Como fazer um Memorial com contas de falecidos no Facebook

Afastadas medidas contra vice do Facebook por negativa de quebra de sigilo do WhatsApp

Você já se perguntou o que acontece com a conta do Facebook de alguém que já morreu?

Se sim, deve imaginar que provavelmente ela ficará no ar sem nenhuma atualização para sempre, não é mesmo? Mas você sabia que pode deixar a sua conta como um legado antes de morrer para alguém de sua confiança? Sabia também que você pode ter acesso à conta de um amigo falecido se ela ainda estiver ativa? Parece meio sombrio, mas é bom saber essas coisas.

Contatos herdeiros

Os contatos herdeiros são escolhidos pelo titular da conta antes de sua morte. Podem ser membros da família ou amigos queridos. Eles serão capazes de gerenciar a conta da pessoa falecida como um Memorial, podendo deixar um post fixado na linha do tempo. Os contatos herdeiros poderão também responder à solicitação de novos amigos, atualizar a foto de capa e de perfil, além de, com a permissão do usuário falecido, fazer um download de um arquivo das fotos do usuário, das mensagens da timeline e das informações do perfil. Porém, não poderão fazer login na conta desse usuário, nem ver  suas informações privadas, como as mensagens particulares. Eles também não poderão remover postagens anteriores, nem fotos ou amigos.

Para escolher um contato legado seu, abra a sua conta do Facebook e acesse Configurações> Geral> Gerenciar Conta> Contato herdeiro. Em seguida, clique em Editar, digite o nome do seu amigo e clique em Adicionar. Ao adicionar um contato herdeiro, você terá a opção de enviar uma mensagem para o contato imediatamente clicando em “Enviar”, ou se preferir você pode clicar sobre o botão “Não agora”. Nesse caso, você precisará informá-los eventualmente sobre a sua escolha, pois eles terão que entrar em contato com o Facebook para fazer da sua conta um Memorial quando você morrer.

Depois de fazer as suas escolhas, você terá a opção de permitir ou não que os seus contatos herdeiros possam baixar um arquivo de dados com tudo o que você compartilhou no Facebook, incluindo fotos, vídeos e informações da seção sobre o seu perfil. Porém suas mensagens privadas não estarão incluídas. Para permitir, marque a caixa logo abaixo da escolha do contato herdeiro. Depois clique em “Fechar”.

Caso não escolha nenhum contato herdeiro antes de morrer, ninguém será capaz de gerenciar sua conta do Facebook no futuro, porém ainda assim seus amigos podem transformá-la em um Memorial.

Como fazer da conta de alguém um Memorial

Se um amigo seu morreu sem escolher os seus contatos herdeiros, você ainda pode solicitar ao Facebook que a conta dele se torne um memorial através de um formulário “Solicitação de Memorial”. Você precisará então fornecer o nome da pessoa falecida, a data aproximada da morte e uma prova que indique o falecimento, como um link de obituário por exemplo. A conta Memorial não mais aparecerá nos anúncios do Facebook como “Pessoas que talvez você conheça” e nem serão enviados lembretes de aniversário dela. As contas de Memorial não podem ser logadas, por isso, ao fazer da conta de alguém um Memorial, ela também não poderá ser hackeada. Caso você seja um membro direto da família de alguém que faleceu, pode solicitar ao Facebook para que a conta seja excluída, ao invés de virar um Memorial. Para fazer isso, use o formulário de “Solicitação especial para conta da pessoa falecida”. Você precisará então fornecer o nome completo do falecido, o endereço de email, a data da morte e a URL da sua timeline, além de uma prova de que é um membro imediato da família. Uma certidão de nascimento ou óbito podem comprovar isso.

Via Tecmundo

Novo vírus ataca computadores da Apple e invade dados da Web

Praga ‘Dok’ intercepta tráfego da internet, possibilitando, por exemplo, o roubo de senhas

As empresas Check Point e Malwarebytes especializadas em segurança digital divulgaram análises sobre o “Dok”, o novo vírus que ataca sistemas do macOS, ou seja, de computadores da Apple. A praga está sendo espalhada via e-mail.

De acordo com o G1, o nome ‘Dok’ é derivado de ‘Dokument’, o arquivo que é enviado por email. O estudo aponta que o principal alvo do malware são internautas localizados na Europa.

O arquivo é, na verdade, um programa de macOS. Após ser aberto, uma janela de erro falsa aparece na tela, informando que não é possível executar o ‘Dokument’.

Como o vírus tem duas versões, duas consequencias podem ocorrer. Em uma delas, o computador trava totalmente e obriga usuários a instalarem uma atualização de segurança falsa. Se a senha do administrador for fornecida nesta janela, o vírus consegue modificar determinadas configurações do sistema. Deste modo, permite que o tráfego web seja interceptado, o que pode acarretar no roubo de senhas.

Na segunda versão da praga, a janela não aparece. Em vez disso, um vírus chamado ‘Bella’ – projetado para roubar dados como senhas e mensagens do iMessage – é executado.

Embora exista a concepção de que a Apple é a prova de vírus, a realidade é que os sistemas não estão imunes a pragas digitais. Ainda de acordo com a reportagem, isto significa que mesmo usuários que usam o Gatekeeper podem correr riscos com o ‘Dok’.

Fonte: noticiasaominuto

Tipo sanguíneo está relacionado a risco de infarto, indica estudo

Tipo sanguíneo está relacionado a risco de infarto, indica estudo

Pessoas com sangue do tipo A, B e AB têm mais chances de sofrerem doenças do coração do que as com tipo sanguíneo O

Cientistas identificaram que pessoas com o tipo sanguíneo A, B ou AB têm 9% mais chances de sofrerem acidentes cardiovasculares do que pessoas com o sangue do tipo O. A pesquisa foi apresentada no último domingo, no IV Congresso Mundial de Insuficiência Cardíaca Aguda, organizado pela Sociedade Europeia de Cardiologia, e ainda será publicada em uma revista científica. Segundo a cientista Tessa Kole, da University Medical Centre Groningen, na Holanda e líder do estudo, como a evidência apareceu em estudos de caso, é necessário que se façam maiores pesquisas sobre o tema. “Se a relação de causa for confirmada, ela pode ter implicações importantes para a medicina personalizada”, disse Tessa, em menção ao modelo médico que leva em conta o contexto genético de cada paciente.

Na pesquisa foram analisados os dados de mais de 1,3 milhão de pacientes descritos em nove estudos publicados anteriormente, com 23 mil ocorrências e fatalidades cardiovasculares, como infarto do miocárdio (ataque cardíaco), doença arterial coronariana, cardiopatia isquêmica e insuficiência cardíaca. Correlacionando a incidência das ocorrências com os tipos sanguíneos, de maneira proporcional, os cientistas identificaram que pessoas que não tem o sangue do tipo O são mais propensas a desenvolverem doenças do coração.

A equipe ainda não identificou elo exato entre o tipo sanguíneo e o risco de acidentes cardiovasculares, mas possíveis explicações estão sendo estudadas. Uma delas é que tipos sanguíneos A, B e AB têm maiores concentrações de uma proteína de coagulação relacionada a trombose, chamada de Fator de von Willebrand e de uma proteína ligada a inflamação, a Galectin-3.

Tipo sanguíneo

O tipo sanguíneo é determinado pelo conjunto de anticorpos e antígenos presentes nas células do sangue. Essa característica é genética, sendo formada pela combinação entre os tipos sanguíneos do pai e da mãe. Pesquisas anteriores já indicavam uma relação entre tipos sanguíneos e doenças. Em 2012, um estudo identificou que pessoas com sangue do tipo A têm são mais suscetíveis a infecções por rotavírus. Em 2013, cientistas descobriram que ter sangue A, B ou AB pode aumentar em até 20% o risco de desenvolver trombose. Em 2015, verificou-se que pessoas com sangue do tipo O estão mais protegidas contra o Alzheimer.

“No futuro, o tipo sanguíneo deve ser considerado na avaliação de risco para a prevenção cardiovascular, assim como o colesterol, idade, sexo e pressão arterial. Pode ser que as pessoas do grupo sanguíneo A devem ter um limiar de tratamento inferior para hipertensão, por exemplo. Precisamos de mais estudos para validar se o excesso de risco cardiovascular em portadores de grupos sanguíneos A, B e AB pode ser passível de tratamento”, afirmou a pesquisadora Tessa Kole.

Fonte: veja.com

Brasil “fracassou” em proteger terras indígenas, diz ONU

Brasil “fracassou” em proteger terras indígenas, diz ONU

Governos já indicaram que o recente caso de violência contra indígenas no Maranhão reforçará o debate sobre a questão de demarcação de terras

Genebra – O Brasil “fracassou” em proteger os direitos dos povos indígenas.

A constatação foi feita por relatores da ONU em documentos que serão utilizados como base para um exame na sexta-feira (5) da política de direitos humanos do Brasil, em Genebra.

“É motivo de preocupação o fracasso do estado em proteger as terras indígenas de atividades ilegais, especialmente em mineração e madeireiros”, indicaram relatores das Nações Unidas, citados no informe distribuído para todos os governos.

Nesta semana, em reuniões preparatórias para o exame do Brasil na ONU, governos já indicaram que o recente caso de violência contra indígenas no Maranhão reforçará o debate sobre a questão de demarcação de terras e os recursos para a Fundo Nacional do Índio (Funai).

O grupo teria sido alvo de pistoleiros.

Mas antes mesmo do caso, os documentos da ONU distribuídos aos governos já apontavam como alarmante o “nível de violência contra os povos indígenas”.

A sabatina faz parte de um mecanismo criado pelas Nações Unidas para analisar a situação de todos os países e que obriga os governos a darem respostas a cada quatro anos.

Para se preparar para o questionamento, a ONU elaborou um raio-x completo sobre a situação brasileira.

No documento, uma das principais preocupações se refere justamente à situação dos grupos indígenas.

Congresso

Para os relatores da ONU, existe ainda “uma tentativa contínua no Congresso de enfraquecer as proteções constitucionais e legislativas de direitos indígenas”.

Entre os exemplos citados está o novo código de mineração e a Proposta de Emenda Constitucional 215.

A emenda pretende dar ao Congresso a decisão final sobre a demarcação de terras indígenas, hoje com o Poder Executivo.

Um substitutivo ainda proíbe as ampliações de terras indígenas já demarcadas.

Para os grupos indígenas, isso é uma tentativa de dar mais poder à bancada ruralista.

Um dos obstáculos identificados pelos relatores é a questão do financiamento da Funai.

Ainda que a relatoria elogie o Brasil pelo papel “construtivo da Funai”, ela se diz “preocupada” com o corte de recursos.

De acordo com o informe, equipes da ONU no Brasil relataram que a Funai “tem sofrido um agressivo corte de orçamento e que hoje está em seu nível mais baixo nos últimos dez anos”.

A saúde dos povos indígenas também é uma preocupação. De acordo com a ONU, apenas 57,9% das crianças são registradas em seu primeiro ano de vida.

“A equipe (da ONU no país) ainda indica que crianças indígenas são as principais vítimas de mortalidade infantil no Brasil. Eles têm duas chances mais de morrer antes de completar 1 ano, com muitos casos resultando de doenças que poderiam ser prevenidas”, indicou.

Documentos obtidos pela reportagem ainda mostram que governos como da Alemanha, Bélgica e outros já deixaram claro que estão preocupados com a situação da demarcação de terras e dos confrontos.

Berlim chega a citar relatórios da ONU em que falam de uma regressão nas condições dos povos indígenas.

Resposta

O Brasil terá a chance de dar uma resposta a esses temas na sexta-feira, em Genebra. Uma delegação será enviada pelo governo de Michel Temer.

De acordo com o Itamaraty, ela será composta pela ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, pelo subsecretário-geral de Assuntos Políticos Multilaterais, Europa e América do Norte do Itamaraty, embaixador Fernando Simas Magalhães, pela secretária-executiva do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, e por Maria Inês Fini, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

Mas num documento preliminar, o governo já indicou que admite que o “desafio do Brasil é de ir adiante com a regularização das terras indígenas”.

Ao mencionar uma série de medidas sociais para atender às necessidades dos povos indígenas, o governo ainda reconhece que eles “continuam entre os grupos mais vulneráveis da população brasileira no que se refere à renda, mortalidade infantil, desnutrição, saúde, educação e acesso a saneamento”.

Fonte: exame.com

Copresidente da Fox News renuncia diante de denúncias de assédio sexual

Copresidente da Fox News renuncia diante de denúncias de assédio sexual

Bill Shine era aliado do ex-presidente do canal, que deixou o cargo depois das denúncias de abuso

Coluna – Porto Velho continua com “mais do mesmo” e será que a culpa é do chefe de gabinete?

E ainda, Gurgacz tenta descolar sua imagem da Eucatur, a empresa da família que deve mais de R$ 1 bilhão à União; e a prefeitura até hoje não cobrou o débito da FIMCA

‘Dislike’

Os ufanistas que bradavam nas redes sociais que Porto Velho precisava de um “paladino” se recolheram desde que a gestão Hildon Chaves completou 100 dias e a única realização, de fato, foi o aumento no número de seguidores do prefeito no Facebook. Em que pese a atuação exemplar de Ivonete Gomes à frente da secretaria de Esportes (que vem fazendo muito mais que suas atribuições), a administração de Hildon virou uma galhofa, com direito a uma patinada feia na questão dos quinquênios e sua total rendição aos “políticos profissionais”, que ele tanto criticou durante sua gestão. As tais “PPPs”, ou Parcerias Público Privadas, que ele tanto alardeava, não saíram do discurso e a única ordem de serviço divulgada veio com ajuda da bancada federal (e já estava programada desde o ano passado, independente de quem fosse eleito), que foi a emenda de R$ 134 milhões para asfalto.

Chaves

Se perdeu em seu próprio discurso e está fazendo tudo que disse que não faria, a começar pelo uso da máquina em auto-promoção, logo ele, um ex-membro do Ministério Público, permitiu a publicação de uma matéria jornalística (?) enaltecendo o fato dele ter aumentado o número de seguidores nas redes sociais. Tá, isso não afeta o erário. Mas pior é não estar fazendo nada. Se seguisse minimamente o que discursou, já teria executado a dívida da FIMCA com o município, que passa de R$ 9 milhões. Pelo jeito a população de Porto Velho, mais uma vez, vai se sentir traída.

E vai complicar

Porque enquanto várias cidades e regiões começam a desenvolver políticas sérias na geração de emprego, cobrança de dívidas por parte de empresas ligadas a políticos, Porto Velho está com a economia estagnada e a prefeitura totalmente apática em relação a essa questão. Sem contar que os problemas continuam exatamente os mesmos, filas nos postos de saúde, falta de iluminação em diversos bairros e o aumento da criminalidade.

Falando em dívidas

O senador Acir Gurgacz vem trabalhando pesado para tentar desvincular sua imagem da Eucatur, empresa de sua família que está com dívidas superiores a R$ 1 bilhão junto à União. Para um político que prega o combate à corrupção, o ajuste de contas e o combate à sonegação é uma incoerência ele ter sua imagem associada a empresa. O problema é que não funcionou. A cada postagem do senador, lá estão os internautas atrevidos cobrando a dívida ou reclamando dos serviços da empresa, que por deter o monopólio em Rondônia, trata os passageiros como se estivesse “dando uma carona” ao invés de estar recebendo o dinheiro da passagem.

Acir Gurgacz

Sonha com o governo do Estado e vem se empenhando fortemente para ser eleito, mas a possível entrada de Héverton Aguiar na disputa em 2018 abalou os sonhos de Gurgacz. E deixou muito deputado estadual de cabelo em pé, principalmente os mais traquinos. Um dos parlamentares da atual legislatura chegou a ficar foragido por semanas após ter a prisão pedida por Aguiar e olha só, o caso já envolvia o transporte escolar.

Esse mesmo deputado

Vem trabalhando para ser o próximo presidente da Assembleia, caso seja reeleito. Porém, em um mundo perfeito, Héverton seria governador e o deputado, bem…não seria mais deputado.

Falando nisso

Ele tem andado muito na companhia de um conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Como diz Provérbios 13:20, “anda com os sábios e serás sábio, mas o companheiro dos tolos sofre aflição“.

Ainda a prefeitura

Nada contra a pessoa, mas Hildon Chaves fez uma escolha ruim para a chefia de Gabinete. O advogado Breno Mendes é ótimo em fazer campanhas nas redes sociais e arrumar confusão, mas em tempos de paz, ele não agrega. Vem causando problemas e conseguindo piorar o que já está ruim. Hildon está em um caminho totalmente errado e talvez sua origem no setor privado não esteja deixando ele enxergar o cenário completo. Perde tempo com picuinhas e esquece o que é mais importante, as pessoas que acreditaram em seu projeto, que, por enquanto, não passa de papo furado e conversinha de Facebook.

Culpado?

Muita gente vem atribuindo a Breno Mendes a culpa pelo fiasco que está sendo esse início de gestão Hildon Chaves. Honestamente não sei se a culpa é (só) dele. O advogado até que se atrapalha, mete os pés pelas mãos e arruma confusão. Mas se ele faz isso é porque tem autorização de seu superior imediato, ou será que ele faz sem autorização? Ai podemos repetir a mesma pergunta feita por Hildon a Nazif durante a campanha, “quer dizer que seus auxiliares fazem as coisas sem o seu conhecimento, então o senhor ou é incompetente ou é desavisado”…

‘Pílula do exercício’ dá resistência e queima gordura sem atividade física

Uma “pílula do exercício”, capaz de oferecer os mesmos benefícios proporcionados por uma corrida, por exemplo, é o sonho da maioria das pessoas. E é o que cientistas do Instituto Salk para pesquisas biológicas, na Califórnia, EUA, dizem ter criado, segundo um artigo publicado por eles nesta terça-feira, na revista científica “Cell Metabolism”. Os impactos positivos de exercícios aeróbicos — como caminhada, corrida ou passeio de bicicleta — são bem conhecidos pela ciência, mas estão, grosso modo, fora do alcance de pessoas com dificuldade grave de locomoção, muito idosas ou extremamente obesas. Esse problema fez com que pesquisadores se questionassem se seria possível “reproduzir” os efeitos de uma corrida — maior resistência muscular e queima de gordura — com o simples uso de uma droga. O objetivo foi alcançado com a utilização de um composto químico chamado GW1516, que foi dado em doses elevadas a camundongos durante oito semanas. Tanto os animais que receberam o composto como aqueles que não o receberam — para servir como grupo de controle — eram tipicamente sedentários, mas todos foram submetidos a testes de esteira para ver quanto tempo eles poderiam correr até se esgotarem. Os camundongos no grupo de controle conseguiram correr cerca de 160 minutos antes da exaustão. Já os que receberam a droga foram capazes de correr 270 minutos, um aumento de cerca de 70%. Isso aconteceu porque a resistência dos animais aumentou, em consequência do fortalecimento muscular e de uma maior queima de gordura. Curiosamente, os músculos dos animais que tomaram a droga não exibem as mudanças fisiológicas que normalmente acompanham a aptidão aeróbia: mitocôndrias adicionais, mais vasos sanguíneos e uma mudança para o tipo de fibras musculares que queimam gordura em vez de açúcar.

Anvisa suspende comercialização de cintas modeladoras da Bella Fit

Anvisa suspende comercialização de cintas modeladoras da Bella Fit

Segundo a Anvisa, a empresa comercializava produtos para saúde sem registro

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu, em decisão publicada nesta terça-feira (2/5) no Diário Oficial da União, o comércio de todos os produtos sujeitos à fiscalização sanitária da empresa Bella Fit Vestuário e Acessórios Ltda, entre eles cintas modeladoras gestante e shorts anti-celulite.

Segundo uma inspeção sanitária, a empresa Bella Fit Vestuário e Acessórios, localizada em Foz do Iguaçu (PR), que não tem autorização de funcionamento pela Anvisa, fabricava produtos para a saúde sem quaisquer registros.

Além da comercialização, a agência determinou a suspensão da distribuição e da divulgação de todos os produtos irregulares fabricados pela empresa. A Agência Brasil tentou entrar em contato com o advogado da empresa, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Fonte: metropoles.com

No Senado, Cunha Lima define que reforma trabalhista não passará pela CCJ

No Senado, Cunha Lima define que reforma trabalhista não passará pela CCJ

Ele espera que, passando pelas duas comissões definidas hoje, a matéria esteja pronta para ser votada em plenário dentro de 30 dias.

O primeiro vice-presidente do Senado, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), assinou hoje (2) despacho encaminhando a reforma trabalhista para as comissões de Assuntos Econômicos e Assuntos Sociais da Casa. Cunha Lima tomou a decisão na condição de presidente interino do Senado, já que o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), está internado para exames em São Paulo.

Ao fazer a comunicação ao plenário, o senador ouviu questionamentos dos oposicionistas, em razão de o projeto de lei não passar pela Comissão de Constituição e Justiça. “Sabemos que essa comissão exerce um papel fundamental, porque é ela que se manifesta sobre a legalidade, a constitucionalidade de cada uma das matérias”, afirmou o senador Humberto Costa (PT-PE).

Assim como Costa, senadores como Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Paulo Paim (PT-RS) questionaram que, desta forma, a reforma não será analisada naquela que é considerada a comissão mais importante do Senado. Os três apresentaram requerimentos para que o projeto tramite não só pela CCJ, mas também por outras comissões de mérito, como a de Direitos Humanos e a de Desenvolvimento Regional.

“Esse projeto, por mais que o governo queira, não pode passar aqui a toque de caixa”, afirmou Randolfe. “No meu entender, essa matéria que tem que passar pelo crivo da constitucionalidade. É inevitável que ela também tramite pela Comissão de Constituição e Justiça.”

Cunha Lima, no entanto, afirmou que não há obrigatoriedade de o projeto ser submetido à análise da CCJ. Ele espera que, passando pelas duas comissões definidas hoje, a matéria esteja pronta para ser votada em plenário dentro de 30 dias.

“O nosso regimento também atribui à CAS a competência de analisar a juridicidade, a boa técnica legislativa, a constitucionalidade da matéria. Então, acredito que teríamos uma redundância do trabalho, já que a comissão tem essa atribuição. Sem falar que a Câmara dos Deputados, no nosso sistema bicameral, já fez uma análise, com toda acuidade, da constitucionalidade da matéria”, afirmou Cunha Lima.

Os requerimentos devem ser analisados pelo plenário somente amanhã (3).

Fonte: agenciabrasil

STF decreta liberdade de José Dirceu

STF adia julgamento de pedido de habeas corpus para libertar Dirceu na Lava Jato

Julgamento acontece na tarde desta terça-feira

Por 3 votos (Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes) a 2 (Edson Fachin e Celso de Mello), a Segunda Turma do STF acaba de conceder habeas corpus a José Dirceu.

O petista estava preso desde novembro de 2015 pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no âmbito do petrolão. Antes, o petista cumpria pena em regime domiciliar por envolvimento determinante no mensalão.

JBS faz importação inédita de picanha dos EUA

JBS faz importação inédita de picanha dos EUA

A carne americana vem para atender a um mercado premium, cujo valor agregado viabiliza importações, apesar da tarifa de pouco mais de 10% no Brasil

A brasileira JBS, maior produtora global de carnes, realizou a primeira importação de carne bovina in natura norte-americana para o Brasil, um pequeno carregamento de 12 toneladas de picanha que vem para desenvolver um mercado premium no qual a companhia vê grande potencial no país.

A importação pela JBS de um tipo de corte que tem um apelo muito maior entre os consumidores brasileiros do que entre norte-americanos pode atingir pelo menos 150 toneladas ao mês, segundo as projeções iniciais da companhia, o equivalente a quase 10 por cento da produção de picanha da companhia no Brasil, e um indicativo do tamanho do nicho de mercado que a empresa busca.

A picanha dos EUA, produzida a partir de um gado com origem europeia, é mais macia por ter mais gordura entremeada do que a produzida com o boi predominante no rebanho nacional, das raças zebuínas, que resulta em uma carne mais “magra”.

E vem para atender a um mercado premium, cujo valor agregado viabiliza importações, apesar da tarifa de pouco mais de 10 por cento no Brasil, atualmente o maior exportador global de carne bovina, enquanto os EUA são os maiores produtores.

“O brasileiro gosta de carne, existe potencial de consumo que pode ser explorado. Acho que é um mercado que tende a crescer muito”, afirmou à Reuters o diretor técnico da JBS Carnes, Bassem Sami Akl Akl, lembrando que o negócio foi possível após os dois países firmarem, no ano passado, um acordo bilateral que permite também a exportação de carne brasileira in natura aos EUA.

Se a demanda brasileira pelo produto for boa neste primeiro momento, a importação da JBS poderia atingir até 200 toneladas por mês. A título de comparação, a JBS produz no Brasil 1.700 toneladas mensais de picanha.

“No momento em que você disponibiliza, está oferecendo mais opção. Vai ter quem se disponha a pagar um pouco mais, em detrimento de uma (picanha) nacional”, declarou Bassem.

A importação de carne bovina in natura dos EUA, que passou a ser possível por qualquer empresa após o acordo de equivalência sanitária no ano passado, tem uma facilidade comercial para a JBS pelo fato de a companhia ter grande operação na América do Norte.

O diretor comercial da JBS Carnes, Antônio Sobrinho Almeida Souza, acrescentou que a companhia não precificou, neste primeiro momento, o valor de venda do produto, que inicialmente será comercializado nos “principais restaurante de São Paulo”, até pelo pequeno volume da primeira carga que não poderia atender o varejo como um todo.

Souza acrescentou que a empresa tem ainda a meta de fornecer a carne dos EUA aos principais empórios e, mais adiante, vender o produto nas lojas Swift, da própria JBS.

“Vamos fazer essa experimentação, sentir o que mercado entende do produto, qual vai ser a aceitação, e aí vamos para todo o Brasil, com picanha, maminha, alcatra completa.”

Souza disse ainda que a empresa já tem outras cargas de carnes do EUA já contratadas para desembarque no Brasil.

Esse primeiro carregamento, que chegou ao porto de Santos, já foi liberado e está atualmente em um armazém da companhia, onde será aberto em um evento simbólico na quarta-feira com a presença de representantes do governo dos EUA.

A JBS, assim como outras companhias do setor, tem interesse também em exportar carne in natura do Brasil aos EUA, um mercado que deverá ser dominado, entretanto, por um produto de menor valor agregado que a picanha.

A ideia é que as exportações brasileiras sejam concentradas em cortes de dianteiro para a produção de hambúrguer, um produto bastante consumido nos EUA, numa operação que já vem sendo realizada pela empresa e outras companhias do segmento.

Ao gosto do Brasil

A empresa vem trabalhando na importação de cortes nobres dos EUA desde o ano passado, e enviou para lá uma equipe para desossar a carne ao gosto do brasileiro, disse Bassem.

Questionado sobre qual unidade da JBS seria exportadora líquida de carne bovina, a dos EUA ou a do Brasil, o executivo disse que essa é uma “equação difícil de ser fechada hoje”.

“Neste momento, o que mandamos para lá é uma commodity, produtos para industrialização”, disse ele, referindo-se à matéria-prima para hambúrguer.

A JBS USA Carne Bovina, que inclui Austrália e Canadá, teve faturamento em 2016 de mais de 20,5 bilhões de dólares, o que representa mais do dobro do faturado pela unidade Mercosul.

Fonte: exame.com