Vereador de Cuiabá, acusado de estuprar enteada de 11 anos será indiciado

Delegado disse que irá concluir investigação na próxima semana

O delegado Daniel Valente, que assumiu a Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente (Deddica), informou nesta quarta-feira (1º) que irá indiciar o vereador Chico 2000 (PR) pelo crime de estupro de vulnerável.

O parlamentar é suspeito de abusar sexualmente da enteada de 11 anos durante uma festa em sua residência, em Cuiabá. Ele, que nega veemente o crime, chegou a ficar preso por 10 dias no Centro de Custódia da Capital (CCC), em dezembro do ano passado.

“Estou terminando de concluir a investigação. Falta apenas juntar alguns relatórios. Acredito que até a próxima semana já consigo encaminhar o processo para o Fórum com o indiciamento do vereador”, disse.

O inquérito – que está sob sigilo –  anteriormente era de responsabilidade do delegado Eduardo Botelho, que agora integra a Diretoria de Inteligência da Polícia Civil.

No Fórum, o processo será remetido ao Ministério Público Estadual (MPE) para que um promotor de Justiça decida se denuncia ou não o parlamentar pelo suposto crime.

Caso ocorra a denúncia, o procedimento será levado para análise do juiz da Vara Especializada da Infância e da Juventude de Cuiabá. Se o magistrado acatar a denúncia, Chico 2000 passará a ser réu.

Conforme o delegado, o vereador ainda pode ser indiciado pelo abuso de outra adolescente. A suposta vítima ainda está sendo procurada pela Polícia para prestar esclarecimentos.

“Surgiu essa denúncia, mas ela ainda é muito embrionária. Estou aguardando para ver se localizo a vítima. Se não conseguir confirmar nada até a próxima semana, vai ficar somente com relação a enteada mesmo”, disse o delegado.

De acordo com Daniel Valente, todos os envolvidos do caso já foram ouvidos. Mais detalhes da investigação não foram repassados porque o inquérito está sob sigilo.

O caso

Conforme a menina, o caso teria ocorrido no dia 13 de outubro, durante uma festa em comemoração ao aniversário da mãe dela na casa do vereador.

No boletim de ocorrência, ela contou que o parlamentar teria pedido para que ela sentasse em seu colo e passado a mão em seus seios e barriga. Em outra ocasião, contou a menor, ele quase teria tocado em seu órgão genital.

A menina disse que preferiu não comentar o caso para a mãe na ocasião porque não queria estragar a festa de aniversário dela.

“Todavia, narra que hoje 26.11.2016 teve uma discussão com Chico e mãe, e enviou um pedido de socorro para a tia paterna. Informa que nesse tempo a vítima foi para a casa de uma amiga que mora perto da sua casa, e a tia a buscou lá”, diz trecho do boletim de ocorrência.

A mãe da menina perdeu sua guarda no dia 7 de dezembro, em decorrência de um pedido do Ministério Público Estadual (MPE), acatado pela juíza da Vara de Infância e Juventude da Capital, Gleide Bispo Santos.

Chico 2000, por sua vez, negou o crime e afirmou que a enteada é “problemática” e arquitetou a situação para justificar o seu mau comportamento no colégio.

“O que eu posso dizer é que esse é o maior absurdo que pode estar acontecendo comigo. Estou com 61 anos de idade, tenho duas filhas, netos, sempre primei pelo respeito. Quem me conhece sabe o meu comportamento. Sempre procurei ser muito correto, tanto na Câmara Municipal, como na minha vida pessoal. Basta olhar o meu passado para saber se o que está acontecendo é verdade ou é uma baita de uma covardia”, pontuou, chorando.

 Outro lado

À reportagem, o vereador Chico 2000 disse que só irá se manifestar sobre o indiciamento após a conclusão final do inquérito policial.

As informações são do MidiaNews

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta