Resenha Política – Robson Oliveira

MEMES

Embora o governador Daniel Pereira (PSB) declare reiteradamente e publicamente que não é candidato à reeleição e que apoia a pré-candidatura de Acir Gurgacz (PDT), sindicalistas, simpatizantes e auxiliares da administração estadual estão travando uma guerra de guerrilha nas mídias sociais para desgastar o pré-candidato pedetista na esperança de que desista e seja substituído por um nome do PSB: seja Daniel Pereira, seja Jesualdo Pires. Os memes que esses setores espalham terminam ajudando os adversários à medida que o tempo passa e a possibilidade da substituição fica mais distante.

RESERVA

Daniel também declarou que poderá rever a decisão de não disputar a reeleição na hipótese de Acir não conseguir o registro da candidatura devido à condenação que recentemente sofreu no Supremo Tribunal Federal. O tempo tem conspirado contra o governador e o ‘time’ em substituir Acir está passando. Ao perceberem esse ‘time’, neossocialistas decidiram inflar o nome de Jesualdo Pires como o favorito ao posto numa eventualidade. Satisfeito na condição de reserva ao cargo governamental, o ex-prefeito de Ji-Paraná, mesmo anunciando a postulação ao Senado Federal, torce para que seja ele o substituto de Acir. A postura assumida por Pires é um estimulante ao fogo amigo.

CONVENÇÃO

Todas as atenções estarão voltadas para a convenção do MDB que acontece no próximo sábado, a partir das nove horas, na sede do Diretório Regional do partido, na capital. Ao invés da comilança servida aos convencionais e organizada pela agremiação na convenção realizada em 2014, que homologou a candidatura à reeleição ao governo de Confúcio Moura, esta convenção de 2018 tende a servir em seu menu principal a cabeça do ex-governador. Razão pela qual a candidatura a governador que deveria ser o principal atrativo do regabofe virou uma simples sobremesa.

BIRUTA

As idas e voltas dos pepebistas têm provocado mais desgaste aos pedetistas do que as incertezas envolvendo o registro da candidatura que o partido promete homologar. Enquanto Carlos Magno aos prantos faz juras de amor aos correligionários de Acir Gurgacz, o mandatário real do PP, Ivo Ksol, desce a lenha. A direção da legenda malufista parece biruta de aeroporto que muda de lugar à medida que os ventos sopram em sentido contrário. Até o dia 5, final do prazo para as convenções, essa birutice vai render muito o que falar. É tempo necessário para a candidatura senatorial de Carlos Magno explodir no ar.

IPERON

Não são boas as expectativas futuras para os pensionistas do Instituto de Previdência de Rondônia. Um estudo técnico bem elaborado pelos técnicos do Tribunal de Contas do Estado concluiu que provavelmente em menos de cinco anos o instituto estará com o caixa no vermelho para honrar com a pensão de quem trabalhou uma vida inteira no crescimento estadual. A má gestão, investimentos perdulários, sonegação e o envelhecimento dos quadros de funcionários da ativa são responsáveis pelo futuro incerto. Mas o principal problema reside na falta de uma política governamental correta que evite o estrangulamento do órgão.

EVENTO

O TCE organizará um encontro entre os candidatos a governador no próximo dia 3, às nove horas, para que seja tornada pública a real situação do estado. A iniciativa do presidente Edilson Silva, que é inovadora, tem como finalidade dar transparência do quadro estadual e subsidiar todos os candidatos com os dados concretos da economia, arrecadação, endividamento e governança da máquina estadual. Além de fornecer elementos sem manipulações para os planos de governo nas áreas de saúde, educação, segurança, meio ambiente, entre outras. Ao tornar públicas as entranhas do governo, o TCE também educa a população a escolher entre as propostas em disputa qual delas reflete a realidade e quais apontam saídas concretas para os gargalos existentes.

EVENTO II

Junto com o TCE, o Tribunal Regional Eleitoral vai participar do evento de forma preventiva, esclarecendo aos candidatos as vedações da legislação em relação à campanha eleitoral. E requererá a cada presente o apoio para combater as ‘fake news’ que, aliás, já infestam as redes sociais nesse período pré-eleitoral. A iniciativa é vanguardista uma vez que os órgãos de controle rompem o clausuro que sempre estiveram para colaborar na transparência das eleições e colocar à disposição dos eleitores subsídios realísticos que possam cotejar com as propostas dos candidatos na hora de votar. O presidente do TCE, com este gesto, também traz à luz o resultado de um trabalho técnico criterioso do seu corpo funcional que nem sempre é conhecido pelo contribuinte e mostra que não é uma corte de faz de contas. Bem diferente de outrora.

EFEITO ORLOFF

Verificando o que publicou Confúcio Moura em seu inesquecível BLOG (03/02/2011), nos primeiros dias de governo, ao queixar-se da dívida deixada, escreveu: “Infelizmente recebi despesas para pagar e sem o dinheiro em caixa. Os dados estão na Secretaria da Fazenda à disposição de quem quiser conhecer. O maior débito está na Saúde, cerca de 66 milhões de reais. Saldo deixado na conta da saúde de apenas 2 milhões. Dívida global passa de 170 milhões. Vejam que é muito dinheiro. Recurso global deixado em conta em torno de 22 milhões de reais, para todas as secretarias. Os senhores podem ver o tamanho do déficit. Claro que as dívidas processadas e fundadas terão que ser pagas. As outras que não tiverem processos formais concluídos deverão ser auditadas e depois julgadas. Mas todos os processos deverão ser remetidos ao Tribunal de Contas do Estado e ao Ministério Público para conhecimento, porque não tenho condições de assumir pra mim imensa responsabilidade”. Ao entregar o governo a Daniel Pereira, vice-governador, a fama de administrador austero de Confúcio Moura, durou apenas dois meses depois para que a população rondoniense tomou conhecimento de que o tesouro estadual está com a tulha quase vazia. Semelhante a situação deixada pelo antecessor. O TCE promete esquadrinhar o déficit atual e revelar aos pretensos candidatos a sucessão estadual para que depois não justifiquem que não sabiam do tamanho do problema a ser herdado em 2019.

REBOTALHO

Apesar de reconhecer que o explosivo Jair Bolsonaro aparece momentaneamente em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto divulgadas na mídia nacional, quem acompanha os bastidores das eleições pode intuir que esses percentuais não se sustentarão quando o jogo começar para valer. Os motivos são fartos, mas fiquemos em três deles: o primeiro reside na falta de uma estrutura partidária consistente que dê lastro ao candidato ao visitar os estados; segundo, igualmente importante, o ex-militar alcançou o estrelato político sendo a antítese do lulismo, mas não terá como manter o mesmo discurso de ódio numa campanha eleitoral sem Lula e sem um programa de governo com o mínimo – em se tratando de Bolsonaro não é possível exigir algo inteligente – de lógica administrativa. Terceiro, nos debates será prenda fácil já que recorre a explicações pueris para perguntas que exigem do candidato profundidade e intelecto aguçado. É um candidato do rebotalho, embora seus seguidores, intolerantes tanto quanto ele, vão demonizar este cabeça chata. Espero sobreviver aos tiros (risos).

Cabral é enviado para cela de isolamento em Bangu 8

O ex-governador questionou ordens de promotor de Justiça

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral foi colocado hoje (24) em uma cela de isolamento, conhecida como solitária, durante inspeção do Ministério Público estadual no Presídio Pedrolino Werling de Oliveira (Bangu 8), do Complexo Penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio. Ali estão os presos que respondem a processos da Lava Jato como o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio Paulo Melo e o deputado estadual, Edson Albertassi (MDB). Cabral foi colocado na solitária, onde teria permanecido por cerca de cinco horas por determinação do juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), Rafael Estrela.

De acordo com o advogado Rodrigo Rocca, que defende o ex-governador, a ação se originou após Sérgio Cabral questionar a fiscalização do Ministério Público do Rio. Segundo o advogado, o promotor de Justiça André Guilherme, que atua na área de fiscalização dos presídios, entrou na Ala E, e teria determinado que os detentos abaixassem a cabeça e se voltassem para a parede. Sérgio Cabral questionou a necessidade da medida.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que o promotor de Justiça André Guilherme, que atua na esfera de fiscalização penitenciária, fez uma supervisão de rotina no presídio e, de acordo com a Seap, Cabral demorou a sair da cela e não se colocou em posição de respeito, como é de praxe durante inspeções judiciais, ministeriais ou da própria Seap. O promotor determinou verbalmente que o citado apenado fosse colocado na cela em isolamento.

A Secretaria de Administração Penitenciária, em seguida, comunicou o caso ao juiz titular da Vara de Execuções Penais (VEP), Rafael Estrela, a quem cabe a decisão final sobre as consequências do comportamento do custodiado. O magistrado determinou que o ex-governador retornasse imediatamente a cela de convívio com os demais internos.

Ações

O advogado Rodrigo Rocca disse que vai entrar com três ações contra o promotor de Justiça André Guilherme, uma por crime de abuso de autoridade, outra junto ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), e uma ação indenizatória por danos morais, para que o promotor responda pessoalmente.

“O promotor não tem o poder de determinar sanções para os internos. Eles podem requerer ao juiz da Vara de Execuções Penais, que tem autoridade para determinar sanções aos internos. O promotor André Guilherme cometeu uma série de arbitrariedades e atropelos à lei penal. Esse procedimento, nem mesmo a Seap adota mais em determinadas alas que não têm detentos perigosos e não oferecem o menor risco para os visitantes e para os fiscais”, avaliou.

Fonte: agenciabrasil

Raquel Dodge pede que Garotinho seja julgado antes das eleições

PGR alega necessidade de segurança jurídica e aponta que, caso ele vença as eleições ao governo do Rio, não será possível evitar sua posse

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) dê prioridade à análise do habeas corpus impetrado pela defesa do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PRP) para que o Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-RJ) possa julgar o político. O parecer foi enviado na última quinta-feira (19/7), pela procuradora-geral ao ministro Ricardo Lewandowski, presidente da Segunda Turma do STF

Raquel Dodge justificou a necessidade de se garantir segurança jurídica ao pleito eleitoral de 2018, já que Garotinho é pré-candidato ao governo do Rio pelo Partido Republicano Progressista. A procuradora-geral solicitou a “submissão imediata” do agravo à Segunda Turma e manifestou-se pelo não conhecimento do pedido da defesa e pela revogação da liminar concedida pelo relator.

De acordo com a chefe do Ministério Público Federal, uma condenação de Garotinho após as eleições de outubro não impedirá sua posse, caso vença a disputa. “Isso significa, em termos práticos, que a eventual demora no julgamento, pelo órgão colegiado competente do STF, desta impetração e do agravo interno respectivo, poderá trazer prejuízo irreversível à sociedade e às eleições de 2018, já que não inexiste medida processual cabível a fim de impedir a diplomação em tal caso”, escreveu Raquel Dodge.

O ex-governador foi preso por dois agentes da Polícia Federal na manhã de 13 de setembro de 2017 enquanto apresentava seu programa diário na Rádio Tupi, “Fala Garotinho”, na zona norte do Rio. Cumprindo decisão da 100ª Vara Eleitoral, ele foi levado para sua casa em Campos. Garotinho foi condenado no caso “Chequinho” a nove anos, 11 meses e 10 dias de prisão por corrupção eleitoral, repetida 17.515 vezes, associação criminosa, supressão de documento e coação no curso do processo

Em abril, o ministro Ricardo Lewandowski, presidente da Segunda Turma e relator do habeas corpus no Supremo, concedeu liminar, a pedido da defesa de Garotinho, para suspender o julgamento do recurso de apelação na ação penal em trâmite no TRE-RJ até a deliberação final do habeas corpus.

No início do mês, a Procuradoria-Geral da República recorreu da decisão monocrática proferida por Lewandowski. Segundo Raquel Dodge, a interposição do recurso se deu de forma espontânea, na medida em que a decisão foi proferida em abril “e, até o momento, não houve a intimação desta PGR, a despeito da relevância do tema não apenas para o deslinde do processo que tramita perante as instâncias ordinárias, mas também para o pleito eleitoral que se aproxima”.

“Como a condenação do paciente seria seguramente confirmada (pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro), tendo em vista o amplo conjunto probatório colhido ao longo das investigações, que apontam para a prática de graves crimes por parte de Anthony Garotinho, sua inelegibilidade seria consequência natural do julgamento do referido recurso de apelação.”

Defesa

Em nota, o pré-candidato ao governo do Estado Anthony Garotinho afirmou: “A ‘Operação Chequinho’ é um jogo político. O promotor não poderia ter atuado no caso, já que é denunciado por mim desde 2015. Isso o coloca sob suspeição. Já o juiz, por sua vez, agiu com parcialidade, a ponto de destituir um advogado dativo nomeado por si mesmo.

Lembro que não existe sequer um favorecido do Cheque Cidadão dizendo que recebeu o benefício por meu intermédio.

Houve ainda uma série de ilegalidades no decorrer do processo e um claro cerceamento de defesa. A delegada-chefe da Polícia Federal à época dos acontecimentos chegou a afirmar, em um depoimento tornado público recentemente, que o delegado da dita ‘Operação Chequinho’ praticou uma série de irregularidades a fim de forçar depoimentos contra mim. Entre essas irregularidades, prisão de pessoas inocentes e tortura”, diz a nota.

Fonte: metropoles

Mãe estuprada pelo filho havia mudado de estado para protegê-lo, diz delegada

Mulher de 48 anos foi vítima de violência sexual na frente da filha de 11 anos em Águas Belas, Pernambuco. ‘A violência aconteceu de diversas formas possíveis e imagináveis’, afirma polícia.

O jovem de 18 anos suspeito de estuprar a própria mãe na frente da irmã de 11 anos em Águas Belas, no Agreste de Pernambuco, foi levado para a Delegacia de Polícia Civil de Garanhuns na segunda-feira (23), prestou depoimento e confessou o crime. De acordo com a delegada Thatianne Macêdo, a mãe, de 48 anos, relatou que o filho chegou em casa embriagado e já foi ameaçando-a com uma faca. Após isso, ele a constrangeu e a obrigou a manter relações sexuais com ele.

“A violência sexual aconteceu de diversas formas possíveis e imagináveis, todos os atos sexuais presenciados por uma criança de 11 anos de idade”, disse a delegada.

Segundo a Polícia Civil, a vítima teria fugido com os filhos de uma cidade no estado de Alagoas há três anos. Na delegacia, a mulher falou que se mudou para Pernambuco com o intuito de proteger o filho, que quando adolescente se envolveu com a criminalidade.

“A mãe, para proteger a própria vida do filho, deixou parentes, amigos, familiares, a terra natal, vindo buscar refúgio aqui em Águas Belas, em Pernambuco. E ela mesma foi vítima do próprio filho”, relatou a delegada.

Entenda o caso

Um jovem de 18 anos estuprou a própria mãe, de 48, na frente da irmã de 11 anos no bairro São Sebastião, em Águas Belas, no Agreste de Pernambuco.

De acordo com a Polícia Militar, a mulher procurou a polícia e informou que o filho aparentava estar sob influência de drogas quando o crime aconteceu. Conforme a mãe, ela teria pedido para o jovem fazer silêncio, como ele não aceitou a reclamação, ameaçou a mulher com uma faca, imobilizou a vítima e praticou o estupro.

Depois do ocorrido, a mãe fugiu de casa junto com a filha e se escondeu em um matagal. A mulher estava em estado de choque e passou por atendimento médico.

Fonte: g1

Anvisa aprova genérico para tratamento do câncer de mama

Em nota, agência informa que remédio deve chegar ao mercado por um preço reduzido

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o primeiro medicamento genérico com a substância everolimo. O remédio é indicado para o tratamento de diversos tipos de câncer, incluindo câncer de mama em estágio avançado, tumores neuroendócrinos e câncer de rim.

Por meio de nota, a Anvisa reforçou que, por se tratar de um medicamento genérico, o produto deve chegar ao mercado com um preço pelo menos 35% menor que o preço máximo do medicamento de referência.

Fonte: agenciabrasil

Onze bebês morrem após grávidas tomarem Viagra durante pesquisa na Holanda

Brasileiros usam estimulantes sexuais de forma irresponsável

Ao todo, 183 mulheres participaram da pesquisa em 10 hospitais espalhados pela Holanda, sendo que 93 gestantes tomaram Viagra e 90 tomaram placebo

Onze recém-nascidos morreram após suas mães tomarem Viagra durante a gravidez para contribuir com um estudo conduzido pelo Centro Médico da Universidade de Amsterdã, na Holanda. Além das mortes, outros 17 bebês apresentaram problemas pulmonares.

Em entrevista ao jornal holandês De Volkskrant, o ginecologista e chefe da pesquisa Wessel Ganzevoort afirmou que a ideia era que o medicamento comumente usado por quem sofre de disfunção erétil fosse utilizado para auxiliar gestantes que sofriam com problemas de desenvolvimento dos fetos. “Queríamos mostrar que esta é uma maneira eficaz de promover o crescimento do bebê. Porém, o oposto aconteceu. Estou chocado. A última coisa que você quer é prejudicar os pacientes”, afirmou Ganzevoort.

Segundo o jornal The Guardian, o experimento começou em 2015 e tinha previsão de terminar em 2020, mas foi finalizado na semana passada, quando um comitê independente que supervisiona a pesquisa relatou que mais bebês podem ter tido os pulmões afetados.

Ao todo, 183 mulheres participaram da pesquisa em 10 hospitais espalhados pela Holanda, sendo que 93 gestantes tomaram Viagra e 90 tomaram placebo. A previsão era de que, até 2020, 350 pacientes participassem.

Três bebês das grávidas que tomaram placebo apresentaram problemas pulmonares, mas nenhum deles morreu. Antes de as gestantes terem tomado o Viagra, testes foram feitos em ratos e tiveram resultados positivos.

Em nota, o Centro Médico da Universidade de Amsterdã disse que, durante os primeiros testes, o medicamento apresentou bons resultados com grávidas que tinham uma grave limitação de crescimento dos bebês. Porém, recentes estudos mostraram que pode haver efeitos adversos para a criança após o nascimento. Uma investigação do caso será conduzida pelo hospital.

Além do estudo holandês, o Reino Unido fez uma pesquisa semelhante utilizando Viagra em gestantes em 2017. Os resultados, publicados em dezembro, mostraram que não havia sido encontrado eficácia, mas não houve nenhum efeito contrário para os bebês.

Fonte: uol

Carteiras de trabalho poderão ser emitidas em agências dos Correios

O serviço de emissão de carteiras está disponível nas unidades ligadas ao Ministério do Trabalho e em unidades descentralizadas espalhadas pelo país, por meio de parcerias com estados e municípios

O Ministério do Trabalho e a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos vão firmar, nos próximos dias, acordo de cooperação técnica para emissão da carteira de trabalho e previdência social nas unidades da empresa.Pelo acordo, que foi anunciado nesta segunda-feira (23), o projeto piloto será implantado nos próximos 30 dias no estado de São Paulo.

Segundo o secretário executivo substituto do Ministério do Trabalho, Admilson Moreira, a iniciativa tem o objetivo de descentralizar a emissão da carteira de trabalho manual e informatizada e de levar o serviço para mais perto da população. “O propósito da parceria é oferecer um serviço mais ágil e acessível ao trabalhador”, disse Moreira.

De acordo com o ministério, de janeiro a maio deste ano, foram emitidas mais de 2,3 milhões de carteiras de trabalho no país, das quais 580 mil no estado de São Paulo.

O serviço de emissão de carteiras está disponível nas unidades ligadas ao Ministério do Trabalho e em unidades descentralizadas espalhadas pelo país, por meio de parcerias com estados e municípios. A rede conta com cerca de 2,1 mil postos de atendimento.

Fonte: agenciabrasil

Estudante brasileira é morta a tiros na Nicarágua

A suspeita é de que os tiros tenham sido disparados por paramilitares. País vive onda de protestos desde abril deste ano

A estudante universitária brasileira Raynéia Gabrielle Lima foi morta a tiros na noite desta segunda-feira, 23, em Manágua, capital da Nicarágua, segundo a Embaixada do Brasil no país caribenho. A suspeita é de que os tiros tenham sido disparados por paramilitares em meio à onda de violência que atinge o país e que deixou quase 300 mortos em três meses.

Raynéia, 32 anos, cursava o último ano de Medicina e foi morta quando dirigia para sua casa no sudoeste de Manágua por volta de meia-noite, informou à AFP o reitor da Universidade Americana (UAM), Ernesto Medina. O crime aconteceu no complexo residencial Lomas de Monserrat.

A estudante foi levada pelo namorado para o hospital, mas os “ferimentos eram fatais” e ela faleceu nas primeiras horas da manhã, indicou Medina. Uma bala perfurou o fígado e a jovem morreu quando era atendida no Hospital Militar em Manágua, de acordo com informações do canal 100% Noticias.

Raynéia, que morava há seis anos na Nicarágua, nasceu em Pernambuco e fazia estágio no hospital da polícia Roberto Huembes.

O governo brasileiro reagiu por meio de nota do Itamaraty, expressando sua “profunda indignação e condenação à trágica morte ontem, 23 de julho, da cidadã brasileira Raynéia Gabrielle Lima (…) atingida por disparos em circunstâncias sobre as quais está buscando esclarecimentos junto ao governo nicaraguense”.

“O governo brasileiro torna a condenar o aprofundamento da repressão, o uso desproporcional e letal da força e o emprego de grupos paramilitares em operações coordenadas pelas equipes de segurança”, acrescenta o comunicado.

A presidente do Centro Nicaraguense de Direitos Humanos (Cenidh), Vilma Núñez, declarou que a estudante “foi alvejada sem nenhuma razão” e disse que a organização vai realizar investigações sobre o incidente.

Os protestos, que começaram em 18 de abril contra uma reforma da Previdência Social, levaram ao pedido de impeachment do presidente Daniel Ortega e de sua esposa e vice-presidente, Rosario Murillo.

Fonte: em.com

Facebook decide bloquear contas de crianças e pré-adolescentes

Uma vez banido, o dono da conta poderá recuperá-la desde que prove sua idade ao presentar um documento de identidade com foto

Facebook e o Instagram decidiram banir perfis de crianças e pré-adolescente que fingem ser maiores de idade para usar as redes sociais. Segundo explicou o porta-voz da rede social ao site TechCrunch, moderadores das plataformas vasculharão contas suspeitas e as bloquearão sem aviso prévio.

Uma vez banido, o dono da conta poderá “recorrer”. Para recuperá-la, deverá provar sua idade ao presentar um documento de identidade com foto. Será possível fazer isso pelo celular. A decisão reforça os termos de uso de ambas as redes: de acordo com o texto, menores de 13 anos não podem se cadastrar.

Em maio deste ano, a mesma atitude foi tomada pelo Twitter.

Fonte: metropoles

No PP, homens indicarão mulheres para receber recursos do fundo eleitoral

Critério consta de resolução aprovada pela direção nacional do partido entregue ao TSE

Na resolução entregue ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em que especifica como será a distribuição dos recursos do fundo eleitoral entre seus candidatos, o PP estipulou que os homens indicarão as candidatas mulheres que desejam beneficiar.

O novo fundo eleitoral, de R$ 1,7 bilhão, foi criado para financiar as campanhas depois que as doações de empresas foram proibidas. A única exigência objetiva do TSE é que os partidos destinem, no mínimo, 30% do que receberem para candidaturas de mulheres.

A direção nacional do PP definiu que, para atingir os 30% exigidos, os homens abrirão mão de uma parte que seria deles.

Assim, um candidato homem vai indicar a candidata mulher que ele quer que receba a parte subtraída da dele.

Dois especialistas ouvidos pela Folha sob condição de anonimato disseram que esse critério, que subordina a mulher ao homem, subverte o objetivo da regra, que era fomentar a participação feminina na política.

O ideal, para um dos especialistas consultados, era que os partidos repassassem os 30% para o movimento de mulheres, e elas decidissem como usar o recurso.

O tesoureiro do PP, deputado Ricardo Barros (PR), afirmou que a opção do partido, na verdade, privilegia as mulheres. Segundo ele, uma candidata a deputada, por exemplo, receberá sua parte do fundo, como qualquer outro postulante à Câmara, e mais o que os candidatos homens lhe repassarem.

A sigla decidiu que vai dar R$ 2 milhões para os deputados federais, de qualquer gênero, que forem tentar a reeleição.

O PP é um dos 12 partidos que já remeteram ao TSE seus critérios de distribuição interna do “fundão”. Faltam 23 partidos submeterem a documentação à corte eleitoral, exigência para que recebam o recurso público. A campanha eleitoral começará em 16 de agosto.