Vazamento de amônia leva mais de 20 pessoas para hospital em MS

Frigorífico Marfrig disse que não houve nenhum dano aos colaboradores

Um vazamento de amônia no frigorífico Marfrig em Bataguassu, a 322 quilômetros de Campo Grande, na região leste de Mato Grosso do Sul, levou mais de 20 pessoas com suspeita de intoxicação para a Santa Casa da cidade, nesta quarta-feira (8). No pronto-socorro do hospital, a informação é de que todas foram atendidas e liberadas.

A Marfrig disse que não houve qualquer dano aos colaboradores. Ela informou que um problema na válvula do tanque de amônia provocou o vazamento na unidade de Bataguassu. Segundo a companhia, todos os procedimentos de emergência e evacuação foram prontamente adotados pela unidade e o vazamento já foi contido.

De acordo com o comandante do 17º Subgrupamento de Bombeiros Militar, Major Teller Soares Ribeiro, a evacuação do prédio e o transporte dos funcionários foram feitos pela própria empresa, que possui ambulâncias. “Em três minutos e meio, eles já tinham evacuado o prédio. Quando chegamos, o prédio já estava vazio e os funcionários foram levados para o hospital pela própria empresa. Nós cuidamos de conter o vazamento”, disse.

Quatro viaturas com nove bombeiros atenderam a ocorrência. Para conter o vazamento, eles usaram roupas de proteção e equipamento de respiração. De acordo com o comandante, o certificado de vistoria do frigorífico está em dia. O vazamento foi percebido no início da tarde, pouco antes de uma da tarde.

Não é a primeira vez que o frigorífico em Bataguassu passa por uma situação dessas. Em outubro do ano passado, um vazamento do gás mobilizou os bombeiros. A amônia é um gás tóxico usado no sistema de refrigeração do frigorífico.

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta