Veja uma lista de 9 filmes que inspiraram crimes reais

Nove filmes que inspiraram lunáticos a matar indiscriminadamente. Conheça

1. Assassinos por Natureza

Escrito por Quentin Tarantino e dirigido por Oliver Stone, “Assassinos por Natureza” (Natural Born Killers) foi lançado em 1994 para ser uma sátira à obsessão da mídia pela violência e a glorificação dos assassinos. Porém, a obra causou controvérsia e chegou a ser proibida em vários países. No filme, o casal Mickey e Mallory compartilham a paixão por matar e fazem mais de 50 vítimas durante a trama.
Um dos principais casos ligado ao filme é o Massacre de Columbine. Para Dylan Klebold e Eric Harris, alunos que mataram 15 pessoas em uma escola, os personagens da trama podem ter servido como inspiração.


Os jovens montaram um verdadeiro arsenal pela internet: duas armas de caça, uma pistola semiautomática e um rifle de 9mm. Além disso, eles confeccionaram algumas bombas utilizando tutoriais que descobriram na rede.
Em uma das fitas encontradas, os jovens discutiam sobre como Hollywood adaptaria a história do massacre e torciam para que Tarantino ou Steven Spielberg dirigissem o longa.

Em outro relato, o casal Sarah Edmondson, de 19 anos, e seu namorado Benjamin James Darras, de 18, passaram uma noite assistindo ao filme. Dois dias depois, os jovens viajaram com um revólver calibre 38 e atiraram duas vezes à queima-roupa em William Savage. Em seguida, os jovens acertaram Patsy Byers, caixa de uma loja de conveniência, que sobreviveu ao ataque, mas ficou tetraplégica.
William Savage era amigo do especialista em best sellers jurídicos John Grisham. O autor chegou a mover uma ação contra Oliver Stone e a Warner Bros., alegando que a obra estaria instigando jovens a cometer crimes.
Estes não foram os únicos casos:

  • No ano anterior, um jovem de apenas 14 anos, do Texas, decapitou uma colega de classe um ano mais nova. Ao ser preso, ele deu a polêmica declaração: “Eu queria ser famoso, como os ‘Assassinos por Natureza’”.
  • Em 2001, durante um tiroteio em um bar em Kentucky, Luther Casteel gritava para as vítimas: “Eu sou um assassino por natureza”.
  • No mesmo ano, o jovem Nathan Martinez, de 17 anos, assassinou sua madrasta e sua meia-irmã, de apenas 10 anos, enquanto elas dormiam. Ao ser preso, Nathan usava os mesmos óculos do personagem Mickey.
  • Uma adolescente de 15 anos, da cidade de Senoia, Georgia, assassinou os pais e, em uma ligação para uma amiga, declarou que “havia feito como Mickey e Mallory”.
  • Em 23 de abril de 2007, Jemery Allan Steinke, 23 anos, assassinou o casal Marc e Debra Richardson, além do filho deles, Jacob. O motivo? Os pais haviam proibido que o jovem namorasse a filha deles, de apenas 12 anos. Antes de cometer os assassinatos, Jemery disse à namorada: “Serei o ‘assassino por natureza’ da sua família”.

2. O Colecionador

O filme “O Colecionador”, de 1965, foi baseado no livro homônimo de John Fowles e retrata a história do jovem Frederick Clegg, um homem tímido que trabalha como balconista em uma prefeitura. Frederick é ridicularizado por seus amigos, principalmente por seu hábito de colecionar borboletas. Ele nutre uma paixão platônica pela jovem estudante de artes Miranda, mas nunca cria coragem para se aproximar. Tudo muda quando Frederick ganha na loteria: ele compra uma grande casa e sequestra Miranda, mantendo a jovem como sua prisioneira.

Em 1985, Leonard Lake, um grande fã da obra, sequestrou os adolescentes Allen e Brenda O’Connor, mantendo-os em um bunker. Ele os torturou e estuprou juntamente com seu amigo Charles Ng. Lake chamava o rapto de “Operação Miranda”. Acredita-se que a dupla sequestrou e matou 25 pessoas durante o período de 1982 e 1985, na Califórnia.
Charles Ng e Leonard Lake
Em 1988, o serial killer Robert Berdella revelou que o filme o inspirou a prender vários homens e fotografar os momentos de tortura antes de matá-los. Morador do Kansas, Missouri, Robert estuprou, torturou e matou pelo menos seis homens, entre 1984 e 1987.

3. Psicopata Americano

Em 2004, um adolescente da Flórida matou um colega de classe do ensino médio quando ambos tinham 14 anos. Supostamente, ele havia se inspirado nos personagens Patrick Bateman, de “Psicopata Americano”, e Hannibal Lecter, de “O Silêncio dos Inocentes”.

Michael Hernandez planejou meticulosamente o seu plano, que envolvia o assassinato de dois amigos e de sua irmã. Logo pela manhã, Hernandez chamou seus colegas para o banheiro da escola, mas apenas um deles o seguiu. Chegando ao local, Hernandez degolou Jaime Rodrigo Gough e, ao tentar esconder o corpo, foi flagrado por outro colega, que conseguiu alertar os seguranças.
Michael Hernandez em seu julgamento
Segundo a Procuradoria de Miami, Hernandez tinha um diário no qual foram encontradas 41 páginas com desenhos de uma pessoa deitada em um palco e, sobre ela, uma serra. Ele escrevia frases como “supremacia branca” e desenhava símbolos nazistas.
Havia ainda uma lista de filmes violentos e um artigo que ele tinha encontrado na internet sobre “como se converter em um assassino em série”.

4. Pânico

O longa “Pânico” foi lançado em 1996 e o seu sucesso garantiu outros três filmes para a série. A obra traz a história de um serial killer fanático por filmes de terror que aterroriza uma cidade do interior da Califórnia. Ele telefona para sua possível vítima e faz perguntas sobre longas de terror. Se a vítima errar, tem sua casa invadida e é esfaqueada até a morte por um homem vestido de preto com uma máscara inspirada na obra “O Grito”, de Edvard Munch.

Alguns crimes são atribuídos à série, porém um assassinato em especial chamou atenção de todos. Em 2001, o caminhoneiro Thierry Jaradin, de 24 anos, pediu a sua namorada Alisson Cambier em casamento. A jovem não aceitou e, alegando estar nervoso, Thierry saiu do cômodo. O rapaz voltou com uma roupa similar à do filme e desferiu 30 facadas na jovem.

5. Jogos Mortais

Se você não valoriza a sua vida, tome cuidado: Jigsaw pode estar atrás de você!
Com a história de um serial killer que sequestra pessoas e oferece uma chance de reabilitação – sempre em troca de algum sacrifício –, a franquia de Jogos Mortais estreou há 11 anos com um baixo orçamento e o primeiro filme sendo gravado em apenas 18 dias. Sucesso de público, contou com outros 6 longas, terminando a saga em 2010.

Matthew Tinling, 25 anos, tinha o sexto filme da série em seu quarto quando a polícia o prendeu por assassinato. O jovem havia torturado o vizinho Richard Hamilton para obter seus dados bancários, desferindo 17 facadas na cabeça, pescoço e pernas.
No momento auge do crime, Matthew imitou uma cena de tortura de “Jogos Mortais 6”, tentando cortar a medula espinhal de sua vítima.
O juiz do caso, Timothy Pôncio, condenou o réu e declarou: “Você infligiu 17 feridas durante o ataque, o mais grave teve a intenção de cortar a medula espinhal para provocar paralisia e morte, exatamente como você tinha visto em um DVD. Não importa se era em ‘Jogos Mortais 6’ em outro filme da série, era algo que você tinha visto e tentava imitar.

6. Halloween

Em 2013, um adolescente alegou que o filme “Halloween”, do diretor Rob Zombie, foi sua inspiração para assassinar dois membros de sua família. O jovem Evans matou sua mãe, Jamie Evans, de 48 anos, e sua irmã Mallory, de apenas 15 anos. O crime aconteceu na casa da família no Texas, no dia 3 de outubro de 2012.

Nas páginas de confissão que foram divulgadas na mídia, Evans relatou que viu o filme por três vezes naquela semana: “Eu comecei a assistir a ‘Halloween’, em que um garoto de 12 anos mata seu padrasto, irmã e o namorado dela. Enquanto assistia, fiquei surpreso com o quão à vontade o garoto ficava ao cometer os crimes e como ele não tinha remorso. Eu fiquei pensando se seria o mesmo quando eu matasse alguém”.
Evans assassinou sua irmã e sua mãe
Em 2015, Evans foi condenado a 45 anos de prisão após ser declarado culpado. Ainda sobre as motivações do crime, ele disse: “Quando eu olho para os outros, especialmente adolescentes, vejo-os como sendo muito cruéis, como se o passatempo favorito deles fosse ‘pegar alguém’. As pessoas são racistas, intimidadoras e estão cheias de si. Eu estava muito triste porque senti que a minha própria família estava se tornando como as pessoas que odeio. Agora eu sei que sou feito da morte. É a coisa mais terrível e assustadora que eu já experimentei e vai me assombrar para sempre”.

7. Matrix

Consumido pelo desejo de corrigir a desigualdade racial e a injustiça, o suspeito Lee Boyd Malvo foi o último réu a usar o filme “Matrix” como parte de sua defesa para explicar os assassinatos que cometeu.
O filme já foi usado, com algum sucesso, em pelo menos outros três casos de homicídio, em que os jovens réus tentaram justificar seus atos com alusões à filosofia da obra, em que o mundo é apenas uma sequência de um sonho controlado por um computador. Assim, a violência seria tolerada como uma maneira de sair do mundo falso.

Centenas de desenhos e anotações encontrados mostram que Lee Boyd Malvo era obcecado pelo filme. Ele pediu aos detetives e assistentes sociais envolvidos com o caso que assistissem a “Matrix”, pois assim eles poderiam compreender seus motivos.
Em dois outros casos, em São Francisco e Ohio, os juízes aceitaram os fundamentos de insanidade baseados na paixão dos réus pelo filme.
Em São Francisco, um estudante de 27 anos disse que desmembrou uma senhora porque ela estaria “emitindo más vibrações” e ele estava com medo de ser “sugado para dentro da Matrix”. Em Ohio, um barman de 36 anos de idade atirou contra a proprietária do apartamento onde morava pois acreditava que ela queria controlar sua mente.

8. Batman

James Holmes foi o responsável pelo Massacre em Aurora, em 2012. Segundo relatos, o jovem comprou um ingresso para a exibição do filme “Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge”. Entre os 30 e 40 minutos do longa, James abriu uma das portas de emergência da sala, liberou uma bomba de gás e começou a atirar aleatoriamente com um fuzil AR-15.

Dez pessoas morreram na hora e mais quatro foram internadas em estado grave. Duas não resistiram aos ferimentos e morreram pouco tempo depois.

James Holmes matou 12 pessoas durante o filme “Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge”
Ele foi preso ainda no estacionamento do shopping. Em seu carro foram encontradas armas e uma grande quantidade de munição. Ele estava com o cabelo pintado de vermelho e afirmava ser o Coringa, personagem da obra.

9. Laranja Mecânica

O filme “Laranja Mecânica”, produzido e dirigido por Stanley Kubrick, foi lançado em 1971 e trouxe ao público imagens violentas e perturbadoras, relacionadas à psiquiatria, delinquência juvenil, gangues e assuntos políticos e econômicos.

Depois de seu lançamento, alguns crimes com aspectos semelhantes aos da obra começaram a chamar atenção nas ruas da Inglaterra. Um morador de rua foi brutalmente espancado por um grupo de jovens, em referência à cena em que a gangue de Alex espanca um bêbado. Um garoto, vestido de maneira similar aos personagens, esfaqueou um jovem. Uma gangue de rua estuprou uma garota enquanto cantava “Singin’ in the Rain”, copiando uma das cenas mais violentas da obra.

 

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta