Procurador de RO denunciado na Termópilas tem recurso negado no STF

Glauber Luciano da Costa Gahyva pode perder o cargo; ele é acusado de enriquecimento ilícito

O Procurador do Estado de Rondônia, Glauber Luciano da Costa Gahyva teve um recurso ordinário em habeas corpus negado pelo Supremo Tribunal Federal e pode perder a função pública se for condenado.

Gahyva foi denunciado por corrupção passiva (artigo 317 do Código Penal). A denúncia foi resultado da operação realizada pelo Ministério Público em conjunto com a Polícia Federal, que apurou o suposto pagamento de vantagem financeira a organização criminosa composta por agentes públicos, dentre eles o procurador (que atuava junto à Secretaria Estadual de Saúde), para que favorecesse a contratação de empresa fornecedora de medicamentos sem licitação. Segundo a denúncia, cabia a Gahyva emitir pareceres favoráveis.  

Glauber (esq) foi denunciado junto com o ex-presidente da ale, Valter Araújo

Durante as investigações foram deferidas interceptações telefônicas pelo Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO), juízo originário em decorrência de foro por prerrogativa de função de investigados envolvidos (Valter Araújo, deputado estadual à época), questionadas pela defesa de Gahyva, primeiramente por meio de habeas corpus impetrado no Superior Tribunal de Justiça (STJ), e depois no STF, com o RHC.

No Supremo, a defesa do procurador alegou ocorrência de constrangimento ilegal em razão de supostas nulidades processuais, uma vez que não teria havido fundamentação concreta nas decisões que decretaram as interceptações telefônicas em seu desfavor, em ofensa ao artigo 93, inciso IX, da Constituição Federal. Sustentou ainda que prorrogação da interceptação estaria em desacordo com a Lei 9.296/1996.

Em sua decisão, o ministro Luiz Fux, relator do processo, afirmou que o bem jurídico tutelado pelo habeas corpus é a liberdade de locomoção, tendo como pressupostos constitucionais a sua efetiva vulneração ou ameaça de lesão, em razão de ilegalidade ou abuso de poder. Lembrou que o artigo 647 do Código de Processo Penal e a Constituição Federal preveem essa possibilidade.

Após ter o habeas corpus negado em 2016, Gahyva tentou mais um recurso, que foi indeferido pela Primeira Turma do STF.

Desde abril deste ano, que Glauber está lotado na Casa Civil do governo do Estado, na função de Assessor Técnico.

Veja abaixo a decisão na íntegra.

Incêndio atinge área verde próxima ao ParkShopping Brasília

Um incêndio atingiu uma área verde, próxima ao parque ecológico Ezechias Hering, ao lado do ParkShopping Brasília, na tarde desta segunda-feira (17/7), provocando transtornos no local, em vista da grande quantidade de fumaça.
Segundo o sargento Robson Martins, um dos militares responsáveis pela comunicação do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), o incêndio começou por volta das 15h48, mas já está sob controle. Cerca de 20 bombeiros ainda estão no local para apagar completamente o fogo, entretanto.
O sargento afirmou, ainda, que não há feridos, pois a área do incêndio não é habitada, e que a grande quantidade de fumaça é causada pela vegetação seca que está sendo queimada.
O Corpo de Bombeiros ainda não sabe quais as causas do incêndio e o tamanho da área afetada, que será medida somente após o fogo ser integralmente apagado.
Em nota enviado ao Correio, o ParkShopping afirmou: O ParkShopping  esclarece que o incêndio ocorreu no terreno ao lado do shopping e em momento algum ofereceu risco para o cliente e para o patrimônio. O fogo já foi controlado pelo corpo de bombeiros.

Fonte: correiobraziliense

STJ mantém prisão de procurador acusado de repassar informações à JBS

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, decidiu hoje (17) manter a prisão preventiva do procurador da República Ângelo Goulart Villela, investigado a partir das delações da JBS sob a acusação de repassar informações sobre as apurações em troca de vantagens indevidas. Os fatos foram investigados na Operação Patmos, da Polícia Federal, deflagrada em maio.

“É deprimente e lamentável o registro de que um procurador da República, que é pago pelos cofres públicos justamente para fiscalizar e buscar o cumprimento das leis, ao que tudo indica, tenha aceitado suborno para ajudar criminosos, atrapalhando uma complexa investigação criminal, auxiliando uma organização criminosa a se esquivar de suas responsabilidades fiscais e criminais e oferecendo seus serviços para fins escusos.”, decidiu a ministra.

No pedido de liberdade feito ao STJ, a defesa de Ângelo Goulart alegou que o procurador deve ser solto porque outros investigados foram beneficiados por habeas corpus concedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Os advogados também alegaram que o empresário Joesley Batista, dono da JBS e delator nas investigações, disse desconhecer promessa de pagamentos mensais de R$ 50 mil para obter informações do procurador.

Ursinho Pooh é vetado na China após virar meme de presidente

Ursinho Pooh é vetado na China após virar meme de presidente

Ursinho Pooh, o carismático personagem da Disney que se lamenta pela pouca inteligência, foi comparado por internautas ao presidente chinês, Xi Jinping, e acabou sendo banido das redes sociais do país.

Comentários com o termo “Pequeno Urso Winnie”, como o personagem é popularmente conhecido na China, estão sendo bloqueados pelo governo de Pequim. Qualquer postagem é retornada ao internauta com uma mensagem de erro, alegando que o “conteúdo é ilegal”.

As comparações entre Xi Jinping e o personagem da Disney começaram em 2013, quando circulou nas redes um meme de Pooh com o amigo Tigrão, ao lado de uma fotografia do presidente chinês com Barack Obama, ex-líder dos Estados Unidos.

Já em 2014, veio outra comparação. Viralizou na web chinesa uma fotografia de Xi Jinping apertando a mão do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, ao lado de imagem de Pooh apertando o casco do burro Bisonho.

Fonte: metropoles.com

“Seu covarde, nós vamos ocupar esse Brasil”, diz Gleisi Hoffmann em ataque a Moro; vídeo

"Seu covarde, nós vamos invadir esse país", diz Gleisi em ataque a Moro; vídeo

Acusada na Lava-Jato (juntamente com seu marido) de receber R$ 1 milhão de forma ilegal, a senadora  Gleisi Hoffmann usa e abusa do foro privilegiado e não mede as palavras ao atacar as autoridades do país.

Na última quinta-feira, a senadora disse que Moro é um “covarde” e acusou o magistrado de trabalhar a favor “daqueles que querem acabar com a democracia”.

“Você é um covarde ao dar essa sentença contra o presidente Lula […] nós somos luta. Sabemos ocupar a mesa do senado, sabemos ocupar terras improdutivas e vamos ocupar esse Brasil”.


Fonte:diariodobrasil.org

Bruna Marquezine e Mariana Ximenes fazem topless; 1,2 milhões de likes

As atrizes estão curtindo juntas as férias nas águas de Ibiza

Bruna Marquezine e Mariana Ximenes pararam a internet com os cliques da viagem que fizeram a Ibiza, na Espanha.

As atrizes passaram uma temporada no país e aproveitaram para compartilhar com seus seguidores uma foto na qual aparecem fazendo topless em uma piscina interna.

Além do clique em conjunto, as artistas postaram fotos individuais sem biquíni enquanto curtiam as águas do local. As postagens já acumulam mais de 1,2 milhão de curtidas.

Os fãs das estrelas não pouparam elogios às duas: “Sereias!”, “Como cabe tanta beleza no planeta?” e “Minhas duas atrizes favoritas do mundo inteiro!” foram algumas mensagens deixadas pelos seguidores da dupla.

????

Uma publicação compartilhada por Bruna Marquezine ♡ (@brumarquezine) em

????

Uma publicação compartilhada por Mariana Ximenes (@marixioficial) em

Investigação de massacre em presídio do Amazonas ainda não foi concluída

Investigação de massacre em presídio do Amazonas ainda não foi concluída

Passados mais de seis meses do massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), no Amazonas, não há previsão para o encerramento das investigações, informou, em nota, a Polícia Civil do Estado. A rebelião de 1º de janeiro resultou na morte de 56 detentos e na fuga de 119.

“O caso é complexo e algumas centenas de pessoas já foram ouvidas desde o dia 8 de janeiro deste ano, quando começaram as apurações”, acrescenta a nota da Polícia Civil. O inquérito está em fase de oitivas e interrogatórios.

A Polícia Civil estima que pelo menos 200 detentos sejam indiciados por envolvimento nas mortes, mas ressalta que o número que “só será confirmado ao final das investigações”. Os envolvidos vão responder por homicídio, lesão corporal e constrangimento ilegal.

De acordo com dados da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária, 43 detentos do regime fechado do Compaj continuam foragidos. Também no primeiro dia do ano, 106 internos do Instituto Penal Antônio Trindade conseguiram escapar e 71 foram recapturados. Ao todo, nas duas penitenciárias, foram 225 fugiram e 145 foram recapturados.

A Força Nacional de Segurança Pública está atuando nos presídios da capital amazonense desde 10 de janeiro. Quase 300 presos ameaçados de morte na rebelião foram transferidos pela Secretaria Estadual Segurança Pública para a Cadeia Desembargador Raimundo Vidal Pessoal, no centro de Manaus, que foi reativada emergencialmente.

No presídio também ocorreram quatro mortes de internos e fugas. Devido às condições precárias do local, no dia 15 de maio, os 162 detentos que ainda estavam na cadeia foram transferidos para um novo presídio, Centro de Detenção Provisória. A Cadeia Pública foi desativada definitivamente. O espaço tem 110 anos e foi fechado pela primeira vez em outubro de 2016 por recomendação do Conselho Nacional de Justiça.

Fonte: agenciabrasil

A trágica história por trás do clipe de ‘See you Again’, que se tornou o vídeo mais visto na história do YouTube

“See you again” superou Gangnam Style como o mais visto na plataforma de vídeos; seus compositores se inspiraram não só em morte de ator em 2013, mas também em experiências pessoais

A comovente música “See you again” se tornou na semana passada o vídeo mais visto na história do YouTube, com 2.909.402.388 visualizações.

Para chegar ao primeiro lugar, teve que desbancar um “peso pesado” da plataforma de vídeos online: o hit sul-coreano “Gangnam Style” que, cinco anos depois de ter alçado o cantor Psy à fama, reinava absoluto.

A nova música número um é interpretada pelo rapper Wiz Khalifa e pelo cantor Chris Puth e faz parte da trilha sonora do filme “Velozes e Furiosos”.

Também contou com a produção de Justin Franks (conhecido como DJ Frank E), um jovem músico de Los Angeles.

Em comum, todos eles buscaram inspiração em um mesmo tema: a morte – e como lidaram com o trauma de ter perdido amigos ou parentes.

“See you again” foi lançada em 2015 para promover o sétimo lançamento da franquia “Velozes e furiosos”, que também tinha um tom de luto: foi o primeiro filme lançado depois da morte de um de seus protagonistas, Paul Walker, em um acidente de carro em novembro de 2013.

História

A saga nunca chamou atenção por oferecer momentos sensíveis, profundos ou melodramáticos. São filmes repletos de ação, que seguem à risca o manual de como produzir um blockbuster em Hollywood.

Por isso, a Universal Pictures, dona da franquia, convocou uma série de músicos para compor uma música que pudesse servir de homenagem ao ator.

Frank diz que se inspirou em uma perda irreparável: a morte de um de seus melhores amigos.

“Não lembro de ter escrito uma letra e imediatamente depois ter chorado por um longo tempo como aconteceu com essa música”, confessa Franks à BBC.

Paul Walker morreu em 2013 em um acidente de trânsito em uma estrada na Califórnia

“Essa perda teve um efeito profundo na minha vida e, pelos números do vídeo, é claro que não estou sozinho nesse sentimento”.

Segundo o produtor, “eu já havia composto músicas para a rádio, para alguns clubes, mas esta foi a primeira vez em que senti que uma música minha importava. Importava para a família do meu amigo e para a de Paul Walker”.

Puth passou por uma experiência semelhante.

“Eu não conhecia Frank, mas, quando nos encontramos pela primeira vez, vimos que compartilhávamos a mesma experiência sobre a morte de amigos próximos. Decidimos falar sobre essas perdas na canção. E, depois de interpretá-la no piano, a enviamos para a Universal”, diz ele ao jornal americano Los Angeles Times.

Uma dessas perdas foi a de Vail Cerullo, um colega de Puth na Universidade de Berkeley, onde ambos estudavam música. Cerullo morreu em um acidente de moto em 2012.

Esse sentimento é transmitido na letra: “How can we not talk about family when family’s all that we got?/Everything I went through you were standing there by my side”, que pode ser traduzido como “Como podemos não falar de família, quando a família é tudo que temos?/Você sempre esteve ao meu lado durante tudo que passei”.

“Quando a vimos pronta, eu a cantei para minha família. Caí em prantos diante deles e pude ver a reação em seus rostos. Foi algo muito poderoso”, diz Franks. “Depois a interpretamos para a família do meu melhor amigo e do amigo de Charlie (Puth). Sentimos que havíamos composto algo que importava”.

Assim, a música foi escolhida para a última cena do filme, em que há uma homenagem a Walker.

Dilma, Jean Wyllys e Stédile darão aulas na pós-graduação ‘A Esquerda no Séc. XXI’

Dilma Rousseff, Jean Wyllys, João Pedro Stédile, Guilherme Boulos, Olívio Dutra. Essas figuras do mundo político e de movimentos sociais, ao lado de tantas outras – e mais algumas a confirmar, como Jandira Feghali – fazem parte do corpo docente da pós-graduação “A Esquerda no Séc. XXI“, do Instituto Dom José. O curso, que será pago, começará em 4 de agosto e deve durar um ano.

As aulas acontecerão em Chapecó (SC), na sede do instituto, a partir de módulos. De quinze em quinze dias, o professor ou professora dará aula na noite de sexta-feira e durante o sábado seguinte. A ex-presidente, por exemplo, lecionará em setembro, ao lado do ex-governador do Rio Grande do Sul e fundador do PT, Olívio Dutra. O tema será: “Partidos políticos e a Esquerda Brasileira”.

A pós-graduação, que terá duração de um ano, custa R$ 7,6 mil (todo o curso). O instituto previa, antes da divulgação da grade curricular, que as aulas começassem em 14 de julho. Mas, com a alta demanda de estudantes, tiveram de adiar o início do curso e prorrogar a seleção – que consiste em uma indicação de alguma entidade de classe trabalhadora, um breve histórico da vida de militância, e, se houver, diploma de graduação. A programação foi divulgada no site do deputado Pedro Uzcai (PT-SC).

Grade curricular do curso ‘a esquerda no séc. XXI’ Foto: Reprodução/Site de Pedro Uzcai

 

Grade curricular do curso ‘a esquerda no séc. XXI’ Foto: Reprodução/Site de Pedro Uzcai

Segundo o próprio instituto, eles receberam mais de 500 emails de interessados. O fato de o curso ser presencial ajudou-os na primeira seleção. Agora têm por volta de 100 nomes para 70 vagas. Quem não tiver curso de graduação também poderá participar, mas obrigatoriedade de trabalho de conclusão de curso e, ao final, terá um certificado de curso de extensão.

Até o momento, estão confirmados outras figuras políticas, como o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que dará o curso de “Cultura, diversidade e experiências socialistas” em novembro – possivelmente, ao lado da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que ainda deve confirmar. Outros nomes ainda devem confirmar, como o teólogo Leonardo Boff e o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ).

João Paulo Stédile, líder do MST, falará por 15 horas sobre movimentos sociais do campo, e Guilherme Boulos, do MTST, sobre movimentos sociais urbanos. Também está confirmada a ex-ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres da gestão Dilma, Eleonora Menicucci, para falar sobre questões étnico-raciais.

O Instituto Dom José é uma entidade sem fins lucrativos. Para a realização do curso, conta com o apoio da Universidade Federal da Fronteira do Sul (Uffs) e da Fundação Perseu Abramo.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Eike diz desconhecer interferência de Cunha na liberação de recursos da Caixa

Em depoimento perante a Justiça Federal em Brasília, o empresário Eike Batista disse hoje (17) que desconhece suposta interferência do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na liberação de recursos da Caixa Econômica Federal. Ao juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, Eike disse que a questões sobre financiamentos obtidos por suas empresas não era tratada diretamente por ele.

A oitiva foi feita por meio de videoconferência no âmbito da Operação Cui Bono, da Polícia Federal, que investiga um suposto esquema de corrupção na Caixa, no período entre 2011 e 2013. Eike compareceu à sede da Justiça Federal no Rio de Janeiro.

Segundo o empresário, as questões da OSX, uma de suas empresas, que usou financiamento do banco nas obras do Porto Açu, no Rio, eram tratadas pelos diretores, e não por ele, que presidia o conselho de administração.

Eike prestou depoimento na condição de testemunha de defesa do investigado Lúcio Funaro, preso na Superintendência da Polícia Federal na capital federal. Na ação penal, além de Funaro, são réus o ex-deputado Eduardo Cunha e o ex-ministro Geddel Vieira Lima. Todos são acusados de participar do suposto esquema de corrupção na liberação de recursos do banco.

Preso no fim de janeiro em outra operação, a Eficiência, um desdobramento da Lava Jato, em abril, Eike foi beneficiado por habeas corpus concedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. O empresário é réu na Justiça Federal do Rio por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Fonte: agenciabrasil