Candidato afirma que Porto Velho deixará de ser capital do contracheque

Maior que os Estados de Sergipe e Alagoas, Porto Velho a capital do Estado de Rondônia possui uma área correspondente a 34 mil quilômetros quadrados. São oito mil propriedades rurais que graças ao espirito empreendedor dos que aqui acreditam vem recebendo generosos investimentos.

“O fomento econômico das atividades primarias aliadas a tecnologias de beneficiamento e apoiado na sustentabilidade ambiental levarão a nossa Porto Velho para outro patamar. Em 2017 começaremos um novo ciclo de desenvolvimento para a nossa capital”, declara Léo Moraes.

Novas tecnologias como o melhoramento genético da produção agrícola, em especial milho e soja atendem as recomendações das fronteiras agrícolas amazônicas.

Em expansão, a pecuária desenvolveu com a criação do chamado boi verde, formas viáveis de preservação reduzindo o Arco do Desflorestamento. A atividade madeireira atualmente estagnada deu lugar a produção em larga escala com o agrobusiness.

Paralelo aos massivos investimentos em agronegócios, Léo vê oportunidades na agricultura familiar para abastecimento local e geração de renda consolidadas principalmente nos distritos a margem do Rio Madeira e ao longo da BR 364.

“Estas são formas viáveis de gerar emprego e renda para Porto Velho e sair desse estigma que é uma cidade viver do funcionalismo publico, esperando que os servidores, trabalhadores que muito respeito e estimo sejam a salvação a cada fim de mês do nosso comercio e demais setores”, afirma Léo.

Anúncios
Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Participe do debate. Deixe seu comentário