Ação contra exploração sexual prende mulher e interdita motéis e casas de prostituição em GO

Quatro motéis não tinham alvará de funcionamento; em um deles, foi encontrada uma menor. Delegada diz que bares de fachada funcionam como pequenos prostíbulos

Operação da Polícia Civil contra exploração sexual em parceria com outros órgãos interditou na madrugada desta sexta-feira (20) quatro motéis e cinco casas de prostituição em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. Além disso, uma mulher, dona de um dos prostíbulos, foi presa em flagrante.

Além da polícia, também integraram a ação o Juizado da Infância e Juventude, Conselho Tutelar e Secretaria de Regulação Urbana de Aparecida. Cerca de 30 policiais atuaram nas diligências.

A delegada regional da cidade, Cybelle Tristão, disse que uma mulher foi detida em flagrante por manter estabelecimento para fomento de exploração sexual.

“No momento em que chegamos, havia um casal – sendo um homem e uma prostituta – que nos relatou que esta mulher alugava os quartos para prática de programas. O crime é inafiançável e tem pena de até 5 anos em caso de condenação”, disse ao G1.

Casa de shows é fiscalizada durante operação contra exploração sexual (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Motéis e prostíbulos
Ainda de acordo com a delegada, os quatro motéis interditados não tinham alvará de funcionamento. Um deles também foi autuado depois que a polícia encontrou uma menor, de 16 aos, no local.

Já as casas de prostituição interditadas funcionavam, conforme Cybelle, como “motéis clandestinos”. “Esses locais são registrados como bares e casas de eventos, mas na verdade casas de prostituição. Tem uma fachada de bar e retiram licença na prefeitura para tal, mas atrás têm vários quartos”, pontua.

A delegada explica que a atuação contra a exploração sexual implica, paralelamente, no combate a outros crimes.

“É importante salientar que a atuação veemente neste pequenos pontos tem auxiliado na repressão a outros delitos que estão interligados, como o tráfico de drogas, por exemplo”, detalha.

Fonte: g1/go

Deixe um comentário