Boatos no WhatsApp provocam a morte de nove pessoas; vídeo que causou comoção também circulou no Brasil

Vítimas foram espancadas após serem confundidas com sequestradores de crianças

Boatos que circulam no WhatsApp já provocaram a morte de nove pessoas na Índia, todas linchadas por populares em diversas cidades do país. No último caso, as vítimas foram o engenheiro de áudio Nilotpal Das e o artista digital Abijeet Nath. Eles pararam num vilarejo no norte do estado de Assam para pedir orientação e foram confundidos com sequestradores de crianças que aparecem num vídeo falso que viralizou no país. A polícia prendeu 16 pessoas acusadas de participação no linchamento, informa a BBC.

Das e Nath se somam às sete vítimas do filmete que está circulando no aplicativo de mensagens nos últimos meses. Um vídeo mostrando o linchamento também foi publicado e mostra um deles implorando por sua vida. No domingo, estudantes e ativistas saíram as ruas de Guwahati, a maior cidade do estado de Assam, onde a dupla vivia, para protestar contra o crime.

A primeira vítima foi um homem espancado até a morte após ser visto circulando a esmo por uma cidade no estado de Tamil Nadu, em abril. No mês seguinte, uma mulher de 55 anos foi linchada no mesmo estado, por dar doces a crianças; 30 pessoas foram presas. Em Andhra Pradesh, um homem foi morto por falar hindi e não a língua local, telugo.

Em Telangana, um homem foi linchado após ser visto em uma plantação de mangas durante a noite. No mesmo estado, um homem foi morto ao chegar a uma aldeia para visitar parentes. Em Hyderabad, capital de Telangana, uma mulher transexual foi linchada. Em Bangalore, capital e maior cidade de Karnataka, um homem que havia se mudado recentemente foi confundido com o falso sequestrador, amarrado com uma corda e espancado até a morte.

Em todos os casos, um vídeo que mostra uma criança sendo sequestrada foi apontado como motivador dos crimes. O correspondente da BBC na Índia, Dan Johson, teve acesso ao material. Nele, dois homens numa moto se aproximam de um grupo de crianças e um deles agarra uma delas e a dupla vai embora. Mas o filme não é da Índia. E nem mesmo verdadeiro.

Uma versão não editada mostra que o vídeo foi produzido pelo governo do Paquistão, para alertar a população sobre o cuidado com as crianças. No fim, um dos homens explica a situação, mas esta parte foi cortada na versão que se espalhou pelo WhatsApp. O mesmo vídeo editado circulou no Brasil, em dezembro de 2016.

Como aconteceu por aqui, o vídeo circula na Índia com uma mensagem clássica de boatos falsos, dizendo apenas que sequestradores chegaram à cidade e estão levando as crianças, sem especificar data ou local e sem fontes confiáveis. Por isso, os linchamentos aconteceram em diversas partes do país, tendo como vítimas pessoas desconhecidas pelos moradores locais.

As autoridades indianas lançaram campanhas de conscientização pedindo que a população não acredite em vídeos e mensagens que circulam na internet falando sobre sequestro de crianças. Em Telangana, a polícia chegou a prender pessoas que divulgaram mensagem com o falso vídeo. Em Karnataka, foi criada uma divisão especializada em monitorar vídeos e mensagens nas redes sociais.

No Brasil, um caso semelhante aconteceu em maio de 2014, em Guarujá, no litoral de São Paulo. A dona de casa Fabiane Maria de Jesus foi confundida com uma sequestradora de crianças e espancada até a morte após um boato circular no Facebook. Cinco pessoas já foram condenadas pelo crime, com penas que variam entre 26 e 40 anos de prisão.

Corpo de estudante desaparecida é encontrado e polícia pede prorrogação de prisão de ex-marido

Exames do IML não conseguiram identificar a causa da morte da universitária

Foi encontrado na última sexta-feira, 8, o corpo de Andriely Gonçalves da Silva, de 22 anos, e a Polícia Civil do Paraná pedirá à Justiça a prorrogação, por mais um mês, da prisão temporária do ex-marido Diogo Coelho Costa. O soldado da Polícia Militar (PM), que está detido desde o dia 19 de maio, é o principal suspeito de cometer o homicídio.

A estudante de Direito foi encontrada morta às margens da Estrada da Graciosa, quase um mês após o desaparecimento. Nesta segunda (11), o Instituto Médico Legal (IML) confirmou oficialmente a identidade do corpo, por meio de exames da arcada dentária.

Segundo o delegado Reinaldo Zequinão, essa descoberta faz a investigação avançar “a passos satisfatórios”. “A prisão temporária do Diogo está quase vencendo. Por isso, vamos analisar todos os elementos já produzidos e encaminhar a petição ao meio judiciário, além de apontar as diligências que ainda devem ser feitas. Nós precisamos da prorrogação do prazo. Só não pedimos a prisão preventiva, por enquanto, devido às peculiaridades do caso”, disse ele.

De acordo com o delegado, uma das pistas mais importantes é o sangue encontrado no veículo do ex-marido de Andriely, identificado com o uso do luminol – substância química que torna visível manchas que não podem ser vistas a olho nu. O IML já coletou uma amostra de sangue da mãe da vítima para o confronto de DNA.

“O mais importante era encontrar o corpo, que comprova o homicídio, a hipótese mais forte com a qual já trabalhávamos. O problema é que, devido ao estado avançado de decomposição, ainda não conseguimos definir a causa da morte”, completou Zequinão.

Estudante de Direito desapareceu no dia 9 de maio em Colombo. (Foto: Reprodução/Facebook)

Análise do corpo

O diretor do IML, Paulino Pastre, declarou que todas as pesquisas possíveis já foram realizadas a partir da análise do corpo. “Nós estamos trabalhando desde o sábado de manhã e já fizemos tudo o que poderia ser feito. Examinamos toda a parte da arcada dentária e não constatamos nenhuma fratura. Não conseguimos apurar a causa médica da morte, devido ao estado avançado de decomposição”, explicou.

Não foi identificado, a princípio, nenhum sinal de agressão que poderia ter provocado a morte de Andrielly. O casaco que a estudante usava continha três perfurações, que ainda precisam ser analisadas. “Pode ser algo relacionado ao caso ou simplesmente marcas provocadas pelo tempo, ou pelo corpo ter rolado em declive, não temos como afirmar. Em uma semana, no entanto, teremos o resultado dos exames do sangue no carro”, concluiu.

Defesa

Após a descoberta do corpo, a defesa de Diogo voltou a negar o envolvimento dele no crime. A versão do soldado dá conta de que ele deixou Andriely “perto de uma rodovia ou de um ponto de ônibus” na madrugada do desaparecimento, porque ela “tinha intenções de ir para São Paulo”.

Sobre o sangue no automóvel, a defesa alega que se trata de menstruação da jovem, porque ela sofreria de endometriose, o que causava um fluxo muito intenso no período menstrual.

Diogo está preso na Penitenciária Estadual de Piraquara (PEC), na região metropolitana de Curitiba. A Delegacia do Alto Maracanã, em Colombo, continua a investigar o caso.

Banda B

Estudo feito por brasileiro pode ajudar na luta contra o câncer de pulmão

Em testes envolvendo 1.274 pacientes com tumor avançado, imunoterapia aumenta tempo de vida e provoca menos efeitos colaterais

Estudo liderado por um brasileiro trouxe esperança de maior tempo de vida — e com melhor qualidade — para pessoas com câncer de pulmão em estágio avançado ou metastático. O teste dividiu 1.274 pacientes em dois grupos. Um deles recebeu imunoterapia com pembrolizumabe e o outro foi submetido à quimioterapia, tratamento clássico para esse tipo de tumor. Participantes do primeiro grupo viveram uma média de quatro a oito meses a mais que os do segundo. Além disso, sofreram menos efeitos colaterais severos (18%), se comparados aos pacientes da terapia tradicional  (41%).
“Um grande número de pacientes com câncer de pulmão agora tem uma nova opção de tratamento, com mais eficácia e menos efeitos colaterais que a quimioterapia padrão”, disse o autor líder do estudo, o brasileiro Gilberto Lopes, oncologista do Sylvester Comprehensive Cancer Center, da Universidade de Miami, nos Estados Unidos. “Nosso estudo mostra que o pembrolizumabe oferece mais benefícios que a quimioterapia a dois terços de todos as pessoas com o tipo mais comum de câncer pulmonar”, completou.
Os resultados, considerados animadores pela comunidade científica, foram apresentados durante a sessão plenária do encontro anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (Asco), realizado na semana passada, em Chicago. A imunoterapia ou a quimioterapia foi a primeira linha de tratamento para os 1.274 pacientes que participaram do estudo — o maior teste clínico já realizado com pembrolizumabe como terapia isolada, segundo os autores.

De acordo com Gilberto Lopes, todos os pacientes estudados tinham PD-L1 — um biomarcador usado comumente para prever a resposta a inibidores de barreiras imunológicas, incluindo o pembrolizumabe. Os tumores com mais PD-L1 (alta expressão) responderam melhor ao tratamento imunológico. Os que apresentavam 20% ou mais de PD-L1, por exemplo, tiveram 17,7 meses de vida com pembrolizumabe, contra 13 meses dos que receberam quimioterapia. Já a proporção para os que apresentavam 50% ou mais de PD-L1 chegou a 20 meses, contra 12,2 meses de sobrevida.
Outro ponto analisado foram as reações secundárias. “Os efeitos colaterais graves se apresentaram em menos de 20% dos pacientes com imunoterapia e em 40% dos pacientes com quimioterapia”, comemorou Lopes. O médico explicou ainda que algumas pessoas submetidas ao pembrolizumabe não responderam ao tratamento: aproximadamente metade dos pacientes com PD-L1 de 50% ou mais e cerca de 70% dos que tinham PD-L1 de 1%.
Isso, porém, não desanima o cientista, já que estudos mostram que, de forma geral, pensando em todos os tipos de tumores, cerca de 20% a 30% dos pacientes com câncer avançado e que têm indicação de imunoterapia respondem bem ao tratamento. Para o futuro, Lopes vê na combinação de terapia (imuno mais químio) um tratamento padrão para câncer de pulmão.
Carro-chefe
Marcelo Cruz, oncologista clínico e pesquisador da Northwestern University, de Chicago, ressalta que a imunoterapia (veja infográfico) tem sido o grande destaque nas últimas cinco edições da Asco, maior congresso de oncologia do mundo. “Ela é recente e não veio para substituir a quimioterapia ou a terapia-alvo. Pode ter um grande papel como monoterapia em diversos tumores, mas a gente está aprendendo que a combinação ainda vai ser o carro-chefe de muitos tratamentos, por exemplo, de câncer de pulmão. A imunoterapia sozinha ajuda, mas estamos percebendo que, com químio, é melhor ainda. A gente está aprendendo como ela deve ser encaixada no tratamento do paciente.”
O médico brasileiro, com residência em Chicago, ressalta que o grande desafio, agora, é entender como a imunoterapia pode ser encaixada no tratamento. “Será que hoje é para câncer metastático? Mas já tem estudos para doenças em fase inicial. Será que você estimular o sistema imunológico a combater o câncer lá no começo não é melhor do que quando já tem a doença espalhada pelo corpo? Talvez, sim. E é o que a gente está aprendendo aqui.”
Apesar de tudo ser muito recente, Marcelo Cruz ressalta que, no estágio de conhecimento atual, a imunoterapia tem se mostrado bastante eficiente no tratamento de alguns tipos de tumores, como melanoma, de pulmão, do trato urinário e de intestino, inclusive, como primeira linha de terapia. “Alguns cânceres reagem melhor do que outros. Mas a imuno está no começo ainda. Certamente, vão ter novas moléculas, novos agentes imunoterápicos melhores do que o que a gente tem hoje.”
Um outro grande desafio, segundo o oncologista, está em descobrir por que um grande número de pacientes não se beneficia da imunoterapia. “Estamos tentando entender quais são os biomarcadores que fazem com que um grupo responda bem e outro, não.” Marcelo explica ainda que, em relação aos Estados Unidos e aos países europeus, o Brasil sofre com a demora de aprovação de alguns imunoterápicos. “Existe aí um gap de uns três anos. E isso, para tratamento de câncer, que exige pressa, é ruim.”
Foto: Arquivo Pessoal
Três perguntas para Gilberto lopes, oncologista do Sylvester Comprehensive Cancer Center, da Universidade de Miami, e autor da pesquisa.
Qual é o grande ganho que esse estudo traz para o paciente?
A quimioterapia, em geral, pode ajudar o paciente a viver um pouco mais de tempo, a melhorar a qualidade de vida, mas associada com muitos efeitos secundários. A gente também sabe que a maioria dos pacientes que responde à quimioterapia deixa de responder em alguns meses e falece entre um e dois anos. O que a gente quis fazer nesse estudo foi testar a imunoterapia com o pembrolizumabe. Esse agente bloqueia um tipo de freio do sistema imunológico que faz com que as células de defesa do paciente passem a reconhecer o câncer e a lutar contra ele, fazendo com que diminua de tamanho e a pessoa possa, obviamente, ter menos sintomas e viver mais tempo.
Que tipo de paciente mais se beneficia com o pembrolizumabe?
A gente aprendeu, nos últimos anos, que o pembrolizumabe parece ter melhores respostas quando os tumores têm algo que a gente chama de PD-L1, que é um marcador, um teste feito com uma técnica chamada imuno-histoquímica. Por isso, o estudo comparou pacientes que tinham câncer de pulmão avançado dos dois tipos histológicos típicos, escamoso e não escamoso, e esses pacientes precisavam ter um PD-L1 de 1% ou mais. O estudo mostrou que esses pacientes que receberam imunoterapia viveram mais tempo e com menos efeitos colaterais. Quanto mais alto o PD-L1, mais eles viveram.
Todos os pacientes tratados com pembrolizumabe responderam ao tratamento?

Não. Mais ou menos a metade dos pacientes com PD-L1 de 50% ou mais respondeu à terapia e cerca de 30% dos que tinham PD-L1 de 1% ou mais, também. Mas é um resultado muito animador. Outra opção que a gente vai ter agora é a combinação de quimioterapia com imunoterapia e, provavelmente, esse venha a ser o nosso padrão de tratamento, porque as respostas parecem ser ainda melhores com a combinação. Esse é o próximo passo.

Fonte: correiobraziliense

Empresa nórdica oferece licença-parental para funcionários que adotam pets

A companhia, que tem 1,5 mil funcionários, disse que 90% deles têm animais de estimação e que o benefício – que Rönnberg apelidou de “licença PETernidade” – é um passo natural para o desenvolvimento para a cultura da empresa

Já pensou adotar um gato ou cachorro e ter três de folga para curtir o bichinho em casa? Pois este é um dos benefícios que o Grupo Musti, empresa nórdica de alimentação animal, oferece aos funcionários.

A novidade foi ideia do CEO David Rönnberg, que acredita que esse período de adaptação é importante para o funcionário, para o pet e também para a empresa.

“Adotar um animal é uma decisão significativa e muda consideravelmente a vida cotidiana. Nós queremos apoiar nossos funcionários nos primeiros dias com seu novo membro na família e garantir que eles aproveitem esses momentos preciosos completamente”, disse Rönnberg, em comunicado à imprensa finlandesa.

A companhia, que tem 1,5 mil funcionários, disse que 90% deles têm animais de estimação e que o benefício – que Rönnberg apelidou de “licença PETernidade” – é um passo natural para o desenvolvimento para a cultura da empresa.

Fonte: uol

Temer sanciona lei que cria Sistema Único de Segurança Pública

As forças de segurança pública estaduais, polícias civil e militar, devem passar a atuar de forma conjunta em operações com órgãos federais

O presidente da República, Michel Temer (MDB), sancionou nesta segunda-feira (11/6) a lei que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp). O presidente assinou medida provisória para direcionar parte da arrecadação das loterias federais esportivas nos gastos de combate à violência e criminalidade.

O Susp integra informações de inteligência sobre criminalidade e padroniza a formatação de dados como registros de ocorrência. As forças de segurança pública estaduais, polícias civil e militar, devem passar a atuar de forma conjunta em operações com órgãos federais.

Para o presidente, a criação do Susp é um passo “importantíssimo” no combate à violência no país. Ele disse que integração é o principal conceito a ser utilizado pelo Ministério da Segurança Pública, que vai coordenar o programa.
“Hoje damos passo importantíssimo para dar mais tranquilidade ao povo brasileiro. O Susp, eu estou certissimo, que estará logo incorporado no vocabulário do povo”, afirmou o presidente.

Na solenidade, Temer também assinou uma medida provisória que transfere recursos de loterias para o Ministério da Segurança Pública.

Confira a cerimônia na íntegra:

As medidas do governo federal ocorrem dias depois de uma onda de ataques com ônibus incendiados e execuções, atribuídos à facção criminosa Primeiro Comando da Capital, em Minas Gerais e no Rio Grande do Norte.

No Rio, Estado sob intervenção federal na segurança pública, sete corpos de homens apontados como traficantes foram encontrados no fim de semana, jogados sobre rochas à beira-mar no bairro da Urca, área militar.

A Polícia Civil apura as circunstâncias das mortes, ocorridas na semana passada após tiroteios num confronto entre quadrilhas rivais do Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando Puro (TCP), em favelas da zona sul do Rio.

Fonte: metropoles

Crianças são baleadas por motoqueiro enquanto brincavam em praça no CE

Testemunhas afirmaram que as crianças não eram parentes e não sabem o que poderia ter motivado o crime

Duas crianças – de 8 e 9 anos, e um adolescente de 14 anos – foram baleados enquanto brincavam em uma praça pública no bairro Passaré, em Fortaleza, na noite deste domingo (10).

De acordo com os policiais que atenderam a ocorrência, o motociclista aparentemente agiu sozinho. Ele passou pelo local e efetuou disparos contra os três. Atingidos, eles foram socorridos e levados para unidades de pronto socorro. O menino de 9 anos e o adolescente foram direcionados á Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro José Walter.

Já a garota, de 8 anos, foi encaminhada para o Instituto Dr. José Frota (IFJ). Ela foi atingida por dois tiros, um no ombro direito e outro na mão. Na manhã desta segunda o hospital informou que a criança ainda está em atendimento, mas não informou detalhes sobre o estado de saúde.

Testemunhas afirmaram que as crianças não eram parentes e não sabem o que poderia ter motivado o crime.

As investigações estão sendo executadas pela delegacia da área.

Com informações de Diário do Nordeste

Médico é acusado de cobrar para realizar cirurgias em pacientes do SUS

A cobrança ilegal teria acontecido nos dias 23 de agosto de 2010 e 2 de setembro de 2013

Um médico identificado como Samuel Artur Cardoso de Souza, foi denunciado pelo Ministério Público estadual, nesta segunda-feira 11, por cobrar de duas pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) o pagamento de valores pela realização de procedimentos cirúrgicos na cidade de Feira de Santana (a 115 km de Salvador).

Segundo o promotor de Justiça Tiago Quadros, o médico trabalhava como ortopedista conveniado do SUS na Casa de Saúde Santana (CSS). Ele vai responder pelo crime de concussão, que é quando um funcionário público exige vantagem indevida em razão da função que possui ou possuía. A prática está prevista no artigo 316 do Código Penal.

A cobrança ilegal teria acontecido nos dias 23 de agosto de 2010 e 2 de setembro de 2013. Os valores teriam sido exigidos para realização de duas cirurgias no braço direito, uma por R$ 300 e outra por R$ 400, e de um tratamento cirúrgico nos punhos, R$ 420, somando um total de R$ 1.120.

O médico chegou a afirmar para uma das pacientes que a prestação do serviço pelo SUS demoraria a ponto de causar “paralisia nos movimentos do braço direito”. À outra paciente o ortopedista teria escrito em “um papel o valor a ser pago e o nome da pessoa que deveria recebê-lo” e respondido a ela, quando questionado sobre se o procedimento não seria coberto pelo SUS, que “cobria mas não pagava”.

Fonte: atarde.uol

Trabalhadores da Eletrobras em Rondônia iniciam paralisação de 72 horas contra privatização

A Paralisação é nacional e começou nesta segunda-feira, dia 11

Trabalhadores da Eletrobras Distribuição Rondônia (CERON) e Eletronorte iniciaram hoje dia 11/06, uma paralisação nacional programada para continuar pelas próximas 72h. Os trabalhadores cruzaram os braços em protesto contra a possibilidade de privatização da companhia e venda das distribuidoras de energia do grupo.

Os eletricitários pedem ainda a saída do atual presidente da Eletrobras, Wilson Pinto Jr. Os trabalhadores pedem o afastamento, pelas atitudes do presidente que vão contra o interesse da companhia e depreciando a imagem da mesma junto à sociedade.

Nailor Gato, presidente do SINDUR, Sindicato que representa a categoria, informa que, “A mobilização é nacional. São 14 empresas paralisadas, incluindo a geradora, a transmissora e a distribuidora. Nossa luta é contra o processo de privatização e pela redução da conta de energia elétrica”.

“O kilowatt/hora é vendido hoje pela empresa por cerca de R$ 0,7 centavos, se houver a privatização, a empresa particular aplicará um preço bem maior, cerca de R$ 0,87 centavos o kilowatt/hora”, explica Nailor.

A privatização da Eletrobras trará prejuízos ao país e à população com aumento significativo nas contas de luz, com alta que pode chegar a 30%.

Em Porto Velho, os eletricitários estão mobilizados em frente à Ceron comercial, na Avenida Sete de Setembro, Centro da capital. Mesmo com a paralisação, o serviço essencial está sendo mantido.

Deputado Estadual Léo Moraes se reúne com representantes do transporte coletivo de Porto Velho

De acordo com a Sentram, dentro de alguns dias 160 ônibus estarão rodando na capital para atender demanda de usuários

O Deputado Estadual Léo Moraes se reuniu com funcionários do transporte coletivo de Porto Velho e representantes da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Sentram) para tratar sobre a qualidade do serviço de transporte público na capital.

“Diariamente, cerca de 60 mil pessoas utilizam o transporte coletivo da nossa capital. E sabemos que, para essa quantidade de usuários a frota não é suficiente. Por isso, me reuni para cobrar soluções. Segundo a pasta, dentro de alguns dias teremos 160 ônibus rodando na cidade.” Explicou Léo.

Na oportunidade, Léo disse que sempre foi crítico ao serviço de transporte para população e lembrou que a antiga administração municipal disse que iria acabar com o monopólio, mas não cumpriu e enfatizou que a concorrência gera qualidade.

O parlamentar também relatou aos presentes que, quando vereador, foi autor do pedido da abertura de uma CPI para levantar informações sobre a precariedade no transporte coletivo, porém a Câmara Municipal arquivou. Léo também fez denúncias ao Tribunal de Contas e Ministério Público para melhorias no serviço.

“Estive presente para evitar que a prefeitura erre de novo, pois segundo eles, teremos uma nova licitação. Queremos terminais de integração de verdade, maior e melhor frota, ônibus novos, confortáveis, desoneração e aumento do número de linhas para atender toda a cidade. A busca é pela qualidade no transporte que deve ser oferecido a população, sem improvisos.” Concluiu Léo.

 

 

 

* Divulgação de Atividade Parlamentar.

Presidente da Assembleia prestigia Arraialeste em Porto Velho

Evento vai até o próximo dia 17 e reúne atrações como quadrilhas e bois-bumbás

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (MDB), prestigiou no último sábado (9), a XI edição do Arraialeste, realizado no campo do bairro Juscelino Kubistchek I, em Porto Velho. Ele esteve no evento a convite de lideranças e foi recebido por diretores de entidades culturais, acompanhado do deputado estadual Léo Moraes (Podemos).

“Neste mês e no próximo são muitos arraiais, com quadrilhas e bois-bumbás, o que mostra que a nossa cultura está crescendo cada vez mais, pois o que mais chama a minha atenção é a participação maciça dos jovens nessas manifestações culturais”, disse Maurão.

O Arraialeste vai até o próximo dia 17 e conta com uma estrutura com barracas de comidas típicas, shows musicais, parque de diversões e outras atrações.

 

 

* Divulgação de Atividade Parlamentar.