Odebrecht vai devolver aos cofres da República Dominicana US$ 184 milhões

Odebrecht vai devolver aos cofres da República Dominicana US$ 184 milhões

A Odebrecht ainda tem pela frente o desafio de chegar a resultados similares no Panamá, no Peru, na Colômbia, onde já tem pré-acordos com as promotorias locais.

Acaba de ser homologado pela Justiça da República Dominicana o acordo que a Odebrecht fechou com os promotores do país.

A empreiteira vai pagar uma indenização de US$ 184 milhões ao país pelos crimes de corrupção que admitiu ter praticado por lá.

Na segunda-feira, a Justiça de Nova York homologou o acordo que a Odebrecht firmou com o Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) e com os MPFs do Brasil e da Suíça.

A Odebrecht ainda tem pela frente o desafio de chegar a resultados similares no Panamá, no Peru, na Colômbia, onde já tem pré-acordos com as promotorias locais.

As informações são do Blog Lauro Jardim – Oglobo.com

Homem é preso por dar veneno a duas pessoas dizendo ser cachaça no Ceará

Homem é preso por dar veneno a duas pessoas dizendo ser cachaça no Ceará

Uma das pessoas morreu e a outra segue internada no hospital.

Um homem foi preso na última segunda-feira (17) suspeito de envenenar duas pessoas em um bar, no município de Barbalha, Região do Cariri do Ceará. De acordo com a polícia, uma das vítimas veio a óbito e a outra segue internada em um hospital.

O rapaz de 38 anos, conhecido como “João Batista”, que responde por receptação, foi preso e autuado em flagrante por homicídio e tentativa de homicídio qualificado por emprego de veneno. De acordo com o delegado Juliano Marcula, titular da Delegacia Municipal de Barbalha, as apurações indicam que o homem fez uma “brincadeira de mau gosto”, ao enganar os homens dando veneno no lugar de cachaça. Ele deu segundo a polícia uma substância utilizada no controle de larvas em plantações, tipo agrotóxico. O fato ocorreu no bar do irmão de uma das vítimas, no último domingo (16).

Vítimas para o hospital

A polícia afirmou que ambas as vítimas foram socorridas para uma unidade de saúde local. Mas um deles, identificado por João Batista Martins da Silva de 56 anos, o “Batista”, não resistiu e veio a óbito. A outra vítima, de 41 anos, foi transferida para o Hospital Regional de Juazeiro do Norte, onde permanece internada.

O suspeito também foi conduzido para o hospital, após alegar ter tomado o tóxico. Mas, de acordo com o delegado Juliano Marcula, titular da Delegacia Municipal de Barbalha, a intenção dele era de despistar os policiais, que logo foram acionados para a ocorrência. Ainda segundo o delegado, o suspeito ficou internado sob escolta policial até o meio dia dessa segunda (18) e, após ser constatado que ele não ingeriu o veneno, o mesmo recebeu alta e foi encaminhado para a delegacia local, onde foi ouvido e autuado em flagrante.,

Os agentes de segurança chegaram à autoria do crime após a Polícia Militar ser acionada para o caso. Durante os levantamentos realizados no imóvel, testemunhas denunciaram o preso como responsável pelo delito e depois o reconheceram.

O preso também era cliente do estabelecimento e encontrou o tóxico em um cômodo usado para guardar ferramentas e outros utensílios, ainda no local. O restante da substância foi apreendido pela polícia. As investigações sobre o caso continuam.

Fonte: g1/ce

Pessoas criativas enxergam de outra forma – literalmente

Pessoas criativas enxergam de outra forma – literalmente

Mais aberto a novas experiências, o cérebro das pessoas criativas se comportou de modo diferente em testes de visão.

Quem é criativo vê o mundo de um jeito diferente – e isso não é só força de expressão.

Além de um raciocínio mais ligeiro para responder a situações cotidianas, quem “pensa fora da caixa” pode ter também experiências visuais únicas – próximas às de pessoas que meditaram ou fizeram uso de substâncias alucinógenas, por exemplo.

É o que afirma uma pesquisa feita na Universidade de Melbourne, na Austrália, e publicada no Journal of Personality Research.

Participaram do estudo 123 estudantes universitários.

Os cientistas elaboraram um questionário para testar sua personalidade a partir de cinco critérios: extroversão, amabilidade, consciência, neurose, e abertura para experiências – este último, associado no estudo como responsável pela criatividade, curiosidade e interesse em explorar novas coisas.

Depois, os voluntários foram submetidos a um teste ótico simples, com duração de dois minutos.

Simultaneamente, eles enxergavam com um dos olhos uma imagem vermelha, e com o outro, uma verde.

A partir disso, foram registrados dois diferentes tipos de reação.

Na maioria dos casos, as pessoas relataram ver uma cor de cada vez: interpretadas pelo cérebro, verde e vermelho se alternavam na visão.

Esse não foi o caso das pessoas mais criativas.

Para elas, as duas imagens se uniam, transformando-se em uma só – o que os cientistas chamaram de “percepção mista”.

Quem conseguiu observar o fenômeno registrou também melhor desempenho no quesito “abertura para experiências”.

Conforme mais elevado, mais intensa era a percepção das cores como sendo uma só.

Essa habilidade, porém, não foi notada nas pessoas menos abertas a novas experiências – e portanto menos criativas – ainda que tenham alcançado níveis altos em qualquer outra das quatro características.

“Acreditamos que esta é a primeira evidência empírica de que as pessoas criativas têm experiências visuais diferentes das demais”, disse uma das autoras da pesquisa, Anna Antinori, à New Scientist.

Segundo a pesquisadora, níveis altos para o critério “abertura a novas experiências” são observados também em pessoas estimuladas por experiências sensoriais, como certas formas de meditação ou o consumo de cogumelos alucinógenos.

A psilocibina, componente encontrado nos cogumelos, é capaz de moldar a forma como as pessoas sentem o mundo.

Ela permitiu, por exemplo, que participantes experimentassem a mesma “percepção mista” no teste de visão, conseguida naturalmente pelos criativos.

Mas não se assuste se nunca tiver notado as cores se embaralhando por aí – pode ser apenas o caso do seu super-poder não ter sido descoberto ainda.

Este conteúdo foi publicado originalmente no site da Superinteressante.

Anvisa atualiza regra para ácido fólico em farinhas

Anvisa atualiza regra para ácido fólico em farinhas

Farinhas de trigo e de milho deverão ser enriquecidas com 4 a 9 mg de ferro e com 140 a 220 µg de ácido fólico também para cada 100 g de produto.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) atualizou as regras para adição de ferro e ácido fólico em farinhas de trigo e milho. A resolução, publicada no Diário Oficial da União na segunda-feira, obriga os fabricantes a enriquecer as farinhas de trigo e de milho com 4 a 9 miligramas de ferro para cada 100 gramas de produto e com 140 a 220 microgramas de ácido fólico também para cada 100 gramas de farinha.

A regra anterior previa apenas a quantidade mínima: cada 100 gramas de farinha de trigo e de farinha de milho deveria fornecer, no mínimo, 4,2 miligramas de ferro e 150 microgramas de ácido fólico.

Também foram alteradas as listas de compostos de ferro. Agora são permitidos apenas o sulfato ferroso e fumarato ferroso e de suas formas encapsuladas. Antes, as empresas podiam utilizar os seguintes compostos de ferro de grau alimentício: sulfato ferroso desidratado (seco); fumarato ferroso; ferro reduzido – 325 mesh Tyler; ferro eletrolítico – 325 mesh Tyler; EDTA de ferro e sódio (NaFeEDTA); e ferro bisglicina quelato. Os fabricantes têm 24 meses para se adequarem às exigências.

A medida baseia-se nas diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), que prevê quantidades mínimas de ferro e ácido fólico para cada uma das farinhas. O ácido fólico auxilia no combate à anemia e má formação de bebês durante a gestação.

Alteração no rótulo

O rótulo dos produtos enriquecidos deverão trazer a seguinte frase que esclarece a medida: “O enriquecimento de farinhas com ferro e ácido fólico é uma estratégia para combate da má formação de bebês durante a gestação e da anemia”, bem como uma informação sobre a faixa de enriquecimento.

Exceções

Farinhas de milho fabricadas por agricultores familiares, empreendedores familiares rurais, empreendimentos econômicos solidários e microempreendedores individuais estão excluídas da obrigatoriedade de enriquecimento.

Por questões tecnológicas, também foram excluídas da fortificação as farinhas de biju, de milho flocada de trigo integral e de trigo durum, bem como os flocos de milho pré-cozidos. A resolução também não se aplica às farinhas de trigo e de milho contidas em produtos alimentícios importados.

Ferro e ácido fólico

O ácido fólico, também chamado de vitamina B9, pode ser encontrado em alimentos como brócolis, couve, tomate, feijão, lentilha e cogumelo, em bebidas como a cerveja e em suplementos vitamínicos. Uma concha de feijão preto, por exemplo, tem 119 microgramas da vitamina. O ácido fólico atua no processo de multiplicação celular e na formação da hemoglobina. Na gestação, boas quantidades do nutriente preveninem anencefalia (defeito congênito na formação do cérebro e da medula) e espinha bífida (formação anômala dos ossos da coluna vertebral) – dois defeitos de fechamento do tubo neural.

O ferro auxilia na redução da prevalência de anemia por deficiência de ferro. Algumas pesquisas também já associaram níveis insuficientes de ferro na gravidez a um maior risco de parto prematuro.

Fonte: veja.com

Mulher finge impeachment de Trump para que ex-marido idoso “morresse em paz”.

Mulher finge impeachment de Trump para que ex-marido idoso "morresse em paz".

Caso aconteceu no estado de Oregon, nos EUA; Michael Garland Elliott tinha 75 anos, sofria com problemas cardíacos e desaprovava o presidente do país.

Uma mulher fingiu o impeachment do presidente norte-americano, Donald Trump, para que seu ex-marido pudesse “morrer em paz”. O caso aconteceu no estado de Oregon, nos Estados Unidos. Michael Garland Elliott tinha 75 anos e sofria com diversos problemas cardíacos.

Graças à mentira sobre Trump contada por sua ex-esposa, Teresa Elliott, ele pode morrer “tranquilo” no leito de sua casa, no último dia 6 de abril. A mulher explicou que, apesar do divórcio, que aconteceu há cerca de 20 anos, ela continuou muito ligada a seu ex-companheiro e o visitava frequentemente, eram como “melhores amigos”.

Assim, quando o estado de saúde de Michael se agravou, ela decidiu “tranquilizá-lo”, dizendo que o processo de impeachment contra o presidente dos Estados Unidos teria sido aberto. Segundo informações do obituário, a última coisa que a mulher teria dito a ele foi “Trump sofreu impeachment”.

“Eu sabia que eram seus últimos momentos de vida, e que esta notícia lhe daria conforto”, explicou Teresa à imprensa local. Ela contou ainda que o ex-marido era um “viciado em notícias”, e que sempre tinha deixado muito claro sua desaprovação ao atual presidente dos Estados Unidos.

O obituário de Michael declara que ele era um membro fundador da Reserva e que “passou inúmeros fins de semana fazendo o que mais amava com amigos afins”. “Golf foi sua vida”, disse ela, acrescentando que um acidente vascular cerebral o impediu de continuar a jogar.

Perguntada se ela se arrependeu de ter dito a Michael uma notícia falsa, Teresa Elliott respondeu: “Oh, Deus, não. Se eu pudesse deixá-lo com uma notícia feliz, por que não? E talvez no final isso não venha a ser uma mentira”, declarou.

Possível impeachment

De acordo com o jornal britânico “The Independent”, os críticos do presidente norte-americano disseram que já existem vários fundamentos para o seu impeachment , particularmente na sequência da investigação em curso sobre suposta conluio de sua equipe com a Rússia antes da eleição de 2016.

De acordo com a pesquisa Public Policy Polling, 53% dos americanos acham que Donald Trump deve renunciar se houver provas suficientes de que a sua campanha teve ligação com os russos.

Fonte: ig.com

Lula negociou com Chávez para proteger Odebrecht, diz delator

Lula negociou com Chávez para proteger Odebrecht, diz delator

Emílio Odebrecht disse que pediu ao ex-presidente que saísse em defesa do grupo, que estava ameaçado pela Andrade Gutierrez.

O empresário Emílio Odebrecht, patriarca da Odebrecht, confessou em delação premiada que pediu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele interviesse com o ex-presidente da Venezuela Hugo Chávez, que morreu em 2013, em defesa do grupo, que estava ameaçado pela Andrade Gutierrez, em obra da Usina Hidrelétrica de Tocoma.

O termo 24 de Odebrecht trata sobre anotação que havia sido apreendida com o presidente afastado do grupo, Marcelo Odebrecht – preso desde 19 de junho de 2015. A anotação registrava: “Lula vs Ven e comentário AG”.

“Essa nota refere-se ao pedido que Marcelo me fez de falar com o ex-presidente Lula sobre a interferência que algumas pessoas ligadas ao governo do Brasil estavam fazendo junto ao governo da Venezuela em favor da Andrade Gutierrez”, registra o anexo 24, da delação do empresário.

“Acredito que as empresas devem conquistar contratos e espaço em outros países em função das suas competências técnicas e negociais”, afirma.

“Porém, acredito, da mesma forma, que o governo de origem não deve privilegiar uma determinada empresa em detrimento de outra (s). Era o que, aparentemente, estava acontecendo no caso.”

No anexo entregue à Procuradoria-Geral da República (PGR), que antecede o testemunho filmado, em que ele enumera temas que pode revelar, Emílio Odebrecht disse que não se recordava se tratou do assunto com o ex-presidente, “mas muito provavelmente” o fez.

Ao ser interrogado pelos procuradores, o empresário confirma que falou com Lula sobre o assunto. “Cheguei a ter a oportunidade, a pedido de Marcelo, de conversar com ele próprio Lula, de que isso não podia estar acontecendo.”

“No fundo, foi uma reclamação de que o governo dele estava, em detrimento de outras, estava privilegiando uma em um negócio, em uma licitação. Houve na área da siderúrgica e na de uma hidrelétrica.”

O procurador da República quis saber se ele foi mesmo falar com o ex-presidente e qual foi a resposta. “Falei.” Emílio Odebrecht afirmou que Lula “ouviu”.

“E disse ‘Você tem toda razão e vou verificar o que está acontecendo’. Ele procurou minimizar, achando que não era.”

Emílio Odebrecht afirmou que teria dito a Lula que não levava a ele “coisas que eu não tenho confirmado”. De acordo com o empresário, era “o Itamaraty” que apoiaria a Andrade Gutierrez.

“Não só o Itamaraty, como pessoas de dentro do Planalto.” O delator afirmou não ter descoberto quem no governo. Emílio Odebrecht disse que a Odebrecht venceu uma das obras.

Fonte: exame.com

Acusado de assédio sexual, apresentador da Fox News é demitido

Acusado de assédio sexual, apresentador da Fox News é demitido

Bill O’Reilly é acusado de ter assediado Wendy Walsh, que participava de seu programa com frequência como convidada especial.

Acusado de assédio sexual, o apresentador americano Bill O’Reilly foi demitido da Fox News. Em comunicado, a matriz Twenty-First Century Fox informou que, depois de uma análise cuidadosa das alegações, as partes chegaram a um acordo, e o jornalista não mais fará parte da grade de programação do canal.

No início de abril, Wendy Walsh, que participava do programa The O’Reilly Factor como convidada regular, procurou a emissora para reportar um caso de assédio sexual por parte do apresentador. Segundo Wendy, O’Reilly impediu que ela conseguisse um trabalho na emissora depois de ela negar seu convite para encontrá-lo em seu quarto de hotel após um jantar, em 2013. Após a denúncia, o apresentador foi afastado do programa.

Em carta aos funcionários, o diretor executivo da 21st Century Fox, Rupert Murdoch, e seus filhos, Lachlan e James, escreveram: “Nós temos plena confiança de que a Fox News continuará como uma forte emissora de televisão a cabo. Queremos reforçar nosso comprometimento em construir um ambiente de trabalho baseado na confiança e respeito”.

Depois das acusações se tornarem públicas, o jornal The New York Times informou que Fox e O’Reilly pagaram 13 milhões de dólares em acordos com cinco mulheres que acusaram o apresentador de assédio sexual.

Fonte: veja.com

Crime ambiental poderá impedir empresa de receber financiamento oficial

Crime ambiental poderá impedir empresa de receber financiamento oficial

O projeto também inclui prazo de três anos para proibição de receber financiamento ou de contratar com o poder público, quando houver reparação integral do dano ambiental.

Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 5186/16, do deputado Chico D’Angelo (PT-RJ), que proíbe empresas que cometeram crimes ambientais de receberem financiamento oficiais de crédito, como os do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Atualmente, a Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) já pune a empresa com suspensão de atividades, interdição temporária do estabelecimento e proibição de contratar com o poder público ou receber dele subsídios, subvenções ou doações. “Faltou, a nosso ver, a proibição de receber financiamentos de estabelecimentos oficiais de crédito”, afirmou D’Angelo.

O projeto também inclui prazo de três anos para proibição de receber financiamento ou de contratar com o poder público, quando houver reparação integral do dano ambiental. A lei estabelece proibição de dez anos em caso de reparação parcial.

Cadastro
A proposta também institui o Cadastro de Crimes contra o Meio Ambiente, a ser administrado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). As empresas que cometeram crime ambiental só poderão sair do cadastro se repararem o dano cometido.

Segundo D’Angelo, o cadastro ajudará no cumprimento da lei com informações sobre os crimes ambientais e seus agentes facilmente disponíveis ao administrador público.

Certidão Negativa
O Ibama poderá emitir uma Certidão Negativa por Crimes Ambientais, com validade de 30 dias, enquanto comprova se a empresa fez a reparação. A certidão, incluída na Política Nacional do Meio Ambiente (Lei 6.938/81), será pré-requisito para as empresas conseguirem financiamento governamental.

O texto também inclui a regularidade ambiental como exigência para a empresa participar de licitação. A regularidade será comprovada pela Certidão Negativa por Crimes Ambientais. A Lei de Licitações (Lei 8.666/93) estabelece cinco exigências para participar de licitação como regularidade fiscal e trabalhista e habilitação jurídica, técnica e econômico-financeira.

“Consideramos importante que a proibição de contratar com o poder público dos condenados por crime ambiental seja explicitada na Lei de Licitações”, disse D’Angelo.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Finanças e Tributação (inclusive quanto ao mérito); e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da Proposta:

Fonte: Agência Câmara Notícias

Jovem morre durante protestos contra e a favor do governo venezuelano

Jovem morre durante protestos contra e a favor do governo venezuelano

Jovem de 17 anos perdeu a vida após ser atingido por disparo na cabeça, segundo uma autoridade médica.

Opositores e governistas da Venezuela se mobilizavam nesta quarta-feira (19/4) nas ruas de Caracas, capital do país. Os protestos devem ser um dos maiores em meio à crescente tensão política e a pedidos internacionais para que o governo de Nicolás Maduro respeite as instituições democráticas. Centenas de guardas lançaram gás lacrimogêneo para dispersar milhares de opositores que marchavam por uma das principais avenidas da cidade. Um jovem de 17 anos morreu após ser atingido por um disparo na cabeça próximo dos protestos, segundo uma autoridade médica.

Centenas de guardas bloqueavam com equipes antimotim e pequenos tanques uma das vias pelas quais os oposicionistas tentavam chegar ao centro de Caracas. O diretor do Hospital das Clínicas de Caracas, Miguel Salomón, afirmou que um jovem de 17 anos morreu após ser atingido por uma bala na cabeça. O jovem foi identificado como Carlos José Moreno, que não resistiu a uma cirurgia para a retirada do projétil. Não está ainda claro de onde teria partido o disparo.

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, afirmou que o país deve servir como advertência para toda a América Latina. “A Venezuela, que deveria ser um dos países mais prósperos do hemisfério, nos mostra os custos de uma democracia falida.

Nos mostra o custo da exclusão, da polarização de um governo fictício”, afirmou Almagro durante o Fórum Estratégico Mundial, que se realiza em Coral Gables, perto de Miami.

Já o ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, disse que os governos estrangeiros não deveriam se envolver em assuntos internos da Venezuela. “Os atores internacionais deveriam ter em conta, e muito prioritariamente, que a Venezuela é um Estado soberano, que tem um governo democraticamente eleito e legítimo”, afirmou Rodríguez em Lisboa, durante visita oficial.

Fonte: metrópoles.com

Série da Netflix pode ter influenciado casal suicida de São Paulo

Série da Netflix pode ter influenciado casal suicida de São Paulo

Segundo a família do rapaz, o relacionamento dos jovens sempre foi muito conturbado, com muitas brigas.

A estudante Kaena Novaes Maciel, 18, encontrada morta no domingo de Páscoa (16) com o namorado Luís Fernando Hauy Kafrune, 19, em um quarto do hotel Maksoud Plaza, nos Jardins (zona oeste), assistiu à série “13 Reasons Why” (“Os 13 Porquês”), da Netflix, uma semana antes do crime, segundo a Polícia Civil. A série, de ficção, tem como tema o suicídio.

Segundo o delegado Gilmar Contrera, titular do 5º DP (Aclimação), é muito cedo para apontar isso como o principal motivo para a morte do casal, mas não se pode descartar que a ficção possa ter influenciado no crime. “A única coisa que é certa, inclusive para ambos os lados da família, é que foi um homicídio seguido de suicídio, sem a presença de terceiros”, afirma Contrera.

Segundo o inquérito policial, os jovens foram à casa de Kaena no sábado (15), por volta das 9h. O padrasto dela, um policial civil aposentado, foi comprar pão e deixou uma pistola Glock em casa. Quando voltou da padaria, os dois haviam sumido e ele não localizou a arma. O policial tentou ligar para a enteada durante todo o sábado, mas ela não atendeu.,

O casal namorava desde 2015, mas tinha rompido uma semana antes das mortes. Desde quinta-feira (13), voltaram a se relacionar. Estranhando o sumiço, o padrasto e a mãe da jovem foram à casa do pai de Kafrune na manhã de domingo. Lá, descobriram que o garoto também havia sumido, após dizer que sairia com um amigo.

Carta

O policial, então, rastreou o telefone da enteada, que apontava para o hotel Maksoud Plaza, na alameda Campinas. O telefone do quarto só tocava. Assim, os parentes decidiram ir até lá.

Segundo a polícia, os jovens colocaram uma mesa contra a porta. Ao arrombarem a porta, funcionários e parentes viram os dois jovens baleados, deitados na cama. Ela, com um tiro na testa; ele, com um tiro na boca.

A arma, mais próxima do rapaz. Ao lado deles, duas cartas, uma com a letra dele, outra, com a dela, ambas datadas de 16 de abril, às 10h. Na carta da jovem, a frase: “Sei que estou fazendo todos sofrerem, mas isso é necessário para que eu pare de sofrer. Obrigada por tudo que vocês fizeram por mim”. Havia, ainda, duas folhas que apontavam “passos” de como “aproveitar a morte”. Procurada, a Netflix não se manifestou.

Família

Luís Fernando estava no terceiro ano do curso de ciências biomédicas na USP (Universidade de São Paulo). Ele era fluente em quatro idiomas e havia sido considerado apto a estudar em uma faculdade dos Estados Unidos, onde ele e a família pretendiam morar. Kaena foi sua primeira namorada.

Os pais de Kafrune foram ao 5º DP, na Aclimação (região central), na tarde desta terça (18) prestar depoimento. Eles não quiseram falar com a reportagem por estarem abalados com a tragédia. De acordo com o depoimento deles, o rapaz teria sido induzido pela garota a cometer homicídio e se suicidar.

“O pai diz que a menina era muito possessiva. Que exigia a presença dele perto dela a todos os momentos. Havia dias em que ele voltava para casa, ela ligava falando que estava doente e ele voltava. Quando chegava, ela sarava”, afirmou o delegado Gilmar Contrera.

Segundo a família do rapaz, o relacionamento dos jovens sempre foi muito conturbado, com muitas brigas. O jovem teria, inclusive, levado a namorada ao hospital algumas vezes para avaliar se ela tinha algum distúrbio. Para a família, um fator importante é o de que foi a garota quem roubou a arma do padrasto, a entregando ao jovem dentro do quarto.

A reportagem não localizou a família de Kaena para se manifestar sobre o caso.

Fonte: Folha de S. Paulo