Maiores fortunas do Brasil perdem US$ 6,2 bi com crise de Temer

Maiores fortunas do Brasil perdem US$ 6,2 bi com crise de Temer

A nova crise política no Brasil esmagou o valor de ativos brasileiros e custou às dezesseis pessoas mais ricas do país US$ 6,2 bilhões na quinta-feira, de acordo com o Índice Bloomberg Billionaires.

Ações, títulos e o real caíram após o jornal O Globo ter noticiado suposto aval de Michel Temer para compra do silêncio de Eduardo Cunha.

(Bloomberg) (Bloomberg)

O Ibovespa caiu 8,8 por cento e o real teve a maior queda desde 2008. A queda reduziu os ganhos acumulados no ano dos dezesseis bilionários de 15,8 por cento na terça-feira para 10,6 por cento. Apesar da crise, Temer disse em pronunciamento que não vai renunciar.

O bilionário Joseph Safra, fundador do Banco Safra, sofreu a maior perda, de mais de US$ 1 bilhão. Jorge Lemann, a pessoa mais rica do Brasil e um dos três parceiros bilionários por trás da empresa de private equity 3G Capital, perdeu US$ 930 milhões.

Juntos, os bilionários por trás da 3G, que controla a maior cervejaria do mundo, a Anheuser-Busch InBev NV, perderam um total combinado de US$ 1,8 bilhão.

O único bilionário brasileiro que teve aumento no patrimônio líquido na quinta-feira foi o co-fundador do Facebook, Eduardo Saverin, que adicionou US$ 159 milhões com a alta de 1,9 por cento das ações da empresa.

O índice Bloomberg é um ranking diário das 500 pessoas mais ricas do mundo, que possuem US$ 4,8 trilhões.

Fonte: exame.com

China intercepta avião militar dos EUA em águas internacionais

China intercepta avião militar dos EUA em águas internacionais

Dois caças chineses interceptaram um avião militar dos Estados Unidos no Mar do Sul da China, informaram nesta sexta-feira as Forças Armadas americanas, que descreveram o encontro como “não profissional”.

As aeronaves, do modelo Sukhoi-30, se aproximaram de um avião de vigilância WC-135 da Força Aérea dos Estados Unidos, em território internacional, nesta semana. Os dois países mantém conversas em privado para tratar do assunto e uma investigação militar americana é conduzida.

O ministério de Relações Exteriores da China divulgou nota em que confirma as atividades “próximo do território chinês, o que pode ter levado a algum erro de cálculo entre as partes”. “A reação foi considerada não profissional dadas as manobras do piloto da China e a velocidade de aproximação dos caças”, afirmou a coronel Lori Hodge, porta-voz da Força Aérea dos Estados Unidos.

A região do Mar do Sul da China é foco de conflitos internacionais, já que além de ter soberania reivindicada pelos chineses é disputada por Brunei, Malásia, Filipinas e Vietnã. A China, por sua vez, acusa os Estados Unidos de conspirarem contra o seu comando na região.

O WC-135 é usado para identificar radiação nuclear em tempo real, de acordo com documentos militares, ao capturar partículas no ar. No passado, a aeronave já foi usada para investigar evidências de testes nucleares norte-coreanos.

Tanto Pequim quanto Washington estão alertas para a possibilidade de novos treinamentos da Coreia do Norte, após uma série de testes balísticos este ano. Em janeiro, o ditador Kim Jong-un indicou que pretende desenvolver um míssil capaz de levar uma ogiva até os Estados Unidos.

Fonte: veja.com

MP-RO apura funcionamento do Uber, diz que é opção de mobilidade e que serviço é de caráter privado

MP-RO apura funcionamento do Uber, diz que é opção de mobilidade e que serviço é de caráter privado

O Ministério Público de Rondônia, por meio da Promotoria de Justiça do Consumidor, instaurou procedimento preliminar para apurar o funcionamento, em Porto Velho, da empresa Uber do Brasil Tecnologia LTDA, cujas atividades, iniciadas recentemente, têm sido alvo de polêmicas, havendo registros, inclusive, de atos de vandalismo.

A medida foi adotada pela Promotora de Justiça Daniela Nicolai de Oliveira Lima, considerando a legislação acerca do direito do consumidor e os episódios de vandalismo praticados por pessoas contrárias à operação do serviço na cidade.

Na portaria em que instaura o procedimento, o MP afirma que a ordem econômica nacional é regida pelos princípios constitucionais da livre iniciativa, livre concorrência e de defesa do consumidor, contemplando, ainda, as liberdades de empresa, de modelos de negócios promovidos pela internet, de trabalho e de escolha do consumidor.

O Ministério Público ressalta que o transporte individual de passageiros, prestado por motoristas particulares, cadastrados em aplicativos, é realidade social de aspecto globalizado, que não tardou a ser percebida e procurada pelos consumidores mundialmente, pois trouxe uma nova opção de mobilidade urbana aos usuários, atraídos pela comodidade, preço e simplicidade do aplicativo, com a ampliação do leque de escolhas do consumidor.

Ainda no documento, o MP menciona que jurisprudência consolidada estabeleceu entendimento no sentido de que o transporte individual de passageiros, prestado por motoristas particulares, cadastrados em aplicativos (Uber-X), possui natureza jurídica de atividade privada. Portanto, diversa da atividade pública de transporte individual de passageiros, prestado por taxistas.

Ao instaurar o procedimento, o Ministério Público requisitou uma série de providências de órgãos públicos municipais e estaduais. À Secretaria Municipal de Trânsito, por exemplo, solicitou que encaminhe, no prazo de 15 dias, posicionamento sobre atuação da empresa na Capital. Também requisitou que Assembleia Legislativa e Câmara Municipal encaminhem cópias das audiências públicas realizadas para tratar da implantação do Uber na cidade, entre outras providências.

Fonte: rondoniagora

Advogado, estudante de direito e comerciante são presos por pedofilia em MS

Advogado, estudante de direito e comerciante são presos por pedofilia em MS

Um advogado, um estudante de direito e um comerciante foram presos em flagrante nesta quinta-feira (18), em Campo Grande, em ação da Polícia Federal (PF) contra pedofilia. Contra eles havia mandado de busca e apreensão e os policiais encontraram imagens de pornografia infantil nos computadores.

De acordo com a PF, um dos investigados compartilhava imagens pornográficas no momento em que os policiais chegaram para fazer as buscas.

As prisões foram feitas no bairro Guanandi, Chácara Cachoeira e Vila Carvalho, após três meses de investigações. Ao todo, foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão, todos na capital sul-mato-grossense. Um deles foi na casa de um professor que trabalha com crianças e adolescente. No local, a polícia encontrou vasto material de imagens pornográficas, mas o professor não estava na casa.

Segundo o delegado Marcelo Alexandrino, não existe um perfil em comum entre os pedófilos.

“O crime de pedofilia não tem sexo, cor ou classe social. Pedófilo não tem perfil, pode ser seu vizinho, seu amigo. Na última operação, falei que ia bater na porta de quem tivesse compartilhando material pornográfico e que traria preso. Desse vez fomos em 10 casas e arrastamos três presos. Da próxima vez, espero aumentar ainda mais o número de prisões de quem estiver praticando esse crime”, ressaltou.

Ele ainda reforçou o alerta para as famílias de que os crimes sexuais geralmente ocorrem em ambiente familiar.

“A grande prevenção é não confiar em ninguém, porque o pedófilo pode ser gente conhecida, um parente ou alguém de confiança. E, em casos de desconfiança, denuncie. Não é vergonha denunciar nem ser vítima”, afirmou.

O delegado da PF Cléo Mazzotti ressaltou a importância da denúncia.

“É fundamental e a Polícia Federal tem dado importância às denúncias. Vários trabalhos nossos são oriundos de denúncias da sociedade. É importante que a sociedade confie nas instituições, temos ferramentas e aprimoramos para combater os crimes, mas precisamos das denúncias”, finalizou Mazzotti.

Os presos ainda serão ouvidos pela PF e todo o material apreendido será encaminhado para perícia. A princípio, um deles confessou a prática de armazenamento de material pornográfico.

Operação nacional

A PF faz a ação antipedofilia em Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e mais 16 estados nesta quinta-feira (18), data instituída como Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. O objetivo é apreender material e objetos relacionados ao compartilhamento e a posse de imagens e vídeos de pornografia infantil.

Durante as investigações, a PF identificou diversos usuários que baixavam e compartilhavam arquivos com imagens e vídeos de cunho pornográfico infanto-juvenil. Os suspeitos utilizavam softwares para compartilhamento de arquivos com usuários de todo o mundo, e ainda Intagram. Twitter, Facebook e outros.

Para todo o país foram expedidos 93 mandados de busca e apreensão. A Justiça também autorizou duas prisões preventivas (por tempo indeterminado) e uma condução coercitiva, quando o suspeito é levado a depor.

Os investigados podem responder por posse e compartilhamento de arquivos de pornografia infantil, com penas previstas que variam de 1 a 6 anos de prisão.

Segundo a PF, a operação foi batizada em homenagem a Araceli Cabrera Sánchez Crespo, uma menina brasileira de 8 anos que foi sequestrada, violentada e assassinada em 18 de maio de 1973. Posteriormente, a data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”.

As ações ocorrem no Acre, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo.

Fonte: g1/ms

Serial killer é condenado a 25 anos de prisão por morte de garota de programa em GO

Serial killer é condenado a 25 anos de prisão por morte de garota de programa em GO

O vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 29 anos, foi condenado a 25 anos de prisão pela morte da garota de programa Taís Pereira de Almeida, de 20 anos, após júri popular nesta quinta-feira (18), em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. O crime ocorreu em março de 2014, na avenida Nossa Senhora de Lourdes. Esta é a 28ª condenação dele, que já passou por 30 julgamentos.

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) denunciou que Tiago estacionou sua moto, foi em direção à vítima e disparou na cabeça dela. O promotor Milton Marcolino dos Santos Júnior pediu que o réu fosse condenado por homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e por impossibilitar defesa da vítima, mas não arrolou nenhuma testemunha.

Já a defesa de Tiago, os advogados José Patrício Júnior e Antônio Celedonio Neto, pediram a semi-imputabilidade dele, alegando que ele não pode ser considerado “uma pessoa normal”. Além disso, alegaram que não havia provas suficientes para comprovar que a vítima foi morta pelo vigilante.

No entanto, o júri reconheceu que Tiago foi o autor do homicídio e manteve as qualificadoras pedidas pelo MP-GO.

O vigilante, apontado como responsável por mais de 30 assassinatos, está preso desde outubro de 2014. Dos 30 julgamentos a que ele já foi submetido, foi condenado em 28. Em outras duas situações, ele foi inocentado.

Crime

Durante audiência na 4ª Vara Criminal de Aparecida de Goiânia, em agosto de 2015, o promotor Milton Marcolino dos Santos Júnior afirmou que o caso já havia sido arquivo pelo delegado responsável, Rogério Moreira Bicalho Filho, por falta de provas.

No entanto, quando Tiago assumiu ter cometido uma série de homicídios em Goiânia, o delegado pediu que fosse realizado um exame de balística, que comprovou que a arma usada pelo acusado era a mesma que matou Tais de Almeida.

“Não existe nenhuma dúvida de que quem cometeu o homicídio foi o próprio Tiago. O exame é uma prova extraordinária que comprova de forma inequívoca que o projétil retirado do corpo vítima foi expelido pela arma que foi apreendida com o Tiago. Logo depois que foi feito esse exame pericial, ele foi chamado para ser ouvido e falou que não se lembrava”, afirmou o promotor na época.

Livro

Tiago Henrique vai lançar um livro sobre os crimes cometidos e sua conversão espiritual. Com o título “Tiago Rocha: Um pouco da história por trás de um serial killer”, a obra foi escrita na cadeia, onde está preso desde 2014, e deve ficar pronta no próximo mês de junho. O material, que já foi reunido e encaminhado para uma gráfica, deixou as famílias das vítimas revoltadas.

Para realizar o trabalho, o vigilante contou com o apoio do padre Luiz Augusto Ferreira da Silva, apontado como servidor fantasma da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).

Fonte: g1/go

Planalto desconfia que gravação de Joesley foi editada e envia áudio de Temer a peritos

Delações da JBS podem gerar novos inquéritos em 5 estado e no DF

O Planalto decidiu enviar a peritos a gravação feita pelo empresário Joesley Batista, da JBS, com o presidente Michel Temer. Auxiliares do peemedebista desconfiam que a conversa foi editada. Comprovada a existência de montagem nos áudios, o governo vai reforçar a tese de que Temer foi vítima de uma “conspiração”, como ele próprio disse a aliados inicialmente. O grampo foi feito por Joesley antes de ele e executivos de seu grupo fecharem acordo de delação com a Lava Jato

Palacianos vão, ainda, reforçar o discurso de que o grampo foi ilegal, feito sem autorização da Justiça. E questionarão a decisão a Procuradoria-Geral da República de validá-lo

Por volta das 18h desta quinta-feira (18), ministros e aliados de Temer se reuniram aos cantos, em pequenos grupos, na antessala do gabinete presidencial, para ouvir em celulares e notebooks o grampo de sua conversa com Joesley.

Nomes do PSDB minimizaram o conteúdo da gravação diante da plateia governista. Decidiriam porém, a sós, à noite, o rumo do partido. Se houver desembarque, será conjunto. E terá efeito cascata.

Ala do tucanato defende o nome do senador Tasso Jereissati (CE) para suceder Temer na Presidência, caso ele deixe o Planalto e haja eleição indireta. A tese tem simpatia em nomes da oposição, especialmente pela projeção de que, com a jurisprudência que o STF tem hoje, só pessoas com filiação partidária e desincompatibilizadas de cargos públicos poderiam disputar. Rodrigo Maia (DEM-RJ) também é opção..

Fonte: folha.com

Operação prende quadrilha que roubava carros e mantinha vítimas em cárcere privado, em RO

Operação prende quadrilha que roubava carros e mantinha vítimas em cárcere privado, em RO

Cinco, de nove integrantes, de uma quadrilha que atuava na região do distrito de Jaci-Paraná foram presos por policiais da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio nesta quinta-feira (18), em Porto Velho. Dois policiais, que facilitavam a atuação da quadrilha, foram afastados da função. A operação levou o nome de “Espada de Dâmocles”.

Em uma enrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (18), na Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio, os delegados André Tiziano, Rosilei de Lima e Raimundo Mendes anunciaram a prisão de cinco integrantes de uma quadrilha que atuava na regiãi de Jaci Paraná.

Os criminosos, segundo a delegada Rosilei de Lima, agiam sempre da mesma forma.

”Eles escolhiam as fazendas que seriam roubadas, as invadiam e faziam as vítimas reféns e depois levavam os veículos e as vítima em cárcere. Mantinham essas vítimas no meio do mato em cárcere a madrugada toda enquanto os veículos eram atravessados na balsa do Abunã com destino a Bolívia onde seriam comercializado e trocados por drogas”, aponta.

A delegada ressalta que o ponto forte da quadrilha estava no forte armamento.

“Algumas ações desse grupo criminoso foram frustradas e alguns veículos foram recuperados. E nesse meio tempo estávamos investigando a atuação dessa quadrilha em face da periculosidade do armamento que eles utilizam”.

Além dos integrantes do grupo, também foram afastado dois policiais que atuavam como facilitadores na ação dos criminosos, diz a delegada.

”Foi pedido na justiça o afastamento da função de três policiais e o juiz entendeu que pelo afastamento de dois policias do distrito, um de Jaci e o outro de Nova Mutum, onde atuava a quadrilha, esses policiais militares vinham facilitando a atuação dessa quadrilha”, conta.

Sobre os outros quatros criminosos que ainda não foram presos, a delegada conta que já existe pistas do paradeiro deles em estados vizinhos.

“Alguns foragidos estão para Goiás e outros em Mato Grosso. Eles se pulverizaram nos últimos tempo exatamente para fugir da atuação da polícia. A quadrilha é bem grande, mas conseguimos contar nove pessoas”, explica.

Foram 17 mandatos e cinco prisões cumpridos nesta quinta-feira. O delegado André Tiziano explica sobre os como sucedeu as prisões.

“Dos resultados foi possível efetuar a prisão de cinco destinatário dos mandados e cumpriu assim sete mantados de prisão preventiva. Porque um deles tinha contra si três mandatos. Nesse contexto ainda tem outros quatro pessoas que são foragidas de justiça”, afirma.

Segundo informação passada na coletiva a operação teve a atuação de 49 policiais envolvidos entre as unidades de Porto Velho, Nova Mamoré e Guajará Mirim com atuação de nove delegados, 10 escrivães e 40 agentes de policias.

Fonte: g1/ro

Secretário de MT pede desculpas a deputada após compartilhar foto dela de camisola

Secretário de MT pede desculpas a deputada após compartilhar foto dela de camisola

Por meio de nota divulgada nessa quarta-feira (17), o secretário de Comunicação de Mato Grosso, Kléber Lima, pediu desculpas à deputada estadual Janaína Riva (PMDB) por ter compartilhado uma foto dela de camisola por meio do WhatsApp no último domingo (14), após exibição de reportagem do Fantástico sobre grampos clandestinos feitos pela Polícia Militar em Mato Grosso.

A parlamentar, uma das vítimas das escutas telefônicas, registrou boletim de ocorrência contra o secretário na Delegacia da Mulherpelos crimes de injúria, difamação e constrangimento moral. Na imagem compartilhada, Lima comentou: “Quem iria invadir a privacidade da ilustre deputada, se ela mesma o faz?!”

A Procuradoria Geral da República investiga se o governador Pedro Taques (PSDB), contra quem Janaina Riva faz oposição na Assembleia Legislativa, sabia da existência dos grampos. A PGR apura ainda de quem partiram as ordens para as escutas.

“Reconheço que a foto não guarda qualquer relação com a denúncia de que a deputada teria sido interceptada ilegalmente – denúncia esta grave, que deve ser apurada com o rigor necessário, como já determinou o governador Pedro Taques, no âmbito do Governo do Estado, e outras autoridades de demais poderes e órgãos de controle”, disse o secretário na nota.

Lima pediu desculpas também a ‘todas as mulheres que se sentiram ofendidas com o fato’ e à Assembleia Legislativa. Porém, diz que não foi ele quem tirou a foto, que não a ‘vazou’ ou publicou, e afirma que não cometeu crime algum.

Procurada, a assessoria da deputada disse que vai manter a queixa feita contra o secretário. Uma audiência entre as partes está marcada para o dia 2 de junho.

Grampos
Mesmo sem indício de participação nos crimes, médicos, jornalistas, advogados, políticos e servidores públicos tiveram os telefones grampeados a pedido da Polícia Militar durante uma investigação sobre PMs que estariam envolvidos com tráfico de drogas. A autorização para a interceptação foi dada pela Justiça.

Além da PGR, que foi acionada pelo promotor Mauro Zaque – que foi secretário de Segurança do governo Taques em 2015 -, também foram abertas investigações internas pela Polícia Militar de Mato Grosso e pelo Tribunal de Justiça do estado.
Fonte: g1.com

Bolsa sobe e dólar opera em queda após pânico com Temer

O dólar abriu em queda de cerca de 2% nesta sexta-feira, cotado a 3,121 reais, após despencar com o pânico da véspera que tomou conta dos mercados financeiros brasileiros diante da repercussão negativa às denúncias envolvendo o presidente Michel Temer.

Já o Ibovespa, principal índice acionário brasileiro, subia pouco mais de 1% nos primeiros negócios desta sexta-feira. Às 09h10, o contrato para junho do Ibovespa tinha alta de 1,27%, a 62.280 pontos, depois de abrir com valorização de cerca de 3%.

Na véspera, o Ibovespa desabou 8,8%, com o pânico deflagrado após notícias de que Joesley Batista, um dos controladores do frigorífico JBS, gravou Temer concordando com pagamentos para manter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha.

Na conversa, Joesley Batista confessou ter pago propina a um procurador da República para ter acesso antecipado a investigações que o envolvia, reclamou de nomeações para cargos importantes no governo, defendeu uma queda mais acentuada da taxa Selic e disse que “zerou” as pendências com Cunha.

O mecanismo de circuit breaker chegou a ser acionado na véspera, interrompendo os negócios por 30 minutos, algo que não acontecia desde outubro de 2008.

Fonte: exame.com

Em carta, Joesley Batista pede desculpas: ‘O Brasil mudou’

O dono do grupo JBS, Joesley Bastista, enviou uma carta na noite desta quinta-feira pedindo desculpas “a todos os brasileiros” e reconhecendo os erros ao “interagir em diversos momentos com o poder público brasileiro”. Os executivos da maior produtora de proteína animal do mundo decidiram fechar um acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República após a holding entrar na mira de pelo menos cinco operações policiais — Greenfield, Sépsis, Cui Bono, Bullish e Carne Fraca. No âmbito da colaboração, que já foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), sete empresários, incluindo Joesley, gravaram diálogos embaraçosos com o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), entre outros.

“O Brasil mudou, e nós mudamos com ele. Por isso estamos indo além do pedido de desculpas”, diz a carta assinada por Joesley. No texto, o empresário afirma que a JBS foi “levada” a pagar propina para agentes públicos devido ao “espírito empreendedor e a imensa vontade de realizar”. Ele prossegue dizendo que assumiu um compromisso público de ser “intolerante e intransigente com a corrupção” e que está disposto a “expor com clareza” o sistema corrupto do Estado brasileiro.

“Ainda que nós possamos ter explicações para o que fizemos, não temos justificativas. Em outros países fora do Brasil, fomos capazes de expandir nossos negócios sem transgredir valores éticos”, escreveu o empresário.

A JBS emprega mais de 270.000 funcionários no mundo, tem unidades em mais de 20 países e controla as marcas Friboi, Seara, Swift, Pilgrim’s, entre outras, segundo informações da própria empresa. O clã Batista, que controla a holding, já apareceu na lista das famílias mais ricas do Brasil e o conglomerado é um dos maiores financiadores de campanhas políticas no país.

Confira a carta na integra:

Erramos e pedimos desculpas.

Não honramos nossos valores quando tivemos que interagir, em diversos momentos, com o Poder Público brasileiro. E não nos orgulhamos disso.

Nosso espírito empreendedor e a imensa vontade de realizar, ​quando deparados com um sistema brasileiro que muitas vezes cria dificuldades para vender facilidades, nos levaram a optar por pagamentos indevidos a agentes públicos.

Ainda que nós possamos ter explicações para o que fizemos, não temos justificativas.

Em outros países fora do Brasil, fomos capazes de expandir nossos negócios sem transgredir valores éticos.

Assim construímos um grupo empresarial gerador de mais de 270 mil empregos diretos, com times extraordinários e competentes, que operam 300 fábricas em cinco continentes e oferecem mundialmente produtos de qualidade.

O Brasil mudou, e nós mudamos com ele. Por isso estamos indo além do pedido de desculpas. Assumimos aqui um Compromisso Público de sermos intolerantes e intransigentes com a corrupção.

Assinamos acordos com o Ministério Público. Concordamos em participar de alguns dos mais incisivos mecanismos de investigação existentes e nos colocamos à disposição da Justiça para expor, com clareza, a corrupção das estruturas do Estado brasileiro. Pedimos desculpas a todos os brasileiros e a todos que decepcionamos, que acreditam e torcem por nós. Enfrentaremos esse difícil momento com humildade e o superaremos acordando cedo e trabalhando muito.

Joesley Batista

J&F Investimentos

Fonte: veja.com