Venezuela comprará tecnologia bélica e armas de China e Rússia

Presidente Nicolás Maduro prometeu que equipamentos serão entregues em breve para as forças especiais, incluindo as tropas de choque encarregadas de controlar distúrbios, e pediu que as forças armadas evitem novos episódios de saqueamento de lojas no país

A Venezuela comprará tecnologia bélica e armas de China e Rússia para equipar suas forças especiais, incluindo as tropas de choque encarregadas de controlar distúrbios como os que ocorreram há dez dias, informou na madrugada desta quinta-feira, 29, o presidente Nicolás Maduro.

“Em breve o general (ministro da Defesa, Vladimir Padrino López) irá à Rússia e à China para fechar os acordos e trazer a tecnologia e as armas mais modernas do mundo”, afirmou Maduro em um ato com a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB).

“Os equipamentos serão entregues aos combatentes das forças de ação especial, grupos especiais e tropas de ação rápida para o combate contra o inimigo e a preservação da paz em nossa terra”, disse o presidente.

Maduro pediu aos militares que enfrentem os distúrbios e saques como os que ocorreram em vários Estados entre 16 e 18 de dezembro, diante da falta de dinheiro em circulação.

O presidente responsabilizou “paramilitares” e “traficantes colombianos” pelos fatos, que deixaram quatro mortos e nos quais centenas de lojas foram saqueadas.

Para prevenir e combater os distúrbios, Maduro pediu à FANB que fortaleça as atividades de inteligência com as organizações populares ligadas ao governo. “Busquemos as organizações populares, Unidades de Batalha Bolívar Chávez, conselhos comunitários, Comitês Locais de Abastecimento. É preciso articular uma inteligência no conceito de guerra de todo o povo”, afirmou. / AFP

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta