Coluna – Placar apertado garante Expedito e define cenário político

Tensão

O dia começou agitado para os correligionários de Expedito Júnior, que aguardavam há mais de 30 dias o julgamento do pedido de registro de candidatura, que havia sofrido pedidos de impugnação pelo Ministério Público Eleitoral, pelo Partido dos Trabalhadores e pelo PMDB. Na noite de segunda-feira, apesar da expectativa, Expedito revelou á coluna que “estava tranquilo” e iria “dormir bem”. Mas sabemos que não é bem assim. O julgamento foi apertado e por pouco os simpatizantes, que lotavam o pequeno espaço do Tribunal de Justiça onde a Corte Eleitoral vem se reunindo provisóriamente, não saem de lá frustrados.

O primeiro caso

A ser julgado no dia foi uma ação de propaganda eleitoral antecipada, movida contra um site de notícias que havia publicado matéria sobre uma reunião de Expedito Júnior no interior. O julgamento era um recurso, já que o site havia perdido em primeira instância. De acordo com os juízes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a informação trazia elogios demasiados ao então pré-candidato Expedito Júnior, induzindo os leitores a achar que ele era a melhor opção para governar Rondônia. A sentença foi mantida. Na sequencia os juízes analisaram o pedido do registro de Moreira Mendes, candidato ao Senado. E ele teve o registro deferido.

O julgamento

De Moreira foi emblemático. Era dado como certo o indeferimento, tendo em vista o fato dele ter sofrido condenação por improbidade por um colegiado. Os advogados dele argumentaram que o processo estava em grau de recurso, portanto, não havia trânsito em julgado. O relator, juiz Dimis da Costa foi favorável e os demais seguiram seu voto. Moreira conseguiu seu registro por unanimidade. Na sequência entrou na pauta o processo de Expedito Júnior.

Demora

A procuradora eleitoral Gisele Bleggi fez a leitura de um longo relatório que durou 38 minutos. Ao final ela pediu o indeferimento do registro de candidatura de Expedito, alegando que o mesmo deveria estar apto no momento do pedido e não no dia da eleição. Em seguida s advogado do PMDB, Almeida Jújnior também falou, pedindo a impugnação e na sequencia Nelson Canedo, representando o PT fez o mesmo. Foi a vez dos advogados Diego Vasconcelos e Márcio Nogueira, que representaram Júnior e expuseram suas alegações a favor do candidato. E aí começou a longa agonia dos que torciam contra e a favor de Expedito Júnior.

Caso da foto

O relator do pedido do registro, juiz Dimis da Costa iniciou seu voto falando sobre uma foto que começou a circular na noite de segunda-feira, onde aparece ele, na companhia de Márcio Nogeuira (advogado de Expedito), Robson Oliveira e Ayres do Amaral, em um jantar de confraternização. A imagem circulou insinuando que o relatório de Dimis seria favorável a Júnior e criou um mal estar. Mas seu voto foi contrário. Ele arguiu que o candidato deveria estar apto no dia do pedido de registro, portanto estava inelegível. Na sequencia o juiz Delson Xavier fez a leitura de um longo voto, onde ele concluiu divergindo do relator. O terceiro a votar foi o juiz José Robles, que acompanhou o relator. O terceiro voto foi de Roosevelt Queiroz, que seguiu ao pé da letra o que diz a lei, ou seja, se o candidato está elegível no dia da eleição, não pode ter o registro negado e votou pelo deferimento. As atenções se voltaram ao juiz Adolfo Theodoro, que fez um curto discurso e votou pelo deferimento. Resultado, placar apertado de 3 a 2 e Expedito é candidato ao governo de Rondônia.

Enquanto isso

Os cassolistas não escondiam a insatisfação. Com o deferimento do registro de candidatura de Expedito Júnior o processo eleitoral começa de fato. As campanhas devem deslanchar a partir dessa semana e o cenário passa a ser definido. A demora no julgamento atrasou, e muito, a corrida sucessória e Confúcio Moura, que até então estava em uma situação confortável começa a ficar preocupado. Cassol aposta que o governador não chega ao segundo turno, que será disputado, segundo ele, entre sua irmã Jaqueline e Expedito Júnior. Mas os cassolistas andam meio ruins de matemática nos últimos tempos, então, de certo mesmo é que todos estão em pé de igualdade a partir de agora. Também é certo que teremos segundo turno, e nos próximos dias saberemos quem de fato vai chegar lá.

No QG da cascavel

A notícia de que Moreira Mendes vai disputar as eleições caiu como uma bomba na cabeça de Ivo Cassol e Acir Gurgacz. O primeiro lançou sua esposa, Ivone para disputar o senado e dava como certa uma eleição relativamente tranquila. O segundo já havia traçado estratégias para chegar lá sem fazer muito esforço. Não deu certo. Moreira entra na disputa com vontade, dinheiro e curriculo, o que causa dor de cabeça aos adversários. Nessa disputa o jogo também ficou equilibrado a partir de agora e a tendência é uma vitória apertada, seja lá quem for o eleito.

Outro

Que conseguiu o registro de candidatura foi o ex-prefeito de Porto Velho Roberto Eduardo Sobrinho, que havia sofrido pedido de impugnação pelo Ministério Público Eleitoral. Roberto pretende disputar uma vaga na Câmara Federal.

Inovando

Painel Político lançou um Tumblr para as eleições deste ano. O julgamento no TRE foi transmitido passo a passo pelo endereço http://painelpolitico.tumblr.com .

Em Vilhena

O prefeito José Rover (PP) vem sendo acusado de pedir votos para candidatos de coligações adversárias, o que caracteriza, em tese, infidelidade partidária. Não é novidade nenhuma que Rover não está apoiando as candidaturas de Jaqueline (governo) e Ivone Cassol (senado), mas daí a gravar um vídeo pedindo votos para um candidato a deputado federal, já é um pouco demais. Aliás, a infidelidade este ano está bombando e os políticos parece que esqueceram que os mandatos pertencem as legendas e não aos ocupantes dos cargos políticos. Vereadores do PROS também estão ignorando determinações do partido e vendendo apoio a candidatos de coligações opostas. A casa de muita gente vai cair logo, logo.

Debate

A TV Allamanda já começa a preparar o primeiro debate com os candidatos a governo. O mediador deve ser o vereador Marcelo Reis. Ainda não tem data definida.

 

Fale conosco

Pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos no Facebook.com/painel.político e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon. Para fazer parte de nossos grupos no whatsapp envie um whats para 9248-8911 com a seguinte informação: nome+sobrenome+NOTÍCIAS (apenas para receber informações); Caso queira participar de debates e interagir com os demais membros envie nome+sobrenome+DEBATES; Não incluímos ninguém por indicação, a própria pessoa deve enviar o pedido. Notícias são enviadas até às 22 horas, a partir desse horário só se for algo de grande relevância. Também estamos com grupos no aplicativo Telegram. Para mais informações acessehttp://painelpolitico.com/grupos-de-noticias.

Jovens que jogam videogame moderadamente são socialmente bem ajustados

Um novo estudo sugere que jovens que jogam videogame moderadamente são sociáveis. A pesquisa, realizada pela Universidade de Oxford, descobriu que os adolescentes que jogam por um curto período de tempo são mais bem ajustados socialmente do que os que nunca jogam ou que o fazem excessivamente. O estudo não encontra efeitos positivos ou negativos para aqueles que jogavam moderadamente. No entanto, o estudo publicado na revista Pediatrics sugere que a influência dos videogames sobre as crianças, para o bem ou para o mal, é muito pequena quando comparada com outros fatores duradouros, como a família, as suas relações escolares e condições financeiras. Este é o primeiro estudo que examina os efeitos positivos e negativos que o uso de jogos representa em jovens. A pesquisa utilizou 5 mil jovens, divididos proporcionalmente entre homens e mulheres, de diversas regiões do Reino Unido. Os participantes, entre 10 e 15 anos, foram questionados sobre quanto tempo eles normalmente gastam em jogos. O mesmo grupo também respondeu a perguntas sobre quão satisfeitos eles estavam com suas vidas, seus níveis de hiperatividade e de desatenção. Além disso, foram avaliadas a empatia dos jovens e como eles conheciam outros adolescentes.

Presidente da Assembleia denuncia esquema de corrupção na construção do espaço alternativo

Deputado propõe mandado de segurança contra a Lei que aumentou o desconto previdenciário dos servidores estaduais

O presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, deputado Hermínio Coelho (PSD), durante pronunciamento hoje (05.08) em sessão plenária da ALE, anunciou que já encaminhou denúncia ao Ministério Público Estadual, sobre o esquema de corrupção envolvendo a construção do espaço alternativo em Porto Velho.

De acordo com o presidente da ALE, deputado Hermínio Coelho, o principal implicado neste esquema criminoso, seria o ex-diretor do Departamento de Estradas de Rodagem – DER, Lúcio Mosquini, junto com outros comparsas do Governo Estadual.

Ainda de acordo com o parlamentar, o ex-diretor que antes de assumir o Governo Estadual era proprietário de uma lojinha de ração de animal no interior, mas agora esbanja fortuna, sendo proprietário de fazendas e até posto de gasolina.

Com relação à denúncia encaminhada ao Ministério Público Estadual, o deputado Hermínio Coelho disse ser visível que efetivamente ocorreram irregularidades na construção do espaço alternativo, pois apesar de não ser uma obra de maiores complexidades de engenharia, está sendo aplicado o montante de R$ 25 milhões. “Trata-se de um esquema desgraçado, envolvendo gente do Governo, tendo a frente o Lúcio Mosquini. A licitação da obra contém erros grotescos, e fica evidente a ocorrência de superfaturamento.

Trata-se de um negócio escandaloso”, declarou. Ao final, disse o presidente da ALE que espera uma ração rápida no MPE no sentido de evitar que mais dinheiro público seja jogado no ralo, e embolsado por corruptos.

Painel Político denunciou esquema

A coluna PAINEL POLÍTICO, assinada pelo jornalista Alan Alex denunciou que o consórcio vencedor da licitação só foi formado cerca de 15 dias após o certame e que Mosquini era o engenheiro responsável em uma das empresas participantes.

Conheça os alimentos que ajudam a manter a saúde dos olhos

Manter uma dieta saudável é importante para a saúde de todo o organismo, inclusive dos olhos. De acordo com a nutricionista Thais Souza, o consumo de determinados alimentos podem ajudar a prevenir o surgimento de algumas doenças oculares.

A nutricionista explica que os radicais livres, que danificam as células do corpo, atingem também a área dos olhos.

— A melhor forma de se prevenir é consumindo alimentos com poderes antioxidantes, pois eles têm a capacidade de proteger o organismo e diminuir a progressão de problemas já existentes — afirma Thais.

A falta de nutrientes como a vitamina A, a niacina e a vitamina E também pode estar relacionada a problemas de visão.

— Acomodação visual, distúrbios na percepção das cores, secura nos olhos, fotofobia (sensibilidade à luz), cegueira noturna e queda na resistência do sistema imunológico são probemas que podem estar ligados à má alimentação — descreve a nutricionista.

Outro problema na visão, que pode ser prevenido por meio do consumo de ômega 3 é a secura dos olhos, cujas gorduras benéficas ajudam na lubrificação do globo ocular.

A especialista indica qua são os nutrientes essenciais para a saúde dos olhos e em quais alimentos encontrá-los. Conheça:

Vitamina A: presente na cenoura, abóbora, tomate, leite, ovos, entre outros
Niacina: amendoim, salmão, atum
Riblofavina: leite, carne bovina
Tiamina: cereais integrais, farinha de aveia, carnes, nozes
Folato: brócolis, espinafre, tomate
Vitamina E: óleos vegetais, gérmen de trigo
Ômega 3: salmão, atum, sardinha
Vitamina B12: peixes, ovos, carnes, cereais integrais

Fonte: ZHnoticias

Carreata marca lançamento de candidatura de Scheilla Cassol

Pimenta Bueno foi a cidade escolhida por Scheilla Cassol (PROS) para lançar sua candidatura a deputada federal no último sábado, 2, com a participação de mais de 500 carros e motos. O município, que não tem representatividade na Câmara Federal abraçou a única candidata da região, “Scheilla é nossa vereadora e vai ser nossa deputada federal. Sei que ela vai brigar por melhorias em nossa cidade e nos municípios vizinhos”, disse o agente penitenciário Jair Tamarossi, que participou da carreata.

Com o lançamento oficial da candidatura, Scheilla Cassol passa a cumprir extensa agenda de reuniões em todo o Estado, “acredito no progresso e desenvolvimento de Rondônia, e para isso precisamos de uma representação forte em Brasília. O senador Ivo Cassol vem ajudando o Estado, mas precisamos de mais. Temos projetos para melhoria de vida de toda nossa população, estamos comprometidos com os municípios para ajudar com emendas e projetos. Já firmamos compromisso com setores da segurança pública e com várias prefeituras. Vamos acreditar em Rondônia, vamos acreditar no progresso”, disse Scheilla Cassol.

A carreata que parou Pimenta Bueno encerrou nas imediações da feira livre, no fim da tarde de sábado. A candidata percorreu os stands, ocupados por feirantes de vários municípios da região e firmou compromisso de ajudar a implantar um mercado municipal em Pimenta Bueno, “precisamos de um barracão, a feira é itinerante, mas se pudessemos trabalhar todos os dias seria muito melhor”, disse um dos feirantes.

 

Diretor de presídio dá detalhes de rebelião que destruiu parte da unidade

No último sábado, 02, a reportagem de um jornal local foi convidada pela direção do Centro de ressocialização Cone Sul (CRCS) para acompanhar os trabalhos de reforma que estão sendo realizados na unidade prisional após a rebelião que aconteceu no ultimo dia 30, quando parte do complexo foi destruída pelos amotinados. A direção também se dispôs a esclarecer algumas informações que foram divulgadas nos meios de comunicações.
Na entrevista, o diretor do presídio, Juracy Duarte, contou detalhadamente como aconteceu  o início da rebelião. De acordo com ele, uma falha estrutural na porta de uma das celas do bloco “B” propiciou aos detentos a oportunidade de começar a revolta na unidade.
De acordo com o diretor, o rompimento de uma trava da porta de uma das celas do bloco “B” foi a oportunidade para os detentos que são considerados de alta periculosidade saírem para o corredor e começarem a abrir as grades que dividem o bloco e outras celas.
A ação logo foi percebida pelos agentes penitenciários que, ao ir verificar o que estava acontecendo, já encontram os presos no corredor. Após os agentes realizarem disparos, os apenados retornaram para a carceragem.
Depois de forçar a uma grade que dá acesso a área superior das celas, onde os agentes trabalham, alguns detentos passaram para o bloco “A”, local onde são mantidos detentos que são rivais.  Lá, os presos rebelados pegaram 16 outros encarcerados e os cercaram com colchões, redes (da oficina de que funcionava entro do presídio) e alguns móveis, ateando fogo em seguida.
Neste intervalo de tempo, as autoridades como Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Judiciário foram acionados e estava a caminho do CRCS. Os agentes penitenciários e os Bombeiros logo contiveram as chamas e evitaram que os presos morressem queimados.
Com a chegada do contingente da PM e outros agentes que estavam de folga, mas foram mobilizados para trabalhar no momento critico, os presos ficaram apenas nas carceragens. Alguns apenados tomaram a liderança e passaram a negociar com um “comitê de crise” formado por um Promotor de Justiça, um juiz de direito, Comandante da PM e a direção da própria unidade prisional.
De acordo Duarte, aproveitando o momento, os detentos reivindicaram o aumento do número de visitantes por preso, a entrada de cigarros, a saída do próprio diretor e, principalmente, a transferência de 40 presos que estão incomodados com a rigidez imposta pela direção.
Após algum tempo de conversa, os rebelados decidiram terminar com a baderna e se render. Todos os presos da ala “B” foram levados para quadra onde acontece o “banho de sol” e vão permanecer lá por mais alguns dias até que os trabalhos de reforma da careceragem sejam concluídos.
Após a retomada do presídio, foi realizado um grande “pente fino” nas celas e outras dependências à procura de armas artesanais, drogas, celulares, ou qualquer objeto de uso proibido dentro do sistema.
As portas e travas de “bigornas”, assim com alguns mecanismos de segurança, estão sendo reformulados para que novos episódios do tipo não venham a acontecer, e também garantir a integridade dos reclusos e agentes.
Não se tem ainda uma estimativa de valores da destruição, mas o trabalho de reforma deverá levar mais seis dias. Neste período a escala de agentes penitenciários foi reforçada.  Duarte garante que não haverá mudanças no presídio, pois continuará sem cigarros, o numero de vistas será o mesmo e ninguém será transferido.

 

 

Fonte: FS

Promotora e juiz eleitoral explicam regras da campanha deste ano em Vilhena

As representações locais da Justiça e do Ministério Púbico Eleitoral promoveram, na tarde desta segunda-feira, 04, reunião com imprensa, candidatos e coordenadores de campanha para estabelecer normas a serem cumpridas na comarca durante o processo eletivo.  O encontro deixou claro que há grande preocupação quanto a questão da propaganda eleitoral, assunto que foi enfocado com muita ênfase na ocasião. A forma como a imprensa deve se comportar na cobertura da campanha também foi destaque, e pelo que ficou entendido as reportagens não devem ser produzidas de maneira a “enaltecer” determinados postulantes em detrimento de outros concorrentes.
A reunião foi dirigida pelo Juiz Eleitoral Fabrício Amorim de Menezes e a Promotora Pública Yara Travalon. As normas determinadas para Vilhena e Chupinguaia seguem diretriz do TRE de Rondônia e de outras unidades da federação, mas contém particularidades próprias. É o caso do combate a práticas comuns em períodos de campanha, como o descarte de material político nas imediações de locais de votação. O juiz promete ser rigoroso nesta questão, e quem for flagrado em tal prática será detido. O candidato também pode ser penalizado.
O estacionamento de veículos plotados em espaços públicos também está vetado, assim como a colocação de propaganda em estabelecimentos comerciais. Os cavaletes, faixas e cartazes podem ser usados, desde que não prejudiquem o trânsito e bem estar comum. Há normas restritas para uso de carro de som, trios elétricos, telões e outros artifícios. Não é permitido uso de out doors e telemarketing para propaganda política. Também há critérios determinados para realização de comícios e reuniões.
Na maioria dos temas não houve muitas dúvidas, exceto no que diz respeito à cobertura da imprensa ao longo do processo. Jornalistas e redatores de impressos e sites devem ficar atentos para não incorrer em irregularidades, caso de prestigiar determinados candidatos em detrimento dos demais. O limite é tão estreito que até mesmo a divulgação do cargo ao qual eles concorrem pode ser caracterizado como propaganda indevida, de acordo com o contexto em que o fato for abordado.

 

Fonte: FS

25 anos da morte de Raul Seixas: um artista reduzido a um bordão

A essência do rock nacional pode ser resumida apenas a um bordão. Ou melhor, o artista que simboliza o rock brasileiro ficou reduzido a um bordão. Por uma dessas injustiças históricas que às vezes abalroam um mito, o famigerado e inacreditável “Toca Rauuuuullll” que se ouve em bares e em shows, em tom de chacota, a cada dia se torna mais forte, a ponto de, em alguns momentos, suplantar a importância de Raul Seixas, que morreu há 25 anos em São Paulo. Não há como negar: a chatice do bordão, tornando-o insuportável e pejorativo, colou no artista de uma forma desagradável. Raul Seixas não merecia isso.

A coisa é tão complicada que, dependendo da situação, o pedido de “Toca Raul” provoca brigas e confusões, como narrei anos atrás o que ocorreu em um bar na região de Campinas, quando um bêbado encheu tanto a paciência da banda que estava no palco que provocou uma briga generalizada.

O mito superou a realidade? O bordão faz justiça à carreira do cantor baiano? Na verdade, isso tudo faz alguma diferença? Amado a ponto de ser considerado messias por uns, e contestado por outros, considerado um artista superestimado e superdimensionado por outros, Raul Seixas conseguiu o que só roqueiros ingleses e americanos obtiveram: tornou-se um símbolo de um gênero musical no Brasil.

Não é possível falar de rock por aqui sem lembrar de Raul, tamanha a a sua onipresença – para o bem e para o mal. Diante da fragilidade do gênero musical no Brasil, em especial nos anos 60 e 70, e da falta de verdadeiros concorrentes à altura, ficou fácil para o cantor baiano tomar conta de tudo – só Rita Lee era capaz de rivalizar com ele.

Mutantes e Secos & Molhados? Não tiveram metade do carisma e da presença artística do cantor baiano. Falta de competência da concorrência? Pode ser, mas isso não era problema de Raul, que teve os seus méritos para aglutinar a cativar a aura mítica de messias e de gênio, ainda que não o fosse. Em terra arrasada, qualquer vestígio de competência é um grande impulso para o estrelato eterno.

Culpa de Raul? Sim, por ter demonstrado competência e e inteligência em um mercado que quase nunca soube entender o que era rock, o seu poder e o seu significado. Mesmo a aproximação frequente com artistas da MPB não foi suficiente para nublar a postura e a imagem que ele assumiu para si: a do roqueiro esperto, malandro, inteligente, astuto e ousado, com pitadas de maluquice beleza.

Sua relevância pode ser medida pela escolha de Bruce Springsteen quando tocou no Brasil n ano passado: o cantor e guitarrista norte-americano, em cada país onde tocou em sua turnê mundial, abria os shows com uma música importante de um artista importante do país local. Nos shows de São Paulo e no Rock in Rio 2013, abriu suas apresentações com “Sociedade Alternativa”, um hit de Raul Seixas.

Ninguém melhor do que ele fez isso no Brasil, e nada mais justo do que Raulzito se tornar sinônimo de rock nacional no Brasil – para o bem e para o mal, seja pelo pioneirismo , seja pela esperteza ou mesmo inteligência mercadológica. Esses méritos são indiscutíveis, mesmo que tenha dado origem a um messianismo insuportável e a uma deificação injustificável.

Legado incontestável, obra nem tanto

Músico razoável e cantor nem tanto, Raul Seixas teve o grande mérito de cair de cabeça no rock and roll primeiro do que todo mundo neste país tropical e de avançar até onde nenhum artista brasileiro na época ousou.

Seixas era radical e culto, tinha estofo para se mostrar contestador sem ser revolucionário. Tinha jeito e coragem (ou inconsequência) para ser provocador como Chico Buarque foi em algumas de suas letras.

Se os Secos & Molhados chocavam e posavam de transgressores por conta das maquiagens e posturas de palco, Seixas e seu jeitão de hippie deslocado mostrava que ia muito mais além na transgressão com o mergulho fundo no rock e nos aditivos ilícitos – em vários momentos ao lado do amigo doidão e letrista ocasional Paulo Coelho.

O problema é que Raul Seixas foi o único a fazer isso, a fazer rock realmente em uma era dominada por uma música popular supostamente de protesto mas que pouco ou nada serviu de alento, ao menos culturalmente.

Era a mesma MPB engessada de sempre, calcada na canção e no samba, com ecos da bossa nova encardida e plagiada do jazz norte-americano e na farsa do Tropicalismo, envolto em pseudo-intelectualismo barato.

Raul foi muito mais além do que qualquer um em sua época, e tem méritos por isso. Se é que existiu alguma forma de transgressão nos anos 70, época de chumbo do regime militar, essa transgressão era Raul Seixas.

E o músico baiano teve a sorte grande de ter sido o único a fazer isso de forma tão intensa, e usou o rock, o melhor instrumento para esse tipo de transgressão (ou suposta transgressão). E grande parte de sua fama decorre justamente disso, da falta de concorrentes à altura.

Por conta disso, o mito Raul Seixas – artista radical, maldito, marginal – se sobrepõe à real qualidade de sua obra musical, que nunca passou de mediada. Sua melhor música é no máximo razoável. Ok, nunca foi a ambição dele, em termos musicais, de ser inovador, ambicioso ou ousado em demasia. Inovação não era com ele, e isso fica claro em sua obra.

O trabalho do cantor baiano, que foi executivo de gravadora no começo dos aos 70, é milhões de vezes superior ao de qualquer artista que achava que fazia rock na época, como Secos & Molhados e os Mutantes, mas ainda assim não passava de razoável.

Suas músicas se tornaram trilha sonora da contracultura e de certa pseudointelectualidade de esquerda por ser palatável e adaptável aos lugares comuns dos discursinhos chatos e vazios de estudantes equivocados.

Também era a trilha sonora perfeita para ambientes pseudopolíticos infectos, como centros acadêmicos de faculdades – a maioria de quinta de categoria – e botecos de pinga nas proximidades das mesmas faculdades. E, com certeza, 85% dessa gente que se apropriou da obra de Raulzito ignorava por completo o significado das letras – e, dependendo da música, acho que até o próprio autor desconhecia.

Ainda que a importância da obra de Raul Seixas seja incontestável, assim como sua figura como símbolo máximo/sinônimo do rock brasileiro, em termos musicais não para constatar: é artista superestimado e cujo mito é muito maior do que a qualidade de sua obra. E o mito ainda tem mais força do que se imagina, pois ainda é capaz de impregnar duas gerações após a sua morte com “sua mensagem”.

Não creio que era esse o destino que o músico baiano imaginava para o seu legado: quase ser suplantado por um bordão e virar trilha sonora de gente equivocada e com pouca bagagem intelectual de um lado; de outro, de se tornar sinônimo de chatice e inconveniência com o bordão “Toca Raul!”.

Ele merecia isso? Eu achava que sim, por conta da chatice de muitas de suas músicas. Mudei de ideia: reavaliando, ele não merecia passar por isso, justamente porque, goste-se ou não (e eu não gosto que seja assim, a a vida é assim), ele se tornou sinônimo de rock brasileiro. Jamais poderia ter sido reduzido a um bordão. Quem sabe não seja por isso, entre tantas outras coisas, que o rock nacional tenha mergulhado em tamanho ostracismo?

Fonte: Uol

Expedito Junior obtém registro de Candidatura no TRE

O candidato Expedito Junior do PSDB, obteve na tarde desta terça-feira (5) o deferimento do pedido de registro de candidatura feita ao TRE para concorrer a vaga de Governador do Estado de Rondônia. Por 3 votos á 2 a corte eleitoral presidida pelo Desembargador Péricles Moreira Chagas, que deferimento do pedido de registro de candidatura. O processo teve como relator o juiz Dimis da Costa Braga que votou pelo indeferimento.

Entrevistado logo após saber da decisão o agora legítimo candidato explanou: “Após essa vitória jurídica, o plano agora é arregaçar as mangas e procurar demonstrar aos rondonienses as minhas propostas de governo para mudar Rondônia”.

E os votos foram os seguintes:

Juiz relator Dimis da Costa Braga, votou pelo indeferimento.

Juiz Delso Xavier, votou pelo deferimento.

Juiz Jose Antonio Robles, pelo indeferimento.

Desembargador Roosevelt Queiroz Costa, votou pelo deferimento.

Juiz Adolfo Theodoro Naujorks Neto, votou pelo deferimento.

Após votação apertada, foi confirmado o registro de candidatura de Expedito Júnior ao governo de Rondônia. Agora o quadro para disputa ao Palácio Rio Madeira fica claro para que a população comece a cobrar os planos de governo dos candidatos em busca de firmar seu voto.

Pezão e Arlovski apostam em encarada com selfie e criticam briga

Um dia depois de Jon Jones e Daniel Cormier protagonizarem uma verdadeira briga de bar em Las Vegas, Antônio Pezão e Andrei Arlovski apostaram em um clima bem tranquilo na promoção do UFC Brasília, que acontece em setembro. Durante evento realizado em São Paulo nesta terça-feira, os lutadores realizaram uma encarada amistosa e até fizeram uma “selfie”.

Bem-humorado, o bielorrusso foi o primeiro a chegar ao evento. Atencioso, bateu papo, distribuiu sorrisos e fez piada com o atraso do brasileiro, que demorou um pouco mais para comparecer. Após a encarada amigável, ambos deram suas opiniões e criticaram as cenas protagonizadas por Jon Jones e Cormier na segunda-feira.

“É complicado, são dois seres humanos, corre sangue nas veias. Às vezes um falou para o outro algo nos bastidores e não sabemos, não podemos julgar. Na minha encarada com o Overeem, eu me segurei muito. Minha esposa pediu para eu não fazer nada porque ela sabe que eu não levo desaforo para casa. Mas eles passaram do ponto, MMA não é briga, tem muita criança e idoso que acompanha, mas não para ver briga”, disse Pezão.

Companheiro de treino de Jon Jones, Arlovski também criticou a briga da forma como aconteceu, mas admitiu que tomaria alguma atitude caso fosse provocado.

“Os lutadores têm que promover lutas, mas o Cormier o empurrou. Se eu fosse o Jon Jones, também teria feito alguma coisa. Também teria alguma reação. Mas nesse primeiro encontro, o Jon conseguiu derrubá-lo, então venceu o primeiro round. Não é necessário. Sou contra esse tipo de briga”, Arlovski.

Já para falar sobre o UFC Brasília, que acontece no dia 13 de setembro, Arlovski adotou um tom mais sério. Cheio de elogios a Pezão, o bielorrusso não parece muito preocupado pelo fato de ter torcida contra por atuar no Brasil e espera uma revanche da luta realizada em 2010, quando o brasileiro saiu vencedor.

“Eu espero ser vaiado pela torcida, mas se tiver uma pessoa torcendo por mim, vou lutar por ela. Pezão é forte e disciplinado, tenho muito trabalho a fazer. Não busco motivos para a derrota que sofri para Pezão, mas estamos melhores muito desde então. Ele me venceu, mas sei que posso devolver”, afirmou.

Enquanto isso, Pezão não vê a hora de atuar no Brasil e contra um adversário que ele já venceu anteriormente. Para o brasileiro, é um privilégio lutar diante no país.

“Estou lisonjeado de poder lutar no Brasil. Solicitei essa luta e pouco depois confirmaram. Estou livre, leve e solto. Pela primeira vez lutando sem pressão, favorito. Eu peso 130 kg, mas parece que são 70”, brincou.

Pezão e Arlovski se enfrentam na luta principal do UFC Brasília, que acontece no dia 13 de setembro, no ginásio Nilson Nelson.

Confira as lutas confirmadas:

Card principal

Antonio Pezão x Andrei Arlovski
Gleison Tibau x Piotr Hallmann
Leonardo Santos x Lukasz Sajewski
Serginho Moraes x Santiago Ponzinibbio
Iuri Marajó x Russell Doane
Jessica Andrade x Valerie Letourneau

Card preliminar

Godofredo Pepey x Dashon Johnson
Igor Araújo x George Sullivan
Efrain Escudero x Francisco Trinaldo
Paulo Thiago x Sean Spencer
Rani Yahya x Johnny Bedford

Fonte: Uol

Trailer vaza e revela lançamento de Assassin’s Creed: Rogue

De acordo com um trailer que vazou na internet nesta terça-feira (5), o próximo jogo da franquia Assassin’s Creed para Playstation 3 e Xbox 360 se chamará Assassin’s Creed: Rogue e será lançado em 11 de novembro.

O trailer de dois minutos mostra um assassino ferido no chão e um templário caminhando em sua direção com uma arma na mão. Além disso, ao final do vídeo também é mostrada a data de lançamento do game e os conteúdos adicionais como itens e uma missão exclusiva.

Rumores de game da série Assassin’s Creed para a antiga geração surgiram em março. Em julho, Yves Guillemot, CEO da Ubisoft, praticamente confirmou a novidade quando anunciou que a empresa iria dar mais informações a respeito “em breve”.

 

Fonte: terra