Pastor ‘anti-gay’ é preso por molestar crianças

Religioso postou mensagens polêmicas após ataque de Orlando

O pastor americano Ken Adkins, conservador e ‘anti-gay’, foi preso acusado de molestar crianças.

O religioso vive no estado da Geórgia, nos Estados Unidos.

Após o ataque na boate gay Pulse, na Flórida, que matou cerca de 50 pessoas, Adkins usou sua conta no Twitter para dizer que “os gays têm o que merecem”.

O acusado é responsável por três igrejas em seu estado e foi preso pelo Georgia Bureau de Investigação e também responderá por abuso de crianças e abuso agravado de crianças, de acordo com o Daily Beast.

Luciana Gimenez posta foto de topless e fãs vão à loucura

A apresentadora já confessou que não tem grandes preocupações com suas postagens

Luciana Gimenez estava disposta a quebrar a Internet. Isso porque hoje (26) ela apareceu no Instagram, de topless, em foto postada pela manhã, durante sua viagem à Itália.

Nos comentários, muitos elogios: “Adoro!”, “Lindíssima” e “Arrasando como sempre” podem ser vistos na rede social.

A apresentadora já confessou que não tem grandes preocupações com suas postagens, em recente entrevista à GQ.

Luciana não costuma poupar os seus seguidores e é vista sempre nas redes sociais exibindo o corpão em cenários paradisíacos ou esbanjando sensualidade.

Brasileirão estará no PES 2017, confirma Konami e CBF

Pro Evolution Soccer será lançado oficialmente na próxima segunda

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou nesta sexta-feira uma parceria com a Konami para a inclusão do Campeonato Brasileiro na nova edição do jogo Pro Evolution Soccer.

Por meio de um comunicado, a entidade confirmou que a apresentação oficial do acordo acontecerá na próxima segunda (29), quando a multinacional japonesa também lançará oficialmente o PES 2017 no Brasil.

O evento será realizado será realizado na sede da CBF e contará com a presença dos presidentes da CBF, Marco Polo Del Nero, e da Konami, Takayuki Kubo, executivo da empresa, além de representantes dos clubes da Série A do Campeonato Brasileiro.

Com isso, é esperado que os clubes tenham seus uniformes licenciados, bem como os seus jogadores, já que na última edição algumas equipes contavam com jogadores “modificados” por conta da falta de licenças necessárias.

Estudante dá aulas de história em coletivos e faz sucesso na internet

O jovem é aluno de Ciências Sociais, da Universidade da Amazônia (UNAMA) e há seis meses começou a dar aula de história em coletivos na em Ananindeua

Essa é mais uma daquelas histórias que enchem o coração de esperança e nos fazem acreditar que o mundo pode (SIM!) ser ainda melhor. Que a educação pode transformar o mundo ninguém mais duvida, mas histórias como a de Eduardo Veras, de 24 anos, nos fazem ter certeza disso.

O jovem é aluno de Ciências Sociais, da Universidade da Amazônia (UNAMA) e há seis meses começou a dar aula de história em coletivos na em Ananindeua, em Belém, no Pará.

A história dele foi postada no Facebook de Alexandra Abdon, na última quinta-feira (25) e já conta com mais de 66 mil curtidas, 5 mil comentários e quase 14 mil compartilhamentos.

Na publicação a jovem disse que ficou impressionada e extremamente feliz com a atitude de Eduardo.

Em entrevista ao Catraca Livre, Eduardo falou como surgiu a ideia de dar aula em ônibus. “A ideia era levar algo acessível e prático aos passageiros. Encontrei um site no Google e imprimi alguns conteúdos”, explicou. “Sou professor porque gosto do processo de aprender e também por conta da minha situação econômica”, completou.

Além das aulas dentro dos coletivos, ele disponibiliza os conteúdos de estudo em vídeos, colocando-os no Youtube. O canal do professor Eduardo já conta com mais de oito mil inscritos. Veja como é a aula:

Coluna – Ezequiel Neiva faz promoção pessoal no DER, o órgão que mais elegeu políticos

Coluna Painel Politico, jornalista Alan Alex

E ainda, OAB quer impedir TJ de aumentar custas, mas não diz como a Corte vai arrumar dinheiro para bancar a estrutura judiciária

Uso descarado

O Departamento de Estradas e Rodagens de Rondônia é usado descaradamente como escada eleitoral. O sujeito se torna conhecido em todo o estado usando dinheiro público, é como se fosse um passe livre, uma carta branca. E eles usam. Quer saber quem já passou por lá? Para quem não sabe ou não lembra, Valdir Raupp começou sua projeção estadual como diretor do DER, no governo de Jerônimo. Outro que também se elegeu graças ao órgão foi o falecido deputado federal Sérgio Carvalho.

Por lá também passaram

O ex-deputado estadual Jaques Testoni, o deputado Luizinho Goebel e o ilustre desconhecido Lúcio Mosquini. Mas mais do que projeção, o DER dá força a quem comanda. Isso porque o diretor tem nas mãos os prefeitos de todo o Estado, que fazem romaria no órgão pedindo ajuda. Foi assim que Lúcio se elegeu, colocando o “pé no pescoço” dos prefeitos, através do programa “Mão Amiga” (amiga da onça). Ezequiel Neiva quer trilhar o mesmo caminho. E já está fazendo isso.

O diretor

Anda pelo Estado como se estivesse fazendo um grande favor a todos. Esquece que ele está ali cumprindo uma obrigação e é bem remunerado para isso. Como disse na última coluna, Ezequiel está jogando dinheiro público fora, tal qual fez Mosquini. Alguém do Ministério Público sabe dizer onde estão as mais de 200 máquinas que o ex-diretor alegava ter comprado? Eu mostro, só clicar AQUI e AQUI.

E é isso

Que vai continuar acontecendo. O Estado joga milhões fora com a compra desses equipamentos, está mais que comprovado que isso não é economia, mas isso dá uma vantagem política para o diretor, e é bem simples de explicar. Se forem feitas licitações, as empresas vencedoras irão atuar apenas onde reza o contrato, se o DER fizer “por conta própria”, ele coloca o maquinário onde bem entender, dia e noite. Ou seja, faz graça com dinheiro público e sai como o “grande tocador de obras”. Em termos chulos, “goza com pau alheio”. Só que no caso o alheio é o imposto do contribuinte.

Nesta sexta

Em nota divulgada na imprensa, o Sindicato das Indústrias da Construção Pesada do Estado de Rondônia lembrou que o DER está utilizando recursos do Fundo para Infraestrutura de Transportes e Habitação (FITHA) para compra de equipamentos. E repito, esse maquinário será sucateado em breve, mas Neiva, bem, essa vai ser eleito para alguma coisa. A íntegra da nota do SINICON você confere no fim da coluna.

Portanto

O Ministério Público e Tribunal de Contas precisam passar um pente fino no DER, verificar como estão sendo utilizados esses maquinários, saber quanto está sendo gasto, e isso não pode ser feito “na camaradagem” do tipo “chama o Neiva aqui”. Tem que mandar uma equipe de auditores para verificar “in loco” todo esse barulho que ele anda fazendo. E principalmente, e ai cabe ao governador, acabar com essa politicagem toda. O Estado precisa de obras, mas com responsabilidade  porque político oportunista já tem demais.

Falando em obras

Lembrei da empresa do ex-prefeito Roberto Sobrinho, a V.R. Madeira e Transportes. Em outubro de 2011 o Rondoniaovivo publicava uma reportagem minha e do Paulo Andreoli sobre a empresa V.R Madeira, cujo “V” era de “Vitor” e o “R” de Roberto. Roberto Sobrinho, então prefeito de Porto Velho era sócio, junto com seu filho, de uma empresa cuja sede funcionava no seu endereço residencial, na rua George Resk, Jardim das Mangueiras, zona leste da capital. Na época, o então prefeito não negou, pelo contrário, dizia com orgulho, “tudo que tenho está em meu nome”. Dois anos depois ele foi preso. Mas a pergunta é, o que aconteceu com a empresa? Será que a Santo Antônio manteve os contratos ou fez como aquela história de “rei morto, rei posto”? Já que Roberto afirma “não ter enriquecido na vida pública”, onde estão as caçambas que pertenciam à empresa?

OAB X TJRO

A OAB de Rondônia pretende ingressar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade contra o reajuste nas taxas do judiciário de Rondônia. Cá entre nós, acho que o TJ tem razão em aumentar. Justiça custa caro, a estrutura é defasada e precisa arrecadar. Não tem essa de “desestimular, por questões econômicas, ainda mais o acesso à Justiça”. Quem não tem dinheiro procura a Defensoria, e quem tem paga. Em nota enviada á coluna, o Tribunal de Justiça alega, “o TJRO fez grandes esforços para adotar medidas de modernização da Justiça como implantação do PJe, Processo Judicial Eletrônico, sistema gratuito fornecido pelo CNJ, porém que exige um investimento tecnológico gigante como base para suportar volume de dados, segurança das informações, reformulação da rede, o que demanda custos altíssimos”.

E com razão

Além disso, segundo o TJ, “o Departamento de Pesquisas Judiciárias do Conselho Nacional de Justiça, apurou que as custas no Estado de Rondônia, de maneira geral, estão entre as mais baratas do país. Conforme o estudo do CNJ, mesmo levando em consideração a alteração proposta, ainda figurará entre os tribunais que cobram as menores custas, conforme as faixas de valores de causa estudados”. Acho que a OAB deveria se preocupar em entrar com uma ação para evitar que o Ezequiel Neiva fique usando dinheiro público para promoção pessoal. Mais abaixo, a íntegra da nota do TJRO.

Clínica Mais Saúde informa – Cientistas descobrem composto que combate a dor sem efeitos colaterais

A escalada do número de mortes por overdose de remédios contra a dor e da quantidade de dependentes desse tipo de medicamento vem alarmando as autoridades de diferentes países, principalmente dos EUA. Porém, de acordo com um artigo publicado nesta quarta-feira pelo periódico científico “Nature”, cientistas identificaram um agente químico capaz de aliviar a dor de forma tão efetiva quanto a morfina, mas sem os mesmos e temidos efeitos colaterais, como o vício e as crises respiratórias. A descoberta de pesquisadores liderados pela Universidade de Stanford, nos EUA, analisou a estrutura recém-decifrada dos receptores da morfina no cérebro para customizar a nova droga. O composto, chamado de PZM21, foi testado em camundongos e teve sucesso ao bloquear a sensação de dor sem causar as potenciais reações adversas que vêm preocupando a comunidade médica. São necessários mais estudos para estabelecer se o novo composto realmente não leva ao vício e para confirmar se ele é seguro e efetivo para consumo humano e dos roedores. Porém, se as descobertas forem confirmadas, elas podem transformar a atual luta contra o vício em remédios contra a dor sob receita.

NOTA DO SINICON

Sindicato das Indústrias da Construção Pesada do Estado de Rondônia – SINICON/RO

O SINICON/RO, criado na década de 80 por empresas que investiram aqui e apostaram em um Estado promissor. Sempre tiveram participação decisiva no desdobramento e consolidação da infraestrutura e na implantação do mesmo. Acreditando que um estado só se desenvolve com indústrias, e que o progresso exige o escoamento das produções, motivo este que os levou a se solidificarem aqui. Nesta perspectiva sempre trabalharam com qualidade, pautados em novas tecnologias e numa relação harmoniosa com os órgãos contratantes responsáveis pelos serviços de infraestrutura. A parceria de conhecimento técnico bem como da qualidade e as oportunidades que nosso Estado tem, é destacada a nível nacional no tocante a infraestrutura, a exemplo disso as Usinas do Madeira dentre tantas outras de menor porte no interior de Rondônia. No campo das estradas, que são necessárias para abrir os caminhos do escoamento das produções e, servem para interligar o desenvolvimento de um estado aos grandes centros ou até outros países como é nosso caso.

Levamos ao conhecimento do nosso Governador, por meio de oficio, que nesta administração esta ocorrendo algo que não entendemos, pois o DER/RO é uma autarquia que tem por objetivo projetar, disciplinar, vistoriar e fiscalizar os serviços da área da Construção Pesada, no entanto mudou seu norte – quer executar os serviços, nem que para isso tenha que levar às indústrias a bancarrota, fazendo com que haja demissão de funcionários.

O FITHA foi criado para dar respaldo financeiro nas obras de Infraestrutura – Estradas, Aeroportos, Saneamento e Eletrificação, hoje esta sendo direcionado para adquirir maquinários pesados, para executar as obras por administração direta.

Sabemos que isso não funciona, só para ressaltar o ex- ministro das Cidades, Gilberto Kassab, afirmou durante o 20º Congresso de Transporte e Trânsito da ANTP (23/06/15), que a Parceria Pública Privada (PPPs) é fundamental para o desenvolvimento das obras de mobilidade urbana. “Estamos recuperando o tempo perdido durante décadas, cabe a nós continuar enfrentando esse desafio. As obras são complexas, têm perfil de longo prazo e exigem recursos vultosos e, para que possamos atender a demanda com um padrão mínimo de qualidade, vamos precisar, cada vez mais, da iniciativa privada”, afirmou o ministro.  Kassab  disse ainda que está sendo discutida a criação de um fundo garantidor nacional que possa ser o avalista de contratos de PPPs nos Estados que tiverem dificuldades em apresentar garantias futuras para os investidores interessados. Num país próximo, o Chile, como divulgado nos órgãos de comunicação, serve de exemplo de como flui a parceria na execução dos serviços com empresas privadas.

Deixamos duas questões a serem respondidas

1) SERÁ QUE SÓ NOSSO ESTADO, ESTÁ CERTO EXECUTANDO AS OBRAS POR ADMINISTRAÇÃO DIRETA? 2) QUEM FISCALIZA ESSAS OBRAS?

Porto Velho/RO, 26 de Agosto de 2016.

SINICON/RO

 

TRIBUNAL DE JUSTIÇA

Sobre a  Atualização de custas

O Regimento de Custas do Estado da Justiça de Rondônia (Lei Estadual n.301, de 21/12/1990) tem 25 anos e atendeu durante todo esse tempo aos objetivos, porém diante das inúmeras alterações legislativas ocorridas no período, especialmente das normas processuais, modernização da Justiça, e o aumento no volume de processo. entre outros aspectos, há a premente necessidade de revisão da lei a fim de adequar o Poder Judiciário de Rondônia à norma mais moderna à legislação vigente (a exemplo do novo CPC), sobretudo menos distanciada do verdadeiro encargo que a manutenção desses serviços representa para o Erário.

Além disso, o TJRO fez grandes esforços para adotar medidas de modernização da Justiça como implantação do PJe, Processo Judicial Eletrônico, sistema gratuito fornecido pelo CNJ, porém que exige um investimento tecnológico gigante como base para suportar volume de dados, segurança das informações, reformulação da rede, o que demanda custos altíssimos.

Hoje a fonte do tesouro para o Judiciário Estadual é utilizada apenas para o pagamento de pessoal, ficando o recurso arrecadado pelo Fundo para os o custeio das despesas (água, luz, telefone, limpeza, material de expediente, equipamentos, etc.) e investimentos em novos espaços.

A necessidade de investimento em obras (construção de novos fóruns) é gritante. Porém, os custos de novas unidades representam valores que o montante arrecadado atualmente não contempla o atendimento dessa demanda, com prejuízos inclusive para obras em andamento.

Diante do cenário, o TJRO fez um estudo para a reformulação da custas, sempre levando em conta a sustentabilidade e economicidade. Para isso, instituiu uma comissão de logística sustentável, observando não apenas aspectos ambientais, que é o sentido mais conhecido da área, mas se concentrando em aspectos amplos, com a melhor aplicação dos recursos arrecadados.

É marcante notar que o Departamento de Pesquisas Judiciárias do Conselho Nacional de Justiça, apurou que as custas no Estado de Rondônia, de maneira geral, estão entre as mais baratas do país. Conforme o estudo do CNJ, mesmo levando em consideração a alteração proposta, ainda figurará entre os tribunais que cobram as menores custas, conforme as faixas de valores de causa estudados.

Todos esses esclarecimentos já foram feitos a órgãos ligados ao Judiciário, que apesar de não serem instituições consultivas para questões de conveniência e oportunidade relacionadas com as opções administrativas, representam segmentos importantes da sociedade. Principalmente porque as mudanças propostas representam em última instância benefícios à população, pois propõe a introdução de novos procedimentos para abreviar o tempo do processo.

Três brasileiras são encontradas mortas em Portugal; uma estava grávida

A SIC Notícias informou que o suspeito era namorado de uma das vítimas e que ele teria confessado o crime às autoridades brasileiras

As autoridades encontraram nesta sexta-feira (25) próximo a um hospital veterinário em Tires, Cascais, Portugal, os corpos de três brasileiras desaparecidas há vários meses, disse à Lusa o comandante dos Bombeiros da Parede, Pedro Araújo.

De acordo com o responsável, a corporação recebeu um alerta da polícia portuguesa para que fosse retirada a água de um tanque naquele local.

“Acabamos encontrando os corpos das três mulheres, uma delas grávida”, adiantou Pedro Araújo.

A Polícia Judiciária portuguesa começou a investigar o caso com um alerta também emitido pela Interpol -Organização Internacional de Polícia Criminal.

“O suspeito já estava no Brasil e, por meio de investigações das autoridades portuguesas e brasileiras, foi detido conseguimos localizar as vítimas”, explicou o comandante. A SIC Notícias informou que o suspeito era namorado de uma das vítimas e que ele teria confessado o crime às autoridades brasileiras.

Pedro Araújo disse ainda que um funcionário do hospital veterinário do Monte dos Vendavais, em Tires, também está envolvido no processo.

8 marcas de azeite são reprovadas em teste de qualidade; veja

Em análise minuciosa, a Proteste sugere que oito marcas sejam retiradas do mercado por fraude contra o consumidor. No total foram 20 rótulos pesquisados

Em teste de qualidade realizado pela Proteste, oito marcas de azeite extravirgem foram reprovadas por fraude contra o consumidor, ou classificação diferente da indicada no rótulo. Dos 20 produtos testados quatro foram eliminados e outros quatro não são indicados para compra.  A Proteste pediu a retirada dos produtos do mercado.

Em quatro marcas analisadas – Figueira da Foz, Tradição, Quinta d`Aldeia (reincidentes) e Pramesa – a análise em laboratório comprovou adulteração do produto, com adição de outros óleos vegetais, o que não é permitido por lei. Isso significa que esses azeites não tinham apenas a gordura proveniente da azeitona – o que os classifica como extravirgens – e coloca em risco uma das propriedades primordiais do azeite: favorecer a saúde.

Nas outras quatro marcas – Qualitá, Beirão, Carrefour Discount e Filippo Berio – embora tragam a palavra extravirgem na embalagem, a análise sensorial apontou que eles eram apenas virgens. Isso significa que, na hora da compra, você paga mais caro por um extravirgem, mas leva um produto diferente para casa.

Apesar desses problemas, cinco marcas que haviam sido avaliadas como virgens no teste de 2013, agora apresentam um azeite  de fato extravirgem: La Española, Carbonell, Serrata, Gallo e Borges. O produto mais bem avaliado no novo teste, segundo a Proteste, foi o Cocinero, indicado como autêntico azeite extravirgem, que apresentou excelente qualidade, apesar de sua embalagem de plástico (garrafas de vidro escuro tendem a conservar melhor o alimento). Além disso, obteve o melhor custo-benefício entre os produtos analisados. Entretanto, o produto ainda precisa de adequações no rótulo, uma vez que não informa a data de envase.

Justiça mantém bloqueio de bens de Eduardo Cunha e Cláudia Cruz

Eduardo Cunha e esposa

Segundo as investigações, dos US$ 34 milhões pagos pela Petrobras pela participação de 50% em um campo de Petróleo no Benin, US$ 10 milhões foram depositados na conta de uma empresa offshore para serem posteriormente distribuídos a título de propina

A Justiça Federal em Curitiba decidiu manter o bloqueio dos bens do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e de sua mulher, a jornalista Cláudia Cruz. A indisponibilidade dos ativos fora concedida em caráter liminar a pedido do Ministério Público Federal (MPF), dentro de uma ação de improbidade administrativa na qual o ex-presidente da Câmara é acusado de receber propina na compra de um campo de petróleo no Benin, pela Petrobras, em 2011.

A liminar para o bloqueio foi concedida em 14 de junho, e a defesa de Cunha entrou com recurso para suspender a medida. Os advogados questionaram a competência da 6ª Vara Federal de Curitiba para julgar o caso, alegando entre outras coisas a prerrogativa de foro privilegiado do deputado federal. Eles afirmaram também não haver provas que atestem o recebimento de propina e o enriquecimento ilícito, em prejuízo à Petrobras.

Relator da ação de improbidade administrativa na Justiça Federal, que corre em paralelo ao inquérito penal contra o deputado que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), o desembargador Ricardo Teixeira do Valle Pereira negou todos os argumentos da defesa.

“Agentes políticos são agentes públicos para fins de improbidade, e a imunidade parlamentar prevista no artigo 53 da Constituição Federal diz respeito apenas aos atos inerentes ao exercício do mandato”, escreveu o desembargador a respeito da prerrogativa de foro alegada por Cunha.

O magistrado citou também “fortes indícios do recebimento de vantagens indevidas decorrentes de contratações realizadas no âmbito da Diretoria Internacional da Petrobras” como argumento para manter o bloqueio dos bens.

Segundo as investigações, dos US$ 34 milhões pagos pela Petrobras pela participação de 50% em um campo de Petróleo no Benin, US$ 10 milhões foram depositados na conta de uma empresa offshore para serem posteriormente distribuídos a título de propina. Pelos registros das movimentações financeiras, apurados pela força-tarefa da Lava Jato, a suspeita é de que a maior parte do dinheiro tenha ido parar em contas e trustes de Eduardo Cunha.

Com a decisão, ficam indisponíveis “quaisquer bens ou valores titularizados pelos investigados sob guarda de instituições financeiras, tais como ações, participações em fundos de ações, letras hipotecárias ou quaisquer outros fundos de investimento”, bem como imóveis e até mesmo carros em nome de Eduardo Cunha e Cláudia Cruz.

A medida se estende às empresas de Cunha, a C3 Produções Artísticas e Jornalística e a C3 Atividades de Internet, que chamou atenção por ter usado, no passado, o nome fantasia “Jesus.com”.

Pela decisão, também permanecerão bloqueados os bens de Jorge Luiz Zelada, ex-diretor da Diretoria Internacional da Petrobras, de João Augusto Rezende Henriques, apontado como operador do esquema, e de Idalécio de Castro Rodrigues de Oliveira, dono da empresa que vendeu a participação no campo de petróleo no Benin para a Petrobras.

Receita da HP cai e empresa corta 1.000 vagas no 3º trimestre

Receita da HP cai e empresa corta 1.000 vagas no 3º trimestre

A empresa, que tinha cerca de 287 mil empregados em 31 de outubro de 2015, afirmou em fevereiro que cortaria cerca de 3.000 empregos até o final deste ano

A receita da HP Inc., o braço de hardwares da antiga Hewlett-Packard Co, caiu 3,8% no terceiro trimestre fiscal, para US$ 11,892 bilhões. Com vendas em queda na comparação com o mesmo período de 2015, a empresa anunciou que cortou mil vagas de trabalho nos três meses encerrados em 31 de julho, elevando para 2.300 os cortes no ano.

A venda de impressoras recuou 14% em relação ao terceiro trimestre fiscal de 2015, para US$ 4,423 bilhões. Já a receita com sistemas pessoais, que inclui computadores, permaneceu inalterada na mesma base de comparação, para US$ 7,5 bilhões.

“O mercado permaneceu desafiador e, de alguma forma, volátil”, afirmou o executivo-chefe da empresa, Dion Weisler, em conferência. “Nós temos mais trabalho a fazer.”

A HP anunciou que cortou cerca de mil vagas no terceiro trimestre fiscal, o que eleva para 2.300 o número de trabalhadores demitidos neste ano.

A empresa, que tinha cerca de 287 mil empregados em 31 de outubro de 2015 -seu quarto trimestre fiscal-, afirmou em fevereiro que cortaria cerca de 3.000 empregos até o final deste ano fiscal. Com informações da Folhapress.

Bandeira tarifária na conta de luz continua verde em setembro

Bandeira tarifária na conta de luz continua verde em setembro

A bandeira verde é acionada quando o Custo Marginal de Operação (CMO) fica abaixo dos R$ 211,28 por megawatt-hora (MWh) em todas as regiões

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu nesta sexta-feira, 26, manter a bandeira verde nas contas de luz no mês de setembro. Será o sexto mês seguido em que não haverá cobrança extra nas tarifas.

A bandeira verde é acionada quando o Custo Marginal de Operação (CMO), indicador que demonstra o custo de geração da usina mais cara em operação em todo o País, fica abaixo dos R$ 211,28 por megawatt-hora (MWh) em todas as regiões.

Havia uma expectativa no mercado de que fosse necessário acionar a bandeira amarela em razão da piora das condições de geração de energia no Nordeste, devido à seca, mas isso não se efetivou neste mês.

A bandeira amarela, que adiciona R$ 1,50 a cada 100 killowatt-hora de consumo na conta de luz, vigorou em março deste ano. Desde abril, a bandeira é verde.

De acordo com a Aneel, os principais fatores que contribuíram para a manutenção da bandeira verde foram a evolução positiva do período úmido neste ano, que recompõe os reservatórios das hidrelétricas, as sobras de energia, em razão da redução da demanda, e a entrada em operação de novas usinas no sistema elétrico brasileiro.

De janeiro de 2015 a fevereiro de 2016 vigorou a bandeira vermelha, que sinaliza piores condições de geração de energia. Atualmente, a bandeira vermelha adiciona uma cobrança de R$ 3,00 ou R$ 4,50 a cada 100 kWh de consumo, dependendo do custo e da quantidade de térmicas ligadas. Com informações do Estadão Conteúdo.