Cade convoca gigantes em investigação sobre publicidade do Google

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) vai aprofundar as investigações sobre se o Google tem prejudicado seus concorrentes no bilionário mercado de buscas patrocinadas na internet – aqueles links que aparecem com uma tarja “anúncio” no topo da página de resultados do buscador.

No fim do mês passado, o Cade oficiou 73 anunciantes do Brasil, incluindo gigantes como Coca-Cola, Volkswagen, Grupo Pão de Açúcar e Itaú. Eles deverão responder, até 22 de dezembro, se encontram dificuldades para anunciar em outros buscadores que não o Google, como o Bing, da Microsoft, e o Yahoo!. A Microsoft, autora da denúncia ao Cade, acusa o Google de impor restrições a essa prática, conhecida como multihoming. Como o Google domina o mercado de buscas patrocinadas (tem 97%, segundo a denúncia), os outros buscadores não teriam condições de conquistar anunciantes.

Segundo o IAB Brasil, os investimentos em buscas patrocinadas e classificados online no Brasil em 2014 devem atingir R$ 7,2 bilhões.

O processo do Cade é semelhante ao que o Google enfrentou nos Estados Unidos (que levou a empresa a alterar cláusulas de seu Termos e Condições em janeiro de 2013) e na Europa.

“As práticas investigadas pelo Cade no âmbito dos processos possuem semelhanças com condutas do Google investigadas em outros países, embora em cada local os casos tenham as suas particularidades”, informou o Cade em nota à reportagem.

O Google ainda não comentou o caso. Em junho, informou ao Cade não concordar que existam restrições no seu mecanismo de publicidade que impeçam o multihoming.

Fonte: ig

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário