Victor fala após indiciamento: ‘O que eu pratiquei foi um ato de desespero’; assista

Indiciado pela Polícia Civil, cantor se justifica em vídeo, dizendo que só quis conter a mulher, ‘descontrolada’, para defender a filha de 1 ano

“Eu não machuquei ninguém”, diz Victor no vídeo que publicou na tarde desta terça-feira no Instagram, para tentar justificar a cena que levou a Polícia Civil de Minas Gerais a indiciá-lo por agressão à mulher, Poliana, grávida do segundo filho do casal.

Segundo a Polícia Civil, a delegada Danúbia Quadros decidiu pelo indiciamento de Victor ao analisar imagens de uma câmera de segurança do prédio do cantor, em que ele empurra Poliana. “O que eu pratiquei foi um ato desesperado, para conter uma pessoa que estava totalmente fora de si de pegar uma criança de 1 ano, e pela minha filha eu faria tudo de novo”, diz também ele no vídeo.

Confira o texto todo do vídeo: “Pessoal, vim a público para esclarecer uma coisa diante da qual surgiram e surgem incontáveis boatos. Eu fui indiciado legalmente por vias de fato. Contravenção. Ou seja, eu não machuquei ninguém. O que eu pratiquei foi um ato de desespero para conter uma pessoa que estava completamente fora de si de pegar uma criança de 1 ano. Pela minha filha, o que eu fiz eu faria de novo. Então, tudo está sendo apurado devidamente”.

Entenda o caso

No dia 24 de fevereiro, Poliana Bagatini registrou um boletim de ocorrência contra o marido, Victor Chaves. A assessoria de imprensa da Polícia Civil de Minas Gerais informou que Poliana afirmou ter sido derrubada no chão e chutada diversas vezes. Victor negou as acusações e falou sobre o caso no programa Fantástico. Depois, Poliana retirou as acusações e o exame de corpo de delito não indicou agressão.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário