Cachuela Esperanza se perde em incêndio na Bolívia

Incêndio teve início na tarde desta quinta-feira

O patrimônio histórico de Cachuela Esperanza, vilarejo situado a 43 quilômetros de Guayara-Merin está se perdendo em um incêndio que teve início na tarde desta quinta-feira, informa a edição digital do jornal boliviano La Razón.

O local, que teve seu auge entre os anos de 1872 a 1920, durante o ciclo da borracha e era um seringal que pertencia ao magnata da borracha , Nicolás Suárez e durante seu auge tinha todos os avanços de uma cidade moderna.

Suarez construiu no local um teatro, aos moldes do Teatro Amazonas, quadra de tênis, tribunais e um hotel de luxo com vista para as corredeiras, além de um hospital moderno conduzido por médicos alemães especializados em doenças tropicais. Cachuela recebeu o primeiro aparelho de Raio- X da Bolívia e lá pousou o primeiro hidroavião , que trouxe milionários de Rio de Janeiro e São Pauloque visitavam o local.

Quando a borracha foi substituída em 1920 por compostos de borracha sintética , o valor estratégico de Cachuela Esperanza diminuiu, e, finalmente, com a revolução boliviana de 1952 transformou-se numa pequena aldeia na selva de pouca importância.

Um trabalho de restauração de alguns dos poucos prédios que restaram estava em andamento, mas as obras foram paralisadas por falta de recursos. Galpões onde moravam os trabalhadores, a mansão de Nicolás Suárez e o teatro ainda estavam em pé, mas o incêndio desta tarde, ao que parece, coloca um fim melancólico ao patrimônio histórico. É mais uma parte da história amazônica que se perde em função do descaso das autoridades.

Incêndio destrói o que restou do patrimônio histórico de Cachuela Esperanza
Incêndio destrói o que restou do patrimônio histórico de Cachuela Esperanza

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *