“Vítimas Unidas” lança petição contra contratação de goleiro Bruno

Diretor do Boa diz que não sabia que Bruno seria julgado pelo STF

Grupo lançou abaixo-assinado na web

Brasilia – O grupo “Vitimas Unidas” que reúne mais de 110 mil participantes no Facebook, lançou nesta semana um abaixo-assinado na internet contra a contratação do goleiro Bruno Fernandes de Souza, condenado pelo sequestro, assassinato e ocultação de cadáver de sua amante, Eliza Samudio e solto esta semana por liminar do ministro Marco Aurélio Mello, do STF.

Eliza Samudio foi morta e corpo nunca foi encontrado. Bruno foi condenado como mandante do crime
Eliza Samudio foi morta e corpo nunca foi encontrado. Bruno foi condenado como mandante do crime

De acordo com a petição, “este criminoso é causador de uma tragédia sem parâmetros e recentemente foi posto em liberdade. Requeremos também ao Supremo Tribunal Federal para rever esta e demais decisões Legais , todavia , Imorais .Os cidadãos honrados entendem que a justiça existe somente sobre a luz da Legalidade e Moralidade, não devendo ser criada Jusrisprudência que incentive mais crimes ;portanto, apoiamos incondicionalmente vítimas”.

CLIQUE AQUI para assinar a petição online.

 

Jacaré do Acre era maior que ônibus e mordia mais forte que tiranossauro

Jacaré do Acre era maior que ônibus e mordia mais forte que tiranossauro

Jacaré do Acre era maior que ônibus e mordia mais forte que tiranossauro

Os tiranossauros podem até ostentar a fama de rex (“rei”, em latim) em seu nome científico, mas paleontólogos brasileiros acabam de ajudar um rival a destroná­los.

O usurpador vitorioso é um gigantesco jacaré do Acre, cuja mordida era uma das mais poderosas de todos os tempos, duas vezes mais devastadora que a do temido T. rex.

Trata­se do Purussaurus brasiliensis, monstro que vivia nas vizinhanças dos atuais rios Purus, Juruá e Acre na época do Mioceno, há 8 milhões de anos.

A espécie já era conhecida dos cientistas há tempos. No novo trabalho, porém, os pesquisadores fizeram as primeiras estimativas detalhadas de seu tamanho, do peso, da força da mordida e do consumo diário de comida, com base em modelos matemáticos e comparações do bicho com todas as espécies atuais de crocodilos e jacarés.

Após muitas contas, a equipe concluiu que uma bocada do P. brasiliensis exercia, em média, uma força de 70 mil newtons –o equivalente a 7 toneladas de pressão. O valor corresponde a mais de dez vezes a potência da mordida de um leão, e a mais de 20 vezes a de um tubarão ­branco.

Jacaré do Acre era maior que ônibus e mordia mais forte que tiranossauro
Jacaré do Acre era maior que ônibus e mordia mais forte que tiranossauro

Os cálculos indicam ainda que o monstro alcançava 12,5 m e 8,5 toneladas, consumindo 40 kg de alimentos por dia.

SÓ FILÉ

“Alimentos”, no caso, significa carne. “Os dentes relativamente mais achatados e serrilhados dele são típicos de hipercarnívoros, como certos dinossauros. É dentição especializada em fatiar a presa”, diz Aline Ghilardi, paleontóloga da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) que é coautora do estudo ao lado do marido, Tito Aureliano, da UFPE, de Pernambuco.

Não faltavam opções para os carnívoros do Mioceno no Acre. Do ponto de vista do P. brasiliensis, a região talvez parecesse um imenso açougue a céu aberto.

Isso porque essa parte da Amazônia na época era um superpantanal, com vastas áreas alagadas e uma rica biodiversidade que incluía tartarugas gigantes, aves aquáticas, roedores de até 700 kg (megacapivaras, digamos) e outros mamíferos grandes.

A estrutura da mandíbula e do crânio do bicho ajuda a entender por que ele conseguia morder com tanta violência. “O formato da cabeça ajuda o animal a sustentar o estresse de uma mordida mais forte”, explica Ghilardi. No caso, a carona curta e larga do P. brasiliensis, bem como o focinho alto, eram cruciais para essa tarefa. Além disso, as narinas peculiares, de grande tamanho, também ajudavam a dissipar as tremendas forças geradas pelas bocadas, evitando fraturas.

O principal espécime usado no estudo foi coletado por Jonas Pereira de Souza Filho, ex­reitor da Universidade Federal do Acre. Segundo Douglas Riff, outro coautor da pesquisa e um dos principais especialistas em jacarés e crocodilos fósseis do país, os acrianos têm feito um trabalho de primeira na região.

“Eles são os grandes descobridores e guardiões dos fósseis”, diz Riff, que trabalha na Universidade Federal de Uberlândia (MG).

Acredita­se que as características superlativas do P. brasiliensis tenham sido também as razões de sua queda.

Com tanto tamanho, a criatura provavelmente dependia de um ambiente rico em presas de grande porte para prosperar. No entanto, as transformações geológicas na Amazônia, ligadas ao aparecimento das grandes montanhas dos Andes, destruíram o superpantanal da região, eliminando o jacarezão e várias outras espécies contemporâneas.

A pesquisa foi publicada na revista “PLoS ONE”

Victor, a mãe e uma irmã são intimados a depor em caso que investiga denúncia de agressão

Globo volta a ‘apagar’ Victor no ‘The Voice Kids’

Mulher do músico prestou queixa em Belo Horizonte acusando o marido de tê-la agredido. Mãe de Victor chegou a fazer ocorrência contra a nora

O músico Victor Chaves Zapalá Pimentel, de 41 anos, da dupla sertaneja Victor & Léo, a mãe dele e uma irmã foram intimados pela Polícia Civil a prestar depoimento na Delegacia de Mulheres de Belo Horizonte.

No dia 24 de fevereiro, a mulher de Victor, Poliana Bagatini Chaves, que está grávida, prestou queixa em uma delegacia de Belo Horizonte acusando o marido de tê-la agredido. No dia 25, ela fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML).

Porém, no dia seguinte, Poliana postou uma carta em seu perfil do Instagram em que negava as agressões. O documento, assinado por ela, afirma que houve um grande desentendimento familiar e que, em uma discussão com a sogra, não se sentiu apoiada por Victor, que tentou contê-la. Ela disse ainda que achou que na polícia se sentiria amparada. Afirmou que em momento algum considerou que tivesse ocorrido qualquer crime, principalmente praticado por Victor, e que, por isso, disse à polícia que não tinha interesse na apuração do caso.

A mãe do cantor Victor chegou a registrar um boletim de ocorrência contra a nora.

Em entrevista ao Fantástico, Victor negou as agressões. “Eu jamais agrediria alguém na minha vida, muito menos a minha esposa, que está grávida do João”, afirmou. “A única coisa que eu posso dizer é que minha família é meu bem maior e que toda minha postura sempre foi de preservar a família.”
A assessoria de imprensa de Victor foi procurada pelo G1, mas não soube informar se o músico, a mãe e a irmã receberam a intimação para depor. Ela informou apenas que a dupla está de férias.

Por causa da denúncia, Victor pediu para se afastar do programa “The Voice Kids”. O próximo já está gravado com a presença do cantor como jurado e será mantido, informou o apresentador André Marques neste domingo (26).

Fabricante anuncia carregador 5,5 vezes mais rápido do que tradicionais

Fabricante anuncia carregador 5,5 vezes mais rápido do que tradicionais

O ‘Super mCharge’ promete carregar 100% da bateria em até 20 minutos

A fabricante Meizu anunciou durante o Mobile World Congress (MWC) 2017 uma nova tecnologia que promete carregar 100% da bateria de smartphones em 20 minutos. O dispositivo funciona cerca de 5,5 vezes mais rápido do que carregadores tradicionais.

De acordo com o Techtudo, a tecnologia do Super mCharge visa compensar a baixa autonomia dos celulares presentes no mercado, já que existe uma dificuldade técnica no desenvolvimento de baterias que durem mais.

Para testar a eficácia do produto, a empresa carregou a bateria de um celular até 100% em apenas 18 minutos durante uma apresentação no evento, ocorrido em Barcelona.

A fabricante, no entanto, não informou a previsão de lançamento do dispositivo.

Câmara analisa fim do foro privilegiado em julgamento de autoridades

49% dos deputados vêm de famílias de políticos

As propostas mudam ou acabam com o benefício que garante às autoridades o direito de serem julgadas por tribunais superiores

O polêmico assunto do fim do foro privilegiado para o julgamento de autoridades vai ganhar em breve novos capítulos. Está em análise na Câmara dos Deputados, em Brasília, 12 propostas de emenda à Constituição. As propostas mudam ou acabam com o benefício que garante às autoridades o direito de serem julgadas por tribunais superiores.

Atualmente, a legislação só prevê o foro privilegiado para o presidente da República, além do vice-presidente, ministros, deputados, senadores, prefeitos, governadores, juízes e membros do Ministério Público. O Supremo Tribunal Federal (STF) é o responsável pelo julgamento dos deputados, senadores, o presidente da República e ministros. Já o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) julga os governadores e autoridades estaduais. Os prefeitos são julgados por tribunais de segunda instância.

As propostas que pedem o fim do foro privilegiado estão sendo analisados pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Se aprovadas, elas serão analisadas por uma comissão especial.

A Proposta sobre o assunto chegou a ser aprovada em 2008, na Comissão de Constituição e Justiça, porém, acabou sendo rejeitada em primeiro turno pelo Plenário da Câmara e em seguida retirada de pauta. O assunto divide os parlamentares. O deputado Rubens Bueno (PPS-PR), que é autor de uma das propostas analisadas, diz que a preocupação e a de se evitar que as autoridades deixem de ser julgadas.

“O Supremo Tribunal Federal tem a sua função precípua: o questionamento com relação à Constituição da República, e não o crime de A ou de B, que tem que fazer inquérito. Veja o que tem acontecido, por exemplo, com relação à Lava Jato: são milhares de processos, cujos processos demandam tempo e trabalho dia e noite e não vencem. Então, nós temos milhares de juízes espalhados pelo Brasil que podem dar conta na primeira instância disso e nos julgamentos em segunda instância, colegiadamente, já pode o condenado ser preso, que é o que está sendo afirmado pelo Supremo Tribunal Federal”.

Já o deputado Leo de Brito (PT-AC) acredita que o fim do foro privilegiado precisa ser muito bem discutida, para que as garantias sejam preservadas e não haja perseguição política.

“Nós estamos num momento de muita conflagração, de muita animosidade política no país, muita gente quer fazer justiça com as próprias mãos e aí acaba acontecendo o açodamento. Às vezes, o debate sai do plano da racionalidade para o plano do populismo ou das emoções que estão colocadas no momento. Políticos corruptos devem ser punidos e tem que ir para a cadeia, mas é claro que as garantias devem ser preservadas, para que não tenhamos nenhum tipo de perseguição política, ou algo que pode não ser utilizado agora, mas pode ser usado no futuro”.

De acordo com estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas do Rio, somente no Supremo Tribunal Federal (STF), uma das cortes que julgam os que possuem foro privilegiado, das 404 ações penais concluídas entre 2011 e março de 2016, 68% delas, ou seja, 276, prescreveram ou foram transferidas para instâncias superiores, porque a autoridade deixou o cargo. A condenação ocorreu só em 0,74% dos casos.

 

Com informações do Sputnik Brasil.

De 6 a 10 de março, tribunais priorizarão processos de violência contra a mulher

No ano passado, durante as edições do evento, foram atendidas 250 mulheres no ônibus rosa

A VII Semana Nacional Justiça pela Paz em Casa, que ocorrerá de 6 a 10 de março nos estados e no Distrito Federal, priorizará audiências e julgamentos de processos relativos à violência doméstica contra a mulher.

No evento, idealizado em 2015 pela presidente do Conselho Nacional de Justiça e do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, serão desenvolvidas, em várias unidades judiciárias, ações pedagógicas como palestras e cursos voltados ao esclarecimento da população sobre o tema.

“Essa é uma semana em que o Poder Judiciário enfatiza a importância da Paz em Casa para a construção de uma sociedade mais fraterna e plural. E isso se faz, sobretudo, pela informação. Informar as pessoas que a almejada pacificação é algo construído, desde o berço, pelo respeito mútuo das diferenças”, disse a conselheira Daldice Santana, coordenadora do Movimento Permanente de Combate à Violência Doméstica e Familiar do CNJ.

O coordenador estadual da Campanha Paz em Casa em Rondônia, juiz Álvaro Kalix Ferro, do Tribunal de Justiça de Rondônia, afirmou que a mobilização tem como objetivo chamar a atenção da população para esse tipo de crime e estimular a denúncia, “medida fundamental para proteção das vítimas”. No ano passado, em Rondônia, a Campanha Paz em Casa promoveu 327 audiências e quatro julgamentos no Tribunal do Júri, além de proferir 343 sentenças e conceder 95 medidas protetivas.

No Pará, o Tribunal de Justiça local vai mobilizar todos os magistrados do estado cujas varas possuam processos de violência doméstica contra mulheres. Serão selecionados, em regime de mutirão, todos os processos pendentes de audiências, sentenças, decisões, despachos e arquivamentos, especificamente para a semana da campanha. Em Belém, participarão ainda três promotores de Justiça e seis defensores públicos.

Em Brasília, o Centro Judiciário da Mulher, vinculado ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal, convidou a pesquisadora Laura Frade, doutora em Sociologia, para falar sobre os motivos que levam mulheres a permanecer em relações violentas.

Ao longo da semana, fóruns de Brasília, Taguatinga, Núcleo Bandeirante e São Sebastião oferecerão palestras e oficinas — entre eles, curso de capacitação para lideranças religiosas. Também estão agendadas rodas de conversa em diversos canteiros de obras do Plano Piloto para trabalhadores da construção civil. Todas as ações são voltadas ao esclarecimento da Lei Maria da Penha — aplicação, consequências, rede de apoio —, bem como à prestação de informações jurídicas sobre o tema.

No Espírito Santo, a programação conta com a atuação do Juizado Itinerante da Lei Maria da Penha. O ônibus rosa, símbolo capixaba do combate à violência, ficará estacionado nas proximidades do Fórum da Prainha, em Vila Velha. A equipe multidisciplinar, formada por assistente social, psicólogo, investigador de polícia, promotor, defensor e juiz, atenderá à população das 9h às 17h.

No ano passado, durante as edições do evento, foram atendidas 250 mulheres no ônibus rosa. Elas fizeram denúncias de agressão e buscaram orientações de como agir diante da violência doméstica. Ao todo, foram 54 boletins de ocorrência lavrados, 49 medidas protetivas deferidas e sete prisões preventivas decretadas.

Violência contra mulheres

De acordo com o Mapa da Violência 2015, em 2013 foram registrados 13 homicídios femininos por dia, quase 5 mil no ano. Os índices de homicídios contra as mulheres colocam o Brasil no 5º lugar do ranking de países mais violentos. O Mapa da Violência mostrou que Goiás, Espírito Santo e Roraima registraram as taxas mais elevadas de assassinato de mulheres no Brasil. Em Roraima, foram registrados 15,3 homicídios para cada grupo de 100 mil mulheres, mais que o triplo da média nacional, de 4,8 por 100 mil. Santa Catarina, Piauí e São Paulo estão entre os mais baixos.

O enfrentamento à violência familiar é feito pelo CNJ desde 2007. Por iniciativa do órgão, juizados ou varas especializadas no combate à violência doméstica contra a mulher foram criados com a edição da Recomendação CNJ 9/2007. Em 2011, foi editada a Resolução CNJ 128, para a criação de coordenadorias da mulher voltadas para a articulação interna e externa do Poder Judiciário no combate e prevenção à violência contra a mulher, no âmbito dos tribunais estaduais.

Há 10 anos, anualmente, magistrados de todo o país se reúnem em jornadas a fim de aprimorarem a aplicação da Lei Maria da Penha — criada para combater a violência doméstica e familiar contra a mulher.

Conjur com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ.

Líder do Estado Islâmico admite derrota do grupo em Mosul

Líder do Daesh consegue fugir de Mossul

Segundo a ONU, 392 civis foram mortos apenas em fevereiro

O líder máximo do Estado Islâmico (EI, ex-Ísis), Abu Bakr al-Bagdadi, admitiu a derrota do grupo jihadista na cidade de Mosul, no norte do Iraque, e se despediu do seus seguidores em um comunicado, informou as autoridades locais.

Segundo o chefe do Conselho de Segurança da província iraquiana de Ninawa, Mohammed Ibrahim al-Bayati, a publicação foi distribuída entre os colaboradores próximos a al-Bagdadi e entre os ímãs das mesquistas localizadas no oeste de Mosul. No discurso escrito, o líder jihadista admitiu a derrota do EI na área e nos demais “estados de seu califado”.

Além disso, ele teria instruído os membros do grupo a fugir para regiões montanhosas no Iraque e Síria. No entanto, al-Bagdadi também ordenou que os terroristas ataquem caso estejam cercados pelas forças iraquianas. Nesta quarta-feira (1), os militares do Exército do Iraque apoiadas pelos Estados Unidos recuperaram o controle da última grande rodovia do leste de Mosul que estava sob o comando dos jihadistas.

Em janeiro, as forças iraquianas conquistaram a metade leste de Mosul, que é a terceira cidade mais populosa do país e maior área sob controle do Estado Islâmico. Segundo um balanço divulgado nesta quinta-feira (2) pela Organização das Nações Unidas (ONU), ao menos 392 civis já foram mortos e 613 feridos, apenas em fevereiro, no Iraque, em conflitos contra os jihadistas.

Catuaba Selvagem tenta ingressar no mercado dos Estados Unidos; conheça a bebida

Empresa pediu em 2016 autorização para vender no país e deve começar por Miami, disse diretor executivo da marca ao jornal ‘O Globo’

A Catuaba Selvagem, bebida que nos últimos dois anos dobrou suas vendas no Brasil, está se preparando para entrar no mercado americano. Em entrevista ao jornal O Globo publicada nesta quinta-feira, o diretor executivo da Arbor Brasil, que fabrica o produto, Marco Tulio Hoffmann, disse que em 2016 a empresa pediu autorização para vender a Catuaba nos Estados Unidos.

A ideia é de ingressar no mercado americano através da cidade de Miami, Flórida. “Assim que tivermos aprovação, faremos pesquisa de mercado, para definir foco em embalagem, distribuição de produtos e mercado consumidor”, contou Hoffmann.

Com 14% de teor alcoólico e preço menor do que de outras bebidas similares (custando de 10 reais a 12 reais, a embalagem de 1 litro), a bebida se tem apostado na estratégia de aproximação com o público jovem e de se associar a descontração, sensualidade e festa. No Facebook, a página da marca conta com 255.837 curtidas e publicações bem humoradas.

Para este ano, a previsão da Arbor é de venda de 38 milhões de litros.

Tudo que você precisa saber sobre a Catuaba

A nova – mas antiga – carinha das noitadas e símbolo do carnaval 2016 é tipicamente brasileira e seus efeitos afrodisíacos, segundo uma pesquisa realizada pela Unicamp, seriam reais. Se você acha que a Catuaba virou modinha agora e não merece respeito, talvez seja a hora de mudar os seus conceitos porque essa bebida já estampa bares e copos há bastante tempo.

A HISTÓRIA

A Catuaba é uma bebida brasileira preparada com os ramos, a casca da raiz e folhas de diversas plantas que popularmente levam o nome de catuaba. Porém, quem achou que ela era feita de uva ou era alguma variação do vinho, também está certo. A bebida comercial mais conhecida, a “Poderosa Selvagem” que se toma por aí tem uma mistura de 16,5% de álcool com vinho tinto doce, extratos de catuaba, guaraná e marapuama. Em meados de 2008, inclusive, a produtora da bebida foi vítima de uma ação em Minas Gerais que a obrigou a dissociar a ideia da melhoria na performance sexual com a bebida. Mesmo assim, por efeito psicológico ou pelos traços de catuaba na Poderosa Selvagem, há quem garanta que a libido aumenta logo no primeiro copo.

AS CARACTERÍSTICAS

Os índios Tupi têm usado a catuaba como afrodisíaco há muito tempo. Como ninguém conseguiu relacionar qualquer efeito nocivo ao uso da erva, seus efeitos colaterais são mínimos. Indústrias farmacêuticas nos EUA e na Europa, inclusive, consideram a catuaba como um excelente antibacteriano e antiviral! Já a marapuama, outro ingrediente presente nas bebidas comerciais, foi testada no Instituto de Sexologia de Paris no início dos anos 1980. O estudo funcionou da seguinte forma: a planta foi administrada para servir dois mil pacientes por dez dias e, ao final do período, foi comprovada uma melhora significativa da libido em 60% dos pacientes.

A PESQUISA COM COELHOS

Todos os sites e matérias que falam sobre a pesquisa da UNICAMP não incluem dados e nem fontes para a consulta. A pesquisa é sempre citada como o principal embasamento para quem acredita no teor afrodisíaco da Catuaba, mas a tese, divulgada na biblioteca digital da Unicamp, reúne quatro plantas medicinais que, em conjunto, levam o nome de Catuama: Tríchílía catígua (catuaba), Paullínía cupana (guaraná), Ptychopetalum olacoides (muirapuama) e Zinziber offícinalis (gengibre). Para acessar a publicação, realizada em 1998, é preciso criar uma conta na biblioteca. Porém, em resumo, a tese afirma que: “Investigações futuras serão necessárias para o esclarecimento completo do mecanismo de relaxamento induzido pela Catuama e componentes, em coelhos e humanos”. Entretanto, o professor da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) João Calixto, que estuda uma variedade da erva vinda da Bahia, explica que ela tem propriedades vasodilatadoras e isso facilita a ereção, mas, mesmo assim, ela não é capaz de atiçar os ânimos sexuais: “Não foram observados poderes estimulantes, mas propriedades antidepressivas e analgésicas”. Calixto coordena testes para fabricar remédios contra a depressão a partir do vegetal.

DRINKS COM CATUABA

Quer variar a forma de consumo e experimentar receitas impressionantes – já que ninguém acreditaria que algum drink ficaria bom com Catuaba? Selecionamos algumas opções extremamente baratas e práticas para você surpreender seu paladar e seus amigos:

Orgasmo

A típica bebida não leva Catuaba, mas, como o nome é bem sugestivo, vários bares já estão adaptando o drink e incluindo a selvagem na composição. Misture 20ml de vodka, 1 colher de sopa de amendoim torrado, 20ml de leite condensado e 10ml de catuaba. Coloque gelo a gosto e pronto! A receita foi divulgada pelo Buzzfeed!

Catu Tônica

A versão abrasileirada da Gim Tônica mistura três partes de catuaba para cada parte de água tônica. Se você quiser variar, pode incluir frutas cítricas como laranja ou tangerina.

Caipirinha Selvagem

Divulgada pela página Mais Receitas, a caipirinha com catuaba é bem fácil de fazer, basta, em um copo de vidro grande, picar 2 limões em rodelas bem finas, amassando-os com o açúcar, e acrescentar o gelo e a catuaba!

Avalanche na Itália deixa 3 mortos e 3 feridos

Avalanche na Itália deixa 3 mortos e 3 feridos

Deslizamento ocorreu no Vale d’Aosta, aos pés do Mont Blanc

Uma avalanche atingiu nesta quinta-feira (2) uma montanha no Vale Veny, na cidade de Courmayeur, na região do Vale d’Aosta, norte da Itália, e deixou três mortos e três feridos.

O deslizamento atingiu um grupo de esquiadores e alpinistas entre 20 e 40 anos, arrastando-os pelo vale por cerca de 100 metros. Entre os mortos estão um italiano, um belga e um alemão. Um dos feridos está em estado grave.

A avalanche ocorreu por volta das 13h locais, a uma altitude de 2,4 mil metros, aos pés do Mont Blanc (Monte Bianco, em italiano), a montanha mais alta dos Alpes.

“Quando chegamos ao local, parecia um campo de batalha. Pessoas que gritavam, todas em línguas diferentes”, contou Daniele Ollier, vice-brigadeiro da Guarda de Finanças de Entrèves, distrito de Courmayeur.

Site cria quiz para garantir que internauta leu texto antes de comentá-lo

China tem mais de 700 milhões de internautas

Site de tecnologia da TV pública da Noruega tenta experiência há um mês, e afirma que ela melhora o nível do debate

NRKbeta, site de tecnologia da TV pública da Noruega, adotou uma medida para tentar garantir o nível dos comentários em suas reportagens: antes de comentar, o leitor precisa responder um quiz sobre a notícia.

A medida foi adotada há cerca de um mês, e os responsáveis consideram que ela está dando resultados.

Site cria quiz para garantir que usuário leu texto antes de comentá-lo (Foto: Reprodução)

Site cria quiz para garantir que usuário leu texto antes de comentá-lo (Foto: Reprodução)

A jornalista Ståle Grut, citada pelo Nieman Lab, argumentou que, “se todo mundo está de acordo sobre o que o artigo diz, então eles têm uma base muito melhor para comentar sobre ele”.

O editor Marius Arnesen acrescentou que a medida traz outra vantagem: durante os cerca de 15 segundos usados para responder ao quiz, os leitores têm tempo para refletir sobre o tom dos comentários, o que, segundo ele, evita textos destemperados.

O lema da NRKBeta é: “a única maneira de controlar o seu conteúdo é ser o melhor provedor dele”.