Após citação de Toffoli, PGR suspende delação de Léo Pinheiro

Empreiteiro citou ministro do STF em delação; PGR argumenta que “houve quebra de sigilo”

A revista Veja publicou em sua edição deste fim de semana que o empresário Léo Pinheiro, da OAS, havia feito alguns “favores” ao ministro do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli. As informações constavam em seu depoimento de delação premiada e caíram como uma bomba em Brasília.

Pinheiro foi condenado a 16 anos de prisão pelo juiz federal Sérgio Moro e tentava, com o acordo, reduzir o tempo da pena. Porém, nesta segunda-feira o jornal O Globo informou que o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot suspendeu o acordo alegando que “com vazamento de informação, houve quebra de confidencialidade”.

A informação não foi oficialmente confirmada, o jornal afirma que quem repassou foi “uma fonte que acompanha o caso de perto”. O blog O Antagonista confirmou agora à tarde com outra fonte.

Esse foi o primeiro acordo de delação premiada cancelado desde que a operação começou, e acredita-se que tenha ocorrido em função da citação de Dias Toffoli e outros ministros.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário