Coluna – “Conserto Rondônia em seis meses de governo”, diz Ivo Cassol

Senador declarou ainda que “candidatura de Maurão nasceu morta” e que ele disputa o governo mesmo sob liminar; e ainda, governo de RO recusa programa de capacitação do MTur

Enrolado

O senador Ivo Cassol está otimista em relação a sua condição política. Essa semana, em conversa com PAINEL POLÍTICO, ele declarou que está realmente disposto a enfrentar o processo eleitoral em 2018 para ocupar o Centro Político Administrativo a partir de 2019 como governador e vai concorrer com liminar, se for necessário. Atualmente pesa contra o senador uma condenação pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de 4 anos e 8 meses, além de multa, que está em grau de recurso na discussão sobre a dosimetria da pena. Para Cassol, não houve dolo em seu procedimento quando foi prefeito de Rolim de Moura (ele é acusado de fragmentar uma licitação para favorecer empresas de parentes), e é nesse ponto que ele se apega para discutir o assunto.

De acordo com Ivo

Existe um novo entendimento no Tribunal de Contas da União sobre casos similares ao seu e esse será seu argumento, caso venha a perder o recurso que ainda não tem data para ser julgado. Seus advogados já estão com outra peça pronta para ser discutida. Questões técnicas a parte, vamos nos ater a política. O senador negou que sua irmã Jaqueline venha a ser candidata ao governo, “ela trabalha com a possibilidade de vir disputar uma cadeira como deputada federal”, afirmou. E é exatamente essa composição que ele vislumbra para as eleições do ano que vem. Ele também não esconde que ficaria satisfeito em repetir a dobradinha que fez com Expedito Júnior em 2006, “é hoje o candidato mais forte ao Senado, sem dúvida nenhuma”, declarou.

E a Lava Jato?

Cassol foi citado pelo executivo da Odebrecht Henrique Valadares em delação premiada, e foi acusado de ter recebido R$ 2 milhões em propina, além do pagamento de uma viagem de férias com toda sua família para os Estados Unidos quando era governador. Quando toquei no assunto ele foi incisivo, “não passa de um monte de bobagens. O cara disse que eu fui para Nova York, nunca estive lá. Fui com minha família para Miami uma única vez, paguei tudo com meus cartões de crédito e tenho as faturas para provar. Eu era mesmo ‘garoto propaganda’ das usinas porque acreditava que aqueles empreendimentos seriam importantes, como foram, para a economia do Estado”, afirmou. E completou, O o próprio Marcelo Odebrecht disse que o setor de propinas estava descontrolado, eram tantos pagamentos que eles se perdiam. Eu tenho minha consciência tranquila em relação a essa questão”. Cassol também afirmou que ainda não foi oficialmente informado sobre a denúncia.

Isenção às usinas

Na conversa disse ao senador que o agora conselheiro do Tribunal de Contas e ex-secretário de Finanças de Confúcio Moura teria dito, em audiência pública na Assembleia Legislativa que o projeto de isenção das usinas havia iniciado em sua gestão, quando governador. Cassol respondeu rápido, “não teve nada disso. O que aconteceu foi que, de fato começamos a discutir esse assunto em meu governo, mas ai ficou claro que o Estado teria prejuízos, não fazia sentido a gente abrir mão. Tanto que o projeto foi engavetado e foi retomado no governo de Confúcio. Eu não faria isso. Quem me conhece sabe bem que no meu governo a máquina de fiscalização e arrecadação funcionavam. Não tem o menor cabimento eu abrir mão de receita para Rondônia. Tanto que eu fui para a Assembleia Legislativa me colocar contra essa isenção e denunciei também esse absurdo”, esclareceu.

E a candidatura de Maurão?

“Nasceu morta”, respondeu curto, e emendou, “não pelo Maurão, ele é uma pessoa boa, que tem suas qualidades, mas não acredito que tenha espaço dentro do PMDB”. E continuou, “Maurão ficou chateado naquela ocasião em que não conseguiu ser candidato pelo PP ao governo, e apesar de tudo a gente ainda deixou ele ser candidato pelo partido. O regimento interno poderia ter impedido, mas como ninguém recorreu, a gente deixou para lá. Ele deveria se fortalecer politicamente, continuar fazendo uma boa gestão na Assembleia, mas não creio que ele consiga entrar na disputa de fato”, afirmou.

“Tem jeito”

Perguntei ao senador se “Rondônia tem jeito”, e ele respondeu rápido, “tem jeito. Eu conserto toda essa bagunça em seis meses de governo”.

E fechando

O italiano está mais tranquilo em relação a seu futuro político. Repetiu diversas vezes que “fez e continua fazendo sua parte” e que “tem a consciência tranquila” em relação as acusações que pesam contra ele, e acredita que mesmo com todos os obstáculos que interpõe entre ele e o comando do CPA, vai conseguir vencer “com a ajuda de Deus e do povo de Rondônia”.

Falando em Rondônia

O deputado federal Luiz Cláudio deu uma informação preocupante (mas não surpreendente) sobre o turismo no Estado. Ele foi informado pelo ministro do Turismo, Marx Beltrão que o governo de Rondônia recusou recursos para um programa de capacitação de jovens em 2016, sem nenhuma explicação. O deputado soube ainda que no Estado apenas a BR 364 e a cidade de Porto Velho estão cadastrados no MTur. O restante aparece com as classificações C e D, ou seja, praticamente inexistentes. Luiz Cláudio é membro titular da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados.

Dia 31

Termina o prazo dos municípios reunirem documentação para encaminhar ao MTur. Esta é a primeira etapa do processo que irá consolidar o novo cenário do turismo nacional. O próximo passo é a validação dos documentos pelos Estados e, posteriormente, a divulgação do novo mapa pelo Ministério do Turismo. A partir de 01 de junho, segundo cronograma estabelecido pela Pasta, começa o prazo para inserção dos documentos no Sistema de Informações do Programa de Regionalização do Turismo e validação das Regiões Turísticas junto aos Fóruns e/ou Conselhos Estaduais de Turismo. O processo de atualização, que será conduzido pelos gestores locais, termina em 31 de julho. Prefeitos, não esperem por esse secretário de Turismo do governo não. É perda de tempo. Pegue mais informações AQUI.

Vitamina D reduz risco de menopausa precoce, revela estudo

Uma alimentação rica em peixes oleosos, como salmão, atum e sardinha, e ovos – ricos em vitamina D – pode evitar a menopausa precoce. De acordo com estudo publicado no periódico científico American Journal of Clinical Nutrition, o consumo de vitamina D através de alimentos e suplementos pode reduzir o risco da menopausa antes dos 45 anos em até 17%. Já os alimentos ricos em cálcio mostraram uma redução de 13%. Pesquisadores da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, analisaram 116.430 mulheres que trabalharam na área da saúde durante duas décadas. Durante esse período, as participantes registraram sua dieta em cinco ocasiões e 2.041 mulheres entraram na menopausa. Estudos anteriores já haviam sugerido que a vitamina pode retardar o envelhecimento dos ovários. Cerca de uma a cada dez mulheres enfrenta a fase da menopausa precoce – antes dos 45 anos -, aumentando os riscos de osteoporose, doenças cardíacas e diminuindo a fertilidade. Uma mulher que entra na fase da menopausa aos 43 anos, por exemplo, pode enfrentar problemas de fertilidade por volta dos 33 anos. “Estudos procuram por algo que possa reduzir esses riscos. E a dieta, que pode ser facilmente alterada, tem grande implicação na saúde da mulher.”

Dilma se diz ‘prejudicada por fim tardio do sigilo’ das delações de marqueteiros

Dilma depõe como testemunha em processo da operação Zelotes contra Lula e outras três pessoas

A ex-presidente Dilma Rousseff lamentou, nesta quinta-feira, 11, o que classificou de ‘tardia’ decisão do Supremo Tribunal Federal de acabar com o sigilo dos depoimentos dos marqueteiros do PT João Santana e Monica Moura. A petista enfrenta processo de cassação da chapa dela e do então candidato a vice-presidente Michel Temer, nas eleições de 2014. Os advogados já apresentaram as alegações finais no processo.

De acordo com nota da assessoria de Dilma, há semanas a defesa requereu acesso às delações dos marqueteiros do PT ao ministro relator da ação movida pelo PSDB no Tribunal Superior Eleitoral, Herman Benjamin, ‘a fim de apresentar suas alegações finais’.

“A defesa foi prejudicada pela negativa do relator. Não foi possível cotejar os depoimentos prestados pelo casal à Justiça Eleitoral e na Lava Jato”, afirma a equipe da ex-presidente.

Segundo os advogados da petista, ‘as contradições e falsos testemunhos foram vislumbrados, apesar disso, pelo que foi divulgado amplamente pela imprensa, na velha estratégia do vazamento seletivo dos depoimentos, uma rotina nos últimos tempos’.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da ex-presidente reiterou que ‘João Santana e Mônica Moura prestaram falso testemunho’. A defesa de Dilma já havia afirmado que o casal ‘mentiu’ à Justiça e pede a revogação do benefício da delação premiada de ambos.

“Apesar de tudo, a presidente eleita acredita na Justiça e sabe que a verdade virá à tona e será restabelecida”, afirma a assessoria da ex-presidente.

O Estado de S. Paulo

Pacotes com 39 celulares são encontrados no pátio do presídio de Vilhena, RO

Pacotes com 39 celulares são encontrados no pátio do presídio de Vilhena, RO

Pacotes com 39 celulares foram encontrados no pátio do Centro de Ressocialização Cone Sul, em Vilhena (RO), a 700 quilômetros de Porto Velho. Uma ocorrência foi registrada no fim da tarde de quarta-feira (10) na Delegacia de Polícia Civil. Além dos aparelhos, também foram encontrados carregadores, tabaco, pedaços de serras, chips, e uma porção de droga.

De acordo com o boletim de ocorrência, as embalagens foram percebidas por policiais militares, que acionaram os agentes penitenciários.

A direção enfatizou ao G1 que os pacotes estavam no pátio do presídio, mas fora da carceragem.

“Acreditamos que os celulares foram arremessados de fora para dentro da instituição, mas estamos atentos a qualquer situação”, enfatizou o diretor Nilton Cordeiro.

Nos pacotes havia 39 aparelhos, 15 pacotes de fumo, 12 chips de celulares de diversas operadoras, oito carregadores de celulares, quatro pedaços de serra e uma porção de maconha.

A unidade ainda não descobriu quem seriam os presos que deveriam receber os produtos. Os suspeitos de jogar os materiais ainda não foram identificados.

Fonte: g1/ro

Operação da PF de RO desarticula quadrilha de lavagem de dinheiro do tráfico internacional

Operação da PF de RO desarticula quadrilha de lavagem de dinheiro do tráfico internacional

A Polícia Federal (PF) deflagrou a ‘Operação Vasos de Ouro’ na manhã desta quinta-feira (11) para desfazer uma quadrilha que lavava dinheiro do tráfico internacional de drogas utilizando pequenas empresas. Ao todo, R$ 48 milhões foram lavados pela quadrilha no período de um ano. A operação foi realizada em cidades dos estados de Rondônia, Mato Grosso, Pernambuco. Foram expedidos 40 mandados judiciais pela Justiça Federal de Guajará-Mirim.

Durante coletiva de imprensa em Porto Velho, o delegado responsável pela Operação, Heliel Martins, da PF de Guajará-Mirim, falou sobre a operação. “Nosso objetivo era desmantelar uma organização criminosa que tinha como objeto a lavagem de capitais oriundos do tráfico internacional de drogas. Essa atuavam em Guajará-Mirim, Ji-Paraná, Porto Velho e em algumas cidades do Nordeste e Centro Oeste”, explicou Martins.

Segundo Martins, os suspeitos usavam micro e pequenas empresas para realizar a lavagem de dinheiro no Brasil, em seguida esse dinheiro era enviado para a Bolívia. “Essa organização criminosa criou uma teia de relacionamento e eles movimentaram cerca de R$ 48 milhões entre 2010 e 2011. Pessoa físicas (laranjas) depositavam o dinheiro na conta das empresas. Ele era fracionado e em espécie era levado à Bolívia. Do país vizinho, ele retornava para o Brasil como drogas ilícitas e abasteciam os mercados consumidores aqui da região Norte e cidades do Nordeste”, informou Martins.

Polícia Federal apreendeu diversos objetos, em duas fazendas em estados da Região Centro-Oeste, Norte e Nordeste (Foto: Polícia Federal/Assessoria)
Polícia Federal apreendeu diversos objetos, em duas fazendas em estados da Região Centro-Oeste, Norte e Nordeste (Foto: Polícia Federal/Assessoria)

Foram cumpridos 32 mandados judiciais, entre apreensões e conduções coercitivas. “Ao longo dessas investigações, nós apuramos os cabeças dessas organizações e portanto foram solicitados mandados judiciais que apreenderam duas fazendas, objetos diversos, armas, agrotóxicos contrabandeados entre outros”, disse Martins.

Delegado Heliel Martins foi o responável pela Operação Vasos de Ouro (Foto: Hosana Morais/G1)
Delegado Heliel Martins foi o responável pela Operação Vasos de Ouro (Foto: Hosana Morais/G1)

Seis pessoas são consideradas foragidas. “Apenas oito mandados estão pendentes e seis pessoas são consideradas foragidas. Esperamos cumprir esses mandados a curto prazo, pois os cabeças da quadrilha encontram-se no país vizinho em local incerto. Das 17 conduções coercitivas, 14 pessoas foram ouvidas e liberadas. Mas, não descartamos a prisão no final das investigações”, relatou o delegado.

Os mandados foram cumpridos em Porto Velho, Ariquemes, Guajará-Mirim, Ji-Paraná, Porto Velho, Ouro Preto do Oeste, Peixoto Azevedo (MT) e Recife (PE). Participaram da operação 60 policiais da PF.

Fonte: g1/ro

Governadores do Nordeste cobram apoio de Temer na Segurança

Governadores do Nordeste cobram apoio de Temer na Segurança

Reunidos hoje em Salvador, os sete governadores do Nordeste assinaram uma carta conjunta em que cobram mais apoio na segurança pública dos estados.

Propuseram que Temer crie um plano nacional de Segurança, com orçamento próprio. A ideia é usar o investimento para melhorar o aparelhamento das polícias estaduais, ampliar os presídios federais de segurança máxima e implantar bloqueadores de sinal de celular nas prisões.

Ou seja: cobram que Temer faça o que desde a primeira semana do governo tem dito que fará.

As informações são do Blog do Lauro Jardim da globo.com

Servidor público é preso por matar e mutilar ex-namorada em Goiânia

Servidor público é preso por matar e mutilar ex-namorada em Goiânia

Um homem foi preso acusado de matar e cortar partes do corpo da ex-companheira, em Goiânia (GO), no Jardim Europa. Kleber de Souza Prado confessou ter matado a facadas, cortado uma das mãos, arrancado os dedos da outra mão e o couro cabeludo da vítima, Ana Luiza de Sousa, de 35 anos, porque ela não queria mais manter o relacionamento. O caso foi apresentado nesta quinta-feira (11/5) pela Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH).

Kleber que é servidor público na Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), desde 2015, já era apontado como suspeito pela família da mulher, desde o dia em que ela desapareceu. Ele foi preso no interior de Minas Gerais, onde tentava se esconder na casa de parentes. Após a detenção, confessou o crime e levou a equipe da Polícia Civil ao local de desova do corpo.

Quando foi encontrado, o corpo a vítima já estava em estado de decomposição. Segundo a polícia, Kleber cometeu as mutilações com objetivo de dificultar a identificação do corpo da mulher. Ana Luiza tinha uma tatuagem que ajudou na confirmação da identidade. “Esse elemento foi fundamental para que conseguíssemos confirmar a identidade do corpo”, comenta o delegado Danillo Proto. Caso seja condenado, Kleber de Souza Prado pode pegar até 30 anos de condenação.

Fonte: metropoles.com

Vídeo de atriz pornô sendo atacada por tubarão é falso, diz mergulhador

Vídeo de atriz pornô sendo atacada por tubarão é falso, diz mergulhador

Você com certeza viu o vídeo, que está bombando na web há alguns dias, de uma atriz pornô sendo atacada por um tubarão. O realismo é tão grande que dificilmente alguém desconfiou da veracidade das imagens. Agora a atriz pornô Molly Cavalli e a empresa que produziu o vídeo são acusados de forjarem o vídeo para tornar a atriz conhecida em todo o mundo.

Bryce Roherer, dono da empresa Florida Shark Diving, revelou à CBS que entraram em contato com ele há cerca de dois meses atrás. Ele afirmou a emissora americana que os produtores queriam fazer um mergulho com tubarões e fingirem que a jovem era mordida para o vídeo viralizar.

“Imediatamente disse não iríamos fazer. Somos uma empresa a favor da vida animal. Queremos mostrar a importância destes animais no ecossistema, não fazer deles vilões”, disse Roherer à CBS. Molly Cavalli e a produtora acabaram contratando outra empresa.

Roherer afirmou que a atriz enviou uma mensagem entregando a “trama” falsa. “Só queria mostrar como vai ficar a ferida. Sabemos que vocês gostam de tubarões e eu não quero que as pessoas tenham uma imagem negativa deles. Só queria mostrar que não é uma mordida enorme e agressiva, se é que faz alguma diferença”, escreveu Molly na mensagem.

A produtora de filmes adultos para qual a atriz trabalha, disse que Molly teve que levar 20 pontos no local da suposta mordida de tubarão. No entanto, um biólogo especialista em mordidas de tubarões contou a emissora americana CBS que a ferida não podia ser mais falsa. “Aquilo não é uma mordida de tubarão. Me parece mais trabalho de uma equipe de maquiagem do que outra coisa. Com toda a certeza não é a marca de um ataque de tubarão”, afirmou o especialista.

De acordo com a emissora, foi feito tentativas de contato com a atriz de filmes adultos e sua produtora. Ambos não quiserem comentar o assunto.

Veja o vídeo:

Fonte: uol.com

 

Mico-leão-dourado é fotografado pela 1ª vez no Rio em 100 anos

Mico-leão-dourado é fotografado pela 1ª vez no Rio em 100 anos

O primeiro mico-leão-dourado a aparecer na cidade do Rio de Janeiro nos últimos 100 anos acaba de ser fotografado, revelaram biólogos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) nesta terça-feira. A imagem do pequeno primata foi capturada pelos pesquisadores da instituição Iuri Veríssimo e Monique Medeiros, na Estação Biológica Fiocruz Mata Atlântica, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. Segundo eles, o animal estava acompanhado de um grupo de saguis-de-tufo-branco, outra espécie típica da Mata Atlântica.

O mico-leão-dourado é uma espécie de primata exclusiva da Mata Atlântica brasileira. Registros do período colonial apontam que antes do século XIX esses animais eram encontrados em toda a extensão da costa do estado do Rio de Janeiro, inclusive na capital. Mas, com a rápida perda de habitat ao longo do século XX, a espécie foi localmente extinta em quase todo o estado. Por isso, para os pesquisadores, encontrar um mico-leão-dourado na capital fluminense depois de tanto tempo é uma notícia bem entusiasmante.

Até a década de 1940, ainda era possível encontrá-la nos municípios de Araruama e Maricá – porém, em pouco tempo a espécie tornou-se restrita a uma pequena região na bacia do rio São João. Em 1960, quando restavam apenas 200 micos na Mata Atlântica, o primatologista e conservacionista Adelmar Coimbra Filho estabeleceu as bases de um programa de salvamento para os pequenos primatas, hoje liderado pela Associação Mico-Leão-Dourado.

Atualmente, existem 3.200 desses animais vivendo livremente, com todas as populações concentradas em poucos municípios do interior do Rio de Janeiro, sendo as maiores na Reserva de Poço das Antas e na Reserva Biológica União. A singularidade do macaquinho é tão grande que ele foi escolhido para estampar a nota de 20 reais, sendo uma das espécies mais representativas da fauna tipicamente brasileira.

De acordo com o biólogo responsável pela gestão ambiental do Programa de Desenvolvimento do Campus Fiocruz Mata Atlântica, Ricardo Moratelli, o próximo passo é descobrir a origem desses animais – se são remanescentes de uma população local ou se foram trazidos de outra região e soltos na área. A Estação Biológica da Fiocruz fica bem perto do Parque Estadual da Pedra Branca, que abriga a maior floresta urbana das Américas, com aproximadamente 50 quilômetros quadrados de florestas de baixada bem preservadas, habitat preferido do mico-leão-dourado. Possivelmente, segundo os cientistas, o animal que aparece na foto pode ter vindo de lá.

Fonte: veja.com

Chevrolet Onix tem zero estrela em teste de segurança do Latin NCap

Chevrolet Onix tem zero estrela em teste de segurança do Latin NCap

Latin NCap, organização independente que avalia a segurança de veículos, divulgou nesta quinta-feira (11) mais uma rodada de testes de colisão. Carro mais vendido do Brasil, o Chevrolet Onix foi reprovado pela entidade, ficando com zero estrela.

As principais críticas se referem ao mau desempenho do carro em teste de colisão lateral, que não é obrigatório para a homologação de veículos a serem vendidos no Brasil.

O mau resultado foi observado pelo Latin NCap na proteção para ocupantes adultos, dos bancos dianteiros. A entidade apontou o risco de impacto no peito dos ocupantes nesse tipo de batida.

“O Onix mostrou um desempenho pobre, já que o teste de impacto lateral evidenciou uma compressão alta no peito do passageiro adulto, divulgando uma alta penetração na estrutura”, disse a entidade.

“O Onix não contava com dispositivos de absorção de energia em sua estrutura para impacto lateral, apenas barras nas portas. Considerando esses resultados de testes, o Onix não passaria os requerimentos básicos da regulação para impacto lateral das Nações Unidas (UN95)”, completou o Latin NCap.

Na proteção para crianças, o veículo conquistou 3 estrelas (de 5 possíveis).

O hatch é produzido na unidade de Gravataí (RS) e exportado para Argentina, Colômbia, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai.

Por que foi reavaliado

Em 2014, o Onix foi avaliado com 3 estrelas para adultos, mas o novo padrão de testes do Latin NCap, com colisão lateral, modificou a nota do hatch. Esse tipo de teste se tornou parte da avaliação da entidade em 2016; antes, só era feito se a montadora pedisse.

Por isso, modelos que já tinham sido avaliados voltaram a ser testados. Mas, até agora, apenas 3 que são vendidos no Brasil foram testados nos novos parâmetros: Peugeot 208 e Fiat Palio, que também tiveram notas rebaixadas por conta do desempenho ruim na colisão lateral.

Em todos os casos, o Latin NCap diz que os veículos teriam melhores resultados se tivessem airbags laterais, que não são exigidos por lei.

A entidade passou a ter critérios mais rígidos também para avaliação de impacto frontal. Mas não repetiu o “crash-test” do Onix neste caso: apenas reavaliou os resultados de 2014. É por isso que, no vídeo acima, aparecem as imagens de carros em cores diferentes: o cinza é o do teste de 2014 e o vermelho, o deste ano, de colisão lateral.

O que diz a fabricante

Questionada pelo G1, a General Motors, dona da Chevrolet, disse que o modelo está de acordo com as normas do país.

“O Chevrolet Onix cumpre integralmente com todos os requisitos locais de segurança dos mercados onde é vendido na América do Sul”, respondeu a GM, em comunicado.

Chevrolet Onix recebeu nota zero em teste de colisão do Latin Ncap (Foto: Divulgação / Latin NCap)
Chevrolet Onix recebeu nota zero em teste de colisão do Latin Ncap (Foto: Divulgação / Latin NCap)

Proteção infantil

Com 3 estrelas, a proteção para o passageiro infantil foi considerada aceitável pelo Latin NCap. O resultado foi melhor que o de 2014, quando o Onix conquistou duas estrelas nesse quesito.

“Contudo, o modelo apenas oferece um cinto de segurança de dois pontos na posição central traseira, carecendo de ancoragens Isofix (tipo de fixação para prender cadeirinhas). A porta traseira direita se abriu no teste, expondo as crianças a maiores riscos”, afirmou o Latin NCap.

Associação quer punição

“O Latin NCap está muito desapontado com o resultado do Onix. A GM diz que o Onix é baseado em uma plataforma global. Por que ela é autorizada a oferecer um carro tão abaixo do padrão para venda na América Latina?, criticou o secretário-geral do Latin NCap, Alejandro Furas. “Isso mostra, claramente, por que a regulamentação do (teste de) impacto lateral é tão urgentemente necessária para parar com esse padrão duplo de aceitação.”

A associação de consumidores Proteste, que é parceira do Latin NCap, afirmou que pedirá a retirada do Onix do mercado.

“É uma ofensa à inteligência do consumidor que a General Motors, que afirma que o Onix é baseado numa plataforma global, não tenha tido êxito na versão avaliada pelo Latin NCAP”, criticou a entidade. “Não consideramos que a América Latina seja depósito para carros fora dos padrões exigidos, no entanto, infelizmente, não parece ser a opinião da GM.”

Mais sobre o teste de impacto lateral

Nas colisões laterais, o carro recebe um impacto de lado por meio de uma barreira deformável montada em um carro padronizado de 850 kg, que se desloca a 50 km/h.

Esse tipo de teste era opcional até 2015: só era feito se a montadora quisesse. Agora, ele inclui também bonecos “crianças” e seus devidos suportes.

Além disso, o controle eletrônico de estabilidade e o teste de poste viraram requisitos para ter a avaliação máxima. De acordo com a nova regra, ter 4 estrelas significa que o veículo mostrou bom desempenho em impacto frontal e lateral e passou no teste ESC.

Caso um modelo tenha conseguido zero estrela no impacto frontal, a entidade nem testa o impacto lateral, dando um resultado total de zero.

Mesmo no teste de impacto frontal, o Latin NCap é mais rígido do que a lei dos principais mercados. Ele é feito com o veículo a 64 km/h, enquanto, na Europa, a velocidade é de 56%. Apenas 40% do carro colide com a barreira nesses dois testes. Nos EUA, a colisão é de 100%, a 48 km/h.

Veja o que diz a Chevrolet sobre as notas do Onix

“O Chevrolet Onix cumpre integralmente com todos os requisitos locais de segurança dos mercados onde é vendido na América do Sul.

A GM compartilha o objetivo de melhorar a segurança rodoviária em todo o mundo e busca a melhoria contínua da segurança dos veículos à medida em que novas tecnologias se tornem disponíveis.

A GM coloca o cliente no centro de tudo e anunciou em 2015 um investimento de bilhões de dólares para o desenvolvimento de uma família de veículos totalmente nova, respondendo à rápida mudança da demanda de clientes na América Latina e em outros mercados globais em crescimento.

A GM está sempre procurando formas melhores e mais inovadoras de atender às necessidades em constante evolução dos clientes globais e melhorar o desempenho em segurança. Por essa razão, lançamos recentemente o OnStar em todos os principais países da América do Sul.

O OnStar oferece serviços únicos de emergência que ajudam a fornecer uma resposta rápida e salvam vidas em acidentes de carro. O Onix é o único veículo da sua categoria a oferecer este tipo de tecnologia.

Combinado com airbags duplos e freios ABS com distribuição eletrônica de força de frenagem, acreditamos que o Onix é um dos veículos mais seguros em seu segmento, que é apenas uma das razões de ser o veículo mais vendido na América do Sul.”

Airbags duplos frontais e freios ABS são obrigatórios em todos os carros novos no Brasil desde 2014.

Kia Rio Sedan também leva zero

Kia Rio Sedan também levou nota zero (Foto: Divulgação / Latin NCap)
Kia Rio Sedan também levou nota zero (Foto: Divulgação / Latin NCap)

Na mesma bateria de testes o Latin NCap avaliou o Kia Rio Sedan. Fabricado na Coreia, o modelo que não é vendido no Brasil ficou com nota zero para ocupantes adultos e apenas uma estrela para a de crianças.

 Fonte: g1.com

Aécio diz que houve ‘exagero na parafernália montada’ para depoimento de Lula a Moro

Aécio diz que houve 'exagero na parafernália montada' para depoimento de Lula a Moro

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), afirmou nesta quinta-feira, 11, que é preciso “despolitizar” o processo de investigação da Operação Lava Jato. Ele avaliou que houve um “exagero na parafernália montada” para o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na quarta-feira, 10, ao juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba.

“Acho que há muita exploração midiática. Ontem (quarta, 10), por exemplo, acho que foi desnecessária toda essa exploração em torno de um depoimento que poderia ter acontecido sem essa exploração política de parte a parte”, declarou.

Ele ponderou que as investigações têm que continuar, mas todos têm que contribuir para que o processo seja “menos midiático e efetivamente judicial”. “Acho que isso ajuda o País a sair dessa crise”, avaliou Aécio.

Fonte: O Estado de S. Paulo