Vereadores ganham muito pouco – Professor Nazareno

Os vereadores de Porto Velho, numa ação mais do que justa e popular, aprovaram recentemente para si mesmos um aumento de quase sete por cento retroativo a um ano e meio. Dos pouco mais de doze mil reais por mês, os legisladores portovelhenses vão ganhar a partir de agora a irrisória quantia de 14 mil e setecentos reais mensais. Uma merreca, uma esmola, uma verdadeira miséria levando em consideração o grande trabalho que a Câmara de Vereadores faz em benefício de toda a população sofrida desta cidade. O Brasil pode até estar em crise econômica e com dificuldades de caixa, mas não é isso que se verifica na “capital das sentinelas avançadas”. Uma das únicas repartições públicas de Rondônia que realmente tem mostrado trabalho e eficiência, este aumento veio apenas coroar um reconhecido êxito.

Um conhecido colunista local escreveu que “enquanto em outras cidades do Brasil vereadores reduzem seus salários por exigência da sociedade, os de Porto Velho promovem esse aumento absurdo, usando desculpas esfarrapadas que afrontam ainda mais a dignidade da cidadania portovelhense e até as instituições existentes para defender a população desses políticos que conspurcam o nobre exercício da representação popular. Essa decisão da mesa diretora da Câmara Municipal tem cheiro de crime contra a economia pública”. É possível que o jornalista esteja totalmente equivocado com esta nobre e justa decisão dos edis de Porto Velho, pois se o juiz Sérgio Moro tivesse coragem suficiente de trabalhar por aqui, a Câmara de Vereadores seria um dos únicos locais que não seria visitado pelo eminente magistrado.

Os parlamentares municipais deveriam ser indicados para um Prêmio Nobel pelo muito que têm feito em nosso benefício. Na atual legislatura nunca foi registrado um único escândalo naquela casa de leis. Ali, não há um único integrante que não tenha inúmeros trabalhos prestados à população. Em 2014, durante a enchente histórica do rio Madeira, por exemplo, cada vereador se multipicou por dez ou doze para atender aos atingidos. A nossa cidade hoje está um brinco por causa do incansável trabalho destes honrados políticos. Todos eles, juntamente com o Prefeito Mauro Nazif, têm dado a própria alma para o progresso e o desenvolvimento da “cidade das hidrelétricas”. Por isso, é uma grande injustiça alguém em sã consciência afirmar que é exorbitante o irrisório salário que eles recebem. O povo devia era contribuir com mais verba para eles.

Dizer que a brava e politizada população de Porto Velho devia reagir à manobra desses políticos aumentarem o próprio salário é uma sandice sem tamanho. O povo de Porto Velho reagir a uma injustiça da classe política local? Aqui, devido ao grande número de benfeitorias feitas fica até difícil convencer a inexistente opinião pública de alguma coisa. Inúmeras ruas asfaltadas, obras pipocando por todos os bairros e avenidas, saneamento básico, água tratada, inúmeras praças, projetos de arborização, logradouros públicos decentes, transportes coletivos de Primeiro Mundo, salários altíssimos para os servidores do município, saúde e educação ímpares, além de incontáveis áreas de lazer é tudo o que se tem visto na cidade. E em tudo tem a mão “divina” destes vereadores. Trinta ou quarenta mil reais por mês ainda seria pouco para cada um deles. Porto Velho sobreviveria sem uma Câmara de Vereadores como esta?

*É Professor em Porto Velho.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta