O fato aconteceu em 2012 quando a cliente do Banco utilizou o cartão de credito e esperou a fatura chegar em sua casa como de costume. Ao perceber que o documento não chegava, ela foi ao banco quitar a divida de R$ 367,44.

Ao conversar com a gerente do banco, ficou acertado que a cliente pagaria apenas R$ 210,00 para sanar a dívida. De acordo com ela, a gerente negou o recibo da conta alegando que a quitação seria automática. Após alguns dias a consumidora tentou realizar novas compras, e teve seu crédito negado e o nome inserido no rol dos devedores. Foi então procurar a gerente,  que disse que teria calculado errado a conta  e a cliente teria que realizar o complemento do restante da dívida.

Ao se sentir lesada, entrou com processo alegando danos morais. O julgamento sentenciou o banco a pagar o valor de R$ 4 mil devendo a correção monetária e os juros de 1% incidirem a partir da data da presente sentença e as custas  processuais e nos honorários advocatícios, que fixo em 10% sobre o valor da condenação.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário