Ex-diretor citou em delação 28 políticos beneficiários do esquema na Petrobras

Moro libera Paulo Roberto Costa de usar tornozeleira eletrônica

Primeiro delator da Lava Jato, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa citou em 80 depoimentos que se estenderam por duas semanas, entre agosto e setembro, uma lista de 28 políticos – que inclui ministro e ex-ministros do governo Dilma Rousseff (PT), deputados, senadores, governador e ex-governadores.reportagem obteve a lista completa dos citados. A relação inclui ainda parlamentares que integram a base aliada do Palácio do Planalto no Congresso como supostos beneficiários do esquema de corrupção e caixa 2 que se instalou na petrolífera entre 2004 e 2012.

A reportagem obteve a lista completa dos citados. A relação inclui ainda parlamentares que integram a base aliada do Palácio do Planalto no Congresso como supostos beneficiários do esquema de corrupção e caixa 2 que se instalou na petrolífera entre 2004 e 2012.

Há nomes que até aqui ainda não haviam sido revelados, como o governador do Acre, Tião Viana (PT), reeleito em 2014, além dos deputados Vander Luiz dos Santos Loubet (PT-MS), Alexandre José dos Santos (PMDB-RJ), Luiz Fernando Faria (PP-MG) e José Otávio Germano (PP-RS). Entre os congressistas, ao todo foram mencionados sete senadores e onze deputados federais.
Fonte: Agência Estado

Motoristas abandonam carros para fugir de arrastão

Um arrastão na Linha Vermelha, na zona norte do Rio de Janeiro, fez com que motoristas abandonassem seus carros e fugissem na contramão pela via, na manhã desta sexta-feira (19), na altura da Maré, maior conjunto de favelas da zona norte da capital fluminense.Os criminosos arremessaram em direção à pista barras de ferro e pedaços de pau na tentativa de parar o tráfego, segundo testemunhas ouvidas pela “TV Globo”. A ação teria durado cerca de dez minutos.

“Eles tacaram uma barra de ferro que quase acertou. Eu tentei tirar o carro e jogar para cima dele, mas o carro não tinha muita velocidade. Acabou atingindo o veículo”, declarou uma vítima ao telejornal “Bom Dia Brasil”.”Isso está acontecendo todo dia na Linha Vermelha, mais ou menos nesse horário. Com um buraco no muro e no painel, eles invadem a pista com foice, machado, arma, tacando pedaleira nas carros. É um desespero e um caos total”, afirmou um motociclista.

Fonte: UOL

Justiça decreta prisão de socialite suspeita de mandar matar rival em Manaus

O Tribunal de Justiça de Manaus, no Amazonas, decretou na tarde de quinta-feira (18) a prisão preventiva da socialite Marcelaine Santos Schumann (foto), 36 anos, suspeita de mandar matar a amante do amante. Ela teria contratado um pistoleiro para executar a vítima no estacionamento de uma academia de musculação no centro da cidade. Marcelaine viajou para os Estados Unidos no dia do crime e é considerada foragida.
Elaine, como é conhecida, teria planejado o crime por ciúmes e contratou um pistoleiro para executá-lo, após desconfiar que a estudante de direito Denise Almeida da Silva (foto), 34 anos, era amante do seu amante, um empresário de Manaus. O crime aconteceu no dia 12 de novembro.

Segundo a polícia, as duas mulheres são casadas e têm um alto padrão de vida, no entanto, mantinham um relacionamento extraconjugal com o mesmo homem, que também é casado.

Na última quarta-feira (17), a polícia prendeu Rafael dos Santos (centro), de 25 anos, suspeito de ter atirado na vítima. Em depoimento, ele disse que recebeu R$ 3.500 de Marcelaine, mas que ela havia prometido R$ 7.000. A polícia acretida que o restante seria pago após o assassinato. Outras duas pessoas também foram presas suspeitas de envolvimento no crime.

Com o mandado de prisão, Marcelaine passa a ser considerada foragida da Justiça.
Fonte: R7.com

Confúcio Moura pode ter usado ação do Hospital do Câncer para se promover politicamente

Em mais uma ação de investigação judicial eleitoral movida contra o governador reeleito Confúcio Moura (PMDB) e seu vice Daniel Pereira (PSB) – desta vez pelo Ministério Público Eleitoral – o desembargador Roosevelt Queiroz Costa, atuando como magistrado do Tribunal Regional Eleitoral, mandou intimar diversas testemunhas.

Elas deverão responder perguntas que giram em torno da acusação de suposto abuso de poder econômico praticado pelo peemedebista.

Confúcio Moura pode ter utilizado uma ação itinerante do Hospital do Câncer, promovida em parceria com o Governo do Estado, para se promover politicamente. Além disso, o MPE quer saber se Moura distribuiu alimentos e discursou como candidato ao governo durante a convenção do PMDB na casa de eventos Talismã 21. Por fim, os depoimentos deverão esclarecer se foram oferecidos às testemunhas convites para um jantar realizado em benefício da candidatura do governador, ou ainda se foram compelidas a vendê-los. A ação do Ministério Público Eleitoral envolve pedido de cassação do diploma, do registro de candidatura e ainda que seja declarada a inelegibilidade do gestor.

Entre as testemunhas está o secretário de Saúde Williames Pimentel, que continuará no cargo no próximo ano. José Luiz Lenzi, ex-diretor da Ceron, também foi arrolado.

Confira abaixo quais perguntas cada grupo de testemunhas deverá responder

Noêmia Ferreira Cabral e Maria Liduina de Castro Rebouças:

a) se a depoente notou a presença da carreta pertencente ao Hospital do Câncer de Barretos estacionada próximo à Unidade de Saúde Agenor de Carvalho;

b) se o Governador esteve presente quando a unidade móvel fazia atendimentos;

c) se a resposta for positiva, por quantas vezes;

d) se o Governador fez discurso quando esteve presente na unidade móvel;

e) se positiva a resposta, se houve pedido de votos;

f) se a imprensa esteve presente quando o Governador compareceu à unidade;

g) se houve divulgação (imprensa ou qualquer outro meio) da presença do Governador na unidade móvel.

André Roberto de Azevedo e Iêda Soares de Freitas

a) se ao(a) depoente foi oferecido ou vendeu algum convite para um jantar em prol da candidatura do Governador Confúcio Moura;

b) se o(a) depoente exercia, à época, algum cargo ou função comissionada;

c) se existia alguma determinação, ainda que informal, para que o(a) depoente comprasse ou vendesse os convites;

e) se houve alguma pressão para que o(a) depoente comprasse ou vendesse os convites;

f) se o(a) depoente conhece alguém que sofreu coação para comprar ou vender os convites (se souber, quem?).

FATO I

a) Se sabe alguma coisa sobre o projeto de prevenção do câncer realizado mediante convenio entre o Governo do Estado e o Hospital do Câncer de Barretos;

b) se a resposta for positiva, se o Governador esteve presente quando a unidade móvel fazia atendimentos;

c) se a resposta for positiva, por quantas vezes;

d) se o Governador fez discurso quando esteve presente na unidade móvel;

e) se a imprensa esteve presente quando o Governador esteve presente na unidade móvel;

f) se houve ampla divulgação da presença do Governador na unidade móvel.

g) se houve pedido de votos por parte do governador.

FATO II

a) se o depoente esteve presente na convenção estadual do PMDB na casa de shows “Talismã 21” ;

b) caso a resposta seja positiva, se sabe aproximadamente o numero de pessoas presentes;

c) se a entrada era franqueada a qualquer pessoa ou se a apenas aos convencionais ou filiados ao partido;

d) se houve distribuição de alimentos no evento;

e) se tais alimentos eram distribuídos a todos de forma indiscriminada ou apenas aos convencionais ou filiados ao partido;

f) que tipos de alimentos foram distribuídos;

g) em algum momento o Governador fez algum discurso para os presentes;

h) houve pedido de votos durante o evento;

i) houve exaltação do nome do Governador antes, durante ou depois do evento.

FATO III

a) se ao(a) depoente foi oferecido ou vendeu algum convite para um jantar em prol da candidatura do Governador Confucio Moura;

b) se o(a) depoente exercia, à época, algum cargo ou função comissionada;

c) se existia alguma determinação, ainda que informal, para que o(a) depoente comprasse ou vendesse os convites;

e) se houve alguma pressão para que o(a) depoente comprasse ou vendesse os convites;

f) se o(a) depoente conhece alguém que sofreu coação para comprar ou vender os convites (se souber, quem?)

Fonte: rondoniadinamica

 

Justiça recebe ação de improbidade administrativa contra Emerson Castro e Assis Raupp

O novo secretário-chefe da Casa Civil Emerson Castro, que há pouco comandava a pasta da Educação também na gestão do governador reeleito Confúcio Moura (PMDB), responderá por improbidade administrativa. À mesma ação movida pelo Ministério Público responderá João Assis Ramos, conhecido politicamente como Assis Raupp, sobrinho do peemedebista Valdir Raupp, senador da República.

A juíza de Direito Inês Moreira da Costa, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Porto Velho, mencionou antes de acolher o processamento da ação que está devidamente comprovado que Castro renunciou ao mandato de vereador por Porto Velho para que Assis Raupp assumisse em seu lugar.

Entretanto, Raupp fez nomeações em cargos comissionados conforme as solicitações de Emerson, salientando o Ministério Público que havia vínculo entre as nomeações e os políticos agora réus.

A magistrada então determinou a citação de ambos para que apresentem contestação dentro do prazo legal.

Conheça a versão do Ministério Público publicada pelo jornal eletrônico Rondônia Dinâmica em julho de 2012

emersonentenda

Fonte: Rondoniadinamica

Dnit cria aplicativo para que usuários denunciem problemas em estradas federais

Um aplicativo para smartphones, criado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), permitirá aos motoristas informar, em tempo real, problemas nas rodovias federais, como buracos e quedas de barreira.

O motorista cadastrado no sistema também poderá registrar a ocorrência por mensagem eletrônica, sem a necessidade de telefonar ou conversar com atendentes. O programa é capaz de localizar, por GPS, o ponto exato de onde a mensagem foi enviada. Em breve, o aplicativo estará disponível no site do departamento.

Segundo o diretor de Planejamento do Dnit, Adailton Dias, o aplicativo agilizará a comunicação entre usuários de estradas federais e o órgão. Além disso, as informações fornecidas pelos motoristas servirão de base para o departamento cobrar medidas reparadoras das empresas responsáveis.

“Será uma forma de capturarmos a visão do próprio usuário sobre as condições das rodovias, para que possamos exigir mais das empresas responsáveis pela manutenção das estradas”, salientou Dias. Ele explicou que o Dnit estuda incluir, nos próximos contratos, o tempo máximo para que as empresas notificadas resolvam os problemas.

“Uma forma de responsabilizar as empresas de manutenção seria estabelecermos meta máxima aceitável para danos nas rodovias e penalizar as que não conseguirem cumpri-la”, acrescentou o diretor do Dnit. Segundo ele, o sistema, desenvolvido pelos próprios servidores do órgão, custou R$ 20 mil.

O motorista pode comunicar qualquer ocorrência anonimamente. Para isso, terá de se cadastrar e fornecer email pessoal válido para acompanhar as medidas adotadas na solução do problema. Para não colocar em risco a segurança do motorista, logo que acessado, o programa alerta o usuário para estacionar e preencher as próximas etapas. Se o usuário responder que está conduzindo o veículo, o processo será interrompido.

Dias reconhece a possibilidade de algum motorista ansioso burlar a pergunta de segurança, mas acredita que é necessário contar com a responsabilidade das pessoas. “O motorista tem de ter responsabilidade e atentar para o aviso de que é perigoso utilizar aparelhos que desviem atenção. O uso do aplicativo é voltado à consciência do motorista. É responsabilidade dele decidir se vai ou não burlar a informação”.

Fonte: RONDONIAGORA

MPF denuncia fraude com recursos do Ministério da Saúde

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ação civil pública com pedido de liminar contra Tânia Magalhães da Silva, Dilson Juarez Abreu, Diogo Nogueira e Onésimo Guedes, servidores públicos do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde; a empresa Ambiental Comércio e seu proprietário, José Rocélio. Os réus estão sendo acusados de enriquecimento ilícito por meio de fraudes nos pagamentos de locação de veículos, com utilização de recursos do Ministério da Saúde.

Caso a ação seja julgada procedente, os envolvidos nas fraudes poderão ter seus bens indisponíveis a fim de que o prejuízo causado ao erário seja ressarcido, bem como podem ser condenados por improbidade administrativa, que acarreta em suas perdas de cargo; suspensão dos direitos políticos; pagamento de multa; perda dos valores acrescidos ilicitamente; e também serão proibidos de contratar com o poder público ou dele receberem incentivos fiscais ou creditícios.

As irregularidades, constatadas em inquérito civil, apontam que foram pagos valores a mais, sem a devida prestação do serviço; houve enquadramento equivocado dos tipos de veículo; e repactuação irregular de preços. O caso ocorreu nos anos de 2005 e 2006. Só no ano de 2005, foram gastos mais de 530 mil reais, já em 2006 os gastos atingiram mais de um milhão de reais. Segundo levantamento realizado pela Controladoria-Geral da União, esse aumento caracteriza evolução corresponde a 270% do valor gasto.

De acordo com o MPF/RO, o órgão se desfez de toda a sua frota de veículos e passou a locar o serviço de transporte local e interurbano da empresa Ambiental Transportes. O Tribunal de Contas da União detectou inúmeras evidências de fabricação e falsificação das planilhas de controle, que eram contrafeitas para aumentar os valores que deveriam ser pagos pelo Núcleo Estadual do Ministério da Saúde para locação dos veículos, inclusive quando os carros não eram utilizados.

Os pagamentos efetuados não possuíam qualquer amparo legal ou contratual, mas eram realizados com a justificativa de que seriam destinados à cobertura dos custos operacionais fixos para manutenção de cada um dos veículos. O contrato ainda estabelecia que o pagamento se daria exclusivamente por meio de quilometragem efetivamente rodada – prática condenada pelo Tribunal de Contas da União.

Também era comum o enquadramento incorreto de veículos, ou seja, carros de categorias inferiores eram pagos como se fossem categorias superiores. A Controladoria-Geral da União identificou a realização de repactuação de preços sem amparo legal, além de pagamento adiantado a empresa. De acordo com o MPF, não havia apresentação de qualquer planilha que detectasse a variação dos custos com justificativas plausíveis.

Estima-se que o prejuízo aos cofres públicos seja por volta de 497 mil reais. Os servidores do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde vão responder por três modalidades de improbidade administrativa: enriquecimento ilícito, dano ao erário e ofensa aos princípios da administração pública.

Os réus deverão pagar o valor já quantificado do prejuízo ao erário, acrescido do valor pretendido como indenização pelos danos morais, totalizando quase um milhão e meio de reais, sendo que a medida pode recair sobre bens móveis, imóveis e animais de criação (gado, por exemplo) dos réus.

Para o procurador da República Reginaldo Trindade, autor da ação, “os réus assaltaram recursos públicos da saúde. Num país onde esse serviço essencial é oferecido de forma tão precária, a atitude dos réus é ainda mais hedionda e prejudicial. Absolutamente imperdoável”.

Fonte: MPF/RO

Instagram apaga contas falsas e Justin Bieber perde 3,5 milhões de seguidores

Instagram pode ter nova funcionalidade em breve

Nesta semana, o Instagram apagou milhões de contas falsas ou inativas de seu serviço. O resultado foi que, do dia para a noite, celebridades como Justin Bieber e Kim Kardashian perderam milhões de seguidores de suas contas.

O programador Zack Allia criou um site que mostra o ranking das contas que mais perderam seguidores com a “limpeza” feita pelo Instagram. Ironicamente, a conta que mais perdeu seguidores foi a do próprio serviço, que caiu de 64 milhões para 45 milhões de seguidores.

O segundo colocado do ranking é Justin Bieber. O astro perdeu cerca de 3,5 milhões de seguidores (15% do total) e agora tem 20 milhões de fãs no Instagram. Outras celebridades, como Beyoncé e Kim Kardashian, também perderam quantidade significativa de seguidores.

Entre os brasileiros quem mais perdeu foi o jogador Neymar. Ele perdeu cerca de 300 mil seguidores e agora tem 12,9 milhões de fãs no Instagram, segundo a ferramenta de Allia.

 

 

Fonte: IG

Rival do WhatsApp, ChatON será desativado em 2015

A Samsung confirmou nesta sexta-feira (19) que desativará seu aplicativo de mensagens ChatON em 2015. O ChatON é um aplicativo de mensagens instantâneas similar ao WhatsApp.

Há algumas semanas já circulavam boatos sobre um possível fechamento do ChatON, mas a empresa havia anteriormente negado. Nesta sexta-feira, ao The Verge, a Samsung confirmou que o ChatON será desativado no dia 1º de fevereiro de 2015 em todos os mercados, menos nos Estados Unidos.

Nos EUA, o aplicativo será desativado ainda no primeiro trimestre do ano que vem, mas a data exata não foi divulgada.

O ChatON faz parte da grande coleção de apps da Samsung para seus smartphones Galaxy, embora funcione também em outras plataformas. Os aplicativos da Samsung, porém, sempre foram alvo de críticas por apenas duplicarem funções já existentes em outros apps do Android.

Fonte: ig

Britânico morre durante sexo por fetiche por mumificação

Um britânico foi considerado culpado por matar um chef de cozinha durante um “jogo sexual”. Segundo Richard Bowler, 35 anos, Alun Williams, de 47 anos, teria fetiche por mumificações e teria pedido para ser envolto com sacos plásticos e fitas adesivas no encontro. Willians, porém, teria ficado sem ar e sofrido um ataque cardíaco, morrendo após algumas horas.

O incidente aconteceu na cidade de Dover, em Kent, em agosto deste ano, porém a corte de Canterbury Crown terminou o julgamento de Bowler nesta quinta-feira. Ele foi considerado culpado pela morte do chef, que era seu amigo, e ficará preso por cinco anos. Para o juiz responsável, o britânico deveria saber que Williams correria risco de morte.

Um terceiro homem, que mora com Bowler, também estaria envolvido no jogo sexual. Porém, David Connor, 23 anos, foi inocentado da mesma acusação.

Bowler sofre de paralisia cerebral e Connor cuidaria do amigo informalmente.

Segundo o britânico condenado, após cinco horas de encontro, pouco antes das 6h da manhã, ele teria percebido que Williams não estava respirando e, então, ligou para os serviços de emergência. “Eu pensei que ele estava apenas dormindo. Lamento, eu deveria ter ligado antes”, disse.

O procurador Ian Hope disse que a polícia encontrou drogas na bolsa da vítima, incluindo cetamina, cocaína, metanfetamina e nitrato de amila, também conhecido como “poppers”. Além disso, havia uma máscara de gás, brinquedos sexuais, fita adesiva e plásticos pretos.

Fonte: terra