Briga na câmara é no mínimo, quebra de decoro e merece punição

A discussão sobre um projeto de resolução, inconstitucional, diga-se de passagem, que trata do fim do voto secreto na Câmara de Vereadores, terminou em bate-boca e tapas na cara na sessão da última terça-feira (22). Os vereadores Edmilson Lemos e Léo Moraes, trocaram xingamentos, empurrões e por fim, o pai de Léo, o ex-vereador Paulo Moraes, deu um tapa no rosto de Edmilson dentro do plenário, pondo fim a uma discussão que teria iniciado ainda pela manhã.

Próximo ao meio-dia, o vereador Edmilson foi abordado por Paulo Moraes nos corredores da Câmara e começaram uma discussão. Paulo dizia que Edmilson estava tentando manobras escusas para não permitir a aprovação do projeto e começaram a bater boca. Para encerrar a discussão, o vereador disse, “não sei nem o que estou fazendo aqui, perdendo meu tempo discutindo com você Paulo, que sequer é assessor dessa casa e passa o dia aqui, arrumando confusão com todo mundo”.

Durante a sessão plenária, Léo Moraes, que é filho de Paulo, em discurso, afirmou que Edmilson era contra o projeto, e como o plenário estava cheio de estudantes, todos aplaudiram Léo e passaram a vaiar Edmilson, que sentindo-se ofendido também fez um discurso duro, acusando Léo e “um grupo de quatro ou cinco vereadores que são candidatos em 2014” de estarem fazendo manobras meramente politiqueiras.

Paulo Moraes levantou-se e passou a xingar Edmilson. A partir daí, Léo também entrou na discussão e começou um bate-boca. O vereador Eduardo Rodrigues retirou Léo do plenário e a discussão continuou entre Paulo e Edmilson. Em determinado momento, Paulo deu dois tapas no rosto do vereador, alegando que o mesmo teria xingado Léo de “filho da put*”.

O incidente é grave. As casas legislativas são para discutir idéias, projetos e promover debates, não brigas e ofensas. Houve no mínimo quebra de decoro, e ambos deveriam ser cassados, tanto Léo quanto Edmilson. Se eles não tem maturidade suficiente para ocupar uma cadeira no parlamento, melhor arrumarem outra coisa para fazer. Fica a pergunta, qual vai ser o próximo passo, vão sacar armas e trocar tiros no plenário?

 

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário