Bebê de dois meses cai do segundo andar de casa no ES e sobrevive

Criança estava no colo de uma prima, de nove anos, que se desequilibrou e deixou o menino cair. O bebê se salvou porque o impacto da queda foi absorvido por uma planta.

Um bebê de dois meses sobreviveu após cair do segundo andar de casa, na Rua São José, no bairro Piranema, em Cariacica, na Grande Vitória. O caso aconteceu na noite desta segunda-feira (16).

Segundo testemunhas, Murilo dos Santos Carlos estava dormindo e acordou chorando. Uma prima de nove anos o tirou do berço e começou a niná-lo perto da janela.

A estudante Larissa dos Santos, de 19 anos, mãe do bebê, disse que a sobrinha se desequilibrou com um movimento brusco da criança e deixou o primo cair.

Uma planta amorteceu a queda no quintal do vizinho e o menino não se feriu gravemente.

O bebê chegou a ser resgatado pela avó, que desmaiou com o susto.

Um vizinho socorreu a criança, que foi levada ao Hospital Infantil de Vitória. Lá, Murilo foi atendido e permanece em observação, mas fora de perigo.

Na hora do acidente, Larissa contou que tinha ido até o primeiro andar, na casa da irmã, para buscar um prato. Quando soube da queda, ficou em choque.

“Quando estava subindo, minhas sobrinhas falaram que o neném estava do outro lado chorando. Eu não acreditei, achei que fosse brincadeira delas. Quando vi, fiquei em choque, não sabia o que fazer, se pegava ou se pedia socorro”, disse.

A mãe chegou a ser levada à delegacia, onde assinou um termo circunstanciado e foi liberada. Ela contou que o bebê é muito grande e pegou impulso no colo da prima.

O menino caiu por cima de uma planta, e escorregou até o quintal do vizinho, caindo sentado.

“Fiquei sem reação, achei que ia ficar sem meu filho. Ele está bem. Fez exames e os médicos estão examinando toda hora, mas ele já mamou e sorriu, estou mais tranquila”, contou Larissa.

Fonte: g1

Polícia americana captura suspeito de ser assassino em série no Texas

O detido seria o assassino de ao menos três pessoas. Em outro caso estaria envolvido por ter roubado e atirado em um motorista de ônibus em Houston

A polícia do Texas, nos Estados Unidos, capturou nesta terça-feira (17) um homem suspeito de ser um assassino em série que matou ao menos três pessoas na última semana.

José Gilberto Rodríguez foi preso após uma perseguição policial que durou 14 minutos. Um morador de um subúrbio de Houston havia alertado às autoridades da localização do veículo do homem de 46 anos, horas depois que a polícia advertiu que um assassino em série poderia estar à solta.

Rodríguez foi preso sem incidentes depois da perseguição. Uma arma foi encontrada em seu carro, disse à imprensa Ed González, comissário do condado texano de Harris.

“Estamos contentes de que tudo tenha acabado sem incidentes”, declarou González, acrescentando que as autoridades ainda desconheciam o motivo dos homicídios.

“A investigação está na etapa inicial. Gostaríamos de averiguá-la”, assinalou.

Rodríguez é suspeito de uma sequência de crimes que começou em 9 de julho em um roubo em uma casa. O detido seria o assassino de ao menos três pessoas. Em outro caso estaria envolvido por ter roubado e atirado em um motorista de ônibus em Houston, que espera-se que sobreviva.

Rodríguez foi descoberto na manhã desta terça em uma vizinhança que, acredita-se, frequenta habitualmente, e onde supostamente buscava uma nova vítima.

“É possível que procurasse na vizinhança a sua próxima vítima”, assinalou González.

O primeiro assassinato ao qual a polícia vincula Rodríguez é o de uma viúva de 62 anos que vivia sozinha, segundo a imprensa local. Pamela Johnson foi encontrada morta em sua casa em 13 de julho.

Nesse homicídio, e no de um funcionário de 28 anos de uma loja de colchões no dia seguinte, Rodríguez levou os automóveis das vítimas, de acordo com relatos.

Uma terceira vítima foi achada na segunda-feira em outra loja de colchões de Houston.

Fonte: exame.com

Cassação de Maluf volta a ser discutida na Câmara

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, agenda para dia 7 de agosto reunião da Mesa Diretora

A Câmara dos Deputados deve voltar a debater a situação do deputado Paulo Maluf (PP-SP) logo após o fim do recesso parlamentar, marcado para o dia 1º de agosto. O presidente da casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), agendou para o dia 7 de agosto uma reunião da Mesa Diretora para tratar sobre a cassação do deputado, que teve sua prisão decretada em dezembro do ano passado e hoje cumpre prisão domiciliar.

Maluf foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a uma pena de 7 anos, 9 meses e 10 dias pelo crime de lavagem de dinheiro desviado durante a sua gestão como prefeito de São Paulo. Na decisão, os ministros da Corte argumentaram que o regime fechado era incompatível com o exercício do mandato de deputado federal e, por isso, pediram para que a Mesa da Câmara declarasse a perda da função, mas desde então a análise dessa situação vem sendo adiada.

Por enquanto, as sanções impostas pela Câmara a Maluf foram financeiras, como a retirada do direito ao apartamento funcional que ocupava em Brasília e do salário de R$ 33.763, além da verba de gabinete de R$ 101.971,94 e outros benefícios do cargo.

Na semana passada, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara arquivou dois processos de cassação de mandatos, dos deputados João Rodrigues (PSD-SC) e Celso Jacob (MDB-RJ). Os dois foram condenados por fraudes quando prefeitos e cumprem pena, mas continuam no exercício do mandato.

Fonte: terra.com

Meninos presos em caverna na Tailândia terão alta nesta quarta-feira

Em média, os garotos perderam 2 quilos, mas recuperaram parte do peso e apetite, segundo o ministro da Saúde, Piyasakol Sakol.

Os 12 garotos de um time de futebol, de 11 a 16 anos, que ficaram presos em uma caverna, por mais de duas semanas, em Tham Luang, na Tailândia, terão alta médica amanhã (18). Eles passaram os últimos dias internados em Chiang Rai isolados dos demais pacientes, usaram máscaras por algum tempo e foram submetidos a uma série de exames.

Em vídeo, divulgado pelas autoridades tailandesas, as crianças e os adolescentes demonstram recuperação física e psicológica, também fazem brincadeiras e dizem o que estão com vontade de comer. Todos ainda estão com as roupas hospitalares e no quarto exclusivo para eles.

Os depoimentos são rápidos, mas repletos de sorrisos. Perguntados pelo entrevistador o que estavam ansiosos para comer, os jovens mencionaram os mais distintos pratos.

Pipat Photi, de 15 anos, disse que gostaria de comer porco crocante e arroz de porco assado; Duangpetch Promtep, de 13, seguiu o colega. Outros disseram que eestavam querendo sushi e bifes.

Em média, os garotos perderam 2 quilos, mas recuperaram parte do peso e apetite, segundo o ministro da Saúde, Piyasakol Sakol.

A imprensa tailandesa informa que festas e cerimônias religiosas foram realizadas em celebração ao resgaste dos jovens e do treinador após 17 dias na caverna. Segundo a imprensa tailandesa, a alta médica foi confirmada.

*Com informações da Deutsche Welle, agência pública de notícias da Alemanha.

Fonte: agenciabrasil

Decretada prisão temporária de cirurgião que operava em casa no RJ

Procedimento estético resultou na morte de uma paciente

Com prisão temporária de 30 dias decretada, o médico Denis Barros Furtado já é considerado foragido da Justiça do Rio. Ele é acusado de ter feito procedimento estético na cobertura de um apartamento na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade, no último sábado (14), que resultou na morte da paciente Lilian de Lima Jamberci, de 46 anos.

A prisão foi decretada pelo juiz Paulo Cesar Vieira de Carvalho Filho, da 1ª Vara Criminal da Capital, que também decretou a prisão temporária de Maria de Fátima Furtado, mãe de Denis. Ambos estão foragidos.

O juiz negou, no entanto, os pedidos de prisão temporária para Rosilane Pereira da Silva, empregada doméstica do médico, e a namorada dele, Renata Fernandes, que trabalhava como secretária, e participaram do procedimento. Renata está detida na 16ª Delegacia Policial.

Na decisão, o magistrado destacou que os depoimentos de testemunhas e as provas apresentadas até agora no inquérito são suficientes para decretar as prisões do médico e da mãe dele.

“Observa-se a necessidade inafastável da custódia cautelar, pelo prazo de 30 dias, vez que imprescindível para as diligências do inquérito policial, posto que a liberdade do indiciado compromete sobremodo a regular colheita da prova, além de configurar induvidoso risco de fuga”, disse o juiz. Os quatro foram indiciados por homicídio doloso qualificado e associação criminosa.

O crime ocorreu na noite do último dia 14. Lilian veio de Cuiabá para um procedimento de preenchimento do glúteo a ser feito por Denis Furtado. Durante o procedimento, feito no apartamento do médico na Barra da Tijuca, a paciente passou mal, quando a levou para o Hospital Barra D’Or, no mesmo bairro, onde morreu na madrugada de domingo (15).

O comunicado do Poder Judiciário ressalta, ainda, que, de acordo com o inquérito, após a confirmação da morte de Lilian, um policial civil foi a um shopping na região para localizar Denis. Ele fugiu de carro assim que o policial se identificou. O documento também diz que a mãe, Maria de Fátima, teve o registro de médica cassada e é dona da clínica onde Denis atendia.

Conhecido como Dr. Bumbum, Furtado tem mais de 650 mil seguidores em rede social.

O médico já tem passagem pela polícia e responde a mais de dez inquéritos, um dos quais por assassinato, porte de armas e ameaça.

A polícia apreendeu o veículo em que o médico e a namorada prestaram os primeiros socorros a paciente. Também foi apreendido um segundo veículo onde foram encontrados os medicamentos que teriam sido usados no procedimento.

Em seu site, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) lamentou a morte da paciente e afirmou que Denis Barros Furtado não tem formação em cirurgia plástica e realizou o procedimento em sua residência, o que é proibido.

A SBCP disponibiliza em seu site, Facebook, e-mail ou telefone, uma consulta para saber se o médico é ou não credenciado para fazer uma cirurgia plástica.

Fonte: agenciabrasil

Filhas fora de casamento não podem ser excluídas de herança da avó paterna

Para juiz, situação atenta contra a dignidade da pessoa humana, fere princípios da igualdade, da lealdade e da eticidade.

A CF aboliu toda diferenciação entre filhos legítimos, ilegítimos ou adotados, sem qualquer ressalva de situações preexistentes. Todos os filhos passaram a ter os mesmos direitos e igualdade de condições, inclusive quanto a direitos sucessórios.

A partir desta premissa o juiz de Direito Milton Biagioni Furquim, de Guaxupé/MG, concordou com o argumento de duas jovens de que foram discriminadas, distinguidas e excluídas por serem fruto de relacionamento não marital de seu pai e que por tal motivo não foram contempladas no testamento da avó paterna.

Para o magistrado, as jovens estão albergadas pelo caput do art. 227 do texto constitucional; quando da confecção do testamento uma possuía 19 anos e outra 15 anos; quando a avó faleceu, uma contava com 23 anos e a outra com 19 anos.

“Esses indivíduos protegidos, enquanto crianças, adolescentes, jovens e filhos de qualquer espécie ou natureza, não podem sofrer discriminação, seja de tratamento, de respeito e de dignidade, seja quanto aos seus direitos, inclusive patrimoniais, dispensados a uns em detrimento de outros.”

Segundo o julgador, a igualdade e a não discriminação dos filhos, havidos ou não da relação de casamento, ou por adoção, é imperativo imposto pela ordem constitucional vigente que o intérprete da lei civil não pode ignorar quando se confronta com uma questão como a sob foco.

Milton Biagioni Furquim explicou que, agora, qualquer que seja o filho, ele pode, a qualquer tempo, ajuizar a ação de investigação de paternidade com amplos efeitos, e não apenas reclamar alimentos em segredo de Justiça, como impunha o art. 40. da lei 883/49 aos filhos espúrios, enquanto perdurasse o casamento do genitor.

“Desse modo, pode-se dizer que as discriminações existentes entre os filhos foram definitivamente banidas do ordenamento jurídico pátrio, seja no plano da Constituição Federal de 1.988, seja no plano da lei ordinária, infraconstitucional. A partir de então, ficou clara a determinação constitucional pela não recepção de qualquer norma que implicasse discriminação entre os filhos, mormente no que tange ao reconhecimento dos filhos (sem distinção) como herdeiros legítimos para efeitos de sucessão.”

Assim, considerou o juiz, a questão é se pode ser considerada moral e juridicamente válida disposição testamentária eivada dessa discriminação vedada pela nova ordem constitucional.

“Chama atenção o fato de a disposição testamentária contemplar exatamente os cinco netos (que são filhos das filhas havidos da relação de casamento) e, ao mesmo tempo, de forma indisfarçavelmente discriminatória, não contemplar as outras duas netas (que são filhas do filho, não havidas da relação de casamento). A defesa do testamento chega a cogitar de questões de foro íntimo — sem as especificar ou as identificar — com as quais, supostamente, teria se pautado a testadora para excluir duas de suas netas, exatamente, as únicas duas havidas fora do casamento.

Ora, o direito não tolera o abuso. Não tolera a que, no exercício de um direito reconhecido, o agente, ao exercê-lo, exceda manifestamente os limites impostos pelo seu fim econômico e social, pela boa-fé ou pelos bons costumes. Na verdade, na análise do alcance do abuso de direito, a doutrina tem admitido utilizar critérios subjetivo e objetivo.”

O magistrado também anotou na sentença que no próprio testamento do avô se vê a censura ao comportamento do filho e a inegável discriminação em relação a sua prole, no estabelecimento de restrições e ônus aos bens recebidos por sucessão.

“No seio da mesma família, por força da discriminação imposta, um verdadeiro abismo se formará entre os primos, uns milionários, e outras, em petição de miséria. Situação que atenta contra a dignidade da pessoa humana, fere os princípios da igualdade, da lealdade e da eticidade, e os princípios constitucionais implícitos, da razoabilidade e proporcionalidade, desvirtua o instituto do testamento para, através dele, dar vazão aos chamados planejamentos sucessórios, que, em verdade, são instrumentos de perseguição e de discriminação que a ordem jurídica não mais tolera, contrariando os bons costumes e, de resto, aniquilando a harmonia familiar.”

Dessa forma, o juiz concluiu que as requerentes somente foram excluídas do testamento porque o pai foi considerado como “problemático” e que passou longe de levar uma vida considerada como ideal por sua genitora, de ter filhos após casar-se.

O pedido inicial das requerentes foi então acolhido para declarar seu direito à 1/3 da parte disponível dos bens deixados pela avó paterna. Veja a sentença.

Fonte: migalhas

Mortalidade infantil do Brasil sobe pela 1ª vez desde 1990

Ministério da Saúde aponta o vírus da zika e a crise econômica como principais vilões

Após 26 anos em queda, a taxa de mortalidade infantil do Brasil voltou a crescer em 2016. As estimativas para 2017 não são das melhores: espera-se que o índice se mantenha acima do registrado em 2015. O Ministério da Saúde justifica os dados com a epidemia do vírus da zika e a crise econômica que o país enfrenta.

A pasta explica que o impacto do vírus da zika foi, na verdade, com a queda da natalidade, que influencia no cálculo da taxa de mortalidade, além das mortes de bebês por malformações graves.

Já a crise econômica é responsabilizada pelas mortes evitadas, como aquelas causadas por diarreias e pneumonias, que são influenciadas pela perda de renda das famílias, estagnação de programas sociais e cortes na saúde pública.

Dados do Ministério da Saúde, publicados pelo jornal Folha de S. Paulo, mostram que, desde a década de 1990, o país apresentava redução anual média de 4,9% da taxa de mortalidade. O índice estava acima da média global de redução, estimada em 3,2% pelo Unicef em 2017.

A taxa de mortalidade de 2016 no país ficou em 14 óbitos infantis a cada mil nascimentos, um aumento de quase 5% em relação ao ano anterior.

Na América Latina, segundo o relatório do Unicef, a taxa ficou estacionada em 18 óbitos infantis por mil nascimentos entre 2015 e 2016.

Para 2017, estima-se que a taxa fique em, no mínimo, em 13,6 (contra 13,3 de 2015). No entanto, os números oficiais ainda não foram divulgados.

Cálculo

A taxa de mortalidade infantil considera o número de mortos até um ano a cada mil nascidos vivos. A taxa chamada de mortalidade na infância, que considera o número de crianças de até cinco anos mortas a cada mil nascidos vivos, também é monitorada.

Fonte: noticiasaominuto

Migrante náufraga sobrevive se apoiando em dois mortos no Mediterrâneo

Quando foi encontrada por ONG, mulher de 40 anos se segurava em dois cadáveres em estado de decomposição e em pedaços da embarcação na qual estava

As equipes de resgate da ONG espanhola Proactiva Open Arms descobriram no mar uma mulher que conseguiu sobreviver ao naufrágio de um bote ao ficar agarrada a dois mortos, outra mulher e uma criança.

A ONG estava patrulhando o litoral da Líbia, de onde parte a maioria dos migrantes com destino à Europa, quando fez a macabra descoberta.

A mulher, uma camaronesa de 40 anos, flutuava agarrada aos restos do barco e junto aos corpos dos dois migrantes que não conseguiram sobreviver.

Ela foi atendida pelos médicos com sintomas de hipotermia e trauma emocional.

A Guarda Costeira da Líbia, encarregada de patrulhar a região, indicou que 158 pessoas foram resgatadas a 16 milhas náuticas de Joms, relativamente distante da área onde a náufraga foi encontrada.

Os dois corpos já se encontravam em estado de decomposição.

Dois barcos da ONG espanhola retornaram nesta terça-feira à costa da Líbia, depois de várias semanas de ausência devido às dificuldades para desembarcar os migrantes que resgatam devido à linha dura adotada por Itália e Malta, que se negam a recebê-los.

O ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, líder da direitista Liga, advertiu em um tuíte que continuará com sua linha dura.

O caso gerou um verdadeiro confronto entre a organização humanitária espanhola e o ministro italiano, acusado de aplicar uma política desumana.

Para a ONG espanhola, os líbios abandonaram as duas mulheres e a criança após intervirem.

“É um fato a ser denunciado ante o Tribunal ​Internacional ​de Direitos Humanos”, clamou, indignada, a ONG em comunicado.

Para Óscar Camps, diretor e fundador da ONG, a bordo do “Open Arms” naquele momento e testemunha do ocorrido, a Guarda Costeira líbia omitiu dizer que “deixaram duas mulheres e uma criança a bordo, e afundaram o barco porque não queriam entrar em embarcações de patrulha da Líbia “, disse ele.

“Por quanto tempo teremos que lidar com assassinos recrutados pelo governo italiano para matar e torturar os que tentam cruzar o Mediterrâneo? A política de Matteo Salvini é responsável por este crime”, denunciou.

Interrogada pela AFP, a Guarda Costeira líbia se negou a fazer comentários sobre o assunto.

Para o Ministério italiano do Interior trata-se de uma notícia falsa.

“Desafio a todas as pessoas a encontrarem uma mensagem minha em que peço para abandonar as pessoas no mar. Meu objetivo é salvar a todos, alimentar a todos, mas evitar que cheguem à Itália. O objetivo é acabar com o tráfico de seres humanos, que é a única forma de reduzir o número de mortos”, declarou Salvini em entrevista coletiva após enviar um tuíte escrito “portas fechadas, coração aberto”.

Fonte: istoé

Anvisa aprova novas regras para suplementos alimentares no país

Até então, não havia uma regulamentação específica para esses produtos

Suplementos alimentares, como cápsulas de vitaminas, ômega 3 e whey protein, vão ganhar novas regras no país.

As medidas, que compõem um novo marco regulatório para o setor, foram aprovadas nesta terça-feira (17) pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Até então, não havia uma regulamentação específica para esses produtos, que ficavam dispersos entre as categorias de alimentos e medicamentos no país.

Agora, produtos como vitaminas e minerais, substâncias bioativas e probióticos, suplementos para atletas, entre outros, passam a ter normas únicas.

Entre as mudanças, está a definição de uma lista com 382 nutrientes e substâncias autorizadas para uso nesses produtos, as quais passarão a ter limites mínimos e máximos indicados para uso pré-estabelecidos.

Além da composição, outra mudança ocorre na embalagem. Segundo a Anvisa, a ideia é que os rótulos deixem mais claro ao consumidor, ao ver um produto, de que se trata de um suplemento alimentar.

Em outra medida, a norma elenca critérios para exposição, nas embalagens, das chamadas “alegações funcionais” -quando um suplemento diz que tem “ação antioxidante”, “auxilia na formação de músculos”, “alta absorção de cálcio”, entre outros.

Para isso, foi criada uma lista com 189 alegações possíveis e situações em que podem ser usadas. Segundo a Anvisa, a ideia é evitar casos de produtos que trazem alegações irregulares ou não comprovadas, situação que tem sido frequente no mercado.

Atualmente, a estimativa é que 54% dos lares do país tenha ao menos uma pessoa que consome suplementos, de acordo com dados da Abiad (Associação Brasileira da Indústria de Suplementos para Fins Especiais), uma das associações que representam o setor.

Para a presidente da Abiad, Tatiane Pires, as regras devem colocar o Brasil “na vanguarda na regulação de suplementos”. “Isso deve eliminar obstáculos, além de reduzir a assimetria de informações que existe hoje no mercado”, afirmou em reunião da agência.

A previsão é que as normas passem a valer para novos produtos de forma imediata. Para os que estão no mercado, o prazo de adaptação será mais longo: de cinco anos.

Questionado, o diretor-presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa, nega prejuízos ao consumidor com a extensão do prazo.

Segundo ele, as novas normas devem trazer maior comprovação de segurança. “Antes, havia diversas lacunas regulatórias”, afirmou. “Também havia pedidos de registro ambíguos e desproporcionais aos níveis de risco.”

PROBIÓTICOS

Ao mesmo tempo em que classificam as normas como um avanço, no entanto, representantes de empresas que produzem suplementos também apontam preocupações.

Um deles é a definição de substâncias que podem ser usadas para probióticos, categoria que terá mais exigências em relação a outros suplementos.

Segundo Gislaine Gutierrez, da Abifisa (Associação Brasileira das Empresas do Setor Fitoterápico e Suplemento Alimentar), a lista deixa de fora substâncias utilizadas em produtos já ofertados no mercado.

Mesma avaliação tem Ubirajara Marques, da Brasnutri. “Verificamos que alguns ingredientes e aditivos não foram contemplados, apesar de terem uso consagrado”, diz.

De acordo com Barbosa, apesar de uma definição de uma lista inicial, a norma prevê atualizações periódicas. O prazo ainda não foi definido. Com informações da Folhapress.

 

Prefeitura diz que mídia levou Justiça a erro em caso de Crivella

Para a prefeitura a imprensa faz colocações distorcidas sobre o prefeito, o que incentiva e propaga um sentimento de intolerância religiosa

A prefeitura do Rio de Janeiro informou, por meio de nota à imprensa, que a Justiça do Rio de Janeiro foi induzida a erro por “colocações distorcidas e fora de contexto” por parte da imprensa, em sua decisão sobre o prefeito Marcelo Crivella. O juiz Rafael Cavalcanti Cruz, da 7ª Vara de Fazenda Pública da Capital, determinou ontem (16) que o prefeito carioca pare de utilizar a máquina pública para interesses pessoais ou de grupos religiosos.

Caso Crivella contrarie a decisão judicial, o magistrado ameaça afastar o prefeito do cargo. Segundo a nota, as medidas anunciadas pela Justiça “não guardam correlação com a atuação da administração municipal, que tem primado pela inclusão e pelo aumento de oportunidades para todos. Informa ainda que irá esclarecer todas as dúvidas eventualmente apontadas”.

De acordo com a nota, a prefeitura se mostra preocupada com o possível afastamento de Crivella. “Um prefeito democraticamente eleito pelo voto popular não pode ser afastado de suas funções de forma preventiva, salvo por decisão do Poder Legislativo ou no caso de haver prejuízo para a apuração, circunstância reconhecidamente inexistente até pela própria decisão”.

Para a prefeitura a imprensa faz colocações distorcidas sobre o prefeito, o que incentiva e propaga um sentimento de intolerância religiosa.

A prefeitura encerra a nota informando que demonstrará que não houve na atual gestão qualquer ação irregular “ou que destoe do que usualmente era praticado pelas administrações municipais anteriores, razão pela qual acredita no esclarecimento dos fatos e na atuação da Justiça”.

Fonte: agenciabrasil