Coluna – Estados não podem bloquear sinal de celular, mas a União também não faz nada

Onda de violência em Rio Branco (AC) no último fim de semana foi causado pelo bloqueio de um serviço que os presos não podem ter

Deu ruim

O senador Valdir Raupp teve o apartamento em que mora na capital federal bloqueado a mando do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal em função das investigações da Operação Lava Jato. Para quem não sabe ou não lembra, Raupp foi acusado de receber R$ 500 mil em forma de doação de campanha, nas eleições de 2010. O STF acha que foi propina, o senador diz que foi tudo declarado e que não houve ilegalidade. O inquérito contra Raupp é sigiloso, e não se sabe os detalhes do bloqueio, de qualquer forma, o senador explicou que o imóvel não é dele e sim de sua esposa e que ainda faltam 10 anos de parcelas para que esteja quitado junto ao Santander. Raupp ainda não entendeu que a insegurança jurídica tomou conta do país e que a justiça bloqueia o que bem entende, na hora que quer.

Falando em STF

Os ilustres ministros decidiram, há exatamente um ano, que as leis estaduais que autorizam a instalação de dispositivos que bloqueiam celulares é inconstitucional. Não, você não leu nem entendeu errado. Estados não podem bloquear celulares porque de acordo com a tese defendida pela Associação Nacional das Operadoras de Celular – ACEL – foi a de que a regulamentação sobre telecomunicações é uma competência da União e, portanto, não caberia aos Estados decidir sobre bloqueio de aparelhos celulares. Ao todo, foram julgadas cinco Ações Diretas de Inconstitucional movidas pela organização contra a legislação de quatro Estados: Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Bahia.

Pois é

O problema é que a União não bloqueia, a tal ACEL também não e a bandidagem toma de conta, falando com quem quer, aplicando golpes e ordenando rebeliões e assassinatos. Na época, o então ministro da Justiça Alexandre Moraes, agora ministro no STF, disse que “estava estudando uma forma de resolver o problema”. Ele resolveu, o dele, um emprego vitalício.

Nas fronteiras

O clima é de total insegurança e a situação complica ainda mais com o avanço de facções criminosas atuando nos estados da região Norte. Rio Branco, capital do Acre, viveu um fim de semana de terror com ataques a veículos de transporte coletivo. O motivo, segundo a secretaria de Segurança, foi que os criminosos teriam agido em retaliação ao bloqueio do sinal de celular no Complexo Penitenciário Francisco D’Oliveira Conde, em Rio Branco. Ou seja, preso se rebelando para usar um serviço que ele sequer deveria ter acesso. Coisas do Brasil.

Reforma da previdência

Pelo jeito Rodrigo Maia não vai conseguir aprovar a reforma agora em agosto, como ele anunciou na semana passada. Os partidos acham que ‘não existe clima’ para a votação. E de fato, a situação está ficando complicada para Michel Temer. Em evento no Rio de Janeiro, ele foi vaiado ao falar sobre os “avanços econômicos de seu governo”. Não colou e a frase mais ouvida era o bordão “fora Temer”. Ele aproveitou o momento para declarar que não haverá aumento nas alíquotas do Imposto de Renda, conforme o governo andou avaliando.

E o STF…

Deu sinais claros que deve rever a questão das prisões em segundo grau, que mandou para a cadeia praticamente toda uma legislatura da Assembleia Legislativa de Rondônia. Os deputados denunciados (e condenados) no âmbito da Operação Dominó estão presos graças a decisão que está em vigor desde outubro de 2016. Em julgamento ocorrido na tarde da última terça-feira, os ministros admitiram que devem rever o posicionamento que vem sendo duramente criticado por advogados e constitucionalistas. Para mais detalhes CLIQUE AQUI.

No Senado

E o Senado aprovou nesta quarta-feira a Proposta de Emenda à Constituição que torna imprescritível e inafiançável o crime de estupro. Foram 61 votos favoráveis ao projeto do senador Jorge Viana e foi aprovado em dois turnos.

Na Câmara

Conforme todo mundo já sabia, a tatuagem do deputado federal Wladimir Costa em ‘homenagem’ a Michel Temer saiu com água e sabão. Era de henna. Ele disse que estava bêbado quando fez e que o tatuador o teria enganado. Pois é, assim é a classe política brasileira, sempre dando um jeito de iludir até eles próprio.

Solidão pode ser mais fatal do que a obesidade, afirma estudo

A solidão pode ser um risco para a saúde tanto quanto a obesidade, de acordo com um novo estudo apresentado no congresso anual da Associação Americana de Psicologia. O estudo sugere que sentir-se solitário, isolar-se socialmente e viver sozinho aumenta o risco de morte prematura em até 50% – enquanto a convivência social poderia prevenir esse risco na mesma medida. De forma contrastante, a obesidade eleva o risco de morte antes dos 70 anos em até 30%. No estudo, os pesquisadores incitam que habilidades sociais deveriam ser ensinadas na escola, assim como ser incentivadas pelos médicos, principalmente aos pacientes mais velhos. Pessoas em idade de aposentadoria deveriam planejar ou participar de encontros sociais, por exemplo. “Com um crescente envelhecimento da população, o efeito sobre a saúde pública só deverá aumentar. De fato, muitos especialistas sugerem que estamos enfrentando uma ‘epidemia de solidão’. O desafio que enfrentamos agora é como solucionar esse problema.”

Garoto de 9 anos se candidata à vaga da Nasa de ‘protetor da Terra’ e recebe resposta

Garoto de 9 anos se candidata à vaga da Nasa de 'protetor da Terra' e recebe resposta

Depois de lançar uma vaga para o cargo de “oficial de proteção planetária”, a Nasa se surpreendeu ao receber uma carta de um garoto de nove anos que tinha interesse em ocupar a posição. A função do cargo é evitar a contaminação biológica no espaço e na Terra, impedindo a entrada de pequenos micróbios de outros planetas no nosso e vice-versa. A correspondência de Jack Davis, que assina como “guardião da galáxia” da quarta série, chamou tanta atenção que a agência espacial americana enviou até uma resposta.

Como todo bom candidato, Jack começa a carta destacando porque seu perfil seria perfeito para a vaga: já assistiu vários filmes de espaço e alienígenas e também é muito bom jogando videogame. “Posso ter nove anos, mas acho que estaria apto para o trabalho. Uma das razões é que minha irmã diz que eu sou um alien. Eu assisti quase todos os filmes de espaço e aliens que pude. Eu também assisti à série Agentes da S.H.I.E.L.D. e espero ver o filme Homens de Preto. Eu sou ótimo em jogos de videogame. Eu sou jovem e por isso posso aprender a pensar como um alienígena”, escreve Jack.

Em resposta, o diretor da Divisão de Ciência Planetária, James L. Green, diz que “é ótimo” que o garoto esteja interessado em ser um dos funcionários da Nasa. “Nosso cargo de oficial de proteção planetária é realmente muito legal e é um trabalho muito importante. É para proteger a Terra de minúsculos micróbios quando trazemos amostras da Lua, de asteroides e de Marte. Trata-se também de proteger outros planetas e luas dos nossos germes, enquanto exploramos de maneira responsável o sistema solar”, escreveu.

“Estamos sempre à procura de futuros cientistas e engenheiros brilhantes para nos ajudar, então espero que você estude muito e vá bem na escola. Esperamos vê-lo aqui na Nasa um dia!”

O emprego dos sonhos de Jack foi lançado em julho pela agência espacial americana. O salário anual oferecido é de até 187.000 dólares (o que equivale a 582.000 reais). Podem concorrer à vaga cidadãos americanos com diploma em física, engenharia ou matemática.

Fonte: veja.com

Suspeito de estupro no Ceará é exonerado de cargo em administração do DF

O governo do Distrito Federal exonerou, nesta quarta-feira (8), o servidor suspeito de estuprar uma jovem de 17 anos em Fortaleza, no Ceará, no último domingo (6). O homem trabalhava na administração regional de Águas Claras e, segundo a publicação, ocupava o cargo de gerente de cultura, esporte e lazer. Ele estava no cargo desde abril de 2016.

Johnbertson Bezerra foi identificado, incialmente, como servidor do Tribunal de Justiça do DF. Ele e um estagiário do tribunal foram presos em Fortaleza no último fim de semana por abusarem de uma adolescente de 17 anos. Eles ainda filmaram o ato e compartilharam em grupos de aplicativo de mensagens. Os dois permanecem presos em Fortaleza.

O governo do DF não confirma, oficialmente, que a exoneração tenha sido motivada pela prisão. Procurado, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal não respondeu até a última atualização desta reportagem.

Trecho destacado mostra exoneração de servidor público do DF acusado de estupro no Ceará (Foto: Diário Oficial/Reprodução)

Os amigos viajaram de Brasília para Fortaleza na semana passada e postaram fotos da chegada nas redes sociais. Nas imagens eles aparecem com os mesmos bonés que usavam no momento da prisão.

Suspeitos publicaram foto em rede social dias antes do crime (Foto: Facebook/Reprodução)

Relembre o caso

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Ceará, os dois suspeitos conheceram a adolescente na manhã do último sábado (5) e combinaram de se encontrar novamente. O segundo encontro ocorreu naquela mesma noite.

Segundo a polícia de Fortaleza, durante o encontro, a adolescente ingeriu bebida alcóolica junto com os dois suspeitos. No domingo, por volta de 16h, a jovem foi levada ao hotel em que os dois estavam hospedados.

A denúncia de abuso foi feita à Polícia Militar pelas amigas da vítima, que receberam dos suspeitos o vídeo compartilhado em um grupo de WhatsApp. “Os homens levaram a adolescente para o quarto de um flat e divulgaram um vídeo da garota no qual ela aparece desacordada e nua, em um grupo de mensagens instantâneas criado com as amigas da garota. Um dos suspeitos chega a tocar na garota”, afirmou a Secretaria de Segrança Pública do Ceará.

Os suspeitos foram levados para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), onde foram ouvidos e autuados por gravar material pornográfico envolvendo menor de idade, conforme estabelece o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O autor do vídeo também foi autuado por estupro de vulnerável, por ter tocado na jovem, e por divulgar material pornográfico envolvendo adolescente.

Os aparelhos celulares dos suspeitos foram apreendidos e serão submetidos à perícia na Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). O caso foi transferido para a Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente, que dará continuidade às investigações.

Desacordada

Em entrevista à TV Verdes Mares, afiliada da TV Globo em Fortaleza, a adolescente de 17 anos disse que estava desacordada e que desmaiou após beber um copo de cerveja na companhia dos dois homens.

“Não sei se eles me deram algo, não vou afirmar, mas também não vou dizer que não deram, porque eu não lembro.”

“Eu lembro que eu fui ao banheiro. Quando eu saí, o meu copo estava vazio; quando voltei, estava cheio. Aí eu derramei. Quando eu derramei, eu coloquei mais bebida e desde aí eu não me lembro mais nada. Quando eu acordei, tinha enfermeiros e policiais no quarto. Até então, eu não lembro de mais nada”, continua a adolescente.

A polícia informou que aguarda resultado de exames para saber se a garota ingeriu alguma substância que a deixou desacordada. Em depoimento aos policiais, os suspeitos afirmaram que o sexo foi consentido.

Fonte: g1/df

‘Não aceitamos crianças’: avanço da onda ‘childfree’ é conveniência ou preconceito?

No resort do sul do país, “é permitida a hospedagem apenas de maiores de 18 anos, para manter o clima de sossego total para nossos hóspedes”. No restaurante de São Paulo, crianças com menos de 14 anos são vetadas porque “o espaço não está adaptado para recebê-las”. Na companhia aérea internacional, a “zona silenciosa” é exclusiva para “viajantes com dez anos ou mais e para viajantes que não estejam viajando com menores de dez anos”, porque “todos precisamos de um pouco de paz e silêncio”.

No Brasil e no mundo, formou-se um nicho de espaços que rejeitam a presença de crianças, com a justificativa de garantir a tranquilidade dos demais clientes.

O nicho vem na esteira do movimento “childfree” – “livre de crianças” -, que existe desde os anos 1980 nos Estados Unidos e no Canadá para agrupar adultos que se sentiam discriminados pela sociedade por não terem filhos.

Hoje, porém, parte desse movimento childfree vai além do “não quero ter filhos” e adota o discurso de “não gosto de crianças” ou “não quero crianças por perto” e ganha corpo nas redes sociais.

“Não sou obrigada a aguentar crianças mal-educadas que não sabem se comportar”, “muitos pais não impõem limites” e “os estabelecimentos têm o direito de escolher quem vão servir” foram alguns dos argumentos citados por leitores da BBC Brasil ao serem questionados, no Facebook, se achavam correto o limite imposto à presença de crianças em determinados locais.

Mas outros pontos também foram levantados: “Será que todos aqui nasceram adultos e não lembram como é ser criança?”; “E se os restaurantes passarem a proibir também pessoas velhas, gordas e feias, será aceitável?”

Mas afinal, esse tipo de veto a crianças está dentro da lei? E quais as consequências sociais desse tipo de medida?

Livre iniciativa x discriminação

Há diferentes interpretações jurídicas sobre o tema.

A advogada Fabiola Meira, doutora em direito das relações de consumo e professora-assistente da PUC-SP, defende que o veto é aceitável se for previamente (e claramente) informado ao consumidor para não lhe causar constrangimento.

“Há quem diga que pode haver preconceito, mas acho que locais privados podem adotar um modelo de negócios para um público diferente (que restrinja crianças), com base na livre iniciativa”, diz à BBC Brasil. “Não é algo contra uma raça ou nacionalidade, que seria uma discriminação.”

Já Isabella Henriques, representante do instituto Alana, organização de defesa dos direitos infantis, diz que, feita a ressalva a locais que sejam impróprios por trazerem perigos às crianças, “o veto é discriminatório sim, por estar excluindo um segmento da sociedade. Abre precedentes para se excluírem também, por exemplo, pessoas com deficiência”.

“O fato de um estabelecimento ser privado não o exime de ter de cumprir a Constituição, que em seu artigo 5º diz que todos são iguais perante a lei, e que no artigo 227 diz que crianças e adolescentes têm prioridade absoluta”, argumenta Henriques.

Sites de resort e companhia aérea vetados para criançasREPRODUÇÃO – Resort e companhia aérea adotaram veto a crianças

O tema também chegou a Brasília. Em maio, a Comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara dos Deputados rejeitou um projeto de lei do deputado licenciado Mário Heringer (PDT-MG) que proíbe estabelecimentos comerciais de vetar o acesso a crianças e adolescentes.

No projeto – que ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara -, o deputado argumenta que esse tipo de veto é “abusivo” e expõe clientes a “constrangimento”.

Para o relator Covatti Filho (PP-RS), porém, “não se trata de um tratamento discriminatório das crianças ou mesmo das famílias, mas da exploração legítima de um nicho de mercado”.

‘Olhar fraterno’

Muitos empreendimentos privados argumentam que seus espaços não foram projetados para os pequenos.

“Temos muitos morros aqui e sacadas que são perigosas para crianças”, diz à reportagem a gerência de um resort exclusivo para adultos em Santa Catarina. “E nossa proposta é de proporcionar algo mais romântico e reservado, para casais em lua de mel ou para o Dia dos Namorados. Sempre informamos antes, então isso nunca atrapalhou.”

A advogada Aline Prado é autora de um comentário com mais de 300 curtidas no post da BBC Brasil sobre o tema. “Pessoas que não têm filhos também precisam ter a liberdade de escolher frequentar um ambiente sem crianças”, opina, agregando que “é comum vermos crianças desconfortáveis em alguns ambientes. Não é obrigação dela se comportar como adulto, mas ela não deveria ser exposta a isso por adultos”.

Mas defensores dos direitos infantis veem essas restrições como evidências de uma sociedade mais intolerante e egoísta.

“Se não conseguimos conviver com as crianças e entender suas necessidades, que sociedade queremos ter no futuro? Uma que confine as crianças apenas a locais específicos gerará adultos que não sabem se relacionar”, opina Isabella Henriques, do Alana.

“A voz infantil incomoda por não ter os filtros sociais. (Mas) é o nosso valor do presente. As crianças têm direito a voz e a se expressar e a brincar de forma distinta do adulto.”

Página de grupo childfree no FacebookREPRODUÇÃO – Página de grupo childfree no Facebook; movimento começou reunindo pessoas que se sentiam socialmente excluídas por sua decisão de não ter filhos

Para a autora Elisama Santos, consultora em comunicação não violenta e educadora parental, faz parte da vida em sociedade aprender a lidar com o choro infantil – assim como outros inconvenientes das relações pessoais.

“Adultos têm que saber que o mundo não é só deles. O choro da criança incomoda, assim como o adulto bêbado também incomoda e ele não é (previamente proibido) nos lugares”, opina.

“A ideia de que a criança é indesejada é violenta com ela e com sua família, numa época em que a maternidade das grandes cidades é exercida em grande solidão e muitas mães têm uma rede de apoio pequena – não têm com quem deixar o filho quando precisam ir ao médico, se alimentar, se divertir. Em que momento esquecemos que as crianças é que vão perpetuar o nosso mundo?”

A farmacêutica paulista Talita (nome fictício) sentiu isso na pele. Quando seu primeiro filho tinha 3 meses de vida, ela e o marido arriscaram uma ida a uma pizzaria em Santos (SP). O bebê chorava com cólica e com o calor, até que os donos do estabelecimento sugeriram que a família fosse comer a pizza em casa.

“Mais do que chateada, fiquei traumatizada mesmo”, diz Talita. “Foi uma de nossas primeiras e últimas saídas com o bebê nos primeiros meses, com medo das reações das pessoas (ao choro), porque criança é assim, imprevisível.”

Criança em restauranteGETTY IMAGES – ‘Temos também pais cansados, com filhos que precisam comer. Que tal encarar situações com um outro olhar?’, sugere especialista

Por situações como essa, Santos e Henriques defendem um “olhar fraterno” perante pais de crianças que estejam chorando ou falando alto em público.

“Muitos de nós vivemos em cidades não amigáveis para crianças, com poucos parques ou espaços adequados. Aí elas entram no restaurante e saem correndo e ‘a culpa é da mãe que não dá limites’, quando a questão é muito mais complexa”, opina Henriques.

“Temos também pais cansados, com filhos que precisam comer. Que tal encarar situações (de mau comportamento) com um outro olhar, oferecendo-se para brincar com a criança enquanto o pai come? No fim das contas, vale o ditado de que é preciso uma aldeia para criar uma criança – é uma responsabilidade coletiva. E isso não significa deslegitimar quem não quer ter filhos, uma escolha que também precisa ser respeitada.”

Pabllo Vittar explica porque manteve o nome no masculino

Pabllo Vittar explica porque manteve o nome no masculino

Participando do programa Encontro com Fátima Bernardes desta quarta-feira (9/8), a cantora Pabllo Vittar explicou o porquê de usar um nome artístico masculino mesmo como drag queen.

“Nunca senti a necessidade de optar por um nome feminino porque, quando eu decidi fazer drag, eu queria passar verdade através da minha arte, música, do que eu acho que sou eu. Pabllo me representa de uma forma que você não tem noção”, explicou Pabllo, cujo nome verdadeiro é Phabullo Rodrigues da Silva.

“Acho que se eu tivesse um nome feminino, não ia passar tanta verdade. Não gosto de me trancar em uma caixa. Gosto de ser afeminada, de ser isso aqui, de sair na rua às vezes de boné. Eu gosto de ser o que eu quiser ser”, completou a cantora.

Pabllo vem colhendo os frutos da sua ascensão meteórica ao sucesso. Nesta mesma semana, a Globo revelou que a cantora irá se apresentar junto com Sandy no show deste ano do Criança Esperança, no dia 19 de agosto.

Fonte: metropoles.com

STJ arquiva investigação sobre governador de Minas Fernando Pimentel

STJ arquiva investigação sobre governador de Minas Fernando Pimentel

Uma sindicância aberta contra o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), para apurar suspeita de obstrução à Lava Jato, foi arquivada por decisão do ministro Raul Araújo, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a pedido do Ministério Público Federal (MPF).

O MPF concluiu que não havia indícios suficientes de que Fernando Pimentel, enquanto ministro do governo Dilma Rousseff, teria efetivamente promovido embaraços às investigações da Lava Jato.

“O arquivamento já era esperado. Era absolutamente insensata a suposição que deu causa à sindicância. O que se confirmou posteriormente. Enfim, nem tudo que reluz é ouro”, disse em nota o advogado de Pimentel, Eugênio Pacelli. O possível envolvimento do governador de Minas em supostas tentativas de eliminação de provas da Operação Lava Jato foi descrito em delações dos executivos do grupo Odebrecht João Carlos Mariz Nogueira e Marcelo Odebrecht.

Os delatores disseram que teriam se reunido com Pimentel e pedido que o então ministro levasse à presidente Dilma Rousseff uma preocupação com o avanço da megaoperação. Mas, para o MPF, não foram verificados atos concretos praticados por Pimentel neste sentido.

“Acata-se a redistribuição e acolhe-se a promoção ministerial para (…) determinar o arquivamento da presente Sindicância”, decidiu o ministro Raul Araújo.

Denúncias
Pimentel já é alvo de duas denúncias do Ministério Público Federal apresentadas ao Superior Tribunal de Justiça. Após a Corte ter decidido que não era possível analisar a denúncia sem o aval prévio da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, uma decisão do Supremo Tribunal Federal liberou o STJ da necessidade de licença prévia do Legislativo estadual. Com base nisso, a Corte resolveu retomar o processo, de relatoria do ministro Herman Benjamin. Ainda não há data para o julgamento em que a Corte Especial do STJ decidirá se aceita a denúncia e torna réu o governador.

Em uma das denúncias, ele é acusado de solicitar e receber propina de R$ 2 milhões da montadora de veículos Caoa, em troca da concessão de benefícios tributários para a empresa, quando o atual governador era ministro do Desenvolvimento, durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff.

Na outra denúncia, Pimentel é acusado de pedir e levar propina para facilitar liberação de recursos para dois projetos da Construtora Odebrecht. Em delação premiada, o empresário Benedito Rodrigues de Oliveira, disse que o governador pediu R$ 20 milhões, mas que a empreiteira aceitou pagar R$ 15 milhões.

Fonte: metropoles.com

Ponte sobre o rio Santa Cruz necessita de manutenção, alerta Alex Redano

Ponte sobre o rio Santa Cruz necessita de manutenção, alerta Alex Redano

Péssimas condições da ponte colocam em risco a vida dos moradores da região

O deputado Alex Redano (PRB) indicou ao Poder Executivo Estadual e ao Departamento de Estradas de Rodagens (DER) a necessidade de manutenção da ponte sobre o rio Santa Cruz, na Linha C-85, no município de Alto Paraíso.

Segundo o parlamentar, a ponte se encontra em péssimas condições de conservação e intrafegável, “tanto que os veículos de transporte escolar e cargas pesadas estão impossibilitados de transitar”.

Redano explica que o número de acidentes e avarias são grandes, sendo registrados rotineiramente pela comunidade local e por este fato, pede providências imediatas do DER para que execute a manutenção.

Deputado Edson Martins indica melhorias na Linha 3 em Rio Pardo

Edson Martins propõe Voto de Louvor a datiloscopistas de Rondônia

Parlamentar pede o rebaixamento ou desvio da serra nas proximidades do Km 3

O 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Edson Martins (PMDB), indicou ao governo do Estado, via Departamento de Estradas de Rodagens (DER) da necessidade de rebaixamento ou desvio da serra nas imediações do KM 08, da Linha 03, do Distrito de Rio Pardo, no município de Porto Velho.

Segundo o parlamentar, há riscos quanto a segurança da população ao trafegar na linha, tendo em vista a serra ser muito alta, impedindo o fluxo regular de veículos especialmente os mais pesados que trafegam escoando a produção da região.

Edson Martins ressalta que as mudanças se fazem pertinentes, até para que se evite acidentes no local, o que pode colocar em risco a vida das pessoas, concluiu o parlamentar.

Cleiton Roque anuncia máquinas agrícolas e outros benefícios para Cujubim e região

Cleiton Roque parabeniza administração de Pimenta Bueno e elogia a classe trabalhadora

O parlamentar parabenizou a Câmara Municipal e afirmou que está de portas abertas para receber projetos

O deputado Cleiton Roque se reuniu na tarde de terça-feira (6) com os vereadores José Viola (PSB) e Daniel Camelo (PP) de Cujubim para discutir diversos projetos, que irão beneficiar o município e a região.

Segundo o parlamentar, o município receberá dois implementos agrícolas que estão em fase de licitação, além de um trator que está aguardando chamamento para ser entregue. “O trator nós conseguimos em uma emenda do ano passado. Os implementos, assim que licitados será mais benefício para os pequenos produtores da região”, afirmou.

Além das máquinas, o deputado também irá liberar uma emenda parlamentar individual para a construção de uma praça do distrito de Alto Gurajus. “Será um investimento em torno de R$ 250 mil para melhorar o distrito que está em fase de desenvolvimento”.

Por fim, o deputado parabenizou a Câmara Municipal de Cujubim e afirmou que o gabinete está aberto para todas as lideranças da região. “Gosto muito do município e de seus distritos e admiro o trabalho dos vereadores de lá. Minhas portas estão abertas para qualquer proposta”, concluiu.

Ex-negociador de paz com as Farc quer ser candidato à Presidência da Colômbia

Ex-negociador de paz com as Farc quer ser candidato à Presidência da Colômbia

O ex-negociador do governo colombiano nos diálogos de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Humberto de la Calle, anunciou nesta quarta-feira (9) que deseja concorrer à Presidência do país nas eleições de 2018. A informação é da EFE.

“Tomei a decisão de colocar meu nome à disposição dos colombianos como candidato presidencial”, disse Da Calle em uma coletiva de imprensa em Bogotá, quando esclareceu que não pedirá apoio das Farc para uma proposta política. Mas demonstrou interesse em buscar uma coalizão de movimentos para respaldar sua aspiração presidencial e “ganhar no primeiro turno”.

Da Calle, que durante quatro anos comandou a equipe do presidente Juan Manuel Santos nas conversas que levaram à assinatura de um acordo de paz com as Farc em novembro de 2016, assegurou que se sente “capacitado para conduzir o país pelo caminho da paz, do diálogo, da união entre todos, para levá-lo adiante”.

O ex-chefe negociador assegurou que tem “uma dívida de lealdade com o presidente Santos” por tê-lo permitido participar das negociações de paz em Havana, mas disse que não foi “propriamente um membro do governo” e “nem tem responsabilidades sobre outras políticas deste mandato”.

“Me sinto em liberdade de seguir um caminho de transformação e mudança”, acrescentou Da Calle, que já foi vice-presidente da Colômbia entre 1994 e 1996, ministro do Interior e magistrado da Suprema Corte de Justiça, entre outros cargos.

Fonte: agenciabrasil