Brasil

Vice-governador do Amazonas pede divisão da chapa cassada pelo TSE

Vice-governador do Amazonas pede divisão da chapa cassada pelo TSE

O vice-governador do Amazonas, José Henrique Oliveira, do Solidariedade, foi ao Supremo Tribunal Federal pedir a divisão da chapa cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral. Na ação protocolada nesta terça-feira (16/5), o político diz não ter nada a ver com a suposta compra de votos nas eleições de 2014 que levou o TSE a cassar o mandato dele e do governador do estado, José Melo (Pros), no início deste mês.  O caso está sendo relatado pelo ministro Ricardo Lewandowski.

Por isso, ele pede para não ser apenado pelas condutas imputadas a Melo. “Considerar que as condutas se projetam sobre o outro, quando este não as haja praticado, é negar o preceito fundamental da pessoalização da imputação e da individualização da pena”, diz a ação.  Oliveira alega ter “direito líquido e certo” para assumir o governo do estado e pede a divisão da chapa.

Oliveira defende na inicial que essa divisão é possível. E lembra que a responsabilização do presidente da República, seja por crime político, seja por crime comum, não afeta o vice-presidente. “O princípio da individualidade da pena se impõe. E isso, ressalte-se, não só para fins de punições por força de crimes”.

A maioria dos ministros do TSE decidiu cassar a chapa porque entendeu que haviam provas “robustas” que comprovariam a compra de votos. Eles analisaram no dia 4 de abril a ação ajuizada pela coligação Renovação e Experiência, encabeçada pelo hoje senador Eduardo Braga (PMDB).

Segundo a chapa, uma sala reservada no comitê da campanha encabeçada por Melo ofereceu a eleitores cestas básicas, ajuda de custo para formandos e até preparação de túmulos. O repasse seria intermediado pela dona de uma empresa contratada pelo governo estadual para prestar segurança em Manaus durante a Copa do Mundo. No dia 9/5, a ministra Rosa Weber determinou que o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas tirasse imediatamente do cargo o governador e o vice. O novo pleito no Amazonas deve acontecer no dia 6 de agosto. Se houver segundo turno, a data prevista é 28 de agosto.

Fonte: conjur.com

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Next article Cleiton Roque indica necessidade de caminhonete para Ciretran de Parecis
Previous article Maurão vistoria obras de recuperação do asfalto da RO 471

Related posts

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Você pode ser o primeiro a comentar esta postagem postar comentário!

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta