Ritual satânico envolvendo morte de duas crianças custou R$25 mil, aponta polícia gaúcha

Uma investigação da Polícia Civil apontou que alguém possivelmente pagou R$25 mil ao líder de um templo satânico para sacrificar duas crianças de oito e 12 anos em Novo Hamburgo, Região Metropolitana de Porto Alegre.

De acordo com o G1, os corpos de um menino e de uma menina foram encontrados em setembro de 2017 e, após o crime, três pessoas foram presas, incluindo o líder da seita.

Os corpos das crianças tinham membros que faltavam e que só foram achados dias depois, em sacos plásticos dentro de caixas de papelão. A Polícia enfrentou dificuldade ao realizar a investigação, já que os exames de DNA não identificaram as crianças no banco de dados e que não havia câmaras de segurança na região do crime.

Os agentes chegaram a cogitar se os jovens eram vítimas colaterais de disputa de tráfico de drogas, mas era uma incógnita porque os pais ou parentes não haviam os procurado. No decorrer da investigação surgiram hipóteses de que o menino e a menina possam ter sido trazidos ou comprados na Argentina.

Os suspeitos do caso foram presos em operação realizada logo após o natal, mas o líder da seita teria negado as acusações. Segundo o homem, as práticas satanistas que ele realiza já apareceram inclusive em canais fechados de televisão. “Ele mesmo diz que viaja pelo mundo, por vários países do mundo fazendo esse trabalho, mas diz que sequer mata animais, diz que só pratica bruxaria”, afirmou o delegado Moacir Fermino.

No próprio templo foi encontrado e apreendido um material que teria comprovado o envolvimento dos detidos com o esquartejamento e ritual com as crianças.

Com informações do Bahia Notícias

Diretor afastado do Postalis recebeu salário por período fora do cargo

Afastado do cargo devido à intervenção da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), o então diretor-presidente do fundo de pensão dos funcionários dos Correios (Postalis), Christian Schneider, esteve recentemente de volta ao posto por um breve período. Nos poucos dias que exerceu a função em dezembro, por força de liminar da Justiça Federal de São Paulo, Schneider cuidou de organizar as finanças: ele determinou o pagamento de seus salários pelo período que não estava em atuação.

A Previc decretou a intervenção no Postalis em 4 de outubro. No dia 20 de dezembro, o juiz Victorio Giuzio Neto, da 24ª Vara Civil Federal de São Paulo, suspendeu os efeitos da decisão do órgão regulador e, com isso, os diretores do fundo foram reconduzidos aos seus cargos. A medida, no entanto, foi derrubada em 27 de dezembro pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3).

O Postalis confirmou ao Metrópoles que, no pouco tempo de recondução, o então diretor-presidente embolsou os vencimentos, incluindo pagamentos pelos dias em que esteve fora do comando do fundo de pensão – fato revelado nesta sexta-feira (5/1) pela coluna do jornalista Lauro Jardim, d’O Globo.

Segundo a assessoria de imprensa, “o ex-dirigente determinou que o valor que teria a receber de sua rescisão contratual fosse somado a outro tanto, totalizando o valor dos honorários relativos ao período que esteve desligado do Instituto pela Portaria de intervenção da Previc”. No entanto, o setor não confirmou o total repassado a Schneider no período.

Ainda de acordo com o Postalis, com a derrubada da liminar, o interventor nomeado pela Previc, Walter de Carvalho Parente, determinou que o instituto de previdência complementar cobrasse imediatamente o valor do ex-presidente.

Carreira
Christian Schneider é graduado em direito pelo Centro Universitário de Brasília (Uniceub) e em relações internacionais pela Universidade de Brasília (UnB). Na trajetória profissional, atuou como presidente da Sercomtel, empresa de telecomunicações de Londrina (PR) e exerceu os cargos de ministro Interino da Integração Nacional, secretário de Desenvolvimento do Centro-Oeste, diretor de controle e vice-presidente do Banco de Brasília (BRB). No Postalis, começou como diretor de Investimentos, em 2016.

Segundo a Previc, a razão para a intervenção no Postalis e o afastamento da diretoria é o “descumprimento de normas relacionadas à contabilização de reservas técnicas e aplicação de recursos”. Walter de Carvalho Parente foi nomeado pela superintendência como interventor no instituto. De acordo com as portarias que trazem a medida, a intervenção deve durar pelo prazo de 180 dias.

Um relatório da Previc apontou recentemente que o Postalis teria realizado praticamente sozinho todo o investimento na empresa ATS, que tem pretensões de lançar uma nova bolsa de valores no Brasil. De acordo com o levantamento, apesar de ter sido realizado um aporte de R$ 300 milhões, o instituto ficou com apenas 25% do projeto. O restante da empresa teria ficado com outros investidores, que injetaram R$ 2 milhões.

“Houve prejuízo aos princípios de rentabilidade, segurança e liquidez, por ter sido realizado o investimento sem proteção aos interesses da entidade contra o notório conflito de interesses entre os demais investidores, que eram também os proprietários da empresa investida”, registrou a Previc no relatório.

Fonte: metropoles

Temer será “vampiro” em carro alegórico de escola de samba do Rio

A escola de samba Paraíso do Tuiuti, do Rio de Janeiro, vai levar para a avenida um boneco do presidente Michel Temer fantasiado de vampiro em uma das alegorias do Carnaval deste ano. Com o enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, do carnavalesco Jack Vasconcelos, a agremiação pretende fazer uma crítica à reforma trabalhista, aprovada em 2017.

Procurado pelo R7, o diretor de Carnaval da escola, Leandro Azevedo, disse que não poderia dar mais detalhes sobre a alegoria que faz referência a Temer. Em nota oficial, a Paraíso do Tuiuti afirmou apenas que “a representação será irreverente e respeitosa”.

Segundo a assessoria da escola, o último setor do desfile ainda vai trazer o “Guerreiro da CLT”, em referência à Consolidação das Leis Trabalhistas. A fantasia é de um trabalhador tentando se proteger da exploração patronal por meio de uma carteira de trabalho transformada em escudo. Sobrecarregado com muitas funções, ele terá vários braços com instrumentos.

O enredo da agremiação aborda os 130 anos da assinatura da Lei Áurea, que aboliu a escravidão, e questiona as relações de trabalho atuais, com base no regime escravocrata.

Pelo segundo ano no Grupo Especial, a azul e amarelo de São Cristóvão será a quarta escola a desfilar no domingo de Carnaval, dia 11 de fevereiro.

Fonte: r7

“Patriotas” sobre ida de Bolsonaro para o PSL, “homem sem palavra”

O presidente do Patriotas, Adilson Barroso não acreditava que Jair Bolsonaro fosse se filiar ao PSL, mesmo com todas as movimentações que vinham ocorrendo nos últimos dias.

Ele achava que o parlamentar iria manter a palavra e fazer sua filiação em março desse ano, conforme o próprio Bolsonaro declarou em vídeo, veja abaixo:

“Homem sem palavra, homem sem palavra…”, declarou Adilson Barroso sobre o novo rumo que seu agora “quase ex-filiado” tomou.

Mais cedo, ao ser informado da filiação de Bolsonaro, ele declarou ao blog Antagonista:

Ué? Mas recentemente ele também gravou vídeo comigo, tirou foto, fez nota, tudo isso aí. Não se pode dizer, então, que é definitivo. Lá [no PSL] metade do partido não quer ele. Logo, logo, ele [Bolsonaro] poderá ir atrás de outro [partido].”

Barroso acrescentou:

“Deus vai fazer ele [Bolsonaro] cumprir a palavra dele com a gente.”

Dona da Marlboro anuncia plano para parar de fabricar cigarros

Não somente as pessoas fazem as suas resoluções de ano novo. Algumas empresas também utilizam esse traço quase cultural de grande parte do planeta como mote para comunicar mudanças.

Quem fez isso nesta primeira semana do ano foi a Philip Morris. A empresa está utilizando publicidade em diversos jornais para comunicar ao público que deve deixar de produzir e comercializar cigarros.

A companhia é uma das últimas gigantes do tabaco a sucumbir a este mercado que um dia foi financeiramente próspero, mas que agora luta para pagar as contas em meio a um mundo cada vez mais antitabagismo.

Uma das peças da campanha diz: ‘Nossa resolução do nosso Ano Novo. Estamos tentando desistir de cigarros.’

Por outro lado, isso não significa que a empresa está abandonando completamente uma das frentes mais lucrativas de seu negócio com base em produtos com nicotina e tabaco. Há algum tempo a companhia tem lançado itens como cigarros eletrônicos e dispositivos que entregam a nicotina sem o uso da fumaça, a principal vilã na discussão sobre a saúde.

Para atingir a meta de suas resoluções, a Philip Morris elencou uma série de compromissos compartilhados em alguns destes anúncios espalhados na mídia.

Entre eles, lançar um site com informações para quem quer abandonar o cigarro, apoio a ações governamentais em locais onde o número de fumantes é alarmante e a tentativa de aprovação de projetos que coloquem nos maços alternativas para que o público possa abrir mão do produto prejudicial.

Philip Morris (Philip Morris/Divulgação)

Fonte: exame

 

Livres divulga nota contra entrada de Bolsonaro no PSL: “velhas negociatas”

O Livres divulgou nota conta a entrada de Jair Bolsonaro no PSL, definida na tarde desta sexta-feira. A executiva considera que “a chegada do deputado Jair Bolsonaro, negociada à revelia, é inteiramente incompatível com o projeto do Livres de construir no Brasil uma força partidária moderna, transparente e limpa”.

A nota também classifica a manobra como “a velha politicagem de negociatas que saturam o cidadão brasileiro”. Veja a íntegra abaixo:

É com extremo pesar que comunicamos a saída do Livres do Partido Social Liberal.

Ao longo de quase dois anos, nos empenhamos na construção de um projeto inédito no Brasil: um novo partido político firmado em ideais de liberdade e integridade institucional. Conquistamos milhares de filiados em todos os estados do Brasil. Só no Facebook são mais de 150 mil seguidores. Formamos quadros qualificados que já haviam assumido o comando de 12 diretórios estaduais do PSL. Nosso vereador Lucas de Brito foi escolhido o melhor parlamentar de João Pessoa em 2017.

O ano de 2018 iria consolidar nosso projeto de renovação. Nossas novas lideranças políticas faziam do Livres o segundo partido mais representado no programa RenovaBR. Quadros do nível de Elena Landau desenvolviam um plano de trabalho para fazer da nossa Fundação uma das principais referências em políticas públicas na América Latina. Havíamos atraído alguns dos melhores parlamentares brasileiros dispostos a compor já no próximo mês uma bancada Livres de qualidade e integridade sem comparação no congresso nacional.

Agora, infelizmente, Livres e PSL tomam caminhos separados. A chegada do deputado Jair Bolsonaro, negociada à revelia, é inteiramente incompatível com o projeto do Livres de construir no Brasil uma força partidária moderna, transparente e limpa.

Além das origens e objetivos comuns que nos identificam com os ideais da liberdade, nós, do Livres, temos em comum também o mesmo inimigo: a velha politicagem de negociatas que saturam o cidadão brasileiro.

Recusamos a reciclagem do passado. Não vamos arrendar nosso projeto à velha política de aluguel. Nosso compromisso não é com a popularidade das pesquisas da semana passada, mas com a população de um país que exige a transformação da política partidária. Não queremos servir a um grande nome, mas sim à grande massa de batalhadores de nosso Brasil. Se hoje a velha política nos derrota é porque ela não conseguiu nos conquistar.

Continuaremos a lutar por um estado menor, mais enxuto, que concentre os recursos públicos em segurança, saúde e educação. Seguiremos na defesa das liberdades e oportunidades dos brasileiros que batalham e se sacrificam para construir suas famílias e suas carreiras, suas empresas e suas organizações – são eles os principais ativos de uma economia de mercado e a voz da consciência de uma civilização democrática.

Sabemos das dificuldades dessa nova etapa. Não fugiremos delas. Se escolhemos o desafio de um novo caminho à acomodação da velha política é porque tememos mais as facilidades do que as dificuldades da política. O grupo que hoje forma o Livres se esforçará em conjunto para amadurecer e formalizar nosso almejado modelo de governança, por meio do qual iremos deliberar democraticamente sobre a estratégia do movimento para as eleições 2018.

Nós, do Livres, não descansaremos até que se restaure no Brasil um projeto político em que a democracia é uma garantia, as instituições são mais fortes que os dirigentes e o valor da liberdade é supremo e verdadeiro.

Primeira suspeita de morte por febre amarela em 2018 é investigada no DF

Estado do Rio confirma primeira morte por febre amarela

A Secretaria de Saúde está investigando a primeira morte por suspeita de febre amarela no DF em 2018. Um homem de 58 anos faleceu em 3 de janeiro, mas a informação só foi divulgada nesta sexta-feira (5/1) pelas autoridades sanitárias. O Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal e o Instituto Evandro Chagas, no Pará, investigam o caso.

Segundo a Secretaria de Saúde, o paciente deu entrada no Hospital Regional de Planaltina em de 2 de janeiro. “Ele foi prontamente atendido, realizou exames e, devido ao agravamento do quadro clínico, necessitou ser internado. Ele apresentava febre, dor no corpo e desconforto respiratório”, explica a pasta. Devido à piora do quadro, o homem acabou transferido para a Unidade de Terapia Intensiva do HRC, onde morreu.
Aguarde mais informações

 

Fonte: correiobraziliense

Bolsonaro “compra PSL” e define seu vice, diz blog

O deputado federal Jair Bolsonaro, pré-candidato à presidência este ano, fechou com Luciano Bivar sua ida para o PSL.

Ele assume o partido “de porteira fechada”, ou seja, terá poder sobre todos os diretórios, revela o blog O Antagonista.

Em troca, segundo o blog, Bolsonaro prometeu a Bivar a posição de vice na chapa presidencial.

O blog também revelou que Sérgio Bivar –filho do presidente do PSL, Luciano Bivar, e principal incentivador do Livres, corrente que se opunha a Jair Bolsonaro no partido– condenou o acordo do partido do pai com o deputado.

Em uma mensagem enviada por WhatsApp, Sérgio escreveu o seguinte:

“Aos meus olhos, Bolsonaro é como Lula, um candidato antissistema, carismático, com ares messiânicos de justiceiro, dotado de uma visão estatista e autoritária, que surfa na demagogia. Ainda que ele venha sendo assessorado por liberais no campo econômico, não acho que tenha convicções sobre a matéria, o que faria seu possível governo imprevisível.”

 

Temer veta o Refis para micro e pequenas empresas, diz Afif

O presidente Michel Temer decidiu vetar o Refis para micro e pequenas empresas para não ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal, mas deve trabalhar para ver o projeto aprovado nos próximos meses, afirmou nesta sexta-feira, 5, o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

Segundo Afif, que se encontrou por cerca de 40 minutos com Temer em seu escritório em São Paulo, o veto ao Refis não aconteceu por questões políticas, mas, sim, “técnicas” e “econômicas”. “Não houve a previsão das perdas e caberia ao Executivo fazer essa previsão”, explicou.

“Então na segunda-feira, o presidente vai chamar o ministro da Fazenda e estudar o impacto das perdas para negociar com o Congresso a derrubada do veto de comum acordo, mas já devidamente resolvido o problema do impacto econômico”, prosseguiu o presidente do Sebrae.

Afif lembrou que o Refis foi aprovado de forma unânime pelo Congresso e salientou que o desejo do presidente é aprovar a medida.

A informação de que Temer vetaria o projeto foi antecipada pelo Estadão/Broadcast na última quarta-feira, 3. O argumento é que não há previsão de renúncia fiscal com o parcelamento, o que é vetado pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

O Refis para micro e pequenas empresas – já contempladas com um sistema diferenciado de tributação, o Simples Nacional – foi aprovado pelo Congresso em meio às negociações para a aprovação a reforma da Previdência.

Por isso, existe a dificuldade do presidente em vetar a proposta neste momento em que busca apoio para conseguir a aprovação da proposta em fevereiro. O acordo com o Congresso previa que não haveria vetos a essa versão do Refis.

Segundo o projeto, para aderir ao parcelamento, empresas terão de pagar entrada de 5% do valor da dívida, que poderá ser dividida em até cinco parcelas consecutivas.

O saldo restante após a entrada poderá ser pago de três formas diferentes: à vista, com desconto de 90% em juros e 70% em multa; parcelado em 145 meses, com abatimentos de 80% e 50%, respectivamente; e em 175 meses, de 50% e 25%. O prazo de adesão será de 90 dias, contados da data de publicação da lei.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Sequência de vídeos postados no Youtube mostram como era a danceteria White House Festival, em Porto Velho, nos anos 90

As noites nos anos 90 eram bem diferentes das atuais baladas. E uma casa noturna que funcionou em Porto Velho durante vários anos, produziu uma série de registros curiosos, que estão sendo disponibilizados no Youtube e contam com milhares de visualizações.

Trata-se da casa noturna White House Festival, que funcionava na Avenida Abunã nos finais de semana em horários de matinê para crianças a partir de 12 anos e à noite para os adolescentes e público em geral.

As filmagens eram feitas em VHS e estão sendo postadas no Youtube por Joao Filho Steinberger já há bastante tempo. Se você andou por lá nessa época, vai se ver em alguns dos vídeos. Confira abaixo um deles e CLIQUE AQUI para assistir no canal do Youtube os demais.