Rondônia: as aulas são remotas, os alunos são remotos e o secretário é remotíssimo…

Painel Político - https://politico.painelpolitico.com

A Seduc prometeu criar uma “plataforma” com atividades de todas as disciplinas e colocar à disposição dos professores

Os profissionais da educação do estado de Rondônia e as demais pessoas que acompanham os atos da Secretaria de Educação do governo Marcos Rocha sabem que esse governo nunca levou a sério os compromissos com a educação e, por várias vezes, precisou inventar desculpas e mentiras para tentar justificar a incompetência de Suamy Lacerda.

Em pelo menos cinco ou seis ocasiões a Seduc publicou atos no Diário Oficial, fez muita propaganda em redes sociais e depois desfez os atos, como aconteceu com a promessa de pagamento de benefícios relativos ao piso salarial.

Agora, quando os professores estavam tentando esquecer aquelas mentiras sobre o piso salarial, a Seduc inventou, sem nenhum estudo ou discussão, as Aulas Remotas, que servirão apenas para encher linguiça e estressar alunos, professores e pais, porque é um engodo maquiado pela conversa furada de que o uso de tecnologias é uma coisa moderna, mesmo quando o governo não oferece nenhuma condição de trabalho para os professores e nenhuma condição de acesso para os alunos…

Antes de mostrar as razões pelas quais os alunos estão sendo enganados, pelo governo,  é interessante relembrar aqui um dos atos do governo que demonstram total falta de compromisso com a educação e o descaso com os professores.

Lembram da história da “Lenda do Piso Salarial”? Naquele episódio, o governador e o secretário gravaram áudios e vídeos dizendo que, neste governo, não seriam mais necessários sindicatos, não existiriam mais greves e que todos os professores seriam respeitados pelo governo com o pagamento de seus direitos.

Eles distribuíram essas gravações em todos os canais de propaganda possíveis e muitos professores chegaram a comemorar o fato. Para dar uma aparência de verdade, o governo publicou o ato no Diário Oficial e os diretores de escolas foram ao delírio, no quesito bajulação, coisa que eles sabem fazer de melhor.

A promessa não durou 24 horas. O mesmo governo inventou um monte de mentiras, colocou a culpa na copeira, no jardineiro, no vigilante da Seduc, dizendo que eles publicaram os atos para macular o governo. O secretário Chefe da Casa Civil  e o dublê de secretário de educação deram entrevistas e disseram que “subordinados sabotaram o governo” e que mandariam apurar tudo com muito rigor. Tudo papo furado!!! Até hoje não houve apuração  nenhuma,  mesmo porque não havia razão para isso. Essa não foi a única lambança desse tipo, mas vamos parar por aqui, para abordar as Aulas Remotas…

As pessoas que possuem as mínimas informações sobre o Direito Administrativo e a hierarquia das normas jurídicas sabem, muito bem, que resoluções, decretos e portarias são normas secundárias e somente podem existir para expor detalhes de como será cumprida uma lei referente a um desses atos. Para criar um modelo de ensino, é necessário criar uma lei para esta finalidade.

Não se pode criar um modelo de ensino com uma portaria, mas o governo fez isso. É curioso que o Conselho Estadual de Educação ficou caladinho e fingiu que não está sabendo de nada. Alguns apedeutas, guachebas ou lacaios do governo argumentam que o modelo de aulas remotas foi criado, sem nenhuma lei, porque estamos em estado de calamidade e porque o momento é diferente.

Não existe argumento mais fajuto do que este e somente diretores de escolas acreditam nisso, porque a função deles é acreditar em todas as alicantinas do secretário. O próprio Suamy Lacerda não tem como explicar quais foram os critérios pelos quais ele foi nomeado, visto que o único quesito que ele parece preencher é ter sido cabo eleitoral de Marcos Rocha. Mas,  convenhamos, existem, em Rondônia, pelo menos 171 professores que também votaram em Marcos Rocha e que são muito mais competentes do que esse secretário…

A Seduc prometeu criar uma “plataforma” com atividades de todas as disciplinas e colocar à disposição dos professores. Neste caso, vou falar apenas com base naquilo que chegou a Cacoal, porque Suamy Lacerda pode ter reservado o que prestava para outros municípios.

Assim, as poucas coisas colocadas à disposição das escolas de Cacoal são desorganizadas, plagiadas, com conteúdos aquém daquilo que deveriam ser e desconectados das orientações da própria Resolução do CEE. Claro que em função dessa bagunça, os problemas são grandes, porque esse modelo de ensino somente pode ser justificado como uma volta ao Dadaísmo. Como mais da metade dos alunos não possuem computadores em casa, as aulas acontecem pelo celular, assim como muitos professores também não possuem as condições para adotar as Aulas Remotas.

Professores e alunos têm sido penalizados pelo governo, porque consomem todos os seus créditos e pacotes de internet para ver vídeos e acessar outros arquivos. Os pais reclamam todos os dias que não têm dinheiro para manter os celulares dos filhos. O governo de Rondônia deveria fazer um convênio, parceria ou outra coisa do gênero com as empresas de telefonia, para que os alunos e professores tivessem acesso gratuito a esses arquivos remotos. Os custos para preparar ou acompanhar essas aulas remotas são altos, mas o secretário não deve saber disso, porque faz mais de 20 anos que ele não prepara uma aula, nem mesmo no caderno.

Finalmente, uma questão que Suamy Lacerda, certamente, vai colocar a culpa na copeira da Seduc: os pais dos alunos trabalham durante o dia e voltam para casa após as 18 horas.

Além de atender alunos e pais nos horários comuns das aulas, a partir de 18 horas,  até as 22 ou 23 horas, eles falam constantemente com os professores, querendo esclarecer dúvidas. Aos sábados, domingos e feriados, durante o dia e a noite, é a mesma coisa. Isto significa que os professores passaram a trabalhar 12, 13 ou 14 horas por dia. Quem vai pagar essas horas extras de atendimento?? Suamy? A CRE? O (a) diretor (a)? O secretário deveria responder, mas, assim como as aulas são remotas, o secretário é remotíssimo … Tenho dito!!!

FRANCISCO XAVIER GOMES

Professor da Rede Estadual e Jornalista

Fieis se desentendem por causa de microfone durante missa e um atropela o outro na saída de igreja

Painel Político - https://revista.painelpolitico.com

A vítima contou aos policiais que estava na missa, no salão paroquial da cidade com sua esposa, quando o suspeito chegou e queria falar ao microfone, mas como a missa já estava no final, o padre encerrou e não deixou o homem falar

Dois homens se desentenderam durante uma missa na noite desse domingo (24) em Glória D’Oeste, a 304 km de Cuiabá, e um atropelou o outro na saída da igreja. 

Conforme boletim de ocorrência, a Polícia Militar foi acionada após o atropelamento. Chegando no local, os militares foram informados que a vítima, de 51 nos, estava em uma unidade hospitalar, recebendo atendimento médico. 

A vítima contou aos policiais que estava na missa, no salão paroquial da cidade com sua esposa, quando o suspeito chegou e queria falar ao microfone, mas como a missa já estava no final, o padre encerrou e não deixou o homem falar. 

O suspeito teria se irritado e falado para a vítima que já estava passando da hora do padre ir embora da cidade. 

A vítima então teria dito ao suspeito que não deixaria ele estragar a missa com suas histórias. 

Nesse momento, segundo a vítima, o suspeito correu até o carro e a vítima seguia para casa. Enquanto caminhava, escutou um carro vindo em sua direção acelerando e, então, o suspeito teria subido na calçada com o veículo. A vítima disse que pulou para tentar escapar da batida, mas acabou sendo atingido nas costas pelo veículo e arremessado contra a parede de uma loja. 

Depois disso, o suspeito fugiu do local e a vítima foi encaminhada ao hospital por testemunhas que estavam próximos e escutaram o barulho da pancada. A vítima sofreu escoriações nas pernas e no braço esquerdo e ainda disse sentir muita dor nas costas do lado direito. 

Os policiais realizaram buscas, mas não localizaram o suspeito. 

O caso foi registrado na Delegacia de Porto Esperidião, a 358 km de Cuiabá, que passa a investigar o caso.

Via G1/MT

Covid-19: a cada 3 pacientes entubados em UTIs brasileiras, 2 morrem

Painel Político - https://revista.painelpolitico.com

Mortalidade de doentes com covid-19 que são entubados no País é de 66%, um número alto quando comparado aos internacionais

Apenas um em cada três pacientes graves de covid-19 que são entubados nas UTIs brasileiras se recupera e consegue voltar para casa. A mortalidade desses doentes é de 66%, um número muito alto quando comparado aos internacionais. Segundo especialistas, o porcentual reflete as precariedades do sistema de saúde do País e, eventualmente, o uso indiscriminado de medicamentos sem benefícios comprovados cientificamente, como a cloroquina.

A conclusão é de um levantamento do Projeto UTIs Brasileiras, da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib) e do Epimed – uma ferramenta de análise de dados e desempenho hospitalar. A coleta de informações foi feita entre os dias 1.º de março e 15 de maio em 450 hospitais em todo o Brasil, envolvendo 13.600 leitos de terapia intensiva – o que equivale a cerca de um terço das vagas para adultos nessas unidades. 

Os pacientes mais graves são aqueles que estão internados em uma unidade de terapia intensiva e demandam apoio de ventilação mecânica para continuar respirando. Por isso, a mortalidade desses doentes é forçosamente alta em qualquer lugar do mundo. No Reino Unido, por exemplo, é de 42%, e, na Holanda, chega a 44%. Um outro estudo, restrito à cidade de Nova York, revelou um porcentual ainda mais alto, de 88%. 

Paciente é tratado no Hospital Instituto de Infectologia Emílio Ribas, cuja Unidade de Terapia Intensiva opera em sua capacidade máxima para a covid-19 em São Paulo Foto: TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

“A mortalidade geral na UTI é de 21%, entretanto, entre a população de pacientes mais graves, chega a 66%”, compara o coordenador do Projeto UTIs Brasileiras, o médico intensivista Ederlon Rezende. “Ou seja, de cada três pacientes que vão para a ventilação mecânica, apenas um sobrevive. Essa doença não é uma gripezinha.” 

O também médico intensivista Jorge Salluh, pesquisador do IDOR e fundador da Epimed Solutions, concorda com o colega e especula sobre as razões da mortalidade tão alta. “Este porcentual é muito alto para qualquer doença, qualquer estatística, é um número assustador”, diz. “Eu não tenho esses dados, é uma inferência, mas o que parece é que estamos esquecendo de medidas de prevenção adotadas nas UTIs. O uso de tratamentos experimentais, como a cloroquina e outras substâncias, todas igualmente com poucas evidências, podem ser um fator. Intervenções farmacológicas não comprovadas aumentam o risco de morte por efeitos colaterais”, comenta.

Leia a reportagem completa no Estadão

Zezé di Camargo e Luciano testam positivo para Covid-19

Painel Político - https://revista.painelpolitico.com

Um dos profissionais está internado em um hospital da capital paulista enquanto outro segue o tratamento em casa

A dupla Zezé di Camargo e Luciano testaram positivo para coronavírus, apresentando os primeiros sintomas na última semana.

Segundo a jornalista Fabia Oliveira, um dos profissinais segue internado em um hospital da capital paulista com um quadro evolutivo, enquantro o outro está se tratando em casa.

A próxima live dos sertanejos previstas para acontecer na próxima sexta ainda está agendada, informou a assessoria da dupla a revista Marie Claire.

PF apreende câmera de cinegrafista do Planalto que registrou reunião do dia 22

Painel Político - https://politico.painelpolitico.com

Agentes estiveram na SECOM do governo Bolsonaro

Seis agentes da Polícia Federal descaracterizados estiveram há pouco na Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto, informou o blog Antagonista.

Os policiais recolheram a câmera do cinegrafista, Andriely Cirino, que registrou a reunião ministerial do dia 22.

Cirino é tenente do Exército e foi contratado pelo porta-voz, general Rêgo Barros.

Não foram repassados detalhes sobre os motivos da apreensão.

De sucessor oficial de Edir Macedo, ex-número 2 da Igreja Universal vira concorrente

Painel Político - https://revista.painelpolitico.com

Macedo passou a dar espaço e visibilidade ao bispo e genro Renato Cardoso, casado com a filha Cristiane, consolidado então como o herdeiro e isso causou o afastamento de Panceiro

Maior igreja neopentecostal do Brasil, a Universal do Reino de Deus ganhou um concorrente que já foi apontado por Edir Macedo, o líder máximo da instituição, como o seu sucessor oficial. 

O ex-bispo da igreja Romualdo Panceiro anunciou, em um vídeo nas redes sociais, a criação de sua própria denominação, a Igreja das Nações do Reino de Deus, de olho no público de seu antigo aliado. 

O nome, quase idêntico, não é por acaso. Até deixar a igreja, há dois anos, Panceiro era o segundo na hierarquia da Universal. Apesar de não ser tão conhecido fora do mundo evangélico, é visto internamente como um líder com poder e prestígio suficientes para arrebanhar uma leva significativa de bispos, pastores e fiéis, além de ex-seguidores.

Ele é avaliado no momento num patamar acima de outros dissidentes da igreja, como, por exemplo, Valdemiro Santiago, da Mundial do Poder de Deus. 

Cunhado de Edir Macedo e fundador da Universal, o missionário RR Soares, hoje à frente da Igreja Internacional da Graça, era o número dois quando saiu, em 1980, mas a instituição era pequena. Ainda dava os seus primeiros passos. A igreja de RR já tem 40 anos, e a de Valdemiro, 22 anos.

As maiores igrejas evangélicas brasileiras são a Assembleia de Deus (12,3 milhões de fiéis), a Igreja Batista (3,7 milhões) e a Congregação Cristã do Brasil (2,2 milhões). A Universal (1,87 milhão) é a quarta, e a maior entre as chamadas neopentecostais. 

Essas igrejas surgiram na chamada “terceira onda” do pentecostalismo, no final dos anos 1970. Enfatizam a cura e o milagre e se identificam com a Teologia da Prosperidade, doutrina que considera a riqueza material uma benção de Deus.

A saída de Panceiro da Universal foi atribuída oficialmente a supostas “condutas inadequadas” do religioso. Mas o que pesou mais foi a desistência de Edir Macedo de alçá-lo ao posto de líder máximo da igreja no futuro. 

Macedo passou a dar espaço e visibilidade ao bispo e genro Renato Cardoso, casado com a filha Cristiane, consolidado então como o herdeiro. O que estava em jogo era o império de Macedo – além da igreja, uma TV, banco e empresas – nas mãos da família ou de um terceiro. A ascensão de Cardoso desagradou profundamente Panceiro. 

‘O maior milagre da Igreja Universal’

Na biografia O Bispo, escrita em parceria com o jornalista Douglas Tavolaro (ex-vice-presidente de jornalismo da TV Record e hoje CEO e sócio da CNN Brasil) e lançada em 2007 (Editora Larousse), Macedo apontou Panceiro como “o maior milagre da Igreja Universal”. E foi taxativo: “Se eu morrer hoje, o Romualdo assume tudo. E tenho certeza de que os demais bispos irão respeitá-lo como me respeitam hoje. A Igreja Universal não é um trabalho pessoal, mas uma obra espiritual”, garantiu.

Culto no templo de salomão
Sede da igreja será nas proximidades do monumental Templo de Salomão erguido por Edir Macedo

Ex-responsável pela Universal no Brasil e em Portugal, Panceiro tem um histórico parecido com o de outros líderes da igreja. Ex-cortador de cana, foi viciado em drogas. 

“Eu passava os finais de semana me drogando. Meu pai era louco. Eu não tinha o que comer. Não havia futuro para mim”, contou o então aliado de Macedo, na obra O Bispo

De mero frequentador da igreja, tornou-se evangelista, depois obreiro e pastor. Dirigiu uma igreja em Copacabana, no Rio. Chegou a bispo e acumulou poder na hierarquia. 

Mas a relação entre ele e Macedo estremeceu. Houve um bate-boca entre os dois, em 2009, segundo ex-membros da igreja, na Califórnia, nos Estados Unidos. A igreja negou. 

Após um acordo, foi decidida a permanência do então número dois no exterior. O rompimento definitivo ocorreu em 2018, quando Panceiro abandonou suas funções em Portugal, sem dar explicações sobre a saída.

Desde esse momento, havia expectativas sobre o futuro de Panceiro. Macedo temia que ele viesse a abrir a sua própria denominação, diziam ex-líderes da Universal. A nova igreja, enfim, será inaugurada em junho. 

Panceiro deixa claro que o objetivo é atrair os fiéis de sua antiga casa. Além do nome parecido, o símbolo de sua igreja, segundo informações divulgadas nas redes sociais, será uma cruz com uma pomba branca, semelhante ao da Universal. 

A sede da igreja – ainda em obras no momento -, será na avenida Celso Garcia, número 174, no bairro do Brás, na região central de São Paulo, nas proximidades do monumental Templo de Salomão erguido por Edir Macedo.

romualdo panceiro
Romualdo Panceiro anunciou, em um vídeo nas redes sociais, a criação de sua própria denominação, a Igreja das Nações do Reino de Deus

Planos

Em um primeiro vídeo postado nas redes sociais, o bispo Panceiro disse que começará “do zero, do nada”. Não há informações sobre quanto ele terá para custear o empreendimento, nem sobre eventuais investimentos em meios de comunicação para divulgar sua mensagem religiosa. 

Desde que saiu da Universal, não deu entrevistas. Utilizou apenas o YouTube e o Instagram para enviar rápidas mensagens aos fiéis, sem esclarecer dúvidas sobre os seus próximos passos. 

Agora, diz abrir o novo espaço para que as pessoas “através da fé, conheçam o poder de Deus e mude esta situação caótica em que estão vivendo”. 

Segundo ele, “não dá para ter ideia do número de pessoas sofridas que estão chorando, sem ter o que comer, largadas nas praças e desejando tirar a própria vida”. Mas, “há uma saída”, aponta.

Em um vídeo divulgado no YouTube, em 2018, Edir Macedo havia confirmado o desligamento de Panceiro da Universal e chamado o seu ex-aliado de Sambalá — o personagem da Bíblia considerado traidor, que se opôs à obra de reconstrução do muro de Jerusalém. 

Em outro momento, ele afirmou que o antigo amigo estava “no inferno”. Em um culto no Rio de Janeiro, no ano passado, atacou novamente Panceiro e outro ex-bispo da igreja, João Leite. Disse que os dois eram “pastores apagados” e estavam “vivendo em pecado”, “na rua da amargura”. 

Ao menos nove bispos deixaram a Igreja Universal nos últimos quatros anos. No ano passado, Rogério Formigoni, ex-apresentador do programa religioso “Nação dos 318 (ex-Congresso para o Sucesso), dirigido a empresários e transmitido pela TV Record, foi um dos afastados. 

Outros bispos mais antigos e populares, com ascendência sobre os colegas e os pastores, foram deslocados estrategicamente para outros países. A ideia era deixar o terreno livre no Brasil para o crescimento do genro de Macedo, Renato Cardoso. 

Ex-seguidores da Universal afirmam que vários bispos e pastores não aceitam a liderança de Cardoso, considerado por eles “inexperiente”, alguém que “não ralou” e não teria contribuído para o crescimento da instituição. 

Um outro ex-bispo da Universal, Alfredo Paulo, que também foi responsável pela Igreja em Portugal, disse, por meio de seus canais no YouTube e Telegram, ter dúvidas se Panceiro será realmente um concorrente de Macedo “e irá para a guerra” contra o antigo amigo. 

No vídeo, o ex-bispo cogitou a possibilidade de Panceiro ter arquitetado um plano com Macedo e, assim, receber apoio para abrir a nova igreja. Segundo essa hipótese, acolheria fiéis descontentes com a Universal. Pareceriam rompidos, mas, na verdade, continuariam juntos.

Via BBC Brasil

Chamada de “burra” em anúncio, Dilma vai receber R$ 60 mil de indenização

Painel Político - https://politico.painelpolitico.com

A empresa usou uma foto da ex-presidente em uma campanha publicitária sobre “como deixar de ser burro”

O uso da imagem de alguém para campanha publicitária depende de autorização, independentemente se se trata de figura pública ou não. Nos casos de pessoa pública, embora esteja suscetível a críticas e exposição de sua intimidade, deve ser garantida a proteção de sua dignidade e honra.

Com esse entendimento, a juíza  Gislene Rodrigues Mansur, da 17ª Vara Cível de Belo Horizonte, condenou uma empresa de concursos — a “Estratégia Concursos Ltda.” — a indenizar em R$ 60 mil a ex-presidente Dilma Rousseff. A decisão é do dia 18 de maio.

A empresa usou uma foto da ex-presidente em uma campanha publicitária sobre “como deixar de ser burro”. De acordo com o processo, tratava-se de campanha para divulgar uma aula virtual, que seria disponibilizada para ajudar os alunos a desenvolverem técnicas de estudo.

Dilma Rousseff – Joel Saget – 2.mar.20/ AFP

Dilma foi representada pelo escritório Aragão e Ferraro Advogados, que pediu indenização por danos morais em R$150 mil e a retratação da empresa em todos os meios onde a campanha foi divulgada. 

Em sua defesa, a empresa alegou que o anúncio publicitário não teve o objetivo de ofender os consumidores “e, sim, de estimular o estudo e à busca pelo que se deseja”. Além disso, sustentou que pessoas públicas “devem suportar o ônus de terem suas condutas e seus atos submetidos à publicidade e a críticas” e apontou que a imagem da ex-presidente foi usada em relação a fatos de sua vida pública. 

Ao analisar o caso, a magistrada verificou choque entre os direitos fundamentais da liberdade de expressão e a tutela dos direitos da personalidade no que trata de imagem e honra. A juíza entendeu que a campanha teve intenção clara de ridicularizar a ex-presidente.

Leia a reportagem completa no Consultor Jurídico

O que define um caso suspeito do novo coronavírus no Brasil?

Painel Político - https://revista.painelpolitico.com

Alguns sintomas e outros critérios fazem os médicos suspeitarem de um caso de coronavírus. Conheça-os e veja como se confirma o diagnóstico

A definição de um caso suspeito do novo coronavírus, também chamado de Sars-Cov-2, foi ampliada recentemente pelo Ministério da Saúde, após a confirmação de 25 infecções registradas no Brasil, em diferentes estados, até o dia 9 de março de 2020. Então como saber agora o que é considerado um caso suspeito de Covid-19, a doença causada por esse vírus?

Há várias possibilidades. Com a declaração de pandemia pela Organização Mundial da Saúde, uma é a do indivíduo que voltou de qualquer viagem internacional e, em até 14 dias, começou a apresentar febre e pelo menos um sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar ou engolir, congestão nasal, dor de garganta, coriza). Em outras palavras, viajantes que manifestarem esses sinais devem conversar com um médico ou ir a um posto de saúde para checar se é o novo coronavírus, e não uma gripe, por exemplo.

Além disso, quem teve contato próximo com alguma pessoa com suspeita ou confirmação de Covid-19 e que apresentou qualquer um dos sintomas descritos em até 14 dias precisa ser investigado. Mas o que define “contato próximo”? Confira:

  • Contato físico direto (um aperto de mãos, por exemplo)
  • Contato desprotegido com secreções infectadas
  • Ficar frente a frente por mais de 15 minutos com uma vítima do novo coronavírus, mesmo em ambiente aberto e ventilado
  • Estar em uma sala fechada por mais de 15 minutos e em uma distância a menos de 2 metros de alguém com Covid-19
  • Passageiro de uma aeronave sentado em um raio de até dois assentos, em qualquer direção, de um caso confirmado.

No dia 13 de março, o Ministério da Saúde anunciou que qualquer viajante, ao retornar, deve ficar em casa por sete dias. Mas atenção: isso não configura um caso suspeito. Trata-se de uma medida para conter a transmissão do vírus. Se ele apresentar sintomas, aí o cenário claramente muda.

E mais: se você vive na casa de uma pessoa com o Sars-Cov-2 — ou a frequenta bastante — e apresenta febre ou sintomas respiratórios em até 14 dias, vai precisar passar por uma avaliação. Aliás, esse cenário é considerado como um caso provável pelo Ministério da Saúde.

No dia 9 de março, o governo incluiu situações específicas em que mesmo um brasileiro que não viajou para o exterior pode se encaixar como um caso suspeito do novo coronavírus. A primeira é a do sujeito que vive em uma cidade com ao menos um episódio confirmado e que é internado por causa de uma Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) — quando aqueles sintomas são tão intensos que exigem hospitalização. O profissional de saúde saberá dizer se há ou não casos confirmados no município.

A segunda é a do paciente que possui sinais leves de gripe e busca atendimento em uma das 114 Redes Sentinela do Ministério da Saúde (com prioridade para municípios com casos confirmados). Em resumo, são postos de saúde, policlínicas e hospitais que fazem um trabalho de verificar ativamente a intensidade de circulação de diferentes agentes infecciosos, como o influenza (que deflagra a gripe) e, agora, o novo coronavírus.

“Com essas medidas, podemos identificar alguns casos de coronavírus que poderiam passar despercebidos pela nossa vigilância. As testagens serão realizadas tanto na rede pública de saúde como na privada, que deverá seguir o protocolo do Ministério da Saúde”, afirma o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, à imprensa.

Como confirmar ou descartar um caso de coronavírus?

Uma vez que surge a suspeita, os médicos pedem exames específicos. Eles colhem amostras das vias aéreas do indivíduo e as mandam para laboratórios. Aí, os profissionais descobrem se a infecção foi causada pelo influenza, pelo Sars-Cov-2 ou mesmo por outros agentes.

Independentemente do inimigo que invadiu o organismo, é importante se manter hidratado, comer bem, repousar e evitar, dentro do possível, o contato com terceiros. No momento, pessoas com casos leves de Covid-19 são orientadas a ficarem isoladas em casa, onde são acompanhadas por experts. Nas situações mais graves, vão para hospitais.

Como diferenciar?

A doença que o vírus Sars-Cov-2 provoca, a covid-19, é uma infecção respiratória que começa com sintomas como febre e tosse seca e, ao fim de uma semana, pode provocar falta de ar. 

De acordo com uma análise da OMS baseada no estudo de cerca de 56 mil pacientes na China, 80% dos infectados desenvolvem sintomas leves (febre, tosse e, em alguns casos, pneumonia), 14% têm sintomas graves (dificuldade em respirar e falta de ar) e 6%, quadros críticos (insuficiência pulmonar, choque séptico, falência de órgãos e risco de morte).

Entre os sintomas apresentados pelos pacientes, os mais comuns são a febre (cerca de 88% dos casos), a tosse seca (quase 68%) e a fadiga (38%). A dificuldade de respirar aconteceu em quase 19% dos pacientes, enquanto sintomas como dor de garganta e dor de cabeça atingiram cerca de 13%. Já a diarreia foi um sintoma de apenas 4% das pessoas com o novo coronavírus.

No entanto, um levantamento com mais de 2 mil pacientes chineses publicado nesta semana na revista científica Pediatrics indica que os sintomas digestivos, como diarreia, vômitos e dores abdominais, apareciam com frequência em crianças infectadas pelo coronavírus.

Sintomas da covid-19

Mas, nessa época do ano, também é comum apresentar tosse, febre, dores na garganta e na cabeça e sensação de fadiga por causa dos vírus da influenza, que provocam as gripes comuns. 

De acordo com os especialistas, os sintomas devem ser monitorados e, caso permaneçam leves, podem ser tratados em casa. 

No entanto, é preciso ter especial atenção a idosos e pessoas com baixa imunidade, mais vulneráveis ao novo coronavírus, e consultar um médico em caso de dúvidas. 

“A gripe normalmente é a única que nos faz sentir dores musculares. E costuma durar entre três e cinco dias. Essas podem ser indicações de que se trata de um vírus comum”, disse à BBC Brasil Heloisa Ravagnani, presidente da Sociedade de Infectologia do Distrito Federal.

Sintomas da gripe comum

No caso do resfriado, os sintomas costumam ser ainda mais brandos e, em geral, apenas respiratórios — coriza, congestão nasal, tosse e dor de garganta, mas nem todos ocorrem ao mesmo tempo.

“Caso a pessoa esteja tossindo e tenha outros sintomas leves, não deve esquecer de usar máscara ao entrar em contato com outras pessoas e de higienizar bem as superfícies com as quais tiver contato. Ela pode não ter covid-19, mas, em um momento como esse, todo cuidado é bem-vindo”, diz a infectologista.

Sintomas do resfriado

‘Não é corona, é rinite’

Nos últimos dias, alérgicos têm se justificado nas redes sociais pela frequência de espirros, ou expressado confusão com os sintomas de rinite alérgica sazonal e da covid-19. 

Os comentários renderam memes como a frase “não é corona, é rinite”, que já virou até proposta de camiseta para os período de distanciamento social imposto pela pandemia.

As síndromes respiratórias alérgicas, comuns em períodos como outono e primavera, podem provocar coriza e congestão nasal, comuns a gripes, resfriados e à covid-19. Mas são marcadas normalmente por espirros, e dificilmente provocam tosse ou febre, explica Paulo Sergio Ramos.

Sintomas da rinite

“O importante é que as pessoas, mesmo sofrendo de alergia, resfriado ou gripe comum, mantenham a etiqueta respiratória. Ou seja, mantenham distância de 1 metro de outros espirrando ou tossindo; ao tossir ou espirrar, utilizem o antebraço ou um lenço, que deve ser descartado; e lavem sempre as mãos após tossir ou espirrar, para evitar disseminar outros vírus no ambiente”, alerta.

Seguir estas regras também é importante pelo fato de que, de acordo com o mais amplo estudo já feito até agora sobre o novo coronavírus, realizado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China, 80% dos pacientes terão apenas sintomas leves.

No entanto, há evidências científicas de que até mesmo uma pessoa sem sintomas pode transmitir o vírus.

Família de modelo não acredita na versão de que ela se matou após atirar em delegado

Painel Político - https://revista.painelpolitico.com

Parentes de Priscila de Bairros disseram que ela e Paulo Bilynskyj queriam se casar em junho após se conhecerem pela internet. Ela morreu baleada e ele foi ferido em São Bernardo

A família da modelo morta, após ser baleada no apartamento de um delegado em São Bernardo do Campo, no ABC, não acredita na versão dada pelo namorado, de que ela atirou nele para tentar matá-lo e depois se suicidou. 

O caso ocorreu na manhã da última quarta-feira (20) e é investigado pela Polícia Civil como tentativa de assassinato e suicídio

A modelo Priscila de Bairros tinha 27 anos e morreu após chegar ferida com um tiro no peito no hospital. O delegado Paulo Bilynskyj tem 33 anos foi baleado na mão, fígado, tórax e bacia, mas sobreviveu. Passou por cirurgia e até a publicação desta matéria continuava internado. 

A versão apresentada pelo delegado é de que a namorada atirou nele, quando este saía do banho, após ter visto mensagem no celular dele de uma ex-namorada. Familiares da modelo, no entanto, não acreditam nessa hipótese. 

“Não. Não acreditamos. A família não acredita [na versão de que ela se matou e atirou no namorado]”, disse um parente de Priscila que pediu para não ser identificado. 

Além de delegado, Paulo é instrutor de tiro e faz sucesso na internet com vídeos e fotos de operações policiais em suas redes sociais. Um de seus canais tem 350 mil inscritos. 

Em algumas fotos pessoais na web, Priscila também aparece empunhando armas. Mas segundo parentes dela, o primeiro contato com armas que ela teve foi com Paulo e não tinha nem um mês de experiência com arma. 

Família

Segundo a família, esses seriam outros argumentos para não acreditar que a modelo pudesse tentar matar o namorado, mesmo após ver uma mensagem de uma ex-namorada no celular do delegado. 

“Primeiro pelo pouco tempo que ela teria de manuseio com arma. Não acredito que ela teria essa vontade de querer matar outra pessoa. Ela não gostava que maltratasse animal, ela preservava muito a vida, as relações”, completou o parente.

Priscila e Paulo se conheceram em dezembro do ano passado pela internet. Em fevereiro deste ano se encontraram no Paraná pela primeira vez. No final de abril, a modelo e o delegado resolveram morar juntos no apartamento dele na Avenida Francisco Prestes Maia, no Centro de São Bernardo. 

O imóvel fica no mesmo prédio onde reside o ex-presidente Lula. Segundo amigas de Priscila, o casal pretendia se casar em 5 de junho em São Bernardo do Campo. 

“Me parece que foi uma situação muito inusitada dizer que uma mensagem interceptada por ela de uma ex-namorada do doutor Paulo pudesse despertar nela uma ira ao ponto dela disparar todas essas vezes contra o doutor Paulo, e depois virar essa arma para o seu próprio peito e disparar um tiro mortal”, disse o advogado da família de Priscila, José Roberto Rodrigues da Rosa.

Armas

Laudo da perícia irá apontar se Priscila atirou mesmo contra Paulo. Uma arma foi encontrada próxima ao corpo da modelo pelos policiais militares que atenderam a ocorrência. Exames preliminares encontraram pólvora nas mãos dela. O delegado ainda não passou por exames e nem foi ouvido oficialmente. 

Eles foram chamados por um vizinho que escutou barulho de tiros no apartamento do delegado. 

A Polícia Civil analisa imagens de câmeras de segurança que mostrariam Paulo se arrastando até o elevador para pedir ajuda. 

A pistola, que teria sido usada no crime, foi periciada e apreendida, juntamente com mais cinco armas (outra pistola, dois fuzis, uma metralhadora e uma espingarda) e munições

Segundo a advogada de Paulo todas as armas são dele e estão legalizadas, com os registros entregues à polícia.

Casamento

“Aqui tá tudo certo. Tá muito bom ficar em casa e organizar as coisas do meu jeito. Agora, quarentena, os comércios tão tudo fechado. A gente queria comprar umas coisas novas pro apartamento”, gravou Priscila num áudio por WhatsApp para uma amiga. 

“Vamos casar em breve”, escreveu a modelo ainda no aplicativo por celular. 

Antes, porém, o casal pretendia visitar pais da modelo em Parobé, no Rio Grande do Sul, na sexta-feira (22) passada. 

“O Paulo tá muito ansioso para conhecer os meus pais, e aí a gente vai, vai pra lá. E amanhã, a princípio… amanhã, se der tudo certo, a gente vai marcar o casamento”, contou Priscila para amigas em mensagem de áudio pelo celular.

Paulo também chegou a mandar mensagem de voz para os futuros sogros sobre os planos de trazê-los para o casamento. “Sogrinha, ontem à noite, a gente comprou a passagem pra vocês virem, tá?”. 

Mas os planos do casamento foram interrompidos após tiros serem ouvidos no apartamento do casal na quarta-feira. Via G1

OMS suspende testes com cloroquina e hidroxicloroquina contra a Covid-19

Painel Político - https://revista.painelpolitico.com

A decisão se refere aos ensaios Solidariedade, iniciativa internacional com 100 países coordenada pela OMS para buscar tratamentos contra a doença

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou, nesta segunda-feira (25), que suspendeu temporariamente testes com a cloroquina e a hidroxicloroquina para tratar a Covid-19. A decisão foi tomada dentro dos ensaios Solidariedade, iniciativa internacional com 100 países coordenada pela OMS para buscar tratamentos contra a doença. 

O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que a suspensão foi determinada depois de um estudo publicado na sexta-feira (22) na revista científica “The Lancet”. A pesquisa, feita com 96 mil pessoas, apontou que não houve eficácia das substâncias contra a Covid-19 e detectou risco de arritmia cardíaca nos pacientes que as utilizaram. 

“Os autores reportaram que, entre pacientes com Covid-19 usando a droga, sozinha ou com um macrolídeo [classe de antibióticos da qual a azitromicina faz parte], estimaram uma maior taxa de mortalidade”, afirmou Tedros.

A OMS afirmou que o quadro executivo do Solidariedade, composto por 10 países, vai analisar dados disponíveis globalmente sobre as drogas, que são usadas para tratar malária e doenças autoimunes. 

“Eu quero reiterar que essas drogas são aceitas como geralmente seguras para uso em pacientes com doenças autoimunes ou malária”, destacou Tedros.

Ele afirmou, ainda, que os outros testes dos ensaios Solidariedade vão continuar – a suspensão refere-se apenas às pesquisas com a cloroquina e a hidroxicloroquina. 

A iniciativa internacional, lançada no dia 18 de março, já tinha 100 países participantes no dia 21 de abril, segundo a OMS. Nesta segunda-feira (25), a entidade anunciou que 35 países estão recrutando pacientes em mais de 400 hospitais ao redor do mundo para fazer parte dos estudos, Outras 3,5 mil pessoas de 17 países já estão participando das pesquisas. 

Uso no Brasil

Mesmo sem evidências científicas que comprovem a eficácia dos medicamentos contra a Covid-19, o Ministério da Saúde emitiu, na semana passada, um documento que recomenda o uso deles, no SUS, para a doença. A recomendação inicial, lançada sem assinatura, teve modificações e foi republicada. 

A recomendação das substâncias sem prova de que elas funcionavam contra o novo coronavírus foi motivo de discórdia entre dois ex-ministros da Saúde e o presidente Jair Bolsonaro. Tanto Luiz Henrique Mandetta quanto Nelson Teich, ambos médicos, alertaram para os efeitos colaterais dos remédios, mas, mesmo assim, Bolsonaro defendeu o uso deles para a Covid-19. Via G1.