Valter Araújo nega crime de falsidade ideológica durante depoimento

Durante aproximadamente 20 minutos, o ex-presidente da Assembleia Legislativa (ALE) de Rondônia, Valter Araújo, foi ouvido pelo juiz Franklin Vieira, titular da 3ª Vara Criminal, em Porto Velho. O ex-parlamentar, preso desde o dia 26 de setembro na Penitenciária de Médio Porte (Pandinha), chegou ao Fórum Criminal algemado e acompanhado por dois policiais. Valter é acusado pelo Ministério Público por falsidade ideológica, peculato e corrupção.

Além do ex-presidente da ALE de Rondônia, outras pessoas também foram ouvidas, entre elas a deputada estadual Epifânia Barbosa (PT), que depôs por cerca de 40 minutos como testemunhas de defesa. Foram mais de quatro horas de depoimento das testemunhas. “Ouvimos as testemunhas de defesa. Ficaram pendentes em dois processos algumas cartas precatórias que necessitam de retorno para que o processo seja concluído”, afirma o juiz.

Valter Araújo apresentou defesa no processo, segundo Franklin, referente a falsidade ideológica em relação ao nome das empresas. “Nesse ele negou. Ele disse que a empresa inicialmente pertencia a ele, mas no curso do tempo ele se afastou da empresa, então nega as acusações”, relata Franklin. O processo de falsidade ideológica deve ser encerrado nos próximos dias. No entanto, ainda falta o interrogatório do irmão de Valter, que será feito em Vilhena (RO), até final de novembro.

Segundo o juiz, o Ministério Público (MP) fez o pedido para que o ex-deputado, preso da Penitenciária de Médio Porte (Pandinha) seja transferido para o presídio federal. A decisão deve ser anunciada até sexta-feira (25).

Durante a sessão os advogados de defesa pediram a revogação dos habeas corpus. Valter foi preso durante a Operação Termópilas, deflagrada em novembro de 2011, suspeito de chefiar uma quadrilha que desviou pelo menos R$ 12 milhões dos cofres públicos. Ele esteve foragido da Justiça por quase dois anos, desde dezembro de 2011, quando foi solto após pedido de habeas corpus favorável e, em seguida, revogado pelo Superior Tribunal de Justiça (STF). Além de chefiar a quadrilha, Valter também foi apontado como mandante de uma emboscada contra agentes da PF durante as investigações.

Com informações do G1

Mulher nega ter elogiado governador Confúcio Moura em matéria do Decom

Moradora do bairro Embratel, em Porto Velho, dona Ana Maria ligou na tarde desta segunda-feira para a redação do Tudorondonia se dizendo indignada com a publicação de uma declaração atribuída a ela pela assessoria de comunicação do Governo de Rondônia em texto distribuído à imprensa no último dia 18 e publicado pelo jornal eletrônico.

No texto que deixou dona Maria revoltada, a assessoria de imprensa do Governo diz que ela deu à seguinte declaração: “…eu já sofro muito por que não enxergo direito, me consultei na Policlínica Osvaldo Cruz e soube que poderia recuperar a minha visa (sic). Deixei meus dados para ser chamada no momento que fossem realizar o procedimento, quando me ligaram eu nem acredite (sic), fiquei tão feliz, graças ao governador Confúcio Moura, eu já vou operar neste final de semana e sem pagar nada por isso”.

Segundo dona Maria, ela nunca deu esta declaração ao Departamento de Comunicação do Governo ou à Assessoria de Imprensa da Secretaria Estadual de Saúde.

Segundo o Governo, dona Maria teria feito tais declarações durante mutirão de cirurgias oftalmológicas na Policlínica Oswaldo Cruz.

“Isso é mentira, eu não poderia ter dito isso porque não fui ali para fazer cirurgia. Fui lá para saber se havia chegado medicamento que eu estou tentando obter por meio de ação judicial impetrada pela Defensoria Pública. Um desembargador do Tribunal de Justiça de Rondônia concedeu a liminar obrigando o Estado a fornecer os medicamentos. Me ligaram lá na minha casa na quinta-feira e eu fui lá na policlínica ver se os medicamentos tinham chegado. Fiquei das 7 horas da manhã até meio dia em busca de uma informação. Ai me perguntaram o que eu achava do mutirão, eu respondi que achava bom; como é que eu ia ser contra isso? Mas foi só, não disse aquilo que eles escreveram que eu teria dito, elogiando o governador e nem tampouco dizendo que eu ia fazer cirurgia, porque isso não é verdade”, explicou dona Maria.

A mulher disse que as pessoas que a conhecem e sabem de suas dificuldades para ser assistida pelo Estado , via judicial, estranharam sua suposta declaração de satisfação com um serviço do qual não se beneficiou. De tão indignada por ter sido usada para divulgar uma mentira à população, dona Maria falou em processar o Estado.

Leia a matéria que deixou dona Maria indignada: Policlínica Osvaldo Cruz realiza mutirão de cirurgias oftalmológicas .Sobre esta matéria, a filha de dona Maria enviou o seguinte comentário ao Tudorondonia: “Postado por DANDARA GRUMBLE em 21/10/2013 às 12:34

realmente isso e muita mentira, a senhora que estão mencionando nessa reportagem ridicula e minha mãe. e esta parte da matéria ”me consultei na Policlínica Osvaldo Cruz e soube que poderia recuperar a minha visa. Deixei meus dados para ser chamada no momento que fossem realizar o procedimento, quando me ligaram eu nem acredite, fiquei tão feliz, graças ao governador Confúcio Moura, eu já vou operar neste final de semana e sem pagar nada por isso”, disse a paciente.” e tudo mentira em nenhum ele disse esse absurdo. e outra para a policlinica osvaldo cruz ser igual diz a materia precisa melhorar muito ainda”.

As informações são do Tudorondonia

Polícia investiga grupo de advogados em Rondônia

A Justiça estadual determinou à Polícia Civil que investigasse um grupo de advogados suspeito de atuar em conluio para fraudar processos envolvendo negativação do nome de consumidores no SPC e  Serasa. Os inquéritos ainda não estão concluídos. Entre os advogados investigados pela polícia destaca-se o nome de Igor dos Santos Cavalcante.

Outros profissionais  explicam que foram chamados a depor no inquérito como testemunhas. É o caso dos irmãos Vinicius Silva Lemos e Walter Gustavo da Silva Lemos, respectivamente secretário-geral adjunto e conselheiro estadual da OAB Rondônia.

A juíza de Direito Euma Mendonça Tourinho determinou o bloqueio de alvarás judiciais de alguns clientes dos dois advogados, que atuavam para em empresa financeira  num escritório em que um dos principais implicados no caso sob investigação, Igor dos Santos Cavalcante, foi estagiário oito anos antes de trabalhar por conta própria já como advogado, atuando em casos de negativação indevida do nome de clientes de lojas e bancos.

Igor já foi preso na operação 8666 e Pau Brasil da Polícia Federal , deflagrada na cidade de Guajará Mirim, para apurar o desvio de recursos da União de cerca de R$ 2 milhões.

Os irmãos Vinicius Silva Lemos e Walter Gustavo da Silva Lemos disseram à reportagem que não estão sendo investigados pela polícia e que foram intimados na condição de testemunhas.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Combate ao Crime Organizado, que já ouviu advogados e diversas outras pessoas que figuram ou figuraram como parte em processo cível de negativação.

Alguma disseram em juízo ou na delegacia que não assinaram nenhuma procuração para determinados advogados ingressarem na justiça com estas ações.

A juiza Euma Tourinho levantou suspeitas sobre vários casos semelhantes, envolvendo sempre o mesmo grupo de advogados, ao prestar informações ao desembargador Raduan Miguel no julgamento de um recurso no Tribunal de Justiça.

Ao prestar as informações neste caso específico, a juíza faz uma análise ampla de diversas outras situações que ela diz serem semelhantes e suspeitas.

Chamou a atenção da magistrada, como também do juiz Antônio Robles( o primeiro a atentar para estes casos), o fato de ora haver assinaturas que apresentavam diferenças entre si, ora as procurações se tratavam de cópias, e em nenhum dos demais processos, curiosamente, havia documento original. Em alguns casos a assinatura da parte é flagrantemente falsa.

Uma das requerentes num dos processos, Bruna da Silva Nascimento, teve que ser conduzida coercitivamente até o juízo , mas ao chegar na frente do foro ela se recusou a subir e se dirigiu ao escritório de seu advogado, que ficava próximo ao Fórum Cível de Porto Velho. O oficial de justiça e a Polícia Militar foram até o escritório de advocacia e conduziram Bruna até o juízo, e ela foi acompanhada da advogada Fernanda Naiara Almeida Dias.

Na frente da juíza, Bruna disse que não havia assinado nenhuma procuração para qualquer advogado representá-la em juízo no caso da negativação indevida  de crédito. Na polícia, negou o que havia dito em juízo – isso após consultar a advogada.

Euma Tourinho, nas informações que prestou ao desembargador, por mais de uma vez levanta a suspeita de que estivesse havendo conluio entre advogados, supostos clientes e a empresa financeira para a prática de fraudes.

A magistrada cita o caso de uma mulher , Aparecida Garcia Carneiro, que descobriu existir um processo tramitando na justiça no qual ela figurava como autora mas sobre o qual não tinha o menor conhecimento.

Aparecida informou em juízo que nunca contratou os serviços do advogado Igor dos Santos Cavalcante, porém uma suposta assinatura sua constava da procuração anexada no processo, ou seja, a assinatura é falsa.

Posteriormente, o advogado teria ligado para Aparecida Garcia oferecendo R$ 7 mil para que desistisse da ação que foi impetrada sem que ela soubesse e com uma assinatura falsa na procuração.

De acordo com o relato da juíza, a mulher não tinha nenhuma restrição em seu nome para a compra no comércio, nunca contratou os serviços do advogado, nunca assinou nenhuma procuração e mesmo assim havia uma ação judicial movida em seu nome.

Posteriormente, o advogado teria procurado Aparecida Garcia para que aceitasse manter a ação judicial, mas esta não aceitou participar do esquema. Igor demonstrava preocupação com os problemas que poderia ter na profissão, inclusive com a possibilidade de ter seu registro na OAB cassado.

A polícia investiga se os advogados supostamente envolvidos agiam em conluio com funcionários dos órgãos arquivistas de informações sobre restrição  de crédito, bancos ou financeiras  para montar uma indústria de ajuizamento de ações, algumas com procurações falsas ou de pessoas que nunca compareciam em juízo, mas que mesmo assim obtinham acordo e desistiam da ação no meio do caminho. Entre outros questionamentos, a polícia quer saber se estas pessoas de fato existem.

As informações são do Tudorondonia

Sem disputa, Petrobrás vence leilão de Libra

Mudanças no pré-sal devem destravar investimentos e atrair novas empresas

pre salO consórcio formado por Petrobrás, as chinesas CNOOC e CNPC, a francesa Total e anglo-holandesa Shell arrematou a área de Libra, com uma proposta de pagamento de 41,65% do lucro em óleo para a União, exatamente em linha com o porcentual mínimo de 41,65% exigido no edital. O anúncio foi feito pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), no Rio de Janeiro.

As chinesas tiveram participação minoritária e ficaram ao todo com 20% de participação no grupo que explorará a área, cujas reservas estimadas estão entre 8 e 12 bilhões de barris de petróleo. Cada estatal chinesa ficou com participação de 10% do consórcio. A Petrobrás ficou com 10%, porcentual que se soma à participação mínima de 30% prevista inicialmente. Com isso, a estatal terá 40% de participação no grupo. A Shell e a Total, cada uma com 20% de participação respectivamente, completam o grupo vencedor.

Ao contrário do modelo de concessão, na partilha o explorador do petróleo não detém o direito pleno de exploração dos campos. Pela regra, a Petrobrás deve ter obrigatoriamente participação mínima de 30% entre as empresas componentes do consórcio – no caso de Libra, terá 40%. E toda a produção do campo de petróleo é partilhada entre o consórcio vencedor e a União – o governo ficará com o mínimo exigido para Libra.

O consórcio liderado pela Petrobrás e as estatais chinesas foi o único a apresentar proposta pelo prospecto de Libra, no primeiro leilão do País que atende às novas regras do modelo de partilha aplicadas pelo governo brasileiro. Ao todo, onze empresas estavam habilitadas para o certame.

A estatal deverá desembolsar R$ 6 bilhões referentes ao pagamento de sua participação no bônus de assinatura previsto no edital do leilão. O montante corresponde a 40% do bônus de assinatura total estimado em R$ 15 bilhões e equivale à participação da estatal no consórcio.

Na eventualidade de não ter havido acordos prévios entre as empresas e que cada companhia desembolse o equivalente a sua fatia no consórcio, os R$ 9 bilhões restantes devem ser pagos por Shell, Total, CNPC e CNOOC. As chinesas CNPC e CNOOC, cada uma com 10% de participação no grupo, devem pagar R$ 1,5 bilhão cada. Shell e Total desembolsarão R$ 3 bilhões cada, o equivalente à participação de 20% de cada empresa no consórcio.

Baixa concorrência. O leilão reuniu menos interessados do que o previsto inicialmente. Após grandes multinacionais da indústria, tal como a Exxon Mobil, a BP e a Chevron, optarem por não disputar o leilão, o governo estimou que até quatro consórcios poderiam apresentar proposta pelo direito de exploração da área. O cenário mais otimista, contudo, não se confirmou.

O edital do leilão estabelecia antecipadamente que o consórcio vencedor pagaria R$ 15 bilhões de bônus de assinatura que a Petrobrás teria uma participação mínima obrigatória de 30% do grupo, além de ser a operadora das atividades no local.

O prospecto de Libra tem mais de 1,5 mil quilômetros quadrados e representa a maior descoberta de petróleo do Brasil. De acordo com a diretora-geral da ANP, Magda Chambriard, a área poderá ter pico de produção de 1,4 milhão de barris por dia, o equivalente a 70% da atual capacidade de produção nacional, hoje de aproximadamente 2 milhões de barris diários em média.

O peso do Estado

A maioria das grandes empresas petroleiras estrangeiras, incluindo Exxon Mobil, Chevron e BP, recusaram-se a participar do leilão. Estariam preocupadas com a possibilidade de os direitos assegurados ao governo brasileiro diterem investimento e decisões futuras.

Com o domínio de chinesas e outras petroleiras asiáticas habilitadas, alguns analistas alertam que o Brasil estaria apostando seu futuro na boa vontade de governos estrangeiros. Outros dizem que Libra será mais um fardo para a Petrobrás, que já tem o maior plano de investimentos corporativo do mundo. A estatal estaria vendendo ou adiando projetos mais lucrativos para conseguir desenvolver Libra.

Com o fim do boom das commodities de uma década; o fraco crescimento da economia brasileira; a inflação rondando o teto da meta; e o novo óleo de xisto dos EUA; Libra pareceu menos atrativa agora ao mercado do que era dois ou três anos atrás.

O governo também criou nova estatal para vender a sua cota de petróleo. Ela tem uma palavra direta e um veto parcial sobre como e quando a área de Libra será desenvolvida.

Fonte: Estadão com informações da Reuters

As 10 fotografias mais felizes da história

Após a publicação da lista das 10 fotografias mais tristes da história, alguns leitores sugeriram que reuníssemos as 10 fotografias mais felizes. Como na publicação anterior, para se chegar ao resultado, fizemos uma compilação de reportagens publicadas por jornais, revistas, sites especializados em arte, fotojornalismo, fotografia e história. O objetivo da pesquisa era identificar quais eram as 10 fotografias icônicas que mais simbolizam momentos de felicidade em todos os tempos.

Participaram do levantamento as publicações: “Life”, “The Guardian”, “Der Spiegel”, “Telegraph”, “El Universal”, “The Pulitzer Prizes”, “Day Life”, “World’s Famous Photos”, “Digital History”, “Listverse”, “Al Fotto”, “National Geographic”, “Images & Visions” e “World Press Photo”. Obviamente que, como em qualquer lista, o resultado sempre será questionável. Sabe-se que, como a percepção, a opinião — que foi a base da pesquisa —, é algo individual.

Entretanto, as 10 fotografias selecionadas, que contemplam períodos distintos, cobrindo um itinerário que vai de 1926 a 1999, se não são unanimidades no meio fotográfico (e possivelmente não serão entre os leitores), são referências explícitas de alguns dos momentos mais inspiradores da história — seja pelo lirismo nostálgico de uma guerra de travesseiros em um quarto de hotel, seja pela inocência latente de um garoto correndo pelas ruas de Paris. Seja pelo reencontro emocionado com o pai que voltava da guerra, seja pelo beijo apaixonado de um desconhecido.

Eis, em ordem classificatória, as 10 fotografias selecionadas baseadas nas publicações pesquisadas.

O beijo da Times Square (1945)

BJU

Fotografia imortalizada pela revista “Life”. Durante o anúncio do fim da guerra contra o Japão, em 14 de agosto de 1945, o fotógrafo Alfred Eisenstaedt registrou um marinheiro beijando uma jovem mulher de vestido branco. A mulher foi identificada mais tarde, na década de 1970, como Edith Shain. A identidade do marinheiro permanece desconhecida e controversa. Mas está é apenas uma das versões. Fotografia: Alfred Eisenstaedt

 

A guerra de travesseiros dos Beatles (1964)

beatles

A fotografia mostra os Beatles durante uma guerra de travesseiros em 1964. Foi feita pelo fotógrafo Harry Benson, no hotel George V, em Paris. “Passarão 50 ou 100 anos e os Beatles continuarão ali (…) Eram amáveis e nada presunçosos. E a música era genial. Isso os fazia especiais. Todo mundo gostava deles, e mesmo agora as pessoas gostam deles. Eu poderia ter tirado as melhores fotografias do mundo, mas, se a música não tivesse sido boa, não teria servido para nada”, (Harry Benson, em entrevista à Agência Efe). Fotografia: Harry Benson

Explosão de alegria (1973)

ALEGRIA

Fotografia feita em 17 de Março de 1973. Mostra o reencontro do Tenente-Coronel Robert L. Stirm com sua família, na base aérea de Travis, na Califórnia, três dias após ter sido libertado. Stirm tinha sido capturado pelos vietnamitas do Norte seis anos antes, em 27 de Outubro de 1967, depois do caça-bombardeiro que pilotava ter sido abatido sobre Hanói. A fotografia, batizada como “Explosao de Alegria”, comoveu os norte-americanos e venceu o Prêmio Pulitzer de 1974. Fotografia: Sal Veder

O sorriso do bebê gorila (1999)

Gorilla

Fotografia feita em novembro de 1999 mostra um bebê gorila sorrindo e se assustando com o frio do estetoscópio durante um check-up em um hospital do Zoológico de Melbourne, Austrália. O registro do fotógrafo David Caird acabou virando livro, e Yakini, o pequeno gorila, uma celebridade mundial.Fotografia: David Caird

Children follow the Drum Major at the University of Michigan (1950)

michigan

Fotografia feita em 30 de outubro de 1950 em Ann Arbor, Michigan, Estados Unidos. A fotografia foi considerada pela “Time/Life” e pelo próprio fotógrafo uma das mais felizes da história. Alfred Eisenstaedt cobria uma apresentação da banda sinfônica da Universidade de Michigan quando percebeu um grupo de crianças correndo espontaneamente atrás de um dos membros da banda. Alfred Eisenstaedt, que morreu 1995 e ganhou o status de clássico sobretudo pela sua trajetória na revista “Life”, considerava a fotografia uma das mais importantes de sua carreira. Fotografia: Alfred Eisenstaedt

Jesse Owens contra Hitler (1936)

Jesse-Owens

Fotografia feita em 1936 durante os Jogos Olímpicos de Berlim. O atleta norte-americano negro Jesse Owens ganhou quatro medalhas de ouro, contrariando o desejo de Hitler de mostrar a supremacia branca. A fotografia da cerimônia de premiação é uma das mais emblemáticas da história do esporte. Fotografia: Associated Press

 

A garota da praia (1926)

PRAIA

Fotografia feita por Jacques Henri Lartigue em setembro de 1926, em Royan, cidade localizada no centro-oeste de França. A foto mostra uma garota, Jeanine Lhemann, saltando na praia enquanto é observada por seu cão. Jacques Henri Lartigue, que morreu em 1986, é considerado um dos grandes nomes da fotografia do século 20, ficou conhecido como o fotógrafo da felicidade. Fotografia: Jacques Henri Lartigue

O primeiro 10 da história ginástica olímpica (1976)

Nadia

Fotografia feita em dia 18 de julho de 1976, durante os Jogos Olímpicos de Montreal, Canadá. Depois de uma apresentação perfeita da ginasta romena Nadia Comăneci nas paralelas assimétricas, o placar mostrou a nota 1.00. O silêncio tomou conta do ginásio, sem entender como uma performance tão espetacular poderia receber uma nota tão baixa. A explicação surgiria pouco depois: nunca um 10 tinha sido atribuído na história da ginástica olímpica e o sistema não estava preparado para um resultado acima de 9.5. Fotografia: Associated Press

Le petit parisien (1952)

Le-petit-parisien

Fotografia feita em 1952 e considerada uma das mais importantes do fotógrafo francês Willy Ronis. Intitulada “Le petit parisien”, mostra um garoto parisiense que corre levando debaixo do braço uma baguete maior do que ele. A fotografia percorreu o mundo como marca da Paris no pós-guerra. Fotografia: Willy Ronis

Marilyn Monroe na Pacific Coast Highway (1945)

Marilyn-Monroe

Fotografia feita em novembro de 1945 mostra Marilyn Monroe, aos 19 anos, sentada no meio da Pacific Coast Highway, Califórnia, Estados Unidos. Foi o primeiro ensaio da futura diva e atriz Marilyn Monroe. Na fotografia, Marilyn sorri para o fotógrafo André de Dienes, com que viveria um breve romance. “Conforme os minutos passavam, eu me apaixonava mais e mais por Norma Jeane [verdadeiro nome de Marilyn Monroe]”, relata André de Dienes no livro “André de Dienes, Marilyn” — publicado pela Taschen.Fotografia: André de Dienes.

Fonte: Revista Bula

Porto Velho possui 1353 casos suspeitos de dengue

Chikungunya é o maior desafio de saúde pública em 2017, diz ministro

DENGUE 2013Os dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) informam que a Capital de Rondônia, Porto Velho, já possui 1353 casos de suspeita de dengue. Entre os casos, 629 confirmados até do dia 14 de Outubro. No mesmo período em 2012, Porto Velho foi considerada uma das cidades em situação de risco, segundo o Levantamento de índice Rápido de Infestação por Aedes Aegyspti (LIRAa) pelo Ministério da Saúde (MS).

A Semusa ainda informou que os dados foram notificados e lançados no Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) e no Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (DVEA/SEMUSA), entre os 629 casos confirmados dengue clássica, foram também encontrados dois casos de dengue hemorrágica, seis casos de complicação e 47 casos inconclusivos.

Segundo as informações do DVEA, o crescimento da infestação do mosquito transmissor da doença se torna mais preocupante devido o período de inverno amazônico. “As constantes chuvas, terrenos sujos e lixo acumulado, tudo isso contribui para a proliferação do mosquito”, afirma médica veterinária da Semusa, Deuzeli Sousa.

Tipos de dengue em Porto Velho

Prevenção-Dengue8001Segundo as informações da Semusa, a cidade de Porto Velho, já circula os quatro sorotipos (1, 2, 3 e 4) , o sorotipo quatro, foi conhecido a partir de 2013 e chegou a ser esperada como uma epidemia, mas segundo a DVEA, veio de forma branda, não ocasionando muitos danos.

O tipo  1 e o 2 são tipos comuns no município, mas o tipo 3 já não é observado à algum tempo, pois não há indícios na cidade, mas se caso reapareça , pode ocasionar surtos, devido renovação da população.

A DVEA afirma que  grande parte da população já não é susceptível a todos os tipos, porém a vigilância deve continuar. “São diversos fatores que leva a constante presença do mosquito transmissor da dengue, entre eles é o aumento da população, falta de limpeza nos terrenos e água acumulada em diversos pontos da cidade”, comenta Deuzeli.

Prevenções

A Secretaria Municipal de Saúde possui durante todo ano, e principalmente no período de estiagem de chuvas prevenções e trabalhos de controle a Dengue. As Unidades de Saúde costumam seguir um protocolo de atendimento recomendado pelo Ministério da Saúde.

O Ministério da Saúde já comenta a possibilidade de uma vacina, provavelmente será oferecida para a população a partir 2018, sendo considerado um avanço para controle da doença, uma vez que é impraticável a erradicação do mosquito transmissor.

SESC abre vagas para estagiários

Hoje, 21, começam as inscrições para o processo seletivo para estagiários de nível superior para 2014. As inscrições estão sendo realizadas gratuitamente, das 8h às 18h, nas Centrais de Atendimento do Sesc em Porto Velho e Centro Educacional Sesc Ler nos municípios de Ariquemes, Ji-Paraná, Nova Mamoré, Presidente Médici, e Vilhena.

Para Porto Velho as vagas estão abertas para acadêmicos das áreas de Educação Física, Nutrição, Letras, Serviço Social, Pedagogia, Hotelaria ou Turismo, Enfermagem e Comunicação Social, enquanto no interior, apenas para os das áreas de Pedagogia e Educação física, conforme o regulamento apresentado.

O candidato deve preencher a ficha de solicitação de estágio (disponível aqui) nas Centrais de Atendimento e Unidades do Sesc Ler e entregá-la juntamente com uma cópia da carteira de identidade no momento da inscrição.

A prova será realizada no dia 24 de novembro. Os candidatos aprovados passarão por uma entrevista e só então será divulgado o nome dos aprovados, que deverão estar devidamente matriculados e com frequência efetiva no curso de graduação superior informado na ficha de inscrição.

Regulamento do processo seletivo do programa de estágio / 2014
Ficha de estágio / 2014

Mais informações: (69) 3229-6006 | (69) 3229-5882 | ramal: 233

Coluna – Valter Araújo deve ser transferido para presídio federal

O discurso

A frase “bandido bom é bandido morto”, que vem se tornando cada vez mais comum, foi bordão de campanha do delegado carioca Guilherme Godinho Ferreira, conhecido como “Sivuca”, que chegou a ser eleito deputado estadual na década de 60. Ele era membro de uma força de elite que mais tarde se tornaria a “Scuderie Detetive Le Cocq”, que chegou a ter 7 mil associados e ficou conhecida como Esquedrão da Morte. Os lecocquianos diziam agir dentro da lei e tinham uma regra, “se o criminoso reagisse à prisão, era morto, sem dúvida”. Devido aos excessos, e não foram poucos, a justiça decretou sua extinção em todo território nacional, além da proibição de uso de seus símbolos em bonés, camisetas, adesivos, etc.

Pois bem

A Scuderie surgiu para “vingar” a morte do detetive Milton Le Cocq. Ele foi morto  em serviço por Manoel Moreira, conhecido como “Cara de Cavalo”, marginal que atuava na Favela do Esqueleto, onde se encontra atualmente a UERJ, na década de 1960. Como a sociedade carioca estava aterrorizada com a onda de crimes na época, o apoio à Scuderie foi automático. Fazendo uma analogia simples, vamos a nossa realidade, o caos na segurança pelo qual atravessamos.

Diariamente

Noticiamos casos e mais casos de roubo, sequestro-relâmpago, assaltos, novo cangaço, invasões em domicílios. De outro lado vemos a polícia sem condições de agir, sem recursos, viaturas e desmotivada. Paralelo a isso, a sociedade assiste a impunidade, criminosos que barbarizam em uma semana e na outra estão nas ruas, cometendo os mesmos crimes, com mais brutalidade e na certeza que o máximo que pode lhes acontecer, é levar um tiro e morrer. Mas o que é a morte para quem não tem nada a perder?

O que diferencia

O cidadão de bem do criminoso é exatamente o medo de perder o que lhe é mais precioso, a vida. O chamado “cidadão de bem” é aquele que acorda cedo, trabalha duro, paga suas contas e impostos e sofre com a falta de segurança. Ao mesmo tempo ele assiste o bandido que mata, tendo tratamento às vezes melhor que o de seus conhecidos. Presos fazem cinco refeições por dia, tem garantido tratamento médico e até um salário para ajudar a família.

Porém

Vivemos em um estado paternalista. No Brasil de hoje o Estado garante praticamente tudo que uma pessoa precisa para viver. Não com regalias, nem soberba, mas garante o básico. O discurso de “falta de oportunidade” caiu por terra há mais de uma década e não cabe mais o argumento de coitadinho. O Brasil precisa mudar a legislação, preso tem que trabalhar, tem que ser uma massa para mão de obra pesada, bater enxada no sol, isso é reabilitar. Mas enquanto isso não acontece, temos que respeitar as leis pelas quais somos conduzidos.

Dito isso

Não cabe, em momento algum da atual conjuntura em que vivemos, o discurso do secretário de Defesa e Cidadania de Rondônia, Marcelo Bessa em seu perfil no Facebook, no qual ele afirma, “se você ultrapassar (entrar) eu atiro em você. Se você sobreviver eu atiro de novo”, em referência a uma frase que ele viu em alguma propriedade nos Estados Unidos e afirmou que reagiria dessa forma na possibilidade de algum bandido entrar em sua residência. E o discurso não cabe por um simples motivo, Bessa é a pessoa responsável pela nossa segurança. Se a criminalidade aumenta, a culpa é dele. Ele tem arma e seguranças, e nós, que mal temos o 190, que com muita sorte alguém atende.

Além do mais

Tem o agravante do mau exemplo. Como cidadão, Marcelo Bessa tem todo o direito de se indignar e agir como bem entender, inclusive atirando, se é o que ele acha correto fazer. Mas como representante da segurança pública e como delegado federal, ele não pode externar essa mentalidade. Ele precisa apaziguar, aconselhar o cidadão a não reagir, até porque ele tem treinamento para isso, o cidadão comum que tem uma arma em casa é uma vítima potencial e um perigo para ele e sua família. E em um país onde portar arma é crime, é no mínimo complicado fazer esse tipo de afirmação. Agora, deixando de lado o politicamente correto, a linha de raciocínio do secretário é comungada pela maioria, ninguém aguenta mais tanto bandido, tanto latrocínio, tanta sem-vergonhice.

Melhor

Que discursar sobre o modelo americano de resolver questões na bala, seria o secretário ajudar a convencer o governo a implantar aquele método de prisão onde o sujeito passa o dia quebrando pedra com uma bola de ferro amarrada aos pés durante o dia inteiro. O estado poderia aproveitar também e acabar com essa pouca vergonha que são os contratos de fornecimento de marmita para preso e colocar os apenados para plantar e fazer a própria comida. Isso iria gerar uma grande economia aos cofres públicos e a sociedade agradeceria. Se preso no Brasil cumprisse pena trabalhando, ele pensaria três vezes antes de apontar uma arma na cara de um trabalhador. Enquanto isso não acontece, o secretário pode atirar e nós, bem, podemos rezar.

Podcast

Federal

O Ministério Público quer Valter Araújo em um presídio federal e vem trabalhando para isso, principalmente após suas declarações nesta segunda-feira, na 3ª Vara Criminal de Porto Velho. Alegando “temer por sua vida”, os advogados do ex-deputado pediram a revogação de sua prisão. Por considera-lo de “extrema periculosidade” o Ministério Público achou melhor pedir sua transferência, do Pandinha, onde atualmente divide cela com Alberto Siqueira e Fernando Braga Serrão, para o presídio federal, onde sua vida estará segura.

A probabilidade

Do Ministério Público conseguir essa transferência é grande. E foi Valter quem colaborou com isso, ao fugir da justiça quando teve um habeas corpus revogado. Com essa alegação de ameaça, e como o Estado precisa garantir a integridade física dos presos, a transferência não deve ser difícil de obter. Já a revogação da prisão, essa é praticamente impossível.

Fale conosco

Pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos no Facebook.com/painel.político e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon.

Criança que não dorme em horário fixo tem mais problemas de comportamento

Após um estudo com mais de 10 mil crianças, pesquisadores britânicos concluíram que a falta de horários regulares para dormir pode aumentar os riscos de problemas comportamentais e emocionais na infância. O resultado da investigação foi divulgado ontem, dia 14, pela revista científica Pediatrics. De acordo com os pesquisadores, dormir pouco ou em horários irregulares são medidas que atrapalham o ciclo circadiano – sistema que ajuda o corpo a regular o apetite, os horários de sono e o humor. “Alterar constantemente a quantidade de horas dormidas por noite ou ir para a cama em horários diferentes a cada dia é como bagunçar o relógio biológico. Isso interfere na forma como o corpo será capaz trabalhar no dia seguinte”, diz a coordenadora do estudo, pesquisadora Yvonne Kelly, da University College London. O trabalho aponta que as crianças que não tinham horário fixo para dormir apresentaram, em comparação aos colegas que se deitavam todos os dias no mesmo horário, quadros mais acentuados de tristeza, hiperatividade e ansiedade. Além disso, envolveram-se mais em brigas com colegas.

 

Almanaque “O Caminho Jedi” tem pré-venda na livraria Cultura

O Caminho Jedi, livro que contará com uma edição de capa dura e totalmente ilustrado, tem seu lançamento previsto para 29 de novembro e está por R$ 55,00 na pré-venda da Cultura. 

O livro será um manual de treinamento Jedi, onde os maiores mestres serão apresentados, além da história da Ordem, os armamentos, o vestuários, os golpes de lutas e outros.

Abaixo a sinopse do livro:

“Que a saga Star Wars é um dos maiores fenômenos de todos os tempos não é novidade. Que os personagens são mania mundial, também não. O livro funciona como um almanaque dos guardiões da paz nas galáxias. Nele são apresentados os maiores mestres, a história dos clãs, os armamentos, o vestuário, os golpes de lutas, entre outros. Em ‘O Caminho Jedi’, o leitor vai desvendar os segredos e partilhar do conhecimento passado de geração para geração – aprendendo, inclusive, as nuances do combate de sabre de luz e a hierarquia Jedi. Além disso, conhecerá novos personagens, novas criaturas e novas naves. Passado de mão em mão de Mestre para Padawan, de Yoda e Obi-Wan Kenobi para Anakin e Luke Skywalker, este exemplar recebeu as anotações de cada Jedi que tocou e estudou suas páginas – adicionando suas experiências pessoais e as lições aprendidas.”

Coelho com pelos de 15 centímetros ganhará título de fofura da web

Facilmente confundido com uma grande bola de pelúcia, esse coelho está prestes a ser nomeado “o mais fofo” da web. Não se tem muitas informações a respeito da procedência da foto, mas nas últimas semanas ela teve grande repercussão pelas redes sociais.

O animal pertence ao grupo dos coelhos “angorás” originados na Turquia, eles são criados para fornecimento de matéria-prima para a indústria têxtil. Os pelos desses animais podem chegar até 15 centímetros de comprimento.

0,,69833417,00

0,,69833419,00