Câmara diz que analisará primeiros pedidos de impeachment nesta semana

Eduardo Cunha leu em Plenário resposta à questão de ordem da oposição sobre como seria a tramitação, na Câmara, de um eventual pedido de abertura de impedimento da chefe do Executivo

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, reafirmou, nesta segunda-feira (28), em entrevista à imprensa, no Rio de Janeiro, que irá começar a despachar alguns pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff já nesta semana. Cunha participou na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro de evento sobre a expansão da Rede Legislativa de Rádio e TV Digital.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Segundo o presidente, a decisão sobre se aceita ou não os pedidos dependerá do texto do pedido em si, bem como de parecer sobre a questão. “Nesta semana, já despacho alguns pedidos. Eu tenho vários pedidos lá. Eu vou começar a despachar alguns. Não serão todos. Não vou conversar com ninguém. Vou ler os pareceres e tomar decisão em função do que está colocado lá e dos pareceres que existem.”

Na última semana, Eduardo Cunha leu em Plenário resposta à questão de ordem da oposição sobre como seria a tramitação, na Câmara, de um eventual pedido de abertura de impedimento da chefe do Executivo.

O presidente da Câmara disse que, se negar o andamento do pedido, qualquer parlamentar poderá apresentar recursos ao Plenário no prazo de cinco sessões. Caso o pedido de abertura seja aceito pela maioria simples dos deputados, será analisado por uma comissão especial.

Partidos como PT e PCdoB classificaram o rito de “manobra regimental” articulada pela oposição e apresentaram recurso contra a decisão do presidente.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário