Batista suspeitava que seu advogado repassava informações de seu processo para o governo

José Batista da Silva alegou, na Polícia Federal, que seu advogado estaria repassando detalhes de seu depoimento para o advogado do governador, José de Almeida

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Porto Velho – Em 14 de abril deste ano, o ex-secretário adjunto de Saúde, José Batista da Silva esteve na Superintendência da Polícia Federal onde afirmou que seu advogado à época, Robson Magno Casula, que também advogava para o auditor fiscal José Sérgio Campos, estaria repassando informações de seu processo para o advogado do governador Confúcio Moura, José de Almeida Júnior.

José Sérgio Campos é acusado de ter pago propina ao cunhado de Confúcio, Francisco de Assis, em troca de receber uma indenização milionária do Estado. Segundo Batista, no dia 3 de abril deste ano, ele (Batista) teria telefonado para seu advogado e foi informado pelo assistente do mesmo, que naquele momento ele não poderia atender, pois estava em “reunião de portas fechadas com José Sérgio Campos e José de Almeida Júnior”. Minutos depois o advogado teria retornado a ligação e disse a Batista que “estava no shopping fazendo uma refeição e depois iria procurá-lo”.

Cerca de meia hora depois, Batista encontrou Robson, e este lhe informou que “toda a orientação era atribuir a responsabilidade ao depoente”, ou seja, tanto Sérgio Campos quanto pessoas ligadas ao cunhado do governador, iriam dizer que Batista havia sido o responsável pelo recebimento e articulação do pagamento de propinas. De acordo com Batista, José Sérgio Campos pagou quatro parcelas de R$ 190 mil ao cunhado do governador para ter sua indenização liberada.

Dias depois, em 9 de abril, o advogado teria enviado mensagem de texto a Batista, informando que não tinha mais interesse em representa-lo na defesa da Operação Termópilas (2011). No dia 14, o advogado teria telefonado a Batista perguntando sobre a audiência que ele teve na superintendência. Desconfiado, Batista retornou a polícia e contou esses detalhes, afirmando ainda, segundo ele, que o advogado teria “mudado de atitude”. Batista então pediu proteção policial, pois temia que, caso seus depoimentos vazassem (o que aconteceu no segundo turno da campanha eleitoral), ele poderia ser morto.

batpf

Almeida é cunhado de Valdir Raupp

Pelo visto ser cunhado de governador do PMDB é sinônimo de arranjar problemas. José de Almeida Júnior, atualmente advogado de Confúcio Moura, é cunhado do senador Valdir Raupp de Mattos, e foi chefe da Casa Civil no governo Raupp, e também se meteu em encrencas. Em 2010 Almeida foi condenado pelo juiz Edenir Sebastião Albuquerque da Rosa, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Velho, a ressarcir os valores correspondentes a passagens concedidas pelo Estado a várias igrejas evangélicas e também à Igreja Católica. Foram beneficiadas com passagens aéreas a Assembléia de Deus, Associação de Homens de Negócios do Evangelho Pleno, Igreja Adventista de Ariquemes, Igreja Metodista Wesleyana da 4ªRegião Eclesiástica, Convenção Estadual dos Ministros das Assembléias de Deus do Estado de Rondônia – Cemaderon, Igreja do Evangelho Quadrangular e Comissão Arquideocesana da Pastoral Familiar de Porto Velho, ligada à Igreja Católica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *