No Paraguai, brasileiro enfrenta fila, confusão e promoção que não existe

CIUDAD DEL ESTE – Fila para todo lado e confusão não faltaram na Black Friday de Ciudad del Este, Paraguai, na manhã desta sexta-feira, 24. O número de lojas que aderiu à promoção foi menor do que o esperado pelos consumidores e isso exigiu paciência de quem comprava.

Alguns consumidores saíram satisfeitos, mas outros reclamavam. Alguns clientes passaram a noite na fila para garantir a compra e, quando a loja abriu as portas, não encontrou o que havia sido anunciado. Afirmaram que o marketing não correspondia ao que foi anunciado.

A polícia precisou garantir a segurança em frente a uma das lojas. As portas estavam fechadas e os consumidores só podiam entrar em grupos de 10 cada. Em alguns momentos, quem estava no lado de fora se exaltava e batia nas portas. Nem todos que entraram, saíram satisfeitos porque os itens anunciados estavam em falta. “A loja não está liberando tudo, não vale a pena, nem tem celular”, diz José de Oliveira, morador de Foz.

A aglomeração para comprar começou na noite de quinta-feira, 23, e se estendeu até esta sexta-feira pela manhã. Por volta das 5h, a fila já tinha mais de 300 pessoas. No meio da manhã, passava de 500.

Entre os consumidores determinados a enfrentar o desconforto para levar o mais barato para casa estava o estudante de medicina, Ribamar Ferreira, 30 anos. De Tocantis, mas morador da fronteira, ele passou a noite em claro para comprar uma televisão. Chegou na porta da loja às  23h de ontem e saiu com o produto hoje, às 10h.

“Consegui por mais da metade do preço do Brasil”, comemora. Ribamar pagou US$ 99,00 por uma TV 32 polegadas LED da Samsung e disse que não foi difícil ficar na fila porque quando a conversa é boa o tempo passa rápido.

Também parte das lojas que a princípio cumpriam o prometido, a Mega Eletrônicos teve movimento intenso e, segundo os funcionários, representou um aumento de 50% em relação aos dias sem promoção. Os descontos, de 2% a 70%, atraíram consumidores de todo País.

Quem adquiria qualquer produto ainda tinha a chance de participar de um sorteio e ganhar até 70% para comprar qualquer mercadoria. Pela manhã, três clientes conseguiram um desconto de 70% e optaram por levar um iPhone. O smartphone, na versão recém lançada no mercado, iPhone X, está sendo vendido por US$ 1.297 na Black Friday.

A gerente de marketing da loja, Andressa Marques, diz que os produtos mais procurados são celulares e drones. Ela diz, no entanto, que a movimentação está dentro da expectativa para o período. “No fim de ano o movimento triplica.”

Servidor público, Diógenes Luiz, 27 anos, veio de Pernambuco com a família passear na fronteira e aproveitou a Black Friday para comprar. Ele saiu com a sacola cheia do Paraguai, principalmente brinquedos e perfumes, e disse que o desconto realmente compensa. “O desconto é mais real que no Brasil.”

Alguns consumidores saíram satisfeitos, mas outros reclamavam. Foto: DENISE PARO/ESTADÃO

A maior parte das lojas que aderiu à promoção são voltadas para turistas e já conhecidas pelos brasileiros. Algumas vão estender a Black Friday até domingo, 26, e ficam abertas à noite. O comércio de importados de Ciudad del Este conta hoje com cerca de 6 mil lojas.

Fonte: O Estado de S. Paulo

 

Músico chileno acusa Disney de plágio em ‘Let it go’, música tema de ‘Frozen’

Um cantor chileno chamado Jaime Ciero processou a Disney, a cantora Demi Lovato e a atriz Idina Menzel, segundo o site TMZ. Ele acusa a empresa e as artistas de plagiar uma canção sua em “Let it Go”, música que ganhou um dos Oscars da animação “Frozen: Uma aventura congelante” (2013).

Ele diz que o hit, interpretado por Menzel no filme e gravado por Lovato na divulgação, é inspirado em “Volar”, lançada por ele em 2008. Outras pessoas também são alvo da ação.

“Let it go” foi escrita por Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez, casal que escreveu as canções do lançamento mais recente da Pixar (um estúdio da Disney), “Viva – A vida é uma festa”. A animação chega ao Brasil no dia 4 de janeiro de 2018.

Compare as músicas abaixo:

Fonte: g1

Lutador de MMA imobiliza ladrão de celular no Centro de SP; veja vídeo

Passava das 15 horas na Rua Riachuelo, a 100 metros do Ministério Público (MP) de São Paulo, quando o trânsito parou. Todos queriam ver a cena. Nela, um lutador de MMA que trabalha em uma lanchonete do Centro da capital, imobilizava um outro homem em cima da faixa de pedestre. O repórter Walace Lara, da TV Globo, passava pelo local e flagrou a ação com exclusividade (assista abaixo).

O lutador e funcionário de lanchonete Rafael Pereira dos Santos falava para o suspeito imobilizado calar a boca. Em um determinado momento, ele dá socos no outro homem. Ao lado deles, duas mulheres também falavam. Uma delas disse que teve o celular roubado enquanto digitava para uma cliente, na calçada. “Ele puxou e saiu correndo”, relatou.

Por pelo menos 15 minutos os dois homens ficaram em cima da faixa. “Perdi, perdi”, dizia o suspeito. “Você só sai quando a polícia chegar”, avisava Rafael. Outras pessoas acompanham. “Cadê a polícia que não chega?”, disse uma delas. “Não filma não, deixa isso pra lá. Pra que filmar ?”, questionava um senhor grisalho.

Uma algema é providenciada e Rafael finalmente sai de cima do outro homem, sob aplausos. Ao colocar a camiseta, ele é entrevistado. “Já sofri um assalto. Eu sei o quanto é ruim. A polícia prende, a Justiça solta”, afirmou.

Rafael também disse que não ficou com medo do outro homem estar armado. Por volta das 15h30, policiais militares chegaram ao local.

Fonte: g1

Mulher é retirada de trilhos e escapa da morte por um fio na Austrália; vídeo

O caso ocorreu na última terça-feira. A mulher cruzava os trilhos de uma estação de trem à noite. Depois de completar a travessia, ela não conseguiu subir na plataforma.

Ela pediu ajuda, então, a um homem que estava em pé ali. Foi quando uma composição se aproximou rapidamente.

Diante do risco iminente de acidente, três seguranças correram em direção à dupla para ajudar a puxar a mulher pelos braços e retirá-la do caminho do trem.

Eles conseguem fazer isso segundos antes da composição passar pelo ponto onde ela estava.

A Polícia de Melbourne divulgou as imagens para desencorajar novas atitudes como essa.

Fonte: bbc

MP encontra camarão e bolinho de bacalhau na cadeia onde estão os presos da Lava Jato no RJ

O Ministério Público fluminense apreendeu, nesta sexta-feira (24), vários quitutes na cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte. Lá estão presos os ex-governadores Antonhy Garotinho e Sérgio Cabral, além do presidente afastado da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani, e os deputados também afastados Paulo Melo e Edson Albertassi, do PMDB.

As imagens das apreensões foram obtidas com exclusividade pela GloboNews. Nas fotos, as embalagens aparecem marcadas com o nome de Cabral na tampa. Os promotores encontraram os alimentos ensacados em tonéis. Já refrigerantes e iogurtes estavam em baldes de gelo para serem conservados.

Quitutes mais refinados, como camarão e bolinho de bacalhau também estavam no farnel. Há uma resolução da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) que proíbe a entrada de produtos sem que sejam industrializados dentro das cadeias do estado.

Por isso, o MPE vai comunicar o caso ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal. O magistrado é o responsável pelos processos da Lava Jato no estado. Todos os alimentos irregulares foram apreendidos. A operação foi realizada pela Coordenadoria de Segurança e Inteligência do MP.

Na cela de Cabral, promotores encontraram farnel com nome do ex-governador (Foto: Divulgação MP-RJ)
 Fonte: g1

Cabral pede que Bretas se declare impedido de julgá-lo no caso de Eike

A defesa do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) solicitou ao juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, Marcelo Bretas, que ele se declare impedido de julgá-lo no caso referente à operação Eficiência 2. Nele, o ex-governador, preso há um ano, é acusado de receber US$ 16,5 milhões (em valores de hoje, cerca de R$ 53 milhões) de propina do empresário Eike Batista. Procurado pela reportagem, Bretas afirmou que só vai se manifestar nos autos do processo.

Os advogados Rodrigo Roca e Luciano Saldanha Coelho, críticos do desmembramento dos processos, alegam que o fato de Bretas já ter condenado Cabral no que se refere à Operação Calicute (45 anos e 2 meses de prisão, por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertencimento a organização criminosa) o impediria de julgar os demais. Isso porque seria “ilógico e incoerente” ele absolvê-lo já tendo decidido pela condenação no anterior.

Em alegações finais datadas de quarta-feira (22/11) a defesa desqualifica as delações dos irmãos doleiros Marcelo e Renato Chebar, que serviram a Cabral na ocultação de dinheiro sujo, segundo o Ministério Público Federal, pede que os fatos atribuídos a Cabral na Eficiência 2 sejam considerados crime único, e ainda solicita que Bretas decline da competência em favor da Justiça Estadual, “natural da demanda”.

No texto, os advogados voltam a sustentar: “Nunca houve corrupção porque não havia contrapartida aos ditos corruptores; cuidou-se, sim, de malversação de verba privada oriunda de ‘sobras de campanha’, que o acusado recebeu como agente político Aí está a verdade. Nada mais que isto. E nada menos”.

Nas alegações, os advogados acusam os procuradores da República que investigam Cabral de “colorir os fatos de maneira tão viva e com tamanha aparência de verdade, que passou a soar como estultice dizer-lhes o contrário”.

O texto diz ainda que o ex-governador, “condenado a mais de 70 anos de reclusão em apenas três dos dezesseis processos a que responde perante a Justiça Federal, passou – e ainda passa – por todo tipo de escárnio e execração públicos a que um homem pode ser submetido, além de ter sido apontado, por segmentos interessados e pelo próprio MPF, como o protótipo do malfeitor do serviço público” e que vem sendo “responsabilizado por todas as agruras por que passa o Estado que governou por tanto tempo (2007/2014), com êxito e franca aprovação popular, para se encaixar numa tese acusatória confeitada”.

Fonte: metropoles

 

‘Clube da Luta’ volta aos cinemas em versão remasterizada

O icônico filme dirigido por David Ficher, Clube da Luta (1999), com  estrelado por Brad Pitt e Edward Norton volta aos cinemas em versão remasterizada e será exibido no dia 28, às 20h. na rede Cinemark.

Em dezembro, a obra que encerra a programação de 2017 dedicada a grandes filmes aclamados pela crítica e pelo público é Dançando na Chuva (1952), com exibição no dia 12.

No filme, o jovem executivo Jack (Edward Norton) trabalha como investigador de seguros, mas está ficando cada vez mais insatisfeito com sua vida. Para piorar, enfrenta uma terrível crise de insônia e começa a frequentar grupos de autoajuda. Nesses encontros conhece pessoas problemáticas, como a viciada Marla Singer (Helena Bonham Carter) e Tyler Durden (Brad Pitt). Tyler introduz Jack a um grupo secreto que se encontra para extravasar suas angústias e tensões através de violentos combates corporais.

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

‘Azeite’ coloca ministério da Agricultura e Anvisa na mira do MPF

O Ministério Público Federal em São Paulo propôs uma ação civil pública contra a União e a Anvisa para que se possa combater as fraudes nos azeites de oliva. Além de baixa qualidade, o MPF diz que foram encontradas substâncias cancerígenas nos azeites.

“Pensando estar comprando um produto conhecido por seus benefícios à saúde, o consumidor brasileiro acaba adquirindo, via de regra, um produto fraudado que pode, inclusive, trazer-lhe prejuízos à saúde”, alerta a procuradora da República Adriana da Silva Fernandes, autora da ação.

A ação civil foi proposta após uma representação feita pela Proteste – Associação brasileira de defesa do consumidor, que fez testes comparativos e verificou fraudes em quatro amostras de azeite de oliva extra virgens, correspondentes as marcas Figueira da Foz, Tradição, Quinta D’aldeia e Vila Real.

“As amostras apresentaram valores que nem poderiam ser considerados azeites, seriam na verdade uma mistura de oleos refinados, nem sempre provenientes de azeitonas”, anotou o MPF.

Procurado, o ministério da Agricultura não se pronunciou até a última atualização desta notícia.

Fraude constatada

Outros sete produtos foram considerados apenas como “virgens” e não como “extra virgens” como se autodenominam pelos testes da Proteste (La Espanola, Carbonell, Serrata, Beirão, Gallo, Pramesa e Borges).

No inquérito aberto, o MPF pediu aos órgãos de fiscalização que checasse as informações da Proteste. Restaram confirmadas pelos órgãos de fiscalização as irregularidades noticiadas”, afirma a procuradora na ação.

Em muitos casos, apesar de o rótulo indicar azeite de oliva virgem ou extravirgem, o conteúdo é composto por uma mistura de óleos ou nem isso: há exemplos em que se trata apenas de óleo de soja.

Em situações mais graves, foi constatado que os produtos envasados continham azeite lampante, um óleo de baixa qualidade e mais barato para importação, pois é extraído de azeitonas deterioradas ou fermentadas.

O azeite lampante é impróprio para o consumo humano, não havendo garantias de que não possa fazer mal à saúde do consumidor.

Para facilitar a fiscalização, a ação civil pública ajuizada pelo MPF pede que o Ministério da Agricultura edite uma norma técnica com regras para rastrear o azeite de oliva, desde sua eventual importação até a finalização do processo produtivo.

A procuradora pede a criação de um cadastro de pessoas e empresas envolvidas na importação, fabricação e envasamento de óleos vegetais, e que os dados cadastrados sejam compartilhados com a Anvisa e com as Vigilâncias Sanitárias Estaduais e Municipais.

Com relação à Anvisa, o MPF pede que a agência implemente e execute diretrizes técnico-administrativas relativas à importação de óleos vegetais. Atualmente, o MPF diz que a autarquia tem se omitido das obrigações legais, deixando a anuência para a entrada desses produtos no país exclusivamente para o Ministério da Agricultura.

A ação requer ainda que a Anvisa edite norma técnica dispondo sobre boas práticas de produção, refino e envasamento dos azeites de oliva e dos óleos de bagaço de oliva, bem como regulamente os óleos mistos ou compostos, proibindo a mistura dos produtos ou disciplinando sua produção com especificação dos percentuais permitidos de cada item na combinação.

Fonte: g1

Menina de 9 anos é abusada pelo padrasto, engravida e não pode abortar

Um crime bárbaro chocou os moradores de Ventanilla, no Peru. Um padrasto estuprou a enteada de 9 anos e a engravidou. Ameaçada, a menina ficou com medo de contar para a mãe. Cinco meses depois, a mulher notou que a barriga da menina estava muito grande. Ao levá-la até o médico, acabou descobrindo a gravidez de cinco meses.

Segundo informações da imprensa local, o homem estuprava a menina cerca de 10 vezes por dia. Assim que soube que estava sendo procurado pelo crime, o abusador fugiu de casa e é procurado pela polícia. Os médicos não recomendam o aborto por trazer riscos de morte à menina.

Ameaçada por ele, não contou á mãe o ocorrido

A família pede por justiça e pediu ao governo ajuda financeira para oferecer tratamento psicológico à menina. A ministra da Mulher, Ana Maria Choquehuanca, disse que vai tomar todas as medidas para dar assistência à jovem.

Fonte: metropoles

Medicamento reduz em 56% o risco de fratura por osteoporose

Um novo estudo mostrou que a teriparatida, medicamento que atua no mecanismo de formação do osso, reduz em mais da metade o risco de fraturas vertebrais em mulheres com osteoporose grave. A pesquisa inédita publicada recentemente no periódico científico The Lancet comparou, pela primeira vez, a eficácia da teriparatida com a do risedronato na prevenção de fraturas em mulheres com osteoporose grave na pós-menopausa.

A teriparatida é o único medicamento contra a osteoporose que atua na produção de osteoblasto, célula responsável pela formação do osso. Já o risedronato faz parte da classe dos bifosfonatos e atua no combate à ação do osteoclasto, célula que atua na degradação da estrutura óssea.

Estudo

No estudo, que foi realizado com pacientes de mais de 14 países, incluindo o Brasil, 1.360 mulheres, com mais de 45 anos e osteoporose grave (que já apresentavam fratura óssea) na pós-menopausa, foram dividas em dois grupos: o primeiro recebeu injeções diárias de teriparatida e o segundo, um comprimido de risedronato por dia, ao longo de dois anos.

A superioridade da eficácia da teriparatida já foi observada nos primeiros 12 meses de tratamento, com uma queda de 48% na incidência de fraturas vertebrais, o tipo mais comum em pacientes com osteoporose. Após 24 meses, essa taxa subiu para 56%. Houve também uma diminuição de 54% na incidência de fraturas vertebrais novas e agravadas, e redução em 52% na incidência de fraturas clínicas (quando há dor).

“Esses resultados são importantes porque uma fratura por fragilidade aumenta em oito vezes o risco de uma segunda fratura e agora os médicos sabem que há uma opção eficaz para reduzir essa probabilidade”, diz Cristiano Zerbini, reumatologista do hospital Sírio Libanês, diretor do Centro Paulista de Investigação Clínica e coautor do estudo.

Entre as participantes do estudo, cerca de 70% já haviam sido tratadas com pelo menos uma medicação da classe dos bifosfonatos e 10% tinham feito tratamento com cortisona – anti-inflamatório que pode induzir à osteoporose. “Pela primeira vez, um estudo randomizado mostra evidências da superioridade de um agente formador de osso, sobre uma medicação antirreabsortiva. A teriparatida foi bem superior ao risedronato inclusive em pacientes com risco aumentado e já submetidas a tratamento prévio com bifosfonatos. “, afirma Zerbini.

Estrutura óssea

Os ossos são tecidos vivos que atingem seu pico de desenvolvimento por volta dos 20 anos. “Nós fazemos o nosso esqueleto até os 30 anos, mas mais de 90% dele é formado até os 20. Dos 30 aos 45 anos, inicia-se o processo de desgaste, mas nessa fase, tudo o que é tirado é reposto. A partir dos 45 anos, incia-se a perda da massa óssea, que gira em torno de 0,5% ao ano.”, explica o médico.

Portanto, o processo de desgaste ósseo é natural. O problema é que, nas mulheres, a perda de estrogênio característica da menopausa acelera bruscamente esse processo. “O estrógeno é um grande defensor do esqueleto e na menopausa a mulher perde essa proteção. Isso significa que após a menopausa, algumas podem perder entre 3% e 4% de massa óssea ao ano”, afirma o reumatologista.

Osteoporose

Se a perda de massa óssea em qualquer lugar do corpo atingir 25% esse lugar estará osteoporoso, ou seja, sujeito à fratura. O problema é que a fase inicial da doença é assintomática, o que dificulta o diagnóstico precoce.A úncia forma de avaliar é através da sensitometria óssea, exame que avalia a densidade óssea corporal.

Os primeiros sinais de que há algo errado aparecem somente em estágio mais avançado e os mais comuns são: dores nas costas, ombros caídos, abdômen saliente, entre outros. Portanto, a recomendação é de que haja uma avaliação rápida com a realização de exames e adequação de mudanças de hábitos para melhorar a qualidade de vida, evitando as temidas fraturas.

Embora o desgaste ósseo não possa ser interrompido completamente, algumas medidas contribuem para retardar esse processo e prevenir fraturas. São elas: ingestão adequada de cálcio na dieta (leite e seus derivados são a principal fonte do nutriente), tomar pelo menos 15 minutos de sol diariamente para ativação da vitamina D (responsável pela fixação do cálcio nos ossos), realização atividade física (músculos fortes protegem o osso contra fraturas), e evitar fumar e excesso de bebida alcoólica.

No Brasil, a osteoporose afeta cerca de 10 milhões de pessoas, de acordo com o Ministério da Saúde. Segundo a Fundação Internacional contra a Osteoporose (IOF, na sigla em inglês), um terço das mulheres e um quinto dos homens acima dos 50 anos apresentarão fratura relacionada à osteoporose. Dados da entidade também revelam que a fratura de quadril, considerada a mais séria, causa a morte de cerca de um quinto dos pacientes, no primeiro ano após o incidente.

Fonte: veja.com