vai Quem Quer é sempre a escolhida.

“Todo ano a gente traz ela. Ano passado ela estava de bailarina e esse ano ela está fantasiada de mulher maravilha. Ela gosta muito de carnaval e as crianças ficam felizes”, diz.

Eliete Azevedo é brincante do bloco desde o primeiro ano da banda. Ela diz ainda que sempre participa da folia com as amigas.

“É tradição. Aqui nós somos do grupo das Jade de Jadeidade. Nós éramos todas amigas do Manelão, pois nós saímos de lá da loja do Manelão. Então a gente tem o maior carinho pela banda. A banda é um bloco dos amigos, onde os amigos se reúnem e Porto Velho para nesse dia. Com certeza vai ser um desfile maravilhoso. Vamos brincar com responsabilidade e paz”, relata Eliete.

Após deixarem a concentração, os três trios seguiram pela Avenida Carlos Gomes, passam pela Rua Joaquim Nabuco até a Avenida 7 de Setembro, e encerramento do desfile será com a chegada na Praça da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM-RO).

Segurança

Segundo o coronel da Policia Militar (PM), Alexandre Almeida, 350 policiais estavam presentes para a segurança dos foliões.

“A gente está mantendo a segurança dos foliões, fiscalizando a interdição de via e evitando para que não tenha embriaguez ao volante desse pessoal que está no trio. A gente já passou o bafômetro em todos eles, já conferimos a habilitação e agora estamos fazendo somente a segurança para que as pessoas estejam na via brincando à vontade”, explicou.

Bombeiros militar e civis também estavam presentes no bloco para auxiliar na segurança do desfile. Segundo o comandante dos bombeiros, Edésio Alves, quem comanda a segurança fora da corda é o Bombeiro Militar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

“Nós somos responsáveis só pela corda dentro do trio elétrico e pelos brincantes. Os bombeiros civis vão se responsabilizar pelos CNPJ da Banda do Vai Quem quer. Quem vai trabalhar fora da corda, o responsável é o bombeiro militar e a Samu. Para qualquer tipo de ocorrência por fora, quem responde é o bombeiro militar”, contou o comandante.

G1/RO

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário