O senador Ivo Cassol (PP-RO) elogiou o Supremo Tribunal Federal por liminar que autoriza o acesso de pacientes com câncer à fosfoetanolamina sintética, substância desenvolvida por pesquisadores brasileiros, que está em fase experimental e vem apresentando bons resultados. Após a decisão do STF, também o Tribunal de Justiça liberou o medicamento para mais pacientes, informou o senador.

Segundo Ivo Cassol, em seu parecer o ministro do Supremo, Edson Fachin, afirma que o fato de o medicamento ainda não ter registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária não implica em lesão à ordem pública. O mérito da ação, no entanto, ainda não foi julgado pelo Supremo, lembrou o senador.

Para Ivo Cassol, as decisões da justiça valorizam a vida. Ele explicou, porém, que os próprios cientistas reconhecem que o medicamento não cura todos os pacientes com câncer. Além dos bons resultados, a substância tem outra grande vantagem: o preço. De acordo com o senador, cada capsula custa apenas R$ 0,10.

– Há medicamentos que vêm do exterior que custam, 5 ampolas, mais de 240 mil reais. E nós temos um medicamento aqui e que, por mais que falem, tem que ter agora a fase 1, fase 2, fase 3… a pesquisa já foi  feita e o medicamento já está sendo usados por seres humanos. Já estamos na fase mil, porque temos mais de mil pacientes que já utilizaram esse medicamento e estão curados. Queremos um depoimento mais forte do que isso? – indagou

Ivo Cassol informou que a fosfoetanolamina será tema de audiência pública conjunta das Comissões de Assuntos Sociais, de Ciência e Tecnologia e de Direitos Humanos, no dia 29. Pesquisadores e representantes da Anvisa e do Ministério de Ciência e Tecnologia participarão da audiência.

Agencia Senado

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário