Temer dará posse a ministros e fará pronunciamento nesta quinta-feira

Confirmado o afastamento da presidente Dilma Rousseff nesta quarta-feira ou na madrugada de quinta-feira, Michel Temer já se prepara para dar posse a ministros. Ele fará um pronunciamento na própria quinta-feira, durante a tarde. O cronograma prevê que a presidente Dilma Rousseff seja notificada do afastamento às 10h desta quinta-feira, caso o Senado aprove a abertura do processo de impeachment da petista. Esse foi o horário que o ex-presidente Fernando Collor foi notificado, em 1992. Em seguida, às 11h, o vice-presidente Michel Temer seria notificado de que estará no comando do país por até 180 dias. Essa é a previsão inicial do Senado, segundo o senador Romero Jucá (PMDB-RR).

Temer quer evitar um vácuo de poder, e pretende se apresentar à população brasileira com um discurso em que tentará passar um sinal de confiança ao mercado e aos assistidos pelos programas sociais.

— Nessa situação, não há vazio de poder — disse Jucá, cotado para ser ministro do Planejamento.

Em sua fala, programada para ocorrer durante a reunião dos novos ministros, Temer falará da necessidade de recuperar a economia, e que, para isso será preciso medidas duras. Ele citará mudanças na Previdência e a simplificação do sistema tributário.

O peemedebista será enfático quanto à manutenção dos programas sociais, como o ‘Bolsa Família’, ‘Minha Casa, MInha Vida’, Prouni e Pronatec, afirmando que eles passarão por algumas reformulações mas para que se tornem mais eficientes. Ainda, Temer dirá que a Operação Lava-Jato tem seu apoio integral, e irá elogiar a ação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal.

REUNIÕES COM ALIADOS

Enquanto o Senado vota o pedido de afastamento da presidente Dilma Rousseff, desde cedo o vice-presidente está em reuniões com aliados no Palácio do Jaburu. Ele já conversou com a bancada do PMDB de Minas Gerais e com o vice-governador do estado, Antônio Andrade (PMDB). Durante a tarde, o vice se reuniu com o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, que será ministro da Fazenda em caso de afastamento da presidente.

Antes do encontro com Meirelles, no entanto, Temer deixou o Jaburu por pouco mais de 30 minutos. Ele teria saído de casa para uma rápida reunião com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O ex-ministro Moreira Franco e o ex-deputado Sandro Mabel acompanham o vice.

O Globo

Coluna – Anel Viário, principal obra do governo, virou uma monumental trapalhada

Coluna Painel Politico, jornalista Alan Alex

Graças ao trio de diretores que já passou pelo DER os pouco mais de 13 km de asfalto não foram feitos em 3 anos

Game over

Acabou o governo do PT e a população brasileira agradece. A votação prossegue, mas não tem mais volta, Dilma Rousseff deixa o cargo e o Brasil se renova em esperança de dias melhores. Vamos torcer para que de fato a classe política tenha o mínimo de responsabilidade com o país e adote medidas que impulsionem a economia e principalmente, gerem empregos e reduzam a inflação. O resto se resolve.

Por aqui

Alunos da escola Santos Dumont em Cacoal enfrentam diariamente um obstáculo perigosíssimo para chegar à escola. Eles precisam descer do ônibus e atravessar uma ponte precária. Fica na Linha 6 e cruza o Rio do Ouro. O Ministério Público precisa urgentemente tomar uma providência em relação a essa situação, já que as crianças são expostas a risco de morte diariamente. Tem que processar prefeito e o diretor do DER, que alega “não ser do órgão a responsabilidade”. Essa divisão não faz o menor sentido. Ambos precisam responder criminalmente por exporem crianças a esse tipo de condição. Abaixo o vídeo, que fala por si.

Falando em DER

Desde que era conduzido por Lúcio Mosquini que sucessivas trapalhadas vem acontecendo por lá. O agora deputado federal resolveu que as empresas sérias, estabelecidas em Rondônia há mais de 20 anos não serviam para trabalhar com ele, então passou a manobrar para emplacar empresas de pasta. Essas empresas venciam as licitações ofertando menor preço, mas não tinham a menor condição de executar os serviços. Como resultado, temos um caminhão de obras paradas Rondônia afora.

O sucessor

De Mosquini, o coronel bombeiro que conseguiu engessar o DER por mais de um ano, bagunçou o coreto de vez. Cancelou licitações, andou para lá e para cá e não resolveu nada, exceto montar um grupamento aéreo (?) em um órgão que cuida de estradas. Fora os gordos CDS que arrumou para alguns chegados, só piorou a situação. Uma das obras mais importantes da administração de Confúcio Moura está paralisada por pura incompetência e teimosia do DER, estou falando do anel viário de Ji-Paraná.

A obra

A pavimentação do anel viário, que mede 13,5 quilômetros, foi iniciada em 2013 e passou por várias paralisações porque a empresa responsável vinha cometendo uma série de irregularidades no serviço. Porém, o DER ao invés de seguir as orientações de seus próprios fiscais e exigir que a empresa fizesse as correções, preferiu cancelar o contrato. Após meses de paralisação, discussões e jogo de empurra, o DER optou pelo caminho mais difícil, e que causa mais prejuízo, o de ele próprio concluir os trabalhos. Mas a coisa estava tão bagunçada que eles sequer sabem quanto iria custar o empreendimento. O resultado? Ninguém fez nada.

Enquanto isso

A população de Ji-Paraná sofre com as trapalhadas do DER. O atual diretor também não sabe o que fazer, quer um conselho? Licita de novo, façam a coisa certa. Existe tabela de referência para obras de pavimentação, se uma empresa baixa demais o preço é porque vai roubar na qualidade, não existe mágica, é matemática. Mas parece que os diretores do DER não aprenderam a fazer conta.

No Congresso

A deputada “mi-mi-mi” Mariana Carvalho apoia a censura descaradamente, apoiando (e aprovando) o relatório criminoso da CPI dos Crimes Cibernéticos, que pretende transformar o Brasil em uma China no que diz respeito à censura na rede mundial. Para se ter uma ideia, se o projeto for aprovado em plenário, qualquer juiz de primeiro grau poderá determinar o bloqueio de websites na raiz da rede, ou seja, no Brasil você não acessa. O projeto também quer acabar com sites tipo os Leaks, responsáveis pela divulgação dos maiores escândalos do planeta. O projeto também permite o bloqueio de aplicativos de comunicação que ainda nem foram inventados. Grupos que defendem a liberdade em todo o mundo vem se manifestando, mas os deputados estão atropelando tudo.

Portanto

Se você é simpatizante (ou não) de Mariana e quer continuar lendo notícias como essa, mande uma mensagem para a deputada, defenda sua liberdade de escolher o conteúdo que você quer ver. Se o projeto for aprovado tenha certeza, mais cedo ou mais tarde você será vítima dele.

Clínica Mais Saúde informa – Tomar cerveja todos os dias faz bem ao coração

Mais um bom motivo para o happy hour: uma pesquisa mostrou que beber uma quantidade moderada de cerveja diariamente pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares em 25%. O estudo, publicado recentemente na revista científica Nutrition, Metabolism & Cardiovascular Disease, concluiu que o consumo de 330 ml diários (pouco menos de uma lata) da bebida para mulheres e 660 ml (pouco menos de duas latas) para os homens seria o suficiente para diminuir o risco de doença cardíaca, acidente vascular cerebral (AVC) e doença arterial. Para chegar a esta conclusão, pesquisadores do Instituto Neurológico Mediterrâneo, na Itália, revisaram 150 estudos sobre o assunto. Eles também descobriram que, a menos que se tenha alguma pré-disposição para doenças relacionadas ao consumo de álcool ou algum tipo de dependência da substância, a ingestão diária dessa quantidade não aumenta o risco de demência, câncer e outras doenças.De acordo com os autores, o álcool e outros químicos presentes na bebida são responsáveis por esse efeito positivo. A cerveja contém altos níveis de antioxidantes – compostos que eliminam químicos nocivos à saúde -, além de minerais, como fósforo, iodo, magnésio e potássio e uma baixa quantidade de açúcar. Eles ressaltam, contudo, que beber em excesso ou em binge (consumir pelo menos cinco doses de bebida alcoólica, no caso dos homens, ou quatro doses, no caso das mulheres, no período de duas horas) continua sendo uma prática contraindicada. Nesse caso, a bebida está relacionada a prejuízos para a saúde.

Com medo de buzinaço e perder o que resta de popularidade, Gurgacz vota pelo impeachment

“Quando tiveres duvida para que lado seguir, siga o povo”, disse sem convicção o senador Acir Gurgacz, parafraseando Leonel Brizola, em discurso no plenário do senado na tarde desta quarta-feira, quando votou à favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Gurgacz, que sempre foi aliado de primeira hora da presidente, relutou fortemente em tomar essa decisão. A população de Ji-Paraná teve um  papel fundamental nessa mudança de conduta, antes da votação na Câmara dos Deputados, realizaram um buzinaço em frente à casa de Gurgacz, e o vídeo viralizou.

O senador foi cobrado de norte a sul do Estado, por praticamente todos os segmentos, mesmo assim, ele relutou, chegando a mudar de ideia pelo menos três vezes.

Como sonha em disputar o governo de Rondônia em 2018 e avaliou que era uma batalha perdida, resolveu mudar de lado. Até o dia da posse de Lula como ministro, em uma solenidade que antes de terminar já tinha suspendido o novo cargo do ex-presidente, Gurgacz estava na primeira fila.

O senador rondoniense tenta salvar o que resta de popularidade. Ele foi relator do processo das pedaladas fiscais e votou à favor da presidente, contra os técnicos do Tribunal de Contas da União. Gurgacz não viu crime nas manobras de Dilma. Em dezembro de 2015 na apresentação do seu parecer aos jornalistas, Gurgacz argumentou que é preciso ter cuidado para não criar, ao se reprovar as contas, uma jurisprudência que possa trazer um engessamento das administrações públicas nos três níveis: federal, estadual e municipal.

“Temos 14 estados que nesse ano não cumpriram a meta fiscal. Estados governados por vários partidos. Por isso a importância de fazermos um relatório baseado na legalidade, na Constituição e não só baseado no presidente atual mas na condição de gestão dos governos”, afirmou Gurgacz.

O senador destacou que as ressalvas se referem, principalmente, às pedaladas fiscais praticadas por Dilma no ano passado e a falta de planejamento para quitar a dívida com restos a pagar de 2012 a 2014, além da falta de planejamento sobre o cenário econômico e fiscal projetado comparativamente ao comportamento da economia, o que, para ele, fragilizou a transparência da execução orçamentária e financeira.

“Estamos colocando que tem que se ter um planejamento. Essas contas precisam ser pagas e é preciso ter um planejamento para equilibrarmos nosso Orçamento”, disse. Ele, no entanto, afirmou não acreditar que essas contas podem ser ajustadas no próximo ano.

Gurgacz minimizou ainda a gravidade da assinatura de Dilma a decretos não numerados, portanto, sem o aval do Congresso, liberando crédito extraordinário. É justamente a assinatura desses decretos que embasa o pedido de impeachment aceito pela Câmara dos Deputados.

“Esses decretos estão autorizados pela LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) e pela LOA (Lei Orçamentária Anual). Não há ilegalidade”, disse.

Questionado se temia ser tachado de ter feito um parecer contrário ao TCU e a favor da presidente Dilma, Gurgacz afirmou que tem um bom relacionamento tanto com o governo quanto com a oposição e defendeu que o Parlamento não é obrigado a seguir uma decisão do TCU, que é um órgão “assessor do Congresso”.

“Por que tem que prevalecer o entendimento do TCU? Ele manda uma indicação para o Congresso. Quem vota está aqui. Esta é uma prerrogativa do Congresso Nacional”, disse.

O senador afirmou ainda que seu relatório é técnico e está menos politizado do que o parecer do TCU. “Nosso relatório é técnico e pautado pela Constituição. Eu jamais faria algo em benefício do governo ou da oposição. Produzimos um relatório pensando no futuro do país”, disse.

Alerta: Novo golpe no WhatsApp envolve contatos de amigos

Justiça Federal bloqueia R$ 38 milhões do Facebook por causa do WhatsApp

De posse de chips adquiridos em lojas de operadoras de telefonia, bandidos invadem perfis e pedem dinheiro em nome de amigos das vítimas

“Alguém aí está na frente do computador?” A pergunta, enviada no meio da tarde a um grupo de WhatsApp, chegou de um dos contatos da consultora de comunicação Camila Santana. Ao responder que “sim” à amiga, logo recebeu dela uma mensagem privada. A conhecida, resumidamente, dizia que precisava de uma transferência bancária porque a “senha da internet bloqueou”. Também prometia que repassaria o valor no dia seguinte, quando fosse ao banco. Prontamente, Camila pediu os dados da conta e creditou R$ 2 mil. O que ela não sabia era que se tratava de um golpe. “Jamais imaginei outra coisa. É uma pessoa extremamente séria e, no aplicativo, tinha todo o histórico das nossas conversas.”

A fraude sofrida pela consultora é um dos mais novos crimes tecnológicos aplicados em Brasília e outros estados. Nela, bandidos virtuais adquirem o chip de um determinado cliente de operadora de celular e invadem o aplicativo de troca de mensagens. Além de sofisticado e praticamente incapaz de levantar suspeitas, chama a atenção por outro detalhe: em nenhum momento, a vítima tentou levar vantagem, como em boa parte dos golpes. Assim como Camila, outro contato da mesma lista caiu na lábia do criminoso. Desta vez, perdeu R$ 1,5 mil. “Tem o dano psicológico, pois a gente perde a confiança na tecnologia e, claro, o financeiro”, lamenta Camila.

As vítimas registraram ocorrência na 5ª DP (Área Central) na semana passada — lá, os agentes informaram que outras pessoas haviam caído no mesmo golpe recentemente. As duas também procuraram a operadora de telefonia e o banco envolvido na transação, mas, até o momento, não conseguiram o dinheiro de volta. “Não deu para desconfiar porque era o perfil verdadeiro da minha amiga. Mas, se tivesse tido tempo ou um pouco mais de atenção naquela hora, não cairia (no golpe), pois havia erros de digitação e de português que ela não cometeria. Talvez eu devesse ter ligado antes de fazer a transferência”, conta a consultora (veja Cuidados).

Apesar de não ter sofrido prejuízos financeiros, a pessoa usada para o golpe, uma jornalista brasiliense de 39 anos, sente-se mal por toda a situação. “O meu sentimento é de constrangimento”, explica a cliente da Claro. O drama teve início na noite de 4 de maio, quando o telefone dela ficou sem serviço. Como só conseguia contato via wi-fi, deduziu que o Sim Card (chip) estaria queimado. No dia seguinte, por volta das 15h, o WhatsApp apresentou falhas, e, ao baixar o aplicativo novamente, o programa pediu que fosse digitado o número do telefone. Em seguida, um código seria enviado a ela por SMS. Como já havia ocorrido isso antes, a jornalista não estranhou o procedimento.

A sequência numérica, no entanto, não chegou ao smartphone dela. Seguiu para o chip habilitado indevidamente pelos estelionatários (veja Como funciona). Na hora seguinte, eles mandaram mensagens para os grupos de WhatsApp da jornalista e obtiveram 12 respostas. Dez contatos desconfiaram, mas dois fizeram a transferência bancária, mesmo a conta sendo de outra unidade da Federação e com titularidade diferente. “Eu me sinto e insegura com a tecnologia. Nem mesmo postei fotos no Dia das Mães. Desde então, saí do WhatsApp por medo. O que vou fazer é entrar na Justiça para tentar ressarcir as minhas amigas. É muito cruel.”

Em uma loja da operadora de telefonia no DF, a brasiliense descobriu que os criminosos compraram o chip do número telefônico dela em um estabelecimento oficial da empresa em São Luís, no Maranhão. “O que sabemos até agora é que uma pessoa chegou e apresentou um documento, mas o estranho é que nunca perdi nada. Disseram que não dá para saber o que apresentaram porque não ficaram com a documentação”, reclama.

Por meio da assessoria de Comunicação, “a Claro afirma que segue rigorosamente as normas e legislações vigentes do setor. A operadora esclarece que todas as alterações contratuais são realizadas mediante a confirmação dos dados pessoais do cliente. A empresa reitera que dispõe de rígidos sistemas de segurança e monitoramento, com o objetivo de coibir ações fraudulentas.” A 5ª DP investiga o golpe.

Vulnerabilidade

O promotor de Justiça Frederico Ceroy, coordenador da Comissão de Direito Digital do Ministério Público do DF e Territórios, afirma que o ponto mais frágil da tecnologia é o ser humano. Segundo ele, no caso da fraude via WhatsApp, o bandido virtual explorou a técnica da engenharia social. “Pode ter o melhor sistema de segurança e o melhor celular, mas sempre haverá o componente ser humano. Algum canal o criminoso teve para dar início ao golpe e obter vantagem”, acredita o especialista. Para Ceroy, o alerta de risco vale para todos os aplicativos. “É tudo muito vulnerável.”

Como funciona

Os bandidos virtuais habilitam o Sim Card (chip) de um cliente de operadora após comprá-lo em uma loja oficial da empresa, normalmente em outra unidade da Federação. Usam documentos falsos ou contam com a ajuda de um funcionário.

Com isso, os estelionatários interferem no celular do dono da conta e comprometem o funcionamento dos aplicativos. No caso, do WhatsApp.

A vítima, então, tenta baixar novamente o programa, que, por procedimento padrão, pede para digitar o DDD e o número de telefone para que seja enviado o código via SMS.

O código, no entanto, segue direto para o chip habilitado pelos criminosos, que invadem a conta da vítima e, no nome dela, passam a enviar mensagens com pedidos de transferência bancária.

Correio Braziliense

Suíça diz que devolverá dinheiro de Cunha se ele for condenado

Autor de ação contra Maia visitou Cunha na cadeia

O Ministério Público da Suíça informou na manhã desta terça-feira (10/05) que poderá devolver ao Brasil o dinheiro do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, bloqueados desde 2015. Mas, para isso, Cunha terá de ser condenado nos processos que correm no país, com o confisco definitivo do dinheiro. Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal o afastou de suas funções, atendendo a um pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Cunha é ainda réu em uma ação penal no Supremo, além de responder a uma denúncia e a três outros inquéritos em investigações relacionadas com a Operação Lava Jato.

Segundo o MP em Berna, o Brasil “solicitou assistência legal para congelar as contas de Cunha”. Apesar de não especificar quando o pedido foi feito, a procuradoria indica que o pedido realizado por Brasília foi atendido. “Os ativos foram congelados”, afirmou a procuradoria, por meio de sua assessoria de imprensa.

“Agora, os ativos continuam bloqueados até que haja uma decisão das autoridades brasileiras ou sua liberação por uma corte brasileira”, explicou. “Apenas depois de uma sentença definitiva de confisco é que os ativos poderão ser enviados ao Brasil”, completou a nota.

Mais de US$ 120 milhões em ativos suspeitos encontrados em contas na Suíça foram já devolvidos.

No final de outubro de 2015, o ministro Teori Zavascki determinou a transferência do dinheiro da Suíça para o Brasil, num volume de cerca de 2,5 milhões de francos suíços (R$ 8,6 milhões).No final de 2015, o Ministério Público (MP) da Suíça afirmou que transferiu ao Brasil, “de forma definitiva”, todos os documentos e detalhes de contas bancárias encontradas em nome do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Cunha chegou a abrir um processo na Justiça suíça para impedir o envio da documentação. Mas, em duas instâncias diferentes, foi derrotado. “Uma queixa contra a transferência do processo criminal ao Brasil foi rejeitada pelo Tribunal Penal Federação e pela Suprema Corte Federal”, indicou o MP. “Portanto, a investigação criminal foi transferida de forma definitiva às autoridades brasileiras”, apontou a Procuradoria. “Nenhuma outra relação bancária de E. Cunha na Suíça é conhecida pelo Escritório do procurador-geral”, completou.

Na Suíça, papéis revelaram que Cunha mantinha contas, com a mulher e filha também como beneficiárias dos ativos.

Ele nega e aponta que era apenas usufrutuário dos valores. Em 36 depósitos, o ex-presidente da Câmara ainda teria recebido R$ 52 milhões em bancos na Suíça e Israel. A informação não foi comentada pelo MP em Berna. Os suíços, ainda assim, confirmaram que abriram “um processo criminal contra Eduardo Cunha, com base em suspeitas de lavagem de dinheiro, em sequência ampliada para corrupção passiva”.

Os suíços voltaram a confirmar que, “em abril de 2015, a Procuradoria recebeu um informe de lavagem de dinheiro de um banco suíço”. “Após a abertura do processo, os ativos de Eduardo Cunha foram congelados”, indicou o MP.

A Procuradoria também explicou o motivo pelo qual optou por transferir o caso ao Brasil. “Como Eduardo Cunha é um cidadão brasileiro, ele não pode ser extraditado para a Suíça”, afirmou. “Por esse motivo, a Procuradoria enviou um pedido de transferência do processo contra E. Cunha ao Brasil com o objetivo de assegurar que a questão seja investigada e julgada pelas autoridades judiciais brasileiras”, afirmou o MP do país.

Dilma já limpou as gavetas e se prepara para sair do Planalto

A presidente Dilma Rousseff chegou na tarde desta quarta-feira (11) no Palácio do Planalto, depois de ter passado a manhã em sua residência oficial, onde teve uma reunião com o assessor especial da Presidência, Giles Azevedo, que inicialmente estava marcada para o Planalto. Para a passagem do comboio da presidente, a Esplanada dos Ministérios, que está interditada, foi liberada. No momento da chegada, fotógrafos tentaram correr para fazer imagens na garagem e depois foram barrados pelos seguranças da presidência que, inclusive, anotaram a identificação deles para eventual punição.

No Alvorada, Dilma recebeu uma equipe da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e gravou um vídeo para comentar o seu iminente afastamento hoje pelo Senado. Na mensagem, Dilma voltará a dizer que é vítima de “golpe”. Ainda está sendo estudado se Dilma fará pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV ou uma declaração à imprensa. A princípio, os vídeos serão veiculados nas redes sociais.

Limpeza
Dilma já retirou tudo que lhe pertence do gabinete presidencial. Até mesmo as fotos da filha e dos dois netos já foram levados para o Palácio da Alvorada, assim como os livros dela. Apesar da agenda frenética, funcionários do Planalto dizem que o que tem trabalho mais neste final de governo são os trituradores de papel e os scanners de documentos. O clima no governo é de tensão total e de absoluto desespero por parte de inúmeros funcionários que terão de deixar os seus cargos de DAS e, a grande maioria, não tem “órgão de origem” e, portanto, ficariam desempregados a partir de sexta-feira. Só no Planalto, eles são mais de mil. Muitos não pretendem pedir demissão e ficarão aguardando até que a equipe de Temer os demitam.

Não há definição ainda sobre o que a presidente Dilma terá direito durante seu afastamento. Caberá ao presidente do Senado, Renan Calheiros, decidir. Mas pelo menos 30 pessoas de seu gabinete já foram mobilizados para se transferir para o Alvorada. Ela continuará contando ainda com todo o esquema de funcionamento do palácio onde reside, que será transformado em uma espécie de QG da resistência. A princípio, a presidente Dilma também poderá continuar usando um jato da Força Aérea, só que não o Airbus, que servirá a Michel Temer.

As informações são da revista Época

Urgente: MP oferece denúncia contra 19 envolvidos em desvios na Câmara de Vereadores da capital

Nazif nomeia equipe de transição com 3 técnicos indicados por Hildon Chaves - http://painelpolitico.com/nazif-nomeia-equipe-de-transicao-com-3-tecnicos-indicados-por-hildon-chaves/

Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio do Centro de Atividades Extrajudiciais (CAEX) e Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), ofereceu denúncia, nesta quarta-feira, 11 de maio, contra 19 envolvidos em uma sequência de 25 desvios criminosos de recursos financeiros da Câmara Municipal de Porto Velho, no total de R$ 602.402,28, os quais foram direcionados em favor de alguns denunciados e de terceiros que responderão pelos dos crimes de peculato, fraude à licitação e corrupção passiva.

Dentre os denunciados estão José Hermínio Coelho, Marcelo Reis Louzeiro, Marcelino Maciel Mazalli Mariano, Wanderley Mariano, Walter Fernandes Ferreira, Roberto Jorge Ferreira, Luiz Carlos Ribeiro Ferreira, Wilson Souza Dias, Mariana Toledo do Amaral, Luiz Carlos Oliveira de Souza, além de outros servidores da Câmara Municipal que contribuíram para a prática dos crimes.

O caso: O Ministério Público do Estado de Rondônia instaurou procedimento visando apurar supostas irregularidades ocorridas na Câmara Municipal de Porto Velho/RO, a qual teria contratado a empresa WM Publicidades Divulgações Promoções e Serviços Ltda., para executar serviços técnicos relativos à divulgação de atos, programas, obras, serviços e campanhas da Câmara Municipal de Porto Velho. Ao término das investigações, constatou-se a ocorrência dos crimes denunciados, pois a contratação não passou de um artifício para desvio de recursos da Câmara, haja vista que não houve a prestação dos serviços, bem como que a empresa, de fato, é inexistente.

Acir fala em instantes; Raupp é o 40º e Cassol o 67º a votar

Confira a ordem de inscritos no Senado federal para votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Na ordem, o primeiro a falar será Acir Gurgacz, em instantes, ele é o 21º. O senador Valdir Raupp é o inscrito de número 40 e o senador Ivo Cassol o penúltimo, em 67ª inscrição. Veja a ordem:

1. Senadora Ana Amélia

2. Senador José Medeiros

3. Senador Aloysio Nunes Ferreira

4. Senadora Marta Suplicy

5. Senador Ataídes Oliveira

6. Senador Ronaldo Caiado

7. Senador Zeze Perrella

8. Senadora Lúcia Vânia

9. Senador Magno Malta

10. Senador Ricardo Ferraço

11. Senador Romário

12. Senador Sérgio Petecão

13. Senador Telmário Mota

14. Senador Dário Berger

15. Senadora Simone Tebet

16. Senador Cristovam Buarque

17. Senadora Angela Portela

18. Senador José Maranhão

19. Senador José Agripino

20. Senador Jorge Viana

21. Senador Acir Gurgacz

22. Senadora Fátima Bezerra

23. Senador Eduardo Amorim

24. Senador Aécio Neves

25. Senador Wilder Morais

26. Senador Alvaro Dias

27. Senador Waldemir Moka

28. Senador Roberto Requião

29. Senador Marcelo Crivella

30. Senador Randolfe Rodrigues

31. Senador Lasier Martins

32. Senadora Vanessa Grazziotin

33. Senador Reguffe

34. Senador Hélio José

35. Senador Cássio Cunha Lima

36. Senadora Regina Sousa

37. Senador Armando Monteiro

38. Senador Fernando Collor

39. Senador Fernando Bezerra Coelho

40. Senador Valdir Raupp

41. Senador Paulo Bauer

42. Senador Gladson Cameli

43. Senador Garibaldi Alves Filho

44. Senador Omar Aziz

45. Senador João Capiberibe

46. Senadora Lídice da Mata

47. Senador Antonio Carlos Valadares

48. Senador Otto Alencar

49. Senador Lindbergh Farias

50. Senador Paulo Rocha

51. Senadora Maria do Carmo Alves

52. Senador Tasso Jereissati

53. Senador Wellington Fagundes

54. Senadora Gleisi Hoffmann

55. Senador Flexa Ribeiro

56. Senador Paulo Paim

57. Senador Roberto Rocha

58. Senador Blairo Maggi

59. Senador Donizeti Nogueira

60. Senador José Pimentel

61. Senador Dalirio Beber

62. Senador Walter Pinheiro

63. Senador José Serra

64. Senador Humberto Costa

65. Senador Davi Alcolumbre

66. Senador Ciro Nogueira

67. Senador Ivo Cassol

68. Senador Benedito de Lira

Festa do Divino fortalece a religiosidade no Vale do Guaporé

A romaria fluvial do Divino Espirito Santo, venerado no Vale do Guaporé pelas comunidades ribeirinhas do Brasil e Bolívia, passou pelo município de Costa Marques e chega à localidade de Porto Murtinho, em São Francisco do Guaporé, nesta quarta-feira (11), por volta das 17h. É o desfecho da manifestação religiosa que tem a fé como sustentáculo, ao mesmo tempo em que renova a esperança de dias melhores para estes povos.

Em Porto Murtinho, após os atos litúrgicos que expõem o Espírito Santo como caminho para chegar a Deus, o grupo que conduz a romaria no batelão encerra o período de regras rigorosas que foi cumprido nos últimos 40 dias.

São homens de várias idades que ficam protegidos das eventuais tentações, longe das famílias. Eles dedicam dia e noite às orações e cânticos para que as promessas feitas pelos devotos sejam atendidas pelo Espírito Divino. “A romaria fluvial visita as comunidades para renovar a fé e manter a chama da esperança entre os ribeirinhos. Este povo é esquecido e carente”, explicou Francisco de Assis, que nesta jornada é o encarregado da coroa do Divino.

Dentro do carité, que significa pequena igreja, igreja no rio, todos têm funções definidas e regras de comportamento que precisam ser obedecidas, sob pena de o romeiro ser deixado na próxima localidade, para a tristeza de todos.

divino2

Francisco é um dos que seguem no batelão coberto com palhas, o carité. Ele diz que a romaria é, em alguns casos, a única presença da Igreja Católica numa comunidade, porque faltam padres para atender a regiões tão distantes. Por onde a romaria passa, o fervor religioso se manifesta. Famílias inteiras deixam os afazeres domésticos e vão às casas visitadas pelos romeiros. Ali são entoados cânticos e feitas orações. Se for momento de refeição – café, almoço, jantar – todos são convidados. Não é permitido recusar a oferta.

COSTA MARQUES

Na segunda-feira (9), o cortejo passou por Costa Marques. A procissão com a bandeira, cetro e coroa do Divino foram acompanhados por devotos em todas as visitas. A parada mais longa  aconteceu na Paróquia do Divino, no centro da cidade. O templo foi elevado à dignidade de Basílica Menor pelo papa Bento XVI “para honrar a fé no Senhor Divino Espírito Santo, transmitida pelos afro-brasileiros no Vale do Guaporé”.

CLIQUE AQUI PARA VER A GALERA DE FOTOS DA FESTA

Mais tarde, o cortejo seguiu até o porto da cidade, onde aconteceu o momento mais emocionante. A romaria deixou a cidade com o ritual conhecido, mas que todos querem rever. O batelão deu três voltas em frente à cidade, simbolizando a presença divina na terra e na água, e seguiu com cânticos entoados  pelos foliões, incluindo crianças que acompanham a romaria e que também ficam longe da família e obedecem a rigorosos critérios comportamentais.

RONQUEIRA

Os remeiros cumprem promessa usando a força dos braços para levar a embarcação aos locais previstos no roteiro. Os movimentos com o remo são ritmados. Do porto, a população observa a forma como os remos são operados. São três movimentos diferentes, e num deles a água do rio é jogada para cima, provocando um efeito que parece hipnotizar os observadores.

divino1

Fogos são disparados do porto e respondidos por devotos de Buena Vista, localidade boliviana para onde o cortejo segue. O anúncio da chegada são os tiros de ronqueira, um canhão artesanal que é abastecido várias vezes com pólvora vigorosamente socada.

Em Buena Vista, a devoção dos ribeirinhos bolivianos segue o mesmo ritual, inclusive com a doação de donativos que serão utilizados na jornada que se segue e na festa que acontece partir desta quarta-feira. Alguns têm tão pouco, que oferecem apenas um prato de arroz.

Da localidade boliviana, o batelão retornou ao Brasil, e seguiu para Santa Fé, a oito quilômetros da cidade de Costa Marques, na zona rural.

A procissão fluvial chegou às 18h40, já noite em Santa Fé. Jovens, idosos e crianças aguardavam pacientemente a romaria. Quando o primeiro tiro de ronqueira soou, alguns devotos entraram na água escura do rio Guaporé para pagar promessas. A fé os fez ignorar eventuais riscos oferecidos pelo rio. Momentos depois, foram os primeiros a beijar a bandeira, o cetro e a coroa do Divino, os símbolos terrenos do Espírito Santo, o Espírito de Deus. Mais cânticos, orações, uma noite de vigília e nova jornada pelo rio até Santa Izabel.

O ponto alto da romaria é Porto Murtinho, de onde o cortejo saiu no Domingo de Páscoa. A localidade está preparada para a acolhida. As casas foram pintadas, bandeirinhas estão em todas as ruas e barracões são preparados para servir como refeitórios e cozinha. É lá que acontecerá, após cumprida toda a liturgia, a grande festa, com direito a baile, comidas e bebidas.

Para facilitar o acesso dos milhares de turistas que devem participar, o governo de Rondônia realiza obras de infraestrutura. Equipes do Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER) preparam a estrada que leva ao porto. Enquanto a Superintendência Estadual da Juventude, Cultura, Esportes e Lazer (Sejucel) repassou recursos para a construção de galpões, para o som e palco.

divino

HISTÓRIA DE DEVOÇÃO

A devoção ao Divino Espírito Santo iniciou em Portugal, no século XIV, quando o reinado vivia momentos turbulentos. O imperador Diniz decidiu tornar seu sucessor um filho, fruto de relacionamento ilegal, em detrimento do filho legítimo, dom Afonso. Este declarou guerra contra o pai para defender seus direitos, e uma batalha se tornou iminente. A rainha Isabel recorreu ao Espírito Santo.

A rainha prometeu que se a guerra fosse evitada mandaria fazer uma réplica da própria coroa e colocá-la para peregrinar para difundir o culto ao Divino Espírito e  arrecadar doações para os pobres. Quando a batalha entre pai e filho ia iniciar, a rainha prostrou-se de joelhos com algumas monjas entre as legiões oponentes.

Dom Diniz mandou um emissário até as mulheres para saber o que estava acontecendo. A rainha contou sobre sua promessa. O rei cedeu ao apelo, entendeu-se com o filho e o derramamento de sangue foi evitado.

O culto ao Divino chegou ao Brasil através dos portugueses, e se espalhou com os escravos. Suas regras, que são confiadas à irmandade, são claras, e nada pode ser feito para contrariá-las. O ritual obedece ao que era obedecido há 122 anos.

Texto: Nonato Cruz
Fotos: Ésio Mendes
Secom – Governo de Rondônia