Ministros do TSE consideram adiar eleições, mas descartam prorrogar mandatos

Político - https://politico.painelpolitico.com

Luís Roberto Barroso, que assume a corte em maio, defende que as votações precisam ser realizadas no máximo até dezembro

O adiamento das eleições municipais , marcadas para outro deste ano, está sendo discutido entre os ministros do Tribunal Superior Eleitoral ( TSE), conforme revelou Luis Roberto Barroso , ministro que assume a corte em maio, em entrevista ao jornal O Globo. A discussão entrou em pauta devido à pandemia do novo coronavírus .

A decisão sobre manter ou não a data das eleições deve ser tomada entre o fim de maio e o início de junho. Na análise dos ministros, caso adiamento se faça necessário, o mais provável é que o limite para uma nova data seja dentro do mês de dezembro.

“A saúde pública, a saúde da população é o bem maior a ser preservado. Por isso, no momento certo será preciso fazer uma avaliação criteriosa acerca desse tema do adiamento das eleições. Mas nós estamos em abril. O debate ainda é precoce. Não há certeza de como a contaminação vai evoluir. Na hipótese de adiamento, ele deve ser pelo período mínimo necessário para que as eleições possam se realizar com segurança para a população. Estamos falando de semanas, talvez dezembro”, afirmou Luís Roberto Barroso .

O principal motivo para a preocupação em evitar um adiamento muito longo é o fato de que, se isso acontecer, mandatos de prefeitos e vereadores terão que ser prorrogados. Essa possibilidade não é bem vista por Barroso.

“A ideia de prorrogação de mandatos dos atuais prefeitos e vereadores até 2022 não me parece boa. Do ponto de vista da democracia, a prorrogação frauda o mandato dado pelo eleitor, que era de quatro anos, e priva esse mesmo eleitor do direito de votar pela renovação dos dirigentes municipais. Se for inevitável adiar as eleições, o ideal é que elas sejam ainda este ano, para que não seja necessária a prorrogação de mandatos dos atuais prefeitos e vereadores”, avaliou o ministro.

Com agência Globo

Professora do vídeo que pede “exército na rua” é empresária e militante bolsonarista

Político - https://politico.painelpolitico.com

A empresária se chama Fátima Montenegro e gravou um vídeo, republicado por Jair Bolsonaro, em que pede um golpe militar para que o comércio seja reaberto, contrariando as recomendações da Organização Mundial de Saúde

A personagem que aparece num vídeo republicado ontem por Jair Bolsonaro, em que pede exército na rua, é uma empresária de Brasília, chamada Fátima Montenegro, que é também militante bolsonarista.

No vídeo, ao lado da filha, ela se exalta e pede um golpe para que o comércio seja reaberto – o que contraria recomendações das autoridades sanitárias. Sua identidade foi revela pelo internauta Luiz Carlos Limeira Neto, no facebook. 

No vídeo compartilhado por Bolsonaro, a professora diz estar passando necessidade junto aos filhos por conta do isolamento social. Ela pede ao presidente para colocar o “Exército na rua” e abrir o comércio.

“É difícil para o senhor porque só tem gente para derrubar. Mas, o senhor tem o povo e eu faço parte dele. Eu tô aqui pedindo: põe o Exército na rua, presidente, abra esse comércio. Sou professora e não estou podendo dar aula”, diz a mulher. Em vídeo postado

De acordo com Luiz Carlos Limeira, Fátima é aposentada e separada.

"PARA QUEM SABE LER,UM PINGO É LETRA"STF proíbe que Bolsonaro faça campanha para população furar isolamento.Ela é…

Posted by Luiz Carlos Limeira Neto on Thursday, April 2, 2020

Após ter tido a identidade revelada, centenas de internautas postaram avaliações negativas no perfil da empresa de Fatima nas redes sociais e em seus vídeos. O perfil pessoal ela apagou. Veja um de seus vídeos:

#concursospúblicos #OAB #Enem #educação #professores #concursosdf

Posted by Caligrafia ABZ – Prof. Fátima Montenegro on Tuesday, September 17, 2019

Policial militar de 50 anos é 5ª morte por coronavírus no DF; número de casos chega a 400

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Informações foram confirmadas pela Secretaria de Saúde. Segundo pasta, taxa de letalidade na capital é de 1,25%

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal confirmou, nesta quinta-feira (2), a quinta morte pelo novo coronavírus na capital. Trata-se de um policial militar de 50 anos, que estava internado desde 26 de março no Hospital Maria Auxiliadora.

O óbito também já havia sido confirmado pela unidade de saúde e pela família da vítima. No início da noite desta quinta, a pasta também informou que havia registrado 400 casos de infecção pelo novo coronavírus. São 23 a mais que o total contabilizado até o início da tarde.

Ainda de acordo com a secretaria, a taxa de letalidade – proporção de óbitos em relação ao total de casos confirmados – da Covid-19 na capital é de 1,25%. A faixa etária mais atingida é a de pessoas com mais de 80 anos.

Cinco mortes

O policial militar morto pela Covid-19 era primeiro sargento e atuava no 11º Batalhão da PM, em Samambaia. Ele foi internado no hospital particular apresentando febre e insuficiência respiratória. Uma semana depois, não resistiu.

A Secretaria de Saúde não informou se o PM possuía outras doenças relacionadas que agravaram o quadro. Nas outras quatro mortes registradas até então, esse era o caso. 

Coronavírus no DF

Segundo o boletim da Secretaria de Saúde, das 400 infecções registradas na capital, 60 são consideradas graves. Do total, 41 pacientes estão internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e 19 em enfermarias.

A maioria dos casos (54,5%) é composta por homens entre 30 e 49 anos. Veja tabela abaixo:

Casos de coronavírus no DF em 2 de abril — Foto: SES-DF/Reprodução

Casos de coronavírus no DF em 2 de abril — Foto: SES-DF/Reprodução

Já com relação às regiões administrativas, o Plano Piloto segue liderando o número de casos, com 116. Em segundo lugar aparece o Lago Sul, com 57, e Águas Claras, com 49. Quanto à incidência, a pior situação está no Lago Sul. São 188 casos a cada 100 mil habitantes.

Casos de coronavírus por região do DF, em 2 de abril — Foto: SES-DF/Reprodução
Casos de coronavírus por região do DF, em 2 de abril — Foto: SES-DF/Reprodução

Via G1

Sergio Cabral delatou a Rede Globo na Lava Jato

Político - https://politico.painelpolitico.com

Cabral disse que até a construtora foi indicada pela Fundação Roberto Marinho

A delação de Sérgio Cabral à Polícia Federal tem um capítulo inteiro dedicado à Rede Globo. Relata em detalhes as pressões da família Marinho para obter sem licitação a gerência de estudos, projetos e desenvolvimento de conteúdo para a implantação de um importante equipamento cultural na cidade do Rio de Janeiro, informa o repórter Ricardo Bruno no Brasil247

Por este acordo, costurado diretamente entre Cabral e os herdeiros da Globo, a Fundação Roberto Marinho foi escolhida para a modelagem e gestão do projeto, orçado inicialmente em cerca de R$ 80 milhões.

Autorizada pelo Governo do Estado, a FRM fez também captações para estudos preliminares e conceituais junto à iniciativa privada por meio de leis de incentivo à cultura, com renúncia fiscal. 

O ex-governador afirmou também às autoridades da Polícia Federal que a construtora responsável pela obra foi indicada pela FRM, através de fraude licitatória.

Nos depoimentos, Cabral disse que os favores visavam garantir proximidade com a família Marinho, e consequente blindagem nos veículos de comunicação do grupo.

Para Frota, demissões no Madero e Smart Fit foram provocadas para pressionar governadores

Deputado federal Alexandre Frota disse que “o próximo a demitir será o véio da Havan’

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) divulgou um vídeo em sua conta do Twitter onde alega que as demissões feitas pela rede de restaurantes Madero e pela Academia Smart Fit são “cartas marcadas” para pressionar governadores a mando de Jair Bolsonaro.

De acordo com o parlamentar, “o próximo a demitir será o véio da Havan”, referindo-se ao empresário Luciano Hang.

Frota questionou, “o que tem em comum o empresário Júnior Dersk, que demitiu 600 funcionários, agora foi a vez do empresário Edgar Corona, proprietário da Smart Fit, e amanhã será o véio da Havan. O que todos eles tem em comum? Todos são amigos de Jair Bolsonaro, apóiam Jair Bolsonaro. E essas medidas de demissão colocam pressão nas costas dos governadores e assim ajudam Bolsonaro no seu plano criminoso”.

Na última quarta-feira, 1, a rede Madero anunciou a demissão de 600 funcionários e nesta quinta, 2, a maior rede de academias da América Latina, Smart Fit demitiu 200 recém-contratados (estavam em período experimental de 90 dias).

Na Alemanha, auxílio para informais sai em 5 hora após cadastro online

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Artista brasileiro que vive na Alemanha conta ter recebido 5 mil euros para se manter pelos próximos 3 meses

O DJ brasileiro Johnny Da Cruz, que atualmente vive em Berlin (Alemanha), contou em seu perfil no Facebook que recebeu em sua conta corrente, $ 5 mil euros, o equivalente a R$ 28.600, para se manter pelos próximos três meses.

O pagamento foi feito pelo governo alemão, cinco horas após Johnny concluir o cadastro online. Ele contou o episódio e mostrou a notificação encaminhada pelo banco.

De acordo com Johnny, “em pouco mais de duas semanas, o governo alemão criou um sistema online para que todos os autônomos (incluindo artistas) pudessem solicitar auxílio para sobreviver sem trabalhar em meio a essa pandemia”. O DJ conta ainda que não pretendia se inscrever, mas devido a alta do euro e o fato de ter tido todas as suas apresentações canceladas, na manhã de quarta-feira decidiu se inscrever, e menos de 5 horas depois, o dinheiro estava em sua conta. Veja abaixo a postagem:

Olha, talvez meus amigos alemães não entendam o meu espanto, mas acho que qualquer pessoa que nasceu e viveu a vida…

Posted by Johnny Da Cruz on Wednesday, April 1, 2020

ES e SE registram primeiras mortes por coronavírus; Brasil tem 7.011 infectados em todos os estados e 250 mortos

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

O avanço da doença está acelerado: foram 25 dias desde o primeiro contágio confirmado até os primeiros 1.000 casos

As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até as 10h50 desta quinta-feira (2), 7.011 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil, com 250 mortes pela Covid-19.

Minas Gerais confirmou que alcançou seis mortes e 370 casos no Estado nesta manhã. O Espírito Santo confirmou a primeira morte: um paciente de 57 anos, que estava internado no hospital Jayme dos Santos Neves, em Serra.

Sergipe confirmou as duas primeiras mortes pela doença no estado: uma mulher de 61 anos que era diabética, hipertensa, com histórico de doença vascular periférica; e um homem de 60 anos, hipertenso, que havia chegado de São Paulo há 15 dias.

Hoje foram registrados novos casos também no Rio Grande do Sul e no Pará.

O avanço da doença está acelerado: foram 25 dias desde o primeiro contágio confirmado até os primeiros 1.000 casos (de 26 de fevereiro a 21 de março). Outros 2.000 casos foram confirmados em apenas seis dias (de 21 a 27 de março) e quase 4.000 casos de 27 de março a 2º de abril, quando a contagem superou os 7.000 infectados. Com G1

Bolsonaro insiste em quebra do isolamento e posta vídeo de mulher pedindo “militares nas ruas”

Político - https://politico.painelpolitico.com

Postagem foi feita na manhã desta quinta-feira

O presidente Jair Bolsonaro continua sua cruzada contra as medidas de isolamento social que vem sendo orientadas pela Organização Mundial de Saúde e pelos principais líderes do mundo.

Nesta quinta-feira ele compartilhou em sua conta no Twitter, o vídeo de uma mulher, que se diz professora onde ela diz, “presidente, tenho vindo aqui quase todos os dias e vim aqui pedir para o senhor como mãe, preciso voltar a trabalhar, não tem condições da gente viver nessa situação. Vai faltar coisas para meus filhos, dentro da minha casa. Tô aqui pedindo pro senhor, põe esses militares na rua, põe para esse governador que decretou de novo mais um mês sem aula, sem nada, não tem condições da gente viver desse jeito”.

A mulher se referia ao decreto do governador Ibaneis Rocha, que ampliou a quarentena no Distrito Federal por mais 30 dias.

Ao final do vídeo, Bolsonaro diz, “tenho certeza que a senhora fala por milhões de pessoas”.

Nesta quinta-feira, de acordo com as secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até as 10h50 desta quinta-feira (2), 7.011 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil, com 250 mortes pela Covid-19.

Como saber se estou no Cadastro Único?

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Consulta pode ser feita pelo site, aplicativo ou telefone

O governo anunciou que vai pagar um auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais, desempregados e MEIs nesta quarta-feira (1) para os inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) do Ministério da Cidadania até o último dia 20 de março.

Você pode saber se está inscrito no CadÚnico de três maneiras: pelo site do Ministério da Cidadania, pelo aplicativo Meu CadÚnico e pelo telefone.

Pelo site

Para saber se o seu nome está no CadÚnico, é preciso acessar este link: aplicacoes.mds.gov.br/sagi/consulta_cidadao/. Segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Cidadania, o site apresentava instabilidade na quarta-feira (1º).

No endereço acima, você irá encontrar essa página:

Página da Consulta Cidadão — Foto: Reprodução do Ministério da Cidadania

Página da Consulta Cidadão — Foto: Reprodução do Ministério da Cidadania

Nessa página, rolando a tela para baixo, você encontrará este formulário:

Formulário Cadúnico — Foto: Reprodução do Ministério da Cidadania

Formulário Cadúnico — Foto: Reprodução do Ministério da Cidadania

Neste formulário, é preciso preencher o nome completo, data de nascimento, o nome da mãe e selecionar o estado e o município onde que você mora. Após preencher, é só clicar em “Emitir” e, assim, saber se o seu nome está ou não inscrito no CadÚnico.

O planejador financeiro da Par Mais, Jailon Giacomelli, diz que se uma pessoa lembra que foi cadastrado, mas não encontra, uma dica é buscar por várias versões do seu nome. Segundo ele, muitas vezes, quando um assistente de uma secretaria municipal vai até a casa de uma família de baixa renda fazer o cadastro, a pessoa não lembra qual foi o nome que ela informou ao assistente. “Então é importante tentar várias versões”, diz.

Aplicativo

É possível também fazer a consulta pelo aplicativo Meu CadÚnico. Clique aqui para baixar o aplicativo no seu celular.

Após baixar e abrir o app, é só clicar em ‘entrar’.

Cadunico — Foto: Reprodução

Cadunico — Foto: Reprodução

E inserir as mesmas informações solicitadas pelo site: nome completo, data de nascimento, nome da mãe e estado.

Cadunico — Foto: Reprodução

Cadunico — Foto: Reprodução

Consulta telefônica

O Ministério também disponibiliza um canal de atendimento por telefone para tirar as dúvidas sobre os programas sociais e CadÚnico no 0800 707 2003.

serviço de ligação é gratuito, mas precisa ser feito por meio de um telefone fixo.

Os horários de atendimento são:

  • 07h às 19h de segunda a sexta-feira.
  • 10h às 16h nos finais de semana e feriados nacionais e durante o Calendário de Pagamento do Bolsa Família.

É preciso estar inscrito no CadÚnico para receber o auxílio de R$ 600?

O trabalhador de baixa renda não precisará estar inscrito no CadÚnico para receber o benefício – será necessário apenas cumprir com o limite de renda média.

O CadÚnico vai auxiliar na verificação dessa renda para quem está inscrito – para quem não está, a verificação será feita por meio de autodeclaração em plataforma digital. Ainda não foi informado como essa declaração será feita.

Mas o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que trabalhadores informais que não constam em nenhum cadastro do governo devem ficar por último no cronograma de pagamento.

STJ manda soltar todos os presos que tiveram liberdade condicionada a fiança no país

Sentença - https://sentenca.painelpolitico.com

O ministro Sebastião Reis Júnior ressalvou que, nos casos em que foram impostas outras medidas cautelares, apenas a exigência de fiança deve ser afastada, mantendo-se as demais medidas

O ministro Sebastião Reis Júnior, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), estendeu para todo o país os efeitos da liminar que determina a soltura de presos cuja liberdade provisória tenha sido condicionada ao pagamento de fiança e que ainda estejam na prisão. A liminar foi inicialmente concedida na última sexta-feira (27) para detentos do Espírito Santo.

A medida é motivada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). De acordo com o ministro, o quadro de precariedade do sistema carcerário no Espírito Santo é semelhante em todo o país e apresenta riscos graves de disseminação da doença no interior dos presídios.

Após a concessão da liminar para os presos do Espírito Santo, Defensorias Públicas de diversos estados – incluindo São Paulo, que atualmente concentra o maior número de casos de Covid-19 – apresentaram ao STJ pedidos de extensão dos efeitos da decisão.

A Defensoria Pública da União, que também fez o mesmo pedido, argumentou que, nos presídios de todo o país, a superlotação e a falta de condições estruturais mínimas para prevenção e atendimento de eventuais casos do novo coronavírus impõem seguir a Recomendação 62/2020 do Conselho Nacional de Justiça.

Outras med​idas

Ao determinar a soltura de todos os presos a quem foi concedida a liberdade provisória condicionada ao pagamento de fiança, o ministro Sebastião Reis Júnior ressalvou que, nos casos em que foram impostas outras medidas cautelares, apenas a exigência de fiança deve ser afastada, mantendo-se as demais medidas.

Além disso, quando não tiver sido determinada nenhuma outra medida além da fiança, Sebastião Reis Júnior apontou a necessidade de que os Tribunais de Justiça e os Tribunais Regionais Federais determinem aos juízes de primeira instância que verifiquem, com urgência, a conveniência da adoção de outras cautelares em substituição.

Leia a decisão.

Via STJ