Anatel mantém chamadas gratuitas a partir de orelhões da Oi em 12 estados

Esta não é a primeira vez que a Oi é punida pela Anatel a não cobrar pelas ligações feitas a partir de seus orelhões. A operadora já chegou a ser punida em 2015 por não ter alcançados os patamares mínimos de operações exigidos pela agência reguladora

Consumidores de 12 estados continuarão a fazer ligações locais e de longa distância nacionais de forma gratuita a partir de orelhões da Oi. As chamadas para telefones fixos e celulares não serão cobradas durante os próximos seis meses, ou seja, até 30 de setembro.

A medida é continuidade de uma punição aplicada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) à Oi em outubro de 2017, após uma fiscalização realizada em agosto do mesmo ano pela agência reguladora que verificou, nesses estados, que o nível de orelhões em condições de operação não atingiu os patamares estabelecidos pela agência reguladora.

Na ocasião, a Anatel determinou a liberação das ligações locais e nacionais de longa distância em 15 estados: Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Espirito Santo, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina e Sergipe. A punição começou a valer no dia 1º de outubro e seguiu em vigor até 30 de março.

A liberação para as ligações permanecerá nesses estados, à exceção dos estados do Espírito Santo, de Santa Catarina e de Sergipe. Nestas unidades, desde ontem (1°), as chamadas originadas de orelhões podem ser cobradas pela prestadora, uma vez que a Oi alcançou o patamar mínimo de aparelhos em operação exigidos pela Anatel.

Segundo a regulamentação, a disponibilidade dos orelhões deve ser de, no mínimo 90%, em todos os estados, e de, no mínimo, 95%, nas localidades atendidas somente por orelhões. A punição adotada considerou os percentuais de disponibilidade de orelhões da Oi avaliados pela Anatel no final de fevereiro.

“A agência também estabeleceu que uma nova aferição das condições de disponibilidade dos aparelhos deve ocorrer em 31/08. A nova medição indicará os estados em condição de gratuidade para o período de 01/10/2018 a 31/03/2019”, disse a Anatel.

Esta não é a primeira vez que a Oi é punida pela Anatel a não cobrar pelas ligações feitas a partir de seus orelhões. A operadora já chegou a ser punida em 2015 por não ter alcançados os patamares mínimos de operações exigidos pela agência reguladora.

Fonte: agenciabrasil

Irmão de Eduardo Campos pede que PF investigue ‘sabotagem’ em avião

Acidente em agosto de 2014 matou o candidato à Presidência e outras seis pessoas

RIO — O advogado Antônio Ricardo Campos, irmão do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, enviou um requerimento, nesta segunda-feira, para a Polícia Federal de Santos, em São Paulo, pedindo que seja investigada a possibilidade de “sabotagem” no avião que caiu em agosto de 2014, durante as eleições gerais, matando o então candidato do PSB à Presidência e outras seis pessoas.

De acordo com Antônio Campos, após estudos e pareceres de peritos particulares que acompanham o caso, um fato “grave e relevante na investigação da causa do acidente” pode mudar o “curso da investigação”.

“O Speed Sensor da aeronave à toda evidência foi desligado, intencional ou não intencionalmente, sendo essa última hipótese de não intencional improvável, o que caracteriza que o avião foi preparado para cair, o que caracteriza sabotagem e homicídio culposo ou doloso”, diz no requerimento.

Com base na hipótese de sabotagem na aeronave que levava Eduardo Campos e outras seis pessoas durante a campanha presidencial de 2014, o advogado pede uma “rigorosa apuração no presente inquérito, com a devida responsabilização”. O irmão do ex-governador diz que vai notificar o Ministério Público Federal em Santos, ao Ministro da Justiça e a Procuradora-Geral de Justiça sobre o requerimento.

A família de Eduardo Campos contesta a versão apresentada pelo laudo feito pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) sobre o acidente. De acordo com a mãe de Eduardo, Ana Lucia Arraes de Alencar e Antônio Campos, irmão do político, o laudo que aponta a culpa do acidente a uma falha humana, é inconsistente.

O Relatório de Investigação do Controle do Espaço Aéreo (Ricea) teria demonstrado, segundo os familiares, certos equívocos na conclusão do Cenipa.

Sucessão de erros derrubou avião, segundo relatório

Uma sucessão de erros que incluíram a tentativa de buscar um “atalho” para abreviar a aterrissagem levou ao acidente com o avião Cessna C560 XLS+ que matou o ex-governador Eduardo Campos e mais seis pessoas em 13 de agosto de 2014, em Santos (SP), segundo o Cenipa. A investigação descartou falhas técnicas na aeronave, mas apontou problemas operacionais que podem ter contribuído.

De acordo com a investigação, a trajetória de aproximação da pista de Santos, feita pelo comandante Marcos Martins e o copiloto Geraldo Magela, não foi a indicada na carta de procedimentos, mesmo com o aviso de que o aeródromo operava por instrumentos. A orientação era para que passassem duas vezes sobre a pista antes de fazer a curva para o pouso, mas eles fizeram um caminho para chegar diretamente à pista dando inclusive informações falsas sobre os pontos em que estavam.

— O perfil do voo reduziria o tempo em até cinco minutos. O perfil não era aprovado nas regras para operar com instrumentos — afirmou o tenente-coronel aviador Raul de Souza, que coordenou as investigações.

Após tentarem chegar diretamente à pista os pilotos não conseguiram pousar e decidiram arremeter. Este movimento também foi feito em desacordo com os procedimentos previstos. Eles deveriam arremeter antes de chegar à pista, mas há relato, tido como confiável, de que sobrevoaram o local em baixa altitude antes de desistir do pouso.

Fonte: oglobo

Malásia proíbe ‘fake news’ e estabelece pena de até 6 anos

O governo disse que a lei não violará a liberdade de expressão e que os casos que ela contempla serão sujeitos a um processo legal independente

A Malásia aprovou uma lei contra as chamadas “fake news” que pode resultar em penas de prisão de até 6 anos para os infratores nesta segunda-feira (2), apesar de críticos que dizem que o país pretende conter a dissidência e a liberdade de expressão antes de uma eleição geral.

O governo do primeiro-ministro Najib Razak obteve uma maioria simples no Parlamento e aprovou o projeto de lei Anti-Notícias Falsas de 2018, que estabelece multas equivalentes a até 123 mil dólares e penas de até 6 anos de prisão — o primeiro texto do projeto de lei propunha sentenças de até 10 anos.

O governo disse que a lei não violará a liberdade de expressão e que os casos que ela contempla serão sujeitos a um processo legal independente.

“Esta lei almeja proteger o público da disseminação de notícias falsas, ao mesmo tempo em que permite a liberdade de expressão tal como garantida pela Constituição”, disse a ministra da Justiça, Azalina Othman Said, ao Parlamento.

A lei define as notícias falsas como “notícias, informações, dados e reportagens que são inteira ou parcialmente falsos” e que incluam artigos, elementos visuais e gravações de áudio.

Ela cobre publicações digitais e redes sociais e se aplicará a infratores que disseminem “notícias falsas” com más intenções dentro e fora da Malásia, incluindo estrangeiros, se a Malásia ou cidadãos malaios forem afetados.

Disseminado pelo presidente norte-americano, Donald Trump, o termo “fake news” logo se tornou parte do repertório padrão de líderes de países autoritários para descreverem reportagens e organizações que os criticam.

Arábia Saudita punirá com até 1 ano de prisão quem espionar celular do cônjuge

Multa de até R$ 440 mil também poderá ser aplicada

A Arábia Saudita vai punir quem espionar o telefone do cônjuge com pena de até um ano de prisão e multa elevada, anunciou nesta segunda-feira (2) o Ministério da Informação.

“As pessoas casadas que planejarem espionar a esposa ou o esposo na Arábia Saudita deverão pensar duas vezes porque a atividade poderia custar-lhes multa de 500 mil rials (cerca de R$ 440 mil), além de uma pena de um ano de prisão”, destacou o ministério em um comunicado publicado em inglês.

De acordo com a rede de TV Al Arabiya, a pena máxima de um ano de prisão e a multa será aplicada se o marido ou a mulher enviar informações obtidas na invasão. Mas se o celular for acessado sem que as informações sejam usadas ou compartilhadas, a penalidade pode ser uma advertência de um juiz.

A medida se inscreve em uma nova lei contra o crime cibernético que entrou em vigor na semana passada e deve, segundo as autoridades, “proteger a moralidade dos indivíduos e da sociedade, mas também a vida privada”.

País conectado
Reino ultraconservador, baseado em uma versão rigorosa do Islã, a Arábia Saudita é um dos líderes mundiais em uso por habitante de aplicativos para celulares e redes sociais.

O país lançou nos últimos meses várias reformas. Esta, que era a última nação do mundo que impedia as mulheres de dirigir, permitirá finalmente que elas assumam a direção a partir de junho.

No passado, a legislação saudita sobre cibercrimes havia sido muito criticada pelas organizações internacionais de defesa dos direitos humanos.

Dezenas de sauditas foram condenados em virtude da antiga lei por ter difundido comentários críticos nas redes sociais.

Fonte: g1

Luiz Cláudio anuncia inclusão digital de comunidades afastadas em Rondônia

O deputado federal Luiz Cláudio (PR-RO), acompanhado do vereador de Porto Velho, Jair Montes, participou de audiência com o diretor do Departamento de Inclusão Digital, do Ministério das Comunicações, Américo Tristão, tratando da inclusão dos distritos do baixo madeirae as escolas pólos em sede de associações comunitárias no programa “Internet Digital”, onde o parlamentar havia solicitado desde o ano passado.

O parlamentar disse que essa internet a ser oferta as comunidades por banda larga não é de graça, mas, como o Estado vai abrir mão da cobrança do ICMS, o preço para o consumidor será muito menor. Com isso, as operadoras vão instalar a esse tipo de serviço em comunidades distantes, incluindo todo mundo na era digital com a chamada banda larga.

“Tenho lutado para que esse benefício de inclusão social se transforme em realidade. Agora, isso é possível com a parceria do governo federal, Estado e Prefeitura”, finalizou.

 

* Divulgação de Atividade Parlamentar

Ingestão de antiácidos e antibióticos na infância aumenta risco de alergias, diz estudo

Em crianças que tomaram antiácidos e antibióticos nos primeiros seis meses de vida, as chances de desenvolver alergias alimentares e asma foram 50% maiores

Um novo estudo publicado nesta segunda-feira, 2, na publicação científica Jama Pediatrics sugere que crianças que ingerem antiácidos como ranitidina ou Famodine (famotidina) e antibióticos são mais propensas a desenvolver alergias infantis, provavelmente porque essas drogas podem alterar as bactérias naturais do intestino.

Pesquisadores analisaram os registros de saúde de cerca de 800 mil crianças americanas nascidas entre 2001 e 2013, que tinham o plano de saúde Tricare, um convênio médico para familiares de militares ativos e aposentados, e relacionaram a ingestão de antiácidos e antibióticos com o desenvolvimento de alergia.

Foi constatada uma taxa surpreendente de 9% de bebês que receberam antiácidos para tratar refluxos. Por quatro anos, mais da metade das crianças desenvolveram alergias a alimentos e medicamentos, erupções cutâneas, asma ou outras doenças relacionadas a alergia. O estudo não conseguiu provar as causas, mas a conexão com antiácidos e antibióticos foi alarmante.

Em crianças que tomaram antiácidos durante seus primeiros seis meses de vida, as chances de desenvolver alergias alimentares dobraram; já as chances de desenvolvimento de reações alérgicas severas, seja anafilaxia ou febre, foram 50% maiores em bebês que tomaram antiácidos.

Já para bebês que tomaram antibióticos no mesmo período, as chances de desenvolver asma dobraram e foram ao menos 50% mais altas para anafilaxias e febres.

“Esses remédios são considerados, em geral, inofensivos, e comuns a seres prescritos para crianças que cospem muito”, disse o pesquisador chefe Edward Mitre, da Universidade Uniformed Services em Bethesda, Maryland, nos Estados Unidos. “Nós devemos ser um pouco mais cautelosos ao prescrever esses medicamentos”, disse.

O interesse de Mitre nesse assunto começou quando ele teve seu segundo filho. Um pediatra sugeriu um antiácido porque o bebê chorava muito quando estava deitado com as costas para baixo. “Nós não demos, ele não tinha um refluxo muito grande”, relembra.

No estudo, os pesquisadores alertam que é possível que os medicamentos foram dados para crianças que já tinham alergias e não haviam sido diagnosticados. Entretanto, isso não é suficiente para explicar todos os efeitos que eles viram, porque as bactérias do estômago desempenham papéis importantes no sistema imunológico.

“Antibióticos e antiácidos podem mudar o microbioma dos bebês, talvez de forma suficiente para causar uma reação no sistema imunológico que causa uma alergia”, diz Mitre. Anitácidos também mudam o jeito que as proteínas são digeridas e algumas podem até alterar o desenvolvimento do sistema imunológico. O co-autor do estudo, o médico Cade Nylund, sugeriu que os pais deem menos quantidade de comida para os bebês que costumam ter muito refluxo.

Fonte: emais.estadao

Homem tenta ‘salvar’ Jesus da cruz e agride ator na Paixão de Cristo; veja vídeo

A cena foi registrada em vídeo; assista

Durante uma encenação de “Paixão de Cristo” no município de Nova Hartz, Rio Grande do Sul, nesta sexta-feira, dia 30, ocorreu algo bastante inusitado.

Quando um “soldado romano” entrou em cena e machucou “Jesus Cristo” com uma lança, um homem invadiu o palco para a surpresa do público. Em seguida, deu um golpe de capacete na nuca do “soldado”.

Segundo informações do jornal Panorama, da região do Vale do Paranhana, depois da primeira agressão, o invasor trocou socos com outro ator e foi rendido por participantes da peça no próprio palco.

Diante da agressão, um irmão do homem apareceu no local e explicou que ele sofria de surtos psicóticos. Os atores agredidos registraram boletim de ocorrência.

Assista ao vídeo abaixo:

Fonte: catracalivre

Playboy sai das bancas após 42 anos em circulação

Editora responsável pela revista no Brasil mudará o modelo publicação de forma radical

A revista Playboy, publicação masculina mais tradicional do mercado, não será mais vendida nas bancas de jornal do Brasil. De acordo com a PBB Editora LTDA, que possui o direito de comercialização da marca no país, o modelo de negócios mudará de forma radical. A partir de agora, será lançada uma edição de colecionador por ano e as revistas serão vendidas por encomenda.

“A PBB Editora Ltda informa que reduzirá a publicação da edição imprensa a um exemplar de colecionador por ano – que será on demand, ou seja, números limitados impressos por encomenda. Assim sendo, a edição de Verão, lançada no final de 2017, põe fim a era da revista na banca e abre espaço para empenharmos nosso trabalho em outras frentes”, diz o comunicado da editora responsável pelas edições desde que a Abril retirou a marca do seu catálogo.

Diversas celebridades posaram em ensaios sensuais ao longo dos 42 anos de publicação da Playboy no Brasil, a exemplo de Cleo Pires, Cláudia Raia, Grazi Massafera, Vera Fischer, Deborah Secco, Juliana Paes e Maitê Proença. Em 2017, com edições lançadas de três em três meses, a revista realizou ensaios com Juju Salimeni e Letícia Datena.

Na semana passada, a Playboy norte-americana deletou sua conta no Facebook após o suposto mal gerenciamento dos dados de 50 milhões de usuários do Facebook. Em comunicado, a publicação disse “não querer ser cúmplice” do escândalo envolvendo a empresa de Mark Zuckerberg: “Por anos, tem sido difícil para a Playboy expressar nossos valores no Facebook devido a seu rígido conteúdo e diretrizes políticas. Nós fomos confrontados com a única alternativa, que é alterar a voz da Playboy a fim de atender às visões do Facebook sobre o que é e não é apropriado em sua plataforma”.

Fonte: correiobraziliense

Ordem de serviço da RO 010 no perímetro urbano de Urupá é assinada

Deputado Edson Martins esteve na solenidade onde confirmou seu empenho para a execução da obra

O deputado Edson Martins (MDB) esteve no último sábado (31) na Câmara de Vereadores de Urupá, participando da assinatura e entrega da ordem de serviço da RO 010, acompanhado do senador Valdir Raupp (MDB-RO), do diretor do DER, Celso Coelho, do secretário regional Romildo Pereira, do prefeito Célio Lang (PP), vereadores e outras lideranças locais.

Segundo Edson Martins, serão pavimentadas mais de 2,5 km de extensão, em pista dupla da RO 010, conhecida como Linha C 4, que no perímetro urbano recebe o nome de avenida Tancredo Neves, em um investimento do governo do Estado no valor de aproximadamente R$ 3,9 milhões.

Edson Martins falou de seu empenho junto ao governo do Estado cobrando agilidade para que as obras fossem iniciadas.

“Essa obra de infraestrutura é de grande importância para a população de Urupá. Tem sido uma luta de muitos anos, e agora que foi iniciada vai estar como prioridade para ser concluída”, declarou Edson Martins.

Após a assinatura da ordem de serviço, a comitiva se reuniu no local onde já foi iniciada a obra de drenagem.

Léo Moraes realiza sessão solene em alusão ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo

O Deputado Estadual Léo Moraes realizou nesta segunda-feira (02), uma sessão especial em alusão ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo. O evento marcou o debate sobre políticas públicas e dos desafios enfrentados para as famílias dos autistas.

“Sempre fiz a defesa do tema na prática, criando a Lei que obriga a inclusão do símbolo do Transtorno do Espectro Autistas em placas e avisos de atendimentos prioritários. Com isso, queremos conscientizar a população sobre o autismo, sensibilizando e fomentando a discussão sobre o assunto.” Explicou o parlamentar.

O deputado também apresentou dados onde apontam que o transtorno atinge cerca de dois milhões de pessoas no país, com algumas características específicas como dificuldade na comunicação, socialização e atenção.

Participaram da sessão solene pais, professores, representantes de associações e amigos de autistas. Ao usar a tribuna, o médico Pauzanes de Carvalho elogiou a iniciativa do deputado e frisou que “o aumento do espectro chama atenção, pois há 60 anos a incidência de autismo era de um para cada 10 mil e nas últimas estatísticas americanas a incidência é de um para 86 pessoas. Esses números estão aumentando de forma inexplicável. Por isso, precisamos ampliar cada vez mais o quadro de atendimento a essas pessoas e famílias.”

“Como mãe do Gabriel, sei o quanto a Associação de Pais e Amigos dos Autistas foi importante para nossas vidas. Ele se desenvolveu muito e como mãe e fui abraçada por todos. Hoje a associação atente 62 crianças e queremos atender toda demanda que ainda é grande e espera por vagas. Não vamos desistir.” Enfatizou a presidente da AMA.

O Diretor Geral do Centro de Reabilitação de Rondônia, Rodrigo Moreira Campos, explicou que o CERO atua em diversas áreas de atenção à saúde como reabilitação física, intelectual ou auditiva. Rodrigo ainda disse que o diálogo entre pacientes, famílias e profissionais é importante para entender a demanda de atendimentos.

“Essas crianças não estão alheias ao que acontecem a sua volta. Elas ouvem, sentem e observam mesmo parecendo quando não estão nem aí. Então peço do Deputado Léo Moraes e aos demais representantes para olharem com mais atenção e carinho para este tema. Hoje é dia de luta pela conscientização, mas precisamos de sensibilização, de mais centros terapêuticos públicos, mais cuidadores capacitados, assistência às famílias e, acima de tudo, respeito.” Compartilhou a jornalista e representante da Awas, Liliane Melo.

Por fim, Léo Moraes se colocou à disposição para fazer valer a luta de amigos e pais de autistas e concluiu dizendo que “Precisamos somar forças para que o autista seja atendido de forma digna e nosso gabinete está de portas abertas para que juntos possamos levar mais igualdade e respeito a essas pessoas.”