fbpx
Veja trechos da conversa entre Temer e Joesley que foram recuperados pela PF

Os peritos da Polícia Federal recuperaram trechos que estavam inaudíveis na conversa gravada entre o empresário Joesley Batista e o presidente Michel Temer, ocorrida em março deste ano. Segundo relatório da perícia, enviado ao Supremo Tribunal Federal nesta segunda-feira (26), não houve edições no material.

Para o Ministério Público Federal (MPF), o áudio é um indício de que Temer deu aval para a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para evitar que ele fechasse acordo de delação premiada. A defesa do presidente havia pedido a suspensão das investigações, argumentando que a gravação havia sido modificada.

A análise da PF permitiu compreender melhor o trecho da conversa em que Joesley e Temer tratam do deputado cassado. Segundo a polícia, expressões que antes estavam inaudíveis agora assumem papel decisivo na investigação.

Veja os trechos a seguir com frases recuperadas pela perícia. No documento, M1 refere-se a Joesley e M2, a Temer.

Parte do diálogo sobre Eduardo Cunha

1) Trecho sobre liquidação de pendências

M1 (Joesley): Fiz o máximo que deu ali, zerei tudo, o…. o que tinha de alguma pendência daqui pra ali zerou, tal…

M2 (Temer): (ininteligível) tudo.

M1: (antes inaudível) liquidou tudo e ele foi firme em cima, lá, veio, cobrou, tal, tal, tal, eu, (ruído de impacto) pronto. Acelerei passo… e tirei da frente.

Trecho da conversa entre Temer e Joesley que antes estava inaudível. Nele, o empresário fala sobre liquidação de pendências com Eduardo Cunha (Foto: Reprodução/Jornal Hoje)

2) Trecho sobre a relação com Cunha

M1 (Joesley): Tô de bem com Eduardo.

M2 (Temer): (antes inaudível) Muito bem.

M1:…e…

M2: Tem que manter isso, viu?

M1: (ininteligível) Todo mês….

Neste trecho, o presidente diz “muito bem” após o empresário afirmar que estava “bem” com Eduardo Cunha (Foto: Reprodução/Jornal Hoje)

3) Trecho totalmente recuperado sobre Cunha

M2 (Temer): (antes inaudível) O Eduardo também, né?

M1 (Joesley): (antes inaudível) Também.

M2: (antes inaudível) É…

M1: (antes inaudível) Eu tô segurando as pontas, tô indo.

M2: (antes inaudível) É.

Trecho da conversa entre Temer e Joesley que estava inaudível e foi totalmente recuperado pela PF (Foto: Reprodução/Jornal Hoje)

A perícia do trecho em que Temer disse “tem que manter isso, viu” e Joesley responde “todo mês” desmente a versão do perito Ricardo Molina, contratado pela defesa do presidente, que interpretava o “todo mês” dito por Joesley de forma diferente: “tô no meio”.

É esse diálogo, agora mais completo, que levou a afirmação da Polícia Federal de que há indícios de obstrução de Justiça por parte do presidente Michel Temer.

Parte da conversa sobre Geddel

Peritos também detalharam o que os dois falaram sobre o ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima (PMDB-BA). Segundo a PF, o diálogo demonstra preocupação de Temer.

M1 (Joesley): Mas com o Geddel também com esse negócio eu perdi o contato porque ele virou investigado. Agora eu não posso… também…

M2 (Temer): Complicado, é complicado.

M1: Eu não posso encontrar ele.

M2: É porque (ruídos típicos de movimentação) parecer obstrução de Justiça, viu?

M1: Isso, isso, isso, isso.

M2: Perigosíssima essa situação.

Geddel foi acusado pelo doleiro Lúcio Funaro, em depoimento à Polícia Federal, de ter recebido R$ 20 milhões em comissões quando era da vice-presidência de pessoas jurídicas da Caixa Econômica Federal.

Parte sobre novo interlocutor

Em trecho melhorado pela perícia, Joesley comenta com Temer quem deve ser seu novo interlocutor agora que Geddel Vieira Lima é investigado.

M1 (Joesley): Pra mim falar contigo qual e a melhor maneira… porque eu vinha falando através do Geddel, através… Eu não vou Ihe incomodar, evidente, se não for algo assim …

M2 (Temer): As pessoas ficam… sabe como é que é…

M1: Eu sei disso, por isso é que…

M2: (ininteligível) Um pouco.

M1: É o Rodrigo.

M2: (antes inaudível) O Rodrigo.

M1: Ah então ótimo.

M2: Pode passar por meio dele, viu? Da minha mais estrita confiança.

O presidente faz referência a Rodrigo Rocha Loures, preso após ser filmado carregando uma mala com R$ 500 mil em propina paga pela JBS.

Neste trecho, o presidente Temer confirma que seu interlocutor com o empresário Joesley Batista deve ser Rodrigo Rocha Loures (Foto: Reprodução/Jornal Hoje)

Parte sobre futuros encontros

Os peritos criminais recuperaram ainda mais um trecho do diálogo em que Joesley e Temer combinam como deveriam ser os próximos encontros do empresário com o presidente no Palácio do Jaburu: num horário em que não há jornalistas.

M1 (Joesley): Funcionou superbem, à noite …

M2 (Temer): É.

M1: Onze horas da noite, meia-noite, de … dez e meia, vem aqui.

M2: (antes inaudível) Não tem imprensa.

Neste trecho, Temer ressalta que o melhor horário para receber o empresário é à noite, porque “não tem imprensa” (Foto: Reprodução/Jornal Hoje)

Fonte: g1.com

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta