Léo Moraes pede explicações da Eletrobras sobre valores cobrados nas contas de luz dos portovelhenses

O parlamentar também questionou sobre a tarifa social para famílias de baixa renda

No início desta semana, o Deputado Estadual Léo Moraes se reuniu com o presidente da Eletrobras Distribuição Rondônia, Marcelo Reis de Carvalho, para questionar os valores cobrados nas contas dos moradores de Porto Velho.

“Viemos pedir explicações sobre a cobrança nas faturas, principalmente aos moradores de baixa renda, que residem em conjuntos habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida. Por nosso pedido, a companhia vai realizar uma perícia nos medidores de energia dessas residências.” Contou Léo.

Além disso, o presidente se comprometeu em colocar uma equipe da Eletrobras para atender famílias que ainda não requisitaram a tarifa social, que traz uma economia de cerca de 25% nas tarifas de energia elétrica.

O parlamentar luta insistentemente para que os rondonienses paguem suas contas de energia elétrica de forma justa. Em 2015, Léo Moraes, por meio da Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Rondônia (Facer), propôs uma Ação Civil Pública para o fim da cobrança da bandeira tarifária.

Ao longo dos anos seguintes, o deputado também esteve por diversas vezes em Brasília na Sede da Aneel e no Ministério de Minas e Energia protocolando um requerimento pedindo explicações sobre os altos valores cobrados nas contas de luz.

“Muitas vezes, nós, enquanto população, pagamos um alto preço por serviços públicos que o retorno, em sua maioria, é de baixa qualidade. Estaremos na expectativa para que esses serviços sejam realizados o quanto antes para que muitas famílias sejam beneficiadas.” Concluiu Léo.

* Divulga de Atividade Parlamentar

Deputado Laerte Gomes requer maior prazo para pagamento de Notas Fiscais retidas durante greve dos caminhoneiros

Parlamentar apresentou requerimento ao governador Daniel Pereira para que Sefaz prorrogue vencimentos dos impostos

O deputado Laerte Gomes (PSDB), apresentou requerimento ao governo do Estado para que, através da Secretaria de Fazenda, conceda maior prazo para o pagamento de impostos das Notas Fiscais, das mercadorias que ficaram retidas em estradas e transportadoras durante o período da paralisação dos caminhoneiros.

O parlamentar entregou o pleito ao governador Daniel Pereira (PSB), durante reunião no Palácio Rio Madeira na manhã desta terça-feira (5). O objetivo, de acordo com o deputado, é evitar multas, uma vez que muitas notas fiscais venceram nos veículos retidos, e dar tempo para que comerciantes varejistas e atacadistas se recuperem dos prejuízos causados durante a greve.

A ideia, segundo Laerte Gomes é solicitar a prorrogação das notas fiscais e a postergação do pagamento do ICMS. O Estado, por sua vez, deverá, caso atenda o pleito do deputado, editar uma instrução normativa, para regulamentar a questão.

“E dar um caminho para aquele contribuinte, que se sentiu prejudicado por essa situação”, acrescentou o líder do governo na Assembleia.

Os principais reflexos da greve para o comércio foram perdas e adiamento de vendas, que prejudicaram o ano e, consequentemente, reduzirá o crescimento da receita. “São perdas que não podem ser recuperadas rapidamente, por isso estamos requerendo a compreensão do governo para tentarmos contornar possíveis prejuízos”, concluiu Laerte.

 

 

 

* Divulga de Atividade Parlamentar

Jean Oliveira destaca o Dia Mundial do Meio Ambiente

A preservação do meio ambiente é uma maneira correta para equilibrar o meio ambiente

O deputado Jean Oliveira (MDB), presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Cmads) da Assembleia Legislativa, destacou o Dia Mundial do Meio Ambiente que é comemorado hoje – 5 de junho. “É importante que cada país construa uma estrutura legal própria, voltado para a preservação do meio ambiente. O Brasil está avançando nessa questão”, disse o parlamentar.

O Dia Mundial do Meio Ambiente foi instituído em 1972 pela Organização das Nações Unidas (ONU), durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo. É comemorado em 5 de junho justamente para coincidir com a data da realização do evento.

Jean Oliveira observou que já em 1988 quando da elaboração da Constituição da República Federativa do Brasil, foi estabelecido no Art. 225 da Carta Magna, que “todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para às presentes e futuras gerações”.

Poluição plástica

O deputado também lembrou que neste ano de 2018, o Dia Mundial do Meio Ambiente, tem como tema “Acabe com a Poluição Plástica”. O objetivo da ONU Meio Ambiente é chamar a atenção da sociedade para reduzir a produção  e o consumo excessivo de produtos plásticos descartáveis.

“Segundo as Nações Unidas, a poluição plástica é considerada uma das principais causas atuais de danos ao meio ambiente e à saúde. Por ano, são consumidas até 5 trilhões de sacolas plásticas em todo o planeta”.

Jean Oliveira disse ainda, que “Rondônia como um Estado amazônico e economicamente em formação, sofre muito com os impactos ambientais.

Precisamos criar mecanismos de desenvolvimento sustentável; não é verdade que para se ter progresso e desenvolvimento é necessário depredar o meio ambiente. Defendemos o desenvolvimento sustentável”.

 

 

 

*Divulgação de Atividade Parlamentar

Resenha Política – Robson Oliveira

PRECEDENTE

O resultado das eleições suplementares do município de Vilhena revelou que aquela população não caiu na esparrela da família Donadon e elegeu o candidato adversário, Eduardo japonês (PV). Rosani Donadon (MDB) havia sido defenestrada do cargo de prefeita recentemente e decidiu disputar as eleições suplementares mesmo com o indeferimento do registro da candidatura pela Justiça Eleitoral. O eleitor de Vilhena resolveu cassá-la nas urnas e evitar mais uma vez a judicialização do resultado.

PRECEDENTE

Esta eleição vilhenense é um aviso do eleitor para os políticos que insistem nas velhas práticas eleitorais. É também um alerta aos que estão encalacrados judicialmente, visto que a Justiça Eleitoral está sendo mais rigorosa ao denegar liminares a candidatos com condenações colegiadas e que insistiram em disputar o pleito. Um precedente que deverá prevalecer nas eleições em outubro próximo.

ABSTENÇÃO

O número de eleitores inscritos em Vilhena e que deixaram de comparecer às urnas ultrapassou as cifras 25%, um percentual de abstenção alto e que sugere uma manifestação silenciosa de indignação dos eleitores com os políticos e os respectivos partidos que estão filiados. Estes números podem aumentar em outubro com a pulverização das candidaturas e a utilização criminosa de fake news.

ESTÍMULO

Na medida que se aproximam as convenções – julho – os partidos começam a avançar nas conversações visando a formação das coligações com a definição dos respectivos candidatos nas vagas majoritárias. O deputado federal Marcos Rogério (DEM), por exemplo, está sendo estimulado a disputar as eleições ao Senado Federal.

ACIRRAMENTO

Uma candidatura do deputado Marcos Rogério à vaga na Câmara Alta é um balde de água fria nas pretensões do ex-prefeito de Ji-Paraná Jesualdo Pires (PSB). Ambos são do mesmo colégio eleitoral e, se disputarem, um deles sairia prejudicado em razão do acirramento do processo eleitoral já que estão em coligações adversárias. Na hipótese de o democrata mudar da ideia original em trocar a disputa da Câmara Baixa pela Alta, a saída do ex-prefeito seria inverter também a pretensão original.

DESENCANTO

Três deputados estaduais que eram entusiastas da ascensão de Daniel Pereira (PSB) à titularidade do Governo de Rondônia, em conversa reservada com este cabeça chata, revelaram que perderam o encanto pelo governador. Um deles se queixou da falta de humildade e outro da dificuldade em conversar com o ilustre mandatário. O terceiro parlamentar lembrou que antes de assumir o novo cargo Daniel costumava filar o café na sua casa, mas ao assumir à chefia do executivo estadual criou obstáculos para que os velhos aliados tivessem acesso diário a ele. Daí o desencanto.

PARADOXO

Num intervalo em menos dois meses o programa dominical da Rede Globo “Fantástico” veiculou duas reportagens sobre violência em Rondônia que mostrou duas facetas da mesma moeda. A primeira narrou sobre o alto índice de solução nos crimes contra a vida investigados pela Polícia Civil lotada no município de Pimenta Bueno; A segunda, mostrado domingo passado, a vulgarização do crime contra a vida com imagens e áudio de contratação da pistolagem por uma suposta quadrilha formada por fazendeiros. Em ambas as reportagens o que se deduz é que a violência se reinstalou no estado aos moldes da época do ciclo do ouro onde os delinquentes impunham a lei.

JARARACA

Em depoimento nesta terça-feira (5), por vídeo conferência, como testemunha de defesa no caso envolvendo uma suposta compra de votos para que o Brasil sagrasse vencedor na disputa pela organização das Olimpíadas no Rio de Janeiro, Lula conseguiu espaço para fazer o que mais gosta que é política. Ao responder um comentário feito pelo juiz Marcelo Bretas de que já teria participado uniformizado em comício do ex-presidente no final dos anos oitenta, Lula não perdeu tempo e disse bem-humorado: “quando fizer um comício agora, eu vou chamar o senhor para participar”, respondeu Lula, para o riso dos presentes à audiência. É o que dá cutucar no rabo de uma jararaca que ainda dá sinais de vitalidade, embora privado da liberdade.

LEGITIMIDADE

A ausência física da ex-senadora Fátima Cleide (PT) do estado por um tempo não a descredencia em pleitear outra vez a uma vaga senatorial. Fátima nasceu aqui, conhece a realidade estadual e nunca deixou de participar das atividades partidárias em Rondônia. É absolutamente legítima a postulação que os petistas anunciam. O que o eleitor tem que avaliar é se as propostas da ex-senadora ainda são inovadoras e se atendem as expectativas de Rondônia. Há tanta gente com reputação pior que ela e está na disputa sem ninguém falar nada. Mesmo reconhecendo a legitimidade, não significa que este colunista seja um eleitor da ex-senadora. E não sou!

MPC, MPE, MPF e MPT emitem notificação conjunta ao município de Porto Velho sobre contratação de OSS

Tribunal de Contas responsabiliza candidato de Ariquemes por pagamento ilícito

O Ministério Público de Contas de Rondônia (MPC-RO), de modo conjunto com o Ministério Público estadual (MP-RO), o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Trabalho/Procuradoria da República do Trabalho – 14ª Região (MPT/PRT14), emitiu notificação recomendatória ao município de Porto Velho, tendo em vista a possibilidade da transferência de parte da gestão dos serviços de saúde pública para organizações sociais (OSs).

A notificação emitida pelos Ministérios Públicos, cadastrada sob o número 001/2018/MPE/MPC/MPT/MPF (disponível neste link: http://www.tce.ro.gov.br/wp-content/uploads/2018/06/NOTIFICAC

̧ÃO-RECOMENDATÓRIA-CONJUNTA.pdf), se fundamenta, entre outros pontos, na prevenção a possíveis prejuízos à política do Sistema Único de Saúde (SUS), já que cabe “ao poder público demonstrar o nexo de causalidade e não a mera conveniência da transferência do serviço público de saúde para a iniciativa privada, garantindo a economicidade e eficiência, com transparência dos serviços e prevenção de fraudes na gestão”.

Desse modo, os órgãos ministeriais estabeleceram em conjunto uma série de diretrizes ao município de Porto Velho, relativamente à possibilidade de execução do serviço público de saúde pelo terceiro setor (OSs), abarcando questões jurídico-legais, administrativas, orçamentárias, financeiras, fiscais, econômicas, trabalhistas, previdenciárias, entre outros.

PARÂMETROS

Destacam-se, em especial, a recomendação dos MPs quanto à observância à necessidade de se aplicar a legislação vigente em conformidade com os termos do voto condutor da ADI n. 1923-DF/STF que estabeleceu parâmetros constitucionais que devem ser obedecidos pelos entes federativos, como, por exemplo, forma transparente de qualificação das organizações sociais e contratação de pessoal pelas OSs, por meio de processo de seleção com obediência aos princípios da moralidade e impessoalidade.

Deverá ainda o gerenciamento do serviço de saúde ser previsto no Plano Municipal de Saúde, devidamente aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde, com comprovação de previsão em peças orçamentárias, como PPA, LDO e LOA.

Outros pontos enfatizados pelos MPs na notificação recomendatória dizem respeito à observância ao limite da Lei de Responsabilidade Fiscal na realização desse tipo de despesa; o zelo pela preservação dos direitos dos servidores públicos municipais e cedidos; a adoção de indicadores de qualidade; a composição de comissão para avaliação e fiscalização dos serviços de profissionais qualificados; a obtenção de comprovação de idoneidade da Organização Social a ser credenciada por meio de experiência na área e apresentação de documentos que demonstrem regularidade fiscal e trabalhista; a previsão de medidas de proteção ao meio ambiente do trabalho, bem como a prevenção a fraudes na relação de trabalho e responsabilidade de débitos trabalhistas.

Os MPs esclarecem ainda que a Constituição Federal concedeu primazia à execução do serviço público de saúde por uma rede pública dos entes federativos, sendo que o serviço privado deve consistir exceção, prestado de maneira complementar e comprovada a não disponibilidade do poder público para o seu exercício. Também deve ser demonstrado que o resultado da privatização terá melhor desempenho e menor custo na prestação dos serviços à população, conforme Acórdão TCU n. 3.239/2013.

 

 

 

Fonte: TCE-RO

Temer aprova redução de emissões de carbono nos próximos dez anos

Dessa forma, o governo espera um maior uso dos biocombustíveis, como o etanol e o biodiesel, menos poluentes, para alcançar a meta

O presidente Michel Temer aprovou hoje (5) as metas anuais de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa para os próximos dez anos. Dessa forma, o governo espera um maior uso dos biocombustíveis, como o etanol e o biodiesel, menos poluentes, para alcançar a meta. Isso traria, segundo o presidente, menor dependência do mercado externo de petróleo e consequente redução no preço dos combustíveis.

“Vamos reduzir de 11,5% para 7% a dependência externa de combustíveis. O Brasil estará menos exposto à variação internacional do preço do petróleo e às flutuações cambiais. Portanto, quem sabe, num futuro muito próximo, consigamos evitar acontecimentos como este que se verificou na semana passada”, disse o presidente, referindo-se a greve dos caminhoneiros, deflagrada por conta dos elevados preços do diesel. O movimento provocou uma crise no abastecimento no país, inclusive com falta de combustíveis e longas filas em postos.

As metas propostas pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) compõem a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio). Elas reduzem 10% nas emissões de carbono na matriz de combustíveis do país, passando dos atuais 74,25 gramas de gás carbônico por megajoule (g CO2/MJ) para 66,75 g CO2/MJ, o que corresponde à retirada de 600 milhões de toneladas de carbono da atmosfera até 2028.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente (MME), o estabelecimento da meta provocará investimentos de R$ 1,3 trilhão em expansão da produção de biocombustíveis nos próximos dez anos e redução de, pelo menos, 0,84% do preço dos combustíveis ao consumidor ao final do período.

“[A aprovação das metas são] exatamente para dar o testemunho do compromisso do governo brasileiro com a qualidade de vida no mundo, com a possibilidade de baixar o preço do combustível, que às vezes nos captura, como recentemente nos capturou. São medidas que não terão efeito amanhã, mas nos próximos dez anos”, disse o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

Áreas de Preservação
O presidente também aproveitou o Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado hoje, para anunciar a criação de duas áreas de preservação ambiental, uma na Amazônia e outra na Bahia. “Acabo de assinar duas novas áreas de preservação: a Reserva Extrativista do Baixo Rio Branco, na Floresta Amazônica, e um refúgio de vida silvestre para a ararinha azul, na Bahia. Antes extinta em seu habitat, estamos reintroduzindo a ararinha na natureza.”

Tabela das metas de emissão de carbono

Ano 2018

(a partir de24/06/18)

2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025 2026 2027 2028
Intensidade de Carbono (IC) Projetada(gCO2/MJ) 73,55 73,51 72,83 72,55 72,34 71,81 70,62 69,49 68,39 67,49 66,75
Redução da IC Pretendida

1,0% 1,9% 2,3% 2,5% 3,3% 4,9% 6,4% 7,9% 9,1% 10,1%

Fonte: agenciabrasil

Educação pública de qualidade custaria até 5 vezes mais, diz estudo

A maior diferença está no investimento necessário para garantir creches em período integral

O Brasil deveria investir até cinco vezes mais do que gasta hoje para garantir uma educação pública de qualidade da creche ao ensino médio, segundo estudo lançado hoje (5) pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

O cálculo do Custo Aluno-Qualidade inicial (CAQi) leva em consideração os custos necessários para a formação e valorização dos professores, despesas com água, luz e telefone, além de aquisição de materiais em geral, como equipamentos para esportes, brincadeira e música, aparelhos e utensílios para cozinha, coleções e materiais bibliográficos, entre outros.

A maior diferença está no investimento necessário para garantir creches em período integral. Segundo cálculos do estudo, seriam necessários R$ 21.280,12 anuais por aluno para custear a oferta em área urbana. Hoje, são pagos R$ 3.921,67 por meio do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

No total, considerando ainda na conta elementos como transporte escolar, manutenção e desenvolvimento do ensino – que não estão incluídos – seriam necessários, de acordo com a Campanha, R$ 23.579,62 anuais por aluno para creches.

No ensino fundamental, nas diversas modalidades, o valor deveria pelo menos dobrar para a oferta de qualidade na cidade e quase triplicar no campo. No ensino médio, o valor atual precisaria aumentar em pelo menos 50%. A educação especial inclusiva passaria dos atuais R$ 7.240,02 pagos pelo Fundeb para R$ 19.167,47 anuais por estudante e a Educação de Jovens e Adultos (EJA) ensino fundamental, de R$ 2.413,34 para R$ 8.366,17.

“É importante termos um CAQi porque ele é um mecanismo de justiça federativa nacional. Ele coloca uma linha abaixo da qual não há qualidade na educação. Esse dispositivo é essencial em uma federação, especialmente em um país tão extenso e com tamanhas desigualdades regionais”, diz a coordenadora de políticas educacionais da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Andressa Pellanda.

Investimento é lei

A implementação do CAQi está prevista no Plano Nacional de Educação (PNE), lei sancionada em 2014, que estabelece metas e estratégias para serem cumpridas da educação infantil a pós-graduação no Brasil até 2024. Pelo PNE, o CAQi deveria ter sido implantado com dois anos de vigência da lei, ou seja, em 2016.

O PNE prevê ainda que o CAQi seja progressivamente ajustado até a implementação do chamado Custo Aluno-Qualidade (CAQ). O CAQ deveria ter sido definido até meados do ano passado, no terceiro ano de vigência da lei. “O CAQ se faz importante para que o financiamento e o parâmetro de qualidade não se atenham ao mínimo, mas possam avançar. Em termos práticos e como prevê o plano, é preciso um esforço escalonado, de financiamento progressivo para a área”, explica Andressa.

A Campanha Nacional pelo Direito à Educação elaborou também uma proposta para o CAQ. Nela, os valores para todas as etapas de ensino em todas as modalidades quase duplicariam em relação ao Fundeb. Mais cara, a creche em tempo integral chegaria a um custo anual por aluno de R$ 39.210,61.

Ministério

O financiamento abarca recursos tanto da União quanto de estados e municípios. O PNE estabelece que o CAQ seja definido pelo Ministério da Educação (MEC).

O MEC diz, em nota, que está trabalhando pela definição de outros dispositivos que permitirão a implementação do CAQi e do CAQ. Um grupo discute o Sistema Nacional de Educação (SNE) que, entre outras coisas, estabelecerá a colaboração entre União, estados e municípios para a oferta educacional. O projeto de lei que institui o SNE está em tramitação no Congresso Nacional. O MEC elabora um estudo para contribuir com o projeto. O SNE também está previsto no PNE e, pela lei, deveria ter sido instituído, também até 2016.

Outro ponto enfatizado pelo MEC é a constituição de um novo Fundeb que, segundo a pasta, ajudará a tornar o financiamento da educação básica sustentável. Proposições sobre o assunto estão em tramitação tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado, mas como se tratam de propostas de emenda à Constituição (PEC) não podem ser aprovadas durante a vigência da intervenção no Rio de Janeiro.

Fonte: agenciabrasil

Tiroteio dentro da Universidade Federal de Goiás deixa pelo menos um morto

Cerca de cinco tiros foram disparados próximo ao DCE da universidade, no horário do intervalo entre as aulas; não está claro se a vítima era um aluno

Uma pessoa foi morta a tiros na manhã desta terça-feira (5) dentro do campus Samambaia da Universidade Federal de Goiás (UFG), no Setor Itatiaia, em Goiânia.

O tiroteio aconteceu próximo ao Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFG e, apesar de ter sido especificado que tratava-se de um homem, não está confirmado se a vítima fatal era um aluno.

De acordo com a assessoria da universidade, as Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) estão no local e a ocorrência está em andamento. Foram ouvidos ao menos cinco tiros.

A Polícia Militar informou que a situação está sendo apurada e que, por enquanto, ao que tudo indica, a pessoa que disparou os tiros não é um aluno da instituição. Suspeita-se que seja um usuário de drogas que costuma passar pela região da universidade. Esse mesmo suspeito teria, inclusive, passagens pela polícia por diversos crimes.

Nas redes sociais, estudantes da instituição demonstraram medo e insegurança diante do ocorrido. “UFG sempre foi um lugar meio estranho mas um cara tomar cinco tiros em horário de intervalo do lado do DCE foi meio radical”, escreveu um. “Mataram um cara aqui e eu tô muito assustado”, escreveu outro.

Houve ainda quem denunciasse que as aulas continuaram após o tiroteio. “Acabam de matar alguém aqui na UFG, no intervalo, do lado do DCE . E minha professora ta pleníssima dando aula. A morte de uma pessoa parece que virou algo muito comum e ninguém nem se surpreende”, escreveu um internauta.

Nota oficial é divulgada pela UFG
Em nota oficial, a universidade informa que “assim que comunicada da ocorrência, as equipes de segurança cercaram o local e acionaram a Polícia Militar”. Confira a íntegra da nota :

“Sobre o homicídio ocorrido na manhã desta terça-feira (5/6) no Campus Samambaia, a Universidade Federal de Goiás ( UFG ) informa que, assim que comunicada da ocorrência, as equipes de segurança cercaram o local e acionaram a Polícia Militar. As informações sobre o veículo utilizado pelos suspeitos do crime foram repassadas à PM. A identidade da vítima ainda não foi confirmada pela polícia científica.”

Fonte: ig

URGENTE: Polícia divulga nome e foto do principal suspeito de matar caminhoneiro com pedrada em Vilhena (RO)

Crime ganhou repercussão em todo o país; vítima tinha 70 anos

Polícia Civil de Vilhena (RO), divulgou a foto e a identificação do principal suspeito de ter matado, com uma pedrada no rosto, durante o protesto dos caminhoneiros na cidade, o motorista José Batistela. O crime, cometido no dia 30 de maio, ganhou destaque em todo o país através da imprensa. A vítima tinha 70 anos e era morador de Jaru, cidade da região central de Rondônia.

Segundo a polícia, o possível autor da pedrada fatal é um homem de 33 anos, identificado como Willians Maciel Dias, cujo apelido é “Javali”. Ele, que é morador de Vilhena, já teve a prisão decretada, mas está foragido.

Foto: Divulgação

O carro usado pelo acusado no ataque, um Gol preto, já foi apreendido pela polícia.

O repórter Rogério Perucci está na entrevista coletiva na qual os delegados que comandam as investigações dão detalhes do caso.

Informações de Folha do Sul

URGENTE: Polícia civil de Vilhena (RO) prende autor da pedrada que matou caminhoneiro

De acordo com informações, foi apreendido o veículo, e identificado o autor da pedrada que matou o caminhoneiro perto de um ponto de manifestação dos caminhoneiros grevistas na BR-364, no dia 30 de maio, em Vilhena (RO). O veículo da vítima estaria passando pela rodovia, quando o suspeito, em um carro de passeio sentido contrário ao caminhão arremessou uma pedra contra o para-brisa, que atravessou o vidro e atingiu a cabeça da vítima.

O suspeito ainda encontra-se fora da cidade, mas a prisão preventiva acaba de ser protocolada e conta com o testemunho da esposa e outras pessoas afirmando que ele seria o autor da pedrada. O veículo utilizado estava escondido em uma casa em Vilhena (RO).