Médico é preso após suspeita de assédio sexual a pacientes em MG

Investigações da Polícia Civil indicam que o crime teria sido cometido em outras cidades mineiras

Duas pacientes podem ter sido vítimas de assédio sexual cometido por um médico plantonista da Santa Casa de Misericórdia, em Nepomuceno, no interior de Minas Gerais. O suspeito foi preso nesse domingo (15), apesar de a prisão preventiva ter sido decretada há alguns dias.

Investigações da Polícia Civil indicam que o crime teria sido cometido, também, em outras cidades mineiras e, quando o homem tomava conhecimento que os assédios estavam sendo descobertos, mudava de município. A defesa do médico não se pronunciou sobre o caso ainda.

Fonte: noticiasaominuto

Um dos maiores assassinos em série do Brasil pode ser solto em 2019

Pedrinho Matador, como é conhecido, foi condenado a 400 anos de prisão, mas, como a legislação brasileira só permite até 30 anos, a soltura pode ser decretada já no próximo ano

Pedro Rodrigues Filho, conhecido popularmente como Pedrinho Matador, foi um dos maiores assassinos em série do Brasil, sendo responsável por, pelo menos, 71 mortes. O seu primeiro homicídio foi cometido quando tinha apenas 14 anos. Em 2003, Pedro, hoje com 64 anos, recebeu uma pena acumulada de 400 anos, mas, como a legislação brasileira só permite um máximo de 30 anos, ele foi libertado em 2007, e recapturado em 14 de setembro de 2011. Ele deve ser libertado já no próximo ano.

Pedro, natural de Minas Gerais, entrou no mundo rodeado de violência. Em 1954, ele nasceu com uma pequena deformação no cérebro em decorrência das constantes agressões que a mãe sofria pelo pai. A mulher acabou sendo morta, anos depois, pelo próprio marido e pai de Pedro, a machadadas.

A primeira vítima de Pedrinho Matador foi o vice-prefeito de Santa Rita do Sapucaí, cidade onde morava. A motivação do crime foi porque a vítima demitiu o pai dele, acusando-o de ter roubado comida da escola onde era segurança. A morte seguinte foi a do segurança que tinha sido o verdadeiro autor do roubo. Quando atingiu a maioridade, aos 18 anos, Pedro já tinha matado dez pessoas.

Imagem antiga de Pedrinho junto a uma mais recente. ‘Mato por prazer’, lê-se numa tatuagem seu braço. (Reprodução)

Após as mortes, foi para São Paulo, onde se apaixonou por Maria Aparecida, que acabou morta por criminosos da região. Pedro procurou os possíveis responsáveis e matou todos eles. Quando descobriu que a mãe havia sido morta pelo pai e que estava preso em uma cadeia, foi até a unidade prisional e assassinou o pai com 22 golpes de faca.

A prisão de Pedro aconteceu em maio de 1973. Foi colocado dentro de um carro de polícia com outros dois criminosos, incluindo um estuprador. Quando agentes foram ao carro buscá-los, o agressor já estava morto, sendo este o último capítulo da sua sangrenta história. Dentro da cadeia, matou mais 47 pessoas.

Há, inclusive, uma comparação à personagem de ficção ‘Dexter’, por executar, também, outros criminosos ou pessoas que, de acordo com a sua perspectiva, tratavam ele mal. Um especialista chegou a denominá-lo como o “psicopata perfeito”.

Fonte: noticiasaominuto

Juiz do DF autoriza 42 depoimentos em ação penal contra o “quadrilhão do MDB”

Lista de testemunhas foi formulada pelo MPF e inclui Palocci, Delcídio e Marcelo Odebrecht; ação têm como réus Cunha, Geddel e amigos de Temer

O juiz Marcus Vinícius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal em Brasília, autorizou a tomada dos depoimentos de 42 testemunhas no âmbito da ação penal que investiga o chamado ‘quadrilhão do MDB’ na primeira instância da Justiça. Esse processo tem como réus os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves, o ex-ministro Geddel Vieira Lima e Altair Alves Pinto, que é homem de confiança de Cunha. Também respondem por crime de organização criminosa três pessoas ligadas ao presidente Michel Temer: seus ex-assessores José Yunes e Rodrigo Rocha Loures, e o ex-coronel da Polícia Militar João Baptista Lima Filho, o coronel Lima.

As audiências foram pedidas pelo Ministério Público Federal (MPF) como parte da acusação contra os integrantes do quadrilhão do MDB . A lista de depoentes inclui o ex-ministro Antonio Palocci, o ex-senador Delcídio do Amaral, o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, e empreiteiros como Marcelo Odebrecht e Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia. Destes, apenas Palocci não possui acordo de delação premiada.

O MPF afirma que o núcleo político do ‘quadrilhão’ constituiu uma organização criminosa para o “cometimento de vários delitos contra a administração pública” e a arrecadação de propina por meio de órgãos públicos como a Petrobras e a Caixa Econômica Federal. A denúncia foi aceita no início deste mês e é baseada em depoimentos, interceptações telefônicas e gravações feitas em ações controladas pela Polícia Federal.

Amigos de Temer
A procuradoria destacou que, no caso de José Yunes, amigo pessoal do presidente Temer, “todos os elementos apontam” para sua atuação no recebimento de propina dissimulada em forma de doações ao MDB “ou mesmo via caixa dois, para posterior distribuição aos demais membros da organização criminosa”.

Já em relação ao coronel Lima, o MPF cita delações de executivos da JBS e do lobista Lúcio Funaro indicando que o ex-militar “faz a gestão do recebimento de recursos e doações de campanha para Michel Temer há décadas”.

O MPF chegou a pedir a prisão preventiva de Yunes e do coronel Lima alegando que existe “risco concreto e imediato” de que os dois continuassem a coletar propina. O pleito, no entanto, foi rejeitado pelo juiz de Brasília. O magistrado disse não enxergar “quaisquer das hipóteses que ensejam a custódia preventiva” dos denunciados por organização criminosa no esquema do quadrilhão do MDB .

Fonte: ig

Deputado Edson Martins leva cursos de capacitação profissional para o município de Jaru

Parlamentar participou da entrega de certificados no encerramento das aulas O deputado Edson Martins (MDB) participou, na sexta-feira (13), da entrega dos certificados aos alunos dos cursos profissionalizantes do município de  Jaru. A iniciativa do parlamentar partiu de um pedido do prefeito João Gonçalves Júnior (PSDB), do vereador Gelson da Hora (MDB) e teve o apoio do Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

Dezenas de jovens e adultos fizeram gratuitamente os cursos de corte e costura, designer de sobrancelha, manicure e pedicure, proporcionando a oportunidade de aprender uma nova profissão, para gerar emprego e renda às famílias.

“Gostaria de parabenizar os professores Carlos e Elisabete, a equipe do Cras representada pela secretária Municipal de Desenvolvimento Social, Stella de Almeida, Adriana Bonfim, Yara Alcure e a todos que, de alguma forma, contribuíram para que esses cursos fossem realizados no município de Jaru”, ressaltou o parlamentar.

Participaram do evento o deputado federal Lúcio Mosquini (MDB), o prefeito João Gonçalves Júnior, o vice-prefeito Jeverson Lima (MDB) e o vereador Gelson da Hora.

 

* Divulgação de Atividade Parlamentar

Léo Moraes reafirma apoio à saúde de Rondônia

A saúde pública sempre foi umas das prioridades de trabalho do Deputado Estadual Léo Moraes. Durante seu mandato, foram encaminhadas emendas para melhorias de infraestrutura em algumas unidades de saúde, projetos para aperfeiçoamento nos serviços à população, além de valorização dos servidores.

Léo se reuniu com o Secretário de Saúde do Estado, Dr. Luiz Eduardo Maiorquin para tratar sobre os casos ocorridos no Pronto Socorro João Paulo II e Hospital de Base e para reafirmar apoio aos hospitais.

“Sabemos que a saúde pública passa por problemas e queremos ajudar no que estiver ao nosso alcance. Precisamos de melhorias nas condições de trabalhos aos servidores que, apesar da falta de estrutura e até materiais para atendimentos, realizam um belíssimo trabalho.” Explicou o deputado.

De acordo com o Secretário da Sesau, o parlamentar pode ajudar na aquisição de medicamentos e uma ambulância para transferir pacientes. Na oportunidade, Léo se comprometeu em ajudar e também a prestar contas de seu trabalho.

“Vamos ajudar e fazer a nossa parte. A saúde de Rondônia pode contar com meu apoio. Sabemos que ainda há muito para ser fazer e estamos à disposição para mudar este cenário. Temos que trabalhar juntos, afinal quem tem enfermidade, tem pressa.” Concluiu Léo.

* Divulgação de Atividade Parlamentar

Deputado Cleiton Roque prestigia encerramento de cursos da Escola do Legislativo

Foram oferecidos cursos de Relações Interpessoais e de Fotografia ministrados por membros da Escola

O deputado Cleiton Roque (PSB), na noite da sexta-feira (13), prestigiou o encerramento de cursos realizados pela Escola do Legislativo, nos municípios de Espigão do Oeste e Pimenta Bueno.

No município de Espigão do Oeste o parlamentar prestigiou o encerramento do curso de Oficina de Fotografia, com mais de 40 participantes, “Que esse seja um de muitos cursos que possam contribuir para a vida pessoal e profissional de cada participante”, argumentou.

Roque agradeceu, “Ao Marcos Grutzmacher que foi o instrutor deste curso, a Sussuca que é diretora administrativa da Escola do Legislativo, vice-prefeito Valtinho Lara (PSDB), vereadores Lirvani Storch (PP), Genésio Mateus (DEM), Devair da Costa, o Rega (SD), Joveci do Pacarana (PSDB), Adão Salvatigo (PRB) e a toda a câmara de vereadores, meus parabéns e podem contar comigo como parceiro de Espigão do Oeste”.

Ainda no município de Espigão do Oeste, Cleiton Roque teve uma participação no programa Especial Rock a convite do empresário Reinaldo Selhorst, que é o apresentador e abordou temas envolvendo a economia do Estado de Rondônia.  O programa foi transmitido da Romiporã FM 87,9 em rede com Meridional.

Em Pimenta Bueno, Cleiton Roque prestigiou o encerramento do curso de Relações Interpessoais no Serviço Público, ministrado pelo instrutor Francisco Tavares com pelo menos 170 participantes. Nas duas cidades, Cleiton foi parabenizado por estar trazendo cursos que contribuem com a formação e qualificação profissional do cidadão.

Cleiton Roque fez questão de agradecer o apoio do presidente da Assembleia Legislativa Maurão de Carvalho (MDB), “O Maurão é meu amigo, é um parceiro de primeira hora e sempre atende nossas solicitações. Ficam aqui meus agradecimentos e respeito. Levem também o meu abraço ao diretor da Escola do Legislativo do Estado, Isaque Machado e nossos agradecimentos pelo excelente trabalho desenvolvido por meio de tantos profissionais”, concluiu.

Outros cursos serão realizados e assim que as datas forem definidas, a população será comunicada.

 

* Divulgação de Atividade Parlamentar

Marco Aurélio será o relator da denúncia que acusa Jair Bolsonaro de racismo

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi definido como relator da denúncia contra o deputado Jair Bolsonaro, pré-candidato do PSL à Presidência, acusado de racismo pela Procuradoria-geral da República (PGR) na semana passada.

O ministro é membro da Primeira Turma da Corte, que deverá analisar a denúncia, junto de Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux. Ainda não há previsão para a acusação ser julgada.

A procuradoria denuncia o pré-candidato por racismo contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e LGBTs. De acordo com a PGR, em uma palestra no Clube Hebraica do Rio de Janeiro, em abril de 2017, Jair Bolsonaro, em pouco mais de uma hora de discurso, “usou expressões de cunho discriminatório, incitando o ódio e atingindo diretamente vários grupos sociais”.

Na peça, a procuradora-geral, Raquel Dodge, avalia a conduta de Bolsonaro como “ilícita, inaceitável e severamente reprovável”. “A conduta do denunciado atingiu bem jurídico constitucionalmente protegido e que transcende a violação dos direitos constitucionais específicos dos grupos diretamente atingidos com a suas manifestações de incitação ao ódio e à discriminação para revelar violação a interesse difuso de toda sociedade, constitucionalmente protegido”.

Se condenado, Bolsonaro poderá cumprir pena de reclusão de 1 a 3 anos. A procuradora-geral pede ainda o pagamento mínimo de R$ 400 mil por danos morais coletivos. Procurado pela reportagem quando a denúncia foi ofertada, o deputado disse que não quis ofender ninguém.

“Se faz brincadeira hoje em dia, tudo é ódio, tudo é preconceito. Se eu chamo você de quatro olhos, de gordo, não estou ofendendo os gordos do Brasil. Eles querem fazer o que na Alemanha já existe: tipificar o crime de ódio. Para mim pode ser, e pra você pode não ser”, disse o parlamentar na ocasião. “Tanta coisa importante para o Brasil, para o Judiciário se debruçar e vai ficar em cima de uma brincadeira dessa”.

O parlamentar já é réu em duas ações que tramitam no STF, ambas sob relatoria do ministro Luiz Fux. Numa delas, Bolsonaro é acusado por injúria e apologia ao crime. A autora é a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), sobre quem Bolsonaro declarou, em 2014, que “não estupraria a deputada porque ela não mereceria”. A outra denúncia é do Ministério Público Federal (MPF), que enxerga, na conduta do deputado, incitação ao crime de estupro.

Fonte: istoé

Anatel publica novas regras para TV por assinatura

As alterações entrarão em vigor em 90 dias

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou hoje (16), no Diário Oficial da União, alterações no regulamento do Serviço de Acesso Condicionado (SeAC), que trata da oferta de canais digitais da TV aberta na TV por assinatura. Pelas novas regras, o carregamento do sinal digital das geradoras locais da TV aberta pelas empresas de TV por assinatura se dará por negociação.

As alterações entrarão em vigor em 90 dias.

Pelo atual entendimento, a obrigatoriedade de carregar o sinal vale apenas para os canais analógicos. A Anatel também determinou que, caso não haja acordo, as geradoras locais poderão exigir o carregamento gratuito do sinal. Caberá à agência reguladora decidir sobre o conflito.

Outro ponto em discussão previa a obrigatoriedade de as empresas de TV por assinatura distribuirem a seus assinantes caixas híbridas, uma espécie de conversor, que também pudessem receber os sinais de todos os canais locais das TVs abertas. As empresas estimavam que o custo adicional para adquirir o equipamento ficariam em torno de R$ 465 milhões.

O entendimento da agência foi de que o processo de desligamento do sinal analógico em curso incentiva a troca dos aparelhos de televisão. Para famílias incluídas em programas sociais, existe distribuição de receptores do sinal digital. As duas iniciativas, segundo a agência, garantiriam o acesso aos sinais das geradoras locais.

De acordo com a Anatel, pessoas com deficiência têm direito a recursos de acessibilidade no SeAC, por meio de uma unidade receptora decodificadora (URD), independentemente do plano de serviço e sem custo adicional. Isso poderá ser feito sempre que solicitado pelo assinante,

Segundo a Anatel, as prestadoras do serviço poderão decidir se usarão essa solução como um diferencial competitivo. Já os assinantes terão direito de acessar os canais da TV aberta digital diretamente do televisor, considerando que os aparelhos digitais atualmente em uso têm mais de uma entrada.

Fonte: agenciabrasil

Médicos e empresários são condenados por participação na ‘Máfia do Botox’ em PE

As toxinas estiveram em circulação por mais de seis anos, em um esquema que contava com a participação de médicos em, pelo menos, cinco estados do Nordeste

Empresários e médicos estão entre os 13 condenados envolvidos na comercialização de toxina botulínica do tipo A contrabandeada. A sentença foi divulgada nesta segunda-feira no site do Ministério Público Federal em Pernambuco. As penas aplicadas aos réus vão de um ano e dois meses de detenção em regime aberto a oito anos e dois meses de reclusão.

A sentença, no entanto, é na primeira instância e ainda cabe recurso aos envolvidos na ação. Além da toxina botulínica clandestina de nome comercial Fine Tox, que tem a venda proibida no Barsil, eram comercializadas livremente outras toxinas e substâncias, com outros nomes, sem rótulo, lacre, bula ou identificação, em desacordo com as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

As toxinas estiveram em circulação por mais de seis anos, em um esquema que contava com a participação de médicos em, pelo menos, cinco estados do Nordeste (Pernambuco, Paraíba, Maranhão, Rio Grande do Norte e Piauí), além de São Paulo e Minas Gerais. A ação criminosa acontecia de duas formas: com a entrada em território nacional em meio a produtos de importação lícita ou através de empresários que contrabandeavam o produto.

Toxina botulínica
Apenas cinco laboratórios no Brasil têm autorização da Anvisa para a fabricação e comercialização da toxina botulínica. Apesar de ser mais difundida em aplicações estéticas, a toxina botulínica também é usada para tratamento de disfunções neurológicas e motoras, sendo considerada medicamento. A aplicação do produto clandestino pode trazer diversos efeitos colaterais aos pacientes. A toxina botulínica do tipo A é produzida naturalmente pela bactéria anaeróbia Clostridium botulinum, que produz oito tipos sorológicos de toxina, sendo a A a mais potente e, por isso, usada clinicamente.

Condenados
Dos 14 denunciados 13 foram condenados pela Justiça Federal. O órgão informa que Luciano Purificação de Barros, Celso Agostinho Dias, Raul Vieira Neto, Fernando Souza Lima, Orlei Seiler Barbosa, Flávio Martins de Figueiredo, Mohamed Husseim Dassouki, Gilmar Michaelsen e Maurício de Oliveira Paradello Jr. foram condenados pelos crimes de contrabando e associação criminosa. Rosana Saúde de Aquino e Ednaldo Costa Neves foram condenados por contrabando, enquanto Consuelo Arruda Ferreira e Tatiana Martins Caloi por falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais, na modalidade culposa. Os réus, com exceção de Gilmar Michaelsen, que não foi localizado pela Justiça e também foi impedido de deixar o País, poderão apelar em liberdade. Também cabe recurso do MPF.

Máfia do Botox
Um grupo composto por médicos, empresários e comerciantes de oito estados do Brasil formavam uma cadeia de compra, venda e aplicação de toxina botulínica falsa.

Fonte: diariodepernambuco

Comissão de Direitos Humanos do Senado fará vistoria na cela de Lula

Lista de parlamentares é composta exclusivamente por nomes alinhados ao ex-presidente e foi aprovada no Senado depois que políticos tiveram visita negada

Em despacho nesta segunda-feira, a juíza federal Carolina Moura Lebbos confirmou que uma comitiva de senadores da Comissão de Direitos Humanos do Senado vai vistoriar a sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, para avaliar as condições de custódia dos presos na unidade, incluindo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Desde que o requerimento foi aprovado na semana passada, os senadores diziam que a juíza não teria poderes para impedi-los de entrar, mas ainda persistia a expectativa sobre o pronunciamento da juíza. Responsável pela execução do processo do ex-presidente, Carolina Lebbos já recusou que um grupo de nove governadores e dois senadores entrassem na Superintendência, alegando que a determinação do juiz Sergio Moro, titular da ação, era a de que ele não tivesse qualquer tipo de vantagem no que diz respeito à visitas.

A juíza ressaltou que “embora não tenha chegado ao conhecimento deste Juízo qualquer informação de violação a direitos de pessoas custodiadas na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, já dotadas de defesas técnicas constituídas” e “tampouco tenha sido expressa no ofício a motivação da aprovação da diligência”, ela dava conhecimento à PF para que desse andamento aos procedimentos.

A magistrada pediu que a Comissão confirme, o quanto antes, quais senadores visitarão a carceragem. Na última quarta-feira, quando a vistoria foi aprovada, a lista continha apenas senadores favoráveis ao ex-presidente, a saber: Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Regina Sousa (PT-PI), Angela Portela (PT-RR), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Fátima Bezerra (PT-RN), Lindbergh Farias (PT-RJ), Telmário Mota (PTB-RR), Paulo Paim (PT-RS), Jorge Viana (PT-AC) e Paulo Rocha (PT-PA).

Este será o primeiro encontrando do petista com políticos aliados desde que foi preso, há dez dias. No mesmo despacho, a juíza Carolina Lebbos deu cinco dias para que o Ministério Público Federal (MPF) opine se ela deve autorizar as entradas de Gleisi, na condição de presidente nacional do PT, do deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), do vereador de São Paulo Eduardo Suplicy (PT), do Nobel da Paz argentino Adolfo Pérez Esquível e de uma comitiva do PDT, formada pelo pré-candidato à Presidência Ciro Gomes, pelo presidente da legenda, Carlos Lupi, e pelo ex-ministro e deputado André Figueiredo (PDT-CE).

Fonte: veja