Acusado de ter recebido R$ 1 milhão em propina, Raimundo Carreiro é eleito presidente do TCU

Ministro foi citado em delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato pelo dono da empreiteira UTC; ele nega qualquer irregularidade

O plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) elegeu nesta quarta-feira (7) o ministro Raimundo Carreiro para a presidência do órgão. O vice-presidente eleito é o ministro José Múcio. O mandato de presidente e vice é de um ano, com a possibilidade de uma recondução, com mandato pelo mesmo período.

Em julho do ano passado, o dono da empreiteira UTC, Ricardo Pessoa, um dos delatores da Operação Lava Jato, disse ter repassado R$ 1 milhão a Tiago Cedraz, filho do ex-presidente do TCU Aroldo Cedraz. A quantia, segundo Pessoa, deveria chegar ao ministro Raimundo Carreiro.

Recentemente a Polícia Federal chegou a pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a quebra do sigilo bancário e fiscal de Raimundo Carreiro, Aroldo Cedraz e de Tiago Cedraz.

Os três negam qualquer irregularidade ou recebimento de propina. Raimundo Carreiro, inclusive, colocou à disposição os sigilos bancário, fiscal e telefônico durante depoimento à Polícia Federal, segundo a assessoria do TCU.

Após a eleição, Carreiro afirmou que tem como meta racionalizar os métodos de trabalho do TCU e “fazer mais com menos”. A posse dos ministros está marcada para o dia 14 de dezembro.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário