Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

“X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido” reúne duas gerações de mutantes

0

Mutantes de duas gerações se encontram em “X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido”, filme que estreia nesta quinta-feira (22) e marca a volta de Bryan Singer à direção da franquia pela primeira vez desde “X-Men 2”, de 2003.

De lá para cá, a saga rendeu mais quatro filmes, incluindo os dedicados à história de Wolverine, personagem de Hugh Jackman. Quando parecia perder fôlego, a franquia se revigorou com “X-Men: Primeira Classe”, de 2011, que levou a ação para o passado e mostrou a juventude de Professor X, Magneto e outros mutantes.

“Dias de Um Futuro Esquecido” se propõe a unir o melhor das duas fórmulas, combinando o elenco original (Jackman, Patrick Stewart e Ian McKellen) ao time jovem que fez sucesso em “Primeira Classe” (James McAvoy, Michael Fassbender e Jennifer Lawrence).

O filme começa mostrando a destruição causada por anos de uma guerra entre os mutantes e robôs gigantescos conhecidos como Sentinelas, criados pelo empresário Bolivar Trask (Peter Dinklage) para eliminá-los. O plano vem funcionando: quase indestrutíveis, os Sentinelas forçam Professor X (Stewart), Magneto (McKellen) e companhia a se refugiar em um vilarejo chinês em busca de uma forma de sobreviver.

Divulgação / Mutantes na cozinha do Pentágono em cena de ‘X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido’
O último recurso é usar o poder de Kitty Pryde (Ellen Page) para fazer com que um dos X-Men viaje no tempo e altere um evento crucial de 1973: o assassinato de Trask por Mística (Lawrence), que virou a opinião pública contra os mutantes e a fez ser capturada, permitindo que seu DNA fosse usado no aprimoramento dos Sentinelas.

O escolhido para voltar ao passado é Wolverine, único capaz de suportar a viagem por causa do poder de cura – uma boa desculpa para manter Jackman como estrela.

Para impedir a ação de Mística, ele terá de convencer os jovens Professor X (McAvoy) e Magneto (Fassbender) a trabalhar juntos. Além de rompidos, os dois enfrentam problemas: X perdeu os poderes por causa de remédios que lhe permitem manter as pernas e Magneto está preso em pleno Pentágono pelo suposto assassinato de John F. Kennedy, numa das várias referências políticas do filme, que incluem também a Guerra do Vietnã e a era Richard Nixon.

Jackman, McAvoy e Fassbender são os grandes protagonistas de “Dias de Um Futuro Esquecido”, assim como Lawrence, que foi escalada para algumas das principais cenas de ação e ganhou destaque especial no material promocional do filme. Atores como Halle Berry, Anna Paquin, Fan Bingbing e Omar Sy têm pouco tempo de cena, enquanto Stewart ganha uma bonita sequência na qual dá conselhos a sua versão mais jovem.

Os poderes de cada mutante oferecem um prato cheio para a equipe de efeitos especiais, que enche a tela de elementos como fogo e gelo, brinca com a capacidade camaleônica de Mística e faz um estádio levitar para promover um cerco à Casa Branca.

Na melhor cena do filme, o jovem Mercúrio (Evan Peters) cria um cenário de caos na cozinha do Pentágono, desviando balas e fazendo com que policiais batam não nos mutantes, mas em si mesmos. Filmada em câmera lenta, a sequência consegue dosar humor e ação na medida certa. Synger também investe em cenas mais quietas, focadas nas relações dos personagens, que funcionam como um bem-vindo respiro entre uma batalha e outra.

A energia de “Dias de Um Futuro Esquecido” e as possibilidades que o filme abre ao alterar detalhes da trama devem garantir vida longa à franquia, que já tem novo título previsto para 2016, além de possíveis spin-offs para Mística, Gambit e Deadpool.

O longa também pode dar um empurrãozinho na carreira de Synger (que se ausentou da divulgação do filme por causa de acusação de abuso sexual de menores), que com “Superman: O Retorno”, “Operação Valquíria” e “Jack, o Caçador de Gigantes”, nunca atingiu o mesmo sucesso dos mutantes.

Veja o trailer de “X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido”

Comentários
Carregando