“São mentirosas e descabidas as citações”, diz Raupp sobre delação de Machado

Senador Valdir Raupp (PMDB-RO) é apotnado por delator

Senador rondoniense é citado 16 vezes nas delações de Sérgio Machado

Citado 16 vezes pelo delator Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) negou, em nota qualquer tipo de relação com o ex-diretor. Por meio de sua assessoria, Raupp declarou que “repudia com veemência as ilações” de Machado e afirma nunca ter solicitado a ele doações para campanhas eleitorais. “Portanto, são mentirosas e descabidas as citações.”.

Nos depoimentos, Machado alega ter pago propina para praticamente toda a cúpula do PMDB. Alguns destaques dos seus depoimentos:

– Machado diz que repassou propina a mais de 20 políticos;
– a propina, segundo ele, era paga por meio de doações eleitorais oficiais;
– alguns políticos também receberam dinheiro em espécie, diz ele;
– Machado diz que Michel Temer pediu doação de R$ 1,5 milhão para Gabriel Chalita (o pedido de doação foi revelado pelo Jornal Nacional em maio, na época sem citar o valor);
– O delator relatou que, na eleição de 1998, Aécio Neves recebeu R$ 1 milhão ilegalmente;
– e que Renan Calheiros tinha “mesada” de R$ 300 mil;
– Jucá recebeu, ao todo, R$ 21 milhões em propinas, contou o delator;
– Machado diz ter pago propina de R$ 1,55 milhão, entre 2008 e 2014, a Henrique Alves;
– o ex-ministro de Minas e Energia Edison Lobão pediu R$ 500 mil por mês.

O presidente em exercício, Michel Temer, divulgou nota em que afirma que “em toda a sua vida pública, sempre respeitou estritamente os limites legais para buscar recursos para campanhas eleitorais”.

No texto, Temer diz que “é absolutamente inverídica a versão de que teria solicitado recursos ilícitos ao ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado – pessoa com quem mantinha  relacionamento apenas formal e sem nenhuma proximidade”.

Leia também:

STF abre inquérito para investigar Renan, Jucá, Raupp e Jader Barbalho

Responsável pelas defesas do ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) e dos senadores Romero Jucá (PMDB-RR) e Edison Lobão (PMDB-MA), o criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, afirmou que eles negam “peremptoriamente” terem recebido qualquer valor, “a qualquer título”, de Sérgio Machado.

“Esta delação tem que ser vista com muita ressalva, dadas as circunstâncias em que foi feita, para impedir a prisão de dois filhos dele [Machado]”, declarou o advogado.

Já o o senador Aécio Neves (PSDB-MG) diz  em nota que as acusações são “falsas e covardes de quem, no afã de apagar seus crimes e conquistar os benefícios de uma delação premiada, não hesita em mentir e caluniar”.

A JBS, apontada como doadora de R$ 40 milhões, emitiu nota sobre a delação de Sérgio Machado. A empresa nega a citada reunião do delator com seu diretor de relações institucionais sobre doação de R$ 40 milhões a senadores do PMDB.

“A JBS reitera que as doações para campanhas eleitorais foram realizadas de acordo com as regulamentações do TSE. A empresa esclarece que o seu diretor de Relações Institucionais não participou de nenhuma reunião e lamenta que mais uma vez a empresa esteja envolvida em acusações que agridem, de forma infundada, sua imagem, marcas, reputação e conduta ética.”

Editado a partir de informações do G1/ O Antagonista

Áudio de suposto agente que incita violência em greve está sendo investigado por autoridades

Agentes penitenciários de Rondônia

A justiça rondoniense está analisando o posicionamento do delegado sindical dos agentes penitenciários da cidade de Ariquemes, Everton Lane de Assis, que supostamente teria vazado um áudio onde incita a greve da categoria de forma criminosa, afirmando palavras como “quanto mais preso morrer melhor”.

Com paralisação prevista para o próximo dia 16, os agentes penitenciários possuem uma extensa pauta de reivindicações da categoria, entre eles, a melhoria no rendimento salarial além da melhor estruturação das condições de trabalho.

De acordo com o Rondoniaovivo, o caso foi repassado às autoridades competentes que estão verificando o áudio e publicações feitas em redes sociais relacionadas à incitação de uma violenta greve. Em uma conversa realizada através do WhatsApp, atribuído a Everton Lane e divulgado com exclusividade por PAINEL POLÍTICO, ele  afirma que “as cadeias têm de cair de Guajará à Vilhena, aí o secretario e o governo vão ver com quem estão falando”.

Leia também:

Governo proíbe agentes e socio-educadores de conceder entrevista durante greve

Se confirmado a intenção do suposto agente em agitar a greve e descamba-la para a violência e o confronto entre presos, ele pode responder criminalmente e formalmente em seu setor público.

Com um histórico tenebroso de greves no setor penitenciário, o estado de Rondônia tenta a todo o custo não figurar na imprensa internacional por violar tratados de convenção de direitos humanos como ocorrido na rebelião no presídio Urso Branco.

Na tarde desta quarta-feira, o Singeperon divulgou nota sobre o assunto:

O Sindicato dos Agentes Penitenciários e Socioeducadores do Estado de Rondônia (Singeperon) vem a público afirmar que o conteúdo de um áudio divulgado pela imprensa de um suposto agente penitenciário que ofende a imagem do Poder Judiciário e do próprio Estado não reflete o pensamento deste sindicato, legítimo representante da categoria.

Vale ressaltar que o Singeperon é totalmente contrário a qualquer ato de violência ou atitude que venha a por em risco a vida de servidores, familiares e apenados, bem como condena qualquer tipo de incitação para movimentos subversivos nas unidades prisionais. A categoria tem compromisso com a sociedade e, mesmo o Estado não fazendo por onde, tem travado a sua luta de forma justa e correta em busca da aprovação do Plano de Carreiras, Cargos e Remunerações de seus servidores, como parte do compromisso firmado pelo Estado em acordo judicial em 2012.

A categoria está em ESTADO DE GREVE, com a paralisação prevista para iniciar nesta quinta-feira (16). Se assim ocorrer, o movimento será baseado nos preceitos constitucionais e em respeito ao Estado de Direito.

A Diretoria

Onça-pintada é flagrada atacando cachorro em estrada

Onça-pintada é flagrada atacando cachorro em Chapada dos Guimarães

O motorista estava a caminho da chácara de seus familiares quando avistou a onça-pintada na beira da estrada

A onça-pintada, espécie que ocupa o topo da cadeia alimentar, foi flagrada atacando um cachorro, supostamente, nas proximidades da comunidade rural conhecida como Acorá, região de chácaras, distante cerca de 30 quilômetros do perímetro urbano de Chapada dos Guimarães.

O motorista Francisco Solano estava a caminho da chácara de seus familiares, na última quinta-feira (09), quando avistou a onça-pintada na beira da estrada, que dá acesso a Acorá.

Do carro, e assustado, ele conseguiu registrar o que chama de “momento raro”, quando o felino atacou o cão.

Ao perceber a aproximação do veículo, o animal silvestre se afastou e não teve nenhuma reação agressiva. Mas, não desistiu da caçada.

As imagens mostram a onça-pintada saindo da mata e observando o cachorro, em seguida, no meio da estrada, a onça parte para cima do cachorro, que ainda vivo é levado na boca da onça. Ela entrou na mata com o animal entre as presas.

Segundo a professora Ivana Moreira, que mora no Distrito de Água Fria, é comum ver onça-parda na região. Inclusive, nas proximidades de escolas.

Informações e fotos 24horasnews

Tite é o novo técnico da Seleção Brasileira de futebol

denor Leonardo Bacchi, conhecido como Tite, é o novo comandante da Seleção Brasileira de futebol

O técnico Adenor Leonardo Bacchi, conhecido como Tite, é o novo comandante da Seleção Brasileira de futebol. A confirmação foi feita pelo presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, na tarde desta quarta-feira (15/6). O treinador substitui Dunga, que foi demitido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), nessa terça (14), dois dias após perder para o Peru na Copa América e desclassificar o time.

O ex-comandante do Timão não virá para Brasília, onde o Corinthians enfrenta o Fluminense, no Estádio Nacional Mané Garrincha, nesta quinta-feira (16/6). Roberto de Andrade, após confirmar a contratação de Tite pela CBF, desabafou contra a instituição.

A Seleção não merece o Tite. Estou puto com a CBF para ser bem exato, pela maneira que eles vieram. Não recebi um telefonema do presidente da CBF. Esse é o respeito. Hoje tentou falar comigo depois de tudo resolvido. O Corinthians merecia mais respeito

O técnico deixará o comando do Corinthians. Na tarde dessa segunda (13), durante o treino do time no CT Joaquim Grava, o presidente do clube Roberto de Andrade conversou com Tite e tentou o convencer a permanecer no time mesmo após o convite da CBF.Já o ex-presidente do clube, Andrés Sanchez, em entrevista ao jornal O Globo disse que ele não deveria ir para a Seleção. “Acredito que ele vá falar ‘não’. Acho que é muito difícil para ele. Queira ou não queira, é um escudo para a CBF”, afirmou. O atual deputado federal é um dos nomes cotados para assumir a Presidência da instituição.

Climão
Tite aceitou o convite das mãos de Marco Polo Del Nero. Porém, em 2015, o treinador assinou um documento pedindo a renúncia do atual presidente da CBF.

“Exigimos a renúncia definitiva de Marco Polo Del Nero e sua diretoria, seguida da convocação de eleições livres e democráticas para o comando da CBF, sem a atual cláusula de barreira, mecanismo que impede a aparição de posições independentes ao sistema vigente, pois exige oito assinaturas de federações e mais cinco de clubes para candidaturas”, dizia o texto.

Polícia encontra corpo de menino arrastado por jacaré na Disney

Crocodilo arrastou criança de dois anos

O menino estava brincando na água enquanto sua família, que mora no Nebraska, estava na beira do lago, disse o xerife Jerry Demings

O corpo do garoto de dois anos de idade que foi arrastado na noite de terça-feira por um jacaré em um lago no Walt Disney World, no estado da Flórida (EUA) foi encontrado nesta quarta-feira (15). A informação foi avançada pela CNN, rede de TV americana, que diz que fontes próximas à investigação confirmaram a notícia.

O xerife do Orange County explicou que o corpo foi encontrado na água e será enviado para autópsia e identificação formal, mas que não há razões para pensar que o corpo não seja do garoto.

A polícia procurou pelo menino por cerca de 15 horas, com uso de barcos e helicóptero. A criança foi atacada pelo réptil no Seven Seas Lagoon, no hotel Disney’s Grand Floridian Resort and Spa, em Lake Buena Vista.

A publicação recorda que o menino estava brincando na água enquanto sua família, que mora no Nebraska, estava na beira do lago, disse o xerife Jerry Demings.

“O pai entrou na água e tentou agarrar a criança e não teve sucesso”, disse Demings, acrescentando que a mãe também tentou resgatar o menino. O pai sofreu ferimentos na mão durante a tentativa de salvar o filho.

Filho de Machado diz que mantinha numa sala R$ 2 milhões em espécie

Dinheiro de propina era guardado em sala alugada

Pai e filho firmaram acordo para colaborar com o Ministério Público Federal e admitiram diversas operações ilegais envolvendo empresas e políticos

Daniel Firmeza Machado, filho do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, afirmou em depoimentos de sua delação premiada que chegou a manter R$ 2 milhões em dinheiro, guardados numa sala comercial de Fortaleza.

Pai e filho firmaram acordo para colaborar com o Ministério Público Federal e admitiram diversas operações ilegais envolvendo empresas e políticos.

Daniel contou que apresentou ao seu pai o operador Felipe Parente, homem que durante cerca de três anos -de 2004 a 2007- foi o responsável por arrecadar recursos junto às empresas em nome de Sérgio Machado, que os repassava a políticos aliados.

Machado assumiu a Transpetro em 2003. No ano seguinte, por intermédio de Daniel, Felipe Parente passou a trabalhar no processo de recolhimento de propina paga por empresários.

De acordo com Daniel, Machado entregava os nomes dos executivos a quem Felipe Parente deveria bater à porta e pedir dinheiro. Pelo serviço escuso, segundo Daniel, Parente recebia 5% de cada remessa arrecadada.

Daniel relatou que nesse período pediu ao pai que o ajudasse a quitar dívidas contraídas por suas empresas. Machado concordou e pediu que Felipe Parente o repassasse o montante: entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões.

Ele contou ainda que, durante um tempo, armazenou esse dinheiro, em espécie, numa sala alugada em Fortaleza. Mais tarde, combinou com os controladores de uma construtora para que a empresa recebesse esse montante em dinheiro e o repassasse por transação bancária ao seu irmão, Sérgio Firmeza Machado.

De acordo com Daniel, nem a construtora nem seu irmão sabiam que o dinheiro era originário dos negócios feitos entre Felipe Parente e seu pai. Ele relatou ter contado ao irmão que o valor referia-se à venda de um imóvel.

[su_expand more_text=”Continuar lendo” less_text=”Reduzir o texto” height=”400″ link_style=”button” link_align=”center”]

HONORÁRIOS

Daniel admitiu que, desde janeiro deste ano, vem arcando com as despesas dos advogados de Felipe Parente, citado pelo empreiteiro Ricardo Pessoa, dono da UTC, e que também fechou delação premiada com o Ministério Público. Daniel disse ter ficado anos sem falar com Parente, que voltou a procurá-lo após a deflagração da Operação Lava Jato.

Conforme relato de Daniel, Parente contou que estava sendo ameaçado por um doleiro com quem fazia negócios na época em que ele prestava serviço a Sérgio Machado. O doleiro exigia dinheiro para não denunciá-lo Parente. Por orientação de Daniel, segundo ele próprio contou aos investigadores, Parente se recusou a comprar o silêncio do doleiro.

Após a delação de Ricardo Pessoa, Daniel afirma ter sido procurado pelo irmão de Felipe Parente, que lhe pediu para bancar os honorários da defesa do operador. Daniel confessou que aceitou a solicitação e, por isso, passou a arcar com a defesa do ex-operador de seu pai.

Com informações da Folhapress.

[/su_expand]

 

Ex-BBB Laércio é denunciado por estupro e pode pegar até 68 anos de prisão

Ex-BBB Laércio

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou à Justiça o ex-BBB Laércio de Moura, 53 anos, por estupro de vulnerável, tráfico de drogas e por fornecer bebida alcoólica e drogas a criança ou adolescente. No inquérito constam dois estupros numa mesma vítima e uma tentativa em outra.

As provas que incriminam o tatuador foram encontradas pela polícia no computador, pen drives e celulares de Laércio. Se a Justiça aceitar a denúncia, Laércio passa a ser réu e pode pegar até 68 anos de prisão.

O crime teria sido praticado em 2012. A vítima seria uma adolescente que tinha 13 anos na ocasião. Hoje, aos 17, ela confirmou à polícia o envolvimento com Laércio. Segundo o Departamento de Execução Penal (Depen), o ex-BBB está preso provisoriamente na Casa de Custódia de Curitiba e divide a cela com cinco detentos acusados de praticar o mesmo crime.

Doloroso rito de passagem – por Fernando Pinho

O esperado fim da malfadada gestão petista encerra uma fase da História Política e Econômica do Brasil, remetendo Lula, Dilma e apaniguados ao  panteão dos governantes merecidamente esquecidos. Ao invés da estapafúrdia expressão “não vai ter golpe”; passaremos a ouvir “Dilma nunca mais”;. O governo de Temer, com todas as dificuldades que está enfrentando para recuperar as Finanças Públicas, ainda terá de suportar muitos outros problemas decorrentes não só das intermináveis e necessárias investigações da Lava Jato, mas também do corporativismo sindical e político, que teima em sabotar as tentativas de recuperação da Economia, numa demonstração inequívoca de egoísmo e falta de espírito público.

Os cidadãos que não vivem das benesses do setor público cansarem-se de uma interminável sequência de golpes: mentiras, arrogância, desonestidade, incompetência e uma maneira infantil de vislumbrar o mundo e de compreender como o mesmo funciona. A brilhante equipe econômica nomeada por Michel Temer tem credibilidade mais do que suficiente para recolocar o Brasil no rumo do progresso e de devolver a esperança à população, porém, há que afastar os políticos dos cargos em que a capacidade técnica é imperativa, não deixando com isso que a gestão do país resvale novamente para um padrão permanente de atos de irresponsabilidade, visando a manutenção de um projeto de poder a qualquer custo.

Alguns assuntos de vital importância terão que ser inescapavelmente enfrentados de forma imediata: uma reforma política destinada a criar legislação visando o afastamento mais rápido de maus governantes (por incompetência ou deslize moral), fim da estabilidade de emprego no setor público, mudanças drásticas na obsoleta legislação trabalhista (antes que a tecnologia transforme-a em letra morta), desvinculação das receitas da União, privatização de estatais como Banco do Brasil, Petrobrás, Caixa Econômica Federal e outras que servem permanentemente de instrumentos de manipulação para políticos desonestos, diminuição da inflação a patamares aceitáveis e consequente diminuição da taxa de juros, taxa de câmbio que permita ao país ter competitividade no comércio internacional e incremento das ações diplomáticas destinadas a priorizar negócios com parceiros de real importância como os EUA, Europa, Japão e China, ao invés dos claudicantes da América Latina, estabelecimento de um teto para os gastos públicos em relação ao PIB, bem como para o déficit previdenciário.

Uma ideia a ser considerada para um sadio processo de reaquecimento da Economia seria destravar os setores habitacional e de infraestrutura, que rapidamente alavancaria diversos segmentos: demanda de mão-de- obra, produção e manutenção de veículos pesados, serviços de engenharia, siderurgia, asfalto, cimento, lojas de materiais de construção, moveleiro, decorações, loteamentos, etc., citando apenas alguns setores. Um redirecionamento das políticas de crédito do BNDES, canalizando-a para as pequenas e médias empresas (grandes empregadoras de pessoal) também contribuiria com o objetivo. Boas ideias existem, mas carecemos do principal: pressão permanente das classes esclarecidas em relação aos políticos e autoridades em geral, obrigando-os a reorientar suas decisões em prol dos reais interesses do país. Só reclamar é inócuo.

As próximas eleições vão propiciar aos eleitores compromissados com as boas práticas capitalistas, uma ótima oportunidade para abandonar a retórica e agir, evitando votar em políticos alinhados com a defesa do contínuo agigantamento do Estado e suas mazelas. A leitura ou releitura das seguintes consagradas obras pode ajudar a entender o atual dilema ideológico em que encontra-se o Brasil: “A Mentalidade Anticapitalista “; e “As seis Lições”;, ambas do economista austríaco Ludwig von Mises, bem como “Os fundamentos da Liberdade”, de Friedrich A. Hayek.

*Fernando Pinho é economista e consultor financeiro da Prospering Consultoria.

Sobre Fernando Pinho

Fernando Pinho, 60 anos, natural de Bauru (SP), é economista e consultor financeiro com vivência em importantes mercados nacionais e internacionais. Em suas análises relaciona estatísticas, matemática financeira, ciência política e história econômica para tratar de realidades complexas que impactam no cenário econômico do Brasil e do mundo. Fernando gosta de trabalhar em cenários econômicos amplos, mostrando causas e consequências de como a economia afeta diretamente a vida de todos, considerando diversos assuntos e variáveis, como Geopolítica, Política Partidária, Política Monetária, Política Câmbial, Ideologias Econômicas, Psicologia do Consumidor, fenômenos e aspectos da globalização. Formado em Economia pela ITE – Instituição Toledo de Ensino (Bauru-SP), Fernando é Pós-graduado em Psicologia Econômica pela PUC SP e Mestre em Finanças pela Universidade Mackenzie.

Governo proíbe agentes e socio-educadores de conceder entrevista durante greve

Agentes penitenciários de Rondônia

Governo alega que medidas foram adotadas para evitar colapso no sistema

O governo do Estado publicou portaria nesta quarta-feira proibindo que agentes penitenciários, diretores de unidades de “demais servidores” de conceder entrevistas às redes de comunicação sem a autorização do setor de comunicação da Secretaria de Justiça.

O documento também determina que durante o movimento grevista, sejam mantidos de foram regular todas as atividades existentes dentro das unidades prisionais e sócio-educativas, além de que sejam intensificadas as fiscalizações nesses locais, principalmente quanto à distribuição de alimentos, manutenção de visitas e atendimento médico.

A portaria também estabelece que qualquer servidor que se recusar a cumprir suas funções, deverá sofrer punição administrativa e que a Polícia Militar deverá ser acionada imediatamente “quando visualizada a menor ameaça à ordem e segurança”.

As medidas foram decididas nesta quarta-feira após reunião do gabinete de gerenciamento de crise, junto com membros do judiciário e ministério público. Na terça-feira, PAINEL POLÍTICO divulgou áudio em que um suposto agente penitenciário fala que o movimento grevista precisa ser radical. Ele afirmou ainda que o “judiciário de Rondônia é comprado pelo governo” e que o executivo “sempre age na ilegalidade”. Agentes penitenciários disseram à reportagem que essa opinião não representa a “maioria” e que o movimento será pautado pela legalidade.

Sobre a portaria do governo, os agentes consideram uma afronta a liberdade de expressão, “o governo quer nos calar com essas medidas”. Já o governo afirma que as medidas são para garantir o bom funcionamento das unidades e a dignidade das pessoas que estão com restrição de liberdade.

Veja a portaria do governo:

Portaria da Sejus proíbe agentes de conceder entrevista
Portaria da Sejus proíbe agentes de conceder entrevista

Léo Moraes presta solidariedade à classe de agentes penitenciários e socioeducadores

 

O deputado Léo Moraes (PTB) diante de todos os fatos que envolvem a classe de agentes penitenciários e socioeducadores da Secretaria de Estado de Justiça (Sejus) prestou solidariedade a todos os servidores pelo momento de dificuldade que vêm enfrentando na luta pela elaboração e discussão do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) da categoria.

O parlamentar frisou que sempre estará ao lado dos servidores e disse entender que muitas vezes faltam condições de trabalho para que todos possam desenvolver suas funções de forma digna e segura.

Léo Moraes reforçou que apoia toda a classe que, segundo ele, enfrenta a  pressão e perseguição por parte dos gestores da Sejus. O deputado ressaltou que continuará buscando atendimento aos pleitos de toda a categoria e que espera o cumprimento dos prazos definidos na última reunião da Comissão de Segurança Pública que discutiu o PCCR da Sejus.

“Estamos juntos nessa luta na qual me posiciono como parceiro dos servidores da Sejus, me colocando a disposição da classe para que, unidos, possamos alcançar as condições de trabalho que a categoria anseia”, declarou Léo Moraes.