Operação da Polícia prende 11 e apreende R$ 180 mil que seriam do tráfico

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Onze pessoas foram presas preventivamente na manhã desta quarta-feira (11) durante a “Operação Norte”, coordenada pelo Departamento de Narcóticos (Denarc) com apoio da coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE), Delegacia Especializada em Repressão a Extorsões, Furtos e Roubos e Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio, desencadeada para desbaratar a atuação de um grupo criminoso, estruturalmente ordenado, que atuava na distribuição e comercialização de drogas na Zona Norte de Porto Velho.

Investigações

Durante as diligencias para cumprir nove mandados de busca e apreensão, os policiais apreenderam R$ 180 mil em dinheiro e cheque, cinco veículos, inclusive um blindado (uma HRV), diversos documentos e aparelhos celulares.

Segundo o delegado, Silvio Hiroshi Yamaguchi, as buscas foram realizadas em diversos bairros da Zona Norte, mas o principal alvo foi no Bairro Balsa.

Também houve o registro de uma prisão em flagrante durante o cumprimento dos mandados de buscas. Os policiais encontraram cocaína e dinheiro em uma das residências.

Entre os presos na operação, estão quatro presidiários, que foram encaminhados para a delegacia, prestaram depoimento e devolvidos para o presídio.

Ainda segundo o delegado, as investigações continuam e os materiais apreendidos serão analisados.

O delegado explicou que as apurações tiveram início em junho de 2019, quando um dos líderes do grupo foi preso em flagrante pelo Denarc com de 17 quilos de cocaína. “Mesmo preso, as investigações apontaram que ele continuou coordenando a ação do bando de dentro do presídio”, disse Silvio Hiroshi Yamaguchi.

Com o aprofundamento das apurações, os investigadores conseguiram esclarecer toda a dinâmica de atuação dos criminosos, e em setembro de 2019, o principal gerente do bando foi preso em flagrante. Nessa oportunidade o Denarc apreendeu drogas, veículos, apetrechos para o tráfico, insumos, prensa hidráulica e armas de fogo, sendo uma delas pertencente ao acervo da Polícia Civil, furtada em Candeias do Jamari.

Segundo a Polícia, em novembro também de 2019, as investigações foram direcionadas para o objetivo de identificar e prender os fornecedores da droga, sediados no município de Guajará-Mirim, resultando na apreensão de cerca de 55 quilos de cocaína, ocultos na carroceria de uma camionete que trafegava pela rodovia BR-421, no município de Nova Mamoré.

Já em fevereiro de 2020, o Departamento de Narcóticos conseguiu prender os supostos fornecedores dos 55 quilos de cocaína que haviam sido apreendidos em novembro de 2019, ocasião em que cumpriu mais cinco mandados de busca e apreensão, tendo apreendido dinheiro em espécie, documentos e aparelhos celulares dos investigados.

Na última segunda-feira (9), o Denarc prendeu em flagrante mais dois integrantes do grupo, que atuavam na comercialização e distribuição de drogas, principalmente no Assentamento Joana D’Arc, situado na Zona Rural de Porto Velho.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Polícia Federal e MPF fazem operação Lava Jato no Rio

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Equipes da Força Tarefa da Lava Jato cumprem hoje (5), no Rio de Janeiro, seis mandados de prisão preventiva e outros três de prisão temporária. Sete pessoas já foram presas, entre elas um ex-procurador da Justiça e o ex-secretário Nacional de Justiça e Cidadania Astério Pereira dos Santos.

Os agentes da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF) cumprem também 32 mandados de busca. Todas as pessoas são acusadas de participar de um esquema de pagamentos de propina a conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) e de lavagem de dinheiro através de contratos na Secretaria estadual de Administração Penitenciária.

Segundo a PF, esta rede seria organizada por empresários e agentes públicos com apoio de dois escritórios de advocacia. E envolvia laranjas e familiares dos acusados.

Fonte: Agência Brasil

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Homem mata avó e tio durante discussão familiar na Grande São Paulo

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Suspeito acabou morto pela PM; caso aconteceu na manhã desta quarta-feira em Embu das Artes

Um homem matou a avó e um tio em Embu das Artes, na grande São Paulo, nesta quarta-feira. De acordo com a Polícia Militar (PM), o incidente ocorreu após uma discussão com os familiares.

O suspeito acabou morto pela PM. A corporação alegou que os agentes chamados para conter o homem também foram atacados e reagiram a tiros.

Entre os mortos, estão a avó e um tio do homem que, segundo a polícia, era usuário de drogas. Além disso, uma tia do homem também foi esfaqueada, mas sobreviveu e está internada em hospital da região.

O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Embu das Artes, onde foi aberto inquérito para apurar as circunstâncias das mortes.

Continue lendo…

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio afirma ter esclarecido 95% dos casos em 2019

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

A Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio de Porto Velho afirma ter esclarecido 95% dos casos de latrocínio consumados ano de 2019, segundo levantamento anual apresentado pelo delegado, José Marcos. Os dados mostraram, que dos 18 casos registrados na delegacia (consumados e tentados), 16 foram esclarecidos e os autores estão presos à disposição da justiça.

Além dos crimes de latrocínio apurados na delegacia, também foram investigados outros crimes como furtos, roubos e sequestros. Dos dez crimes de latrocínio consumados durante este ano, todos foram elucidados e dos oito casos tentados, seis acabaram sendo resolvidos.

Segundo José Marcos, o resultado positivo na apuração dos crimes ocorridos na cidade se deve ao bom desempenho dos nossos delegados e investigadores. “Nós sempre atuamos em prol da sociedade para que o judiciário possa aplicar a punição dos autores dos crimes, que infelizmente ocorrem na nossa cidade. O ideal, seria que não ocorressem esses crimes, mas se são cometidos, nós temos que trabalhar para dar uma resposta aos familiares e a população”, disse.

Não reagir a ação dos criminosos, é o mais indicado a fazer para evitar mortes ou tentativa, de acordo com o delegado. “Nós temos que preservar o mais importante que é a vida. Se infelizmente, a pessoa tiver algum bem subtraído, a Polícia vai atuar para identificar e prender o autor ou autores desse crime. A gente sempre aconselha a não reagir em caso de roubos, porque os criminosos não tem nada a perder quando atacam as vítimas”, orientou José Marcos.

As denúncias anônimas feitas através do 197 da Polícia Civil, tem grande parcela no resultado positivo da Polícia. “A população sempre ajuda a gente com as denúncias e confia no nosso trabalho. Nós agradecemos o apoio que recebemos da população, denunciando pessoas que são procuradas pela Polícia ou que cometeram algum crime porque é muito importante para as nossas investigações”, disse José Marcos.

Neste período de final de ano, a Polícia ressalta os cuidados para evitar assaltos e furtos a residência. “É muito importante que as pessoas tenham mais cautela com a segurança durante as festas de final de ano. Se vai para a casa de algum parente ou viajar, deixe alguém vigiando seu imóvel para evitar furtos. Se for realizar festas em residências, fique atento, evite deixar portões abertos porque os criminosos só querem uma oportunidade para agir e cometer o crime”, ressaltou o delegado.

Outro alvo fácil para os criminosos, são as pessoas que costumam manusear o aparelho celular em via pública. “As pessoas precisam ficar mais atentas e não mexer em celular quando estiverem andando na rua porque se tornam um alvo fácil para os criminosos, que estão a procura de uma oportunidade para cometer assaltos”, finalizou José Marcos.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Pelo menos quatro pessoas participaram do ataque ao Porta dos Fundos

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Polícia Civil trabalha com várias hipóteses e não descarta terrorismo.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro já sabe que ao menos quatro homens participaram do ataque à produtora do canal de humor Porta dos Fundos, que foi alvo de coquetéis molotov no dia 24 deste mês. Segundo o delegado titular da 10ª Delegacia de Polícia (Botafogo), Marco Aurélio de Paula Ribeiro, já se sabe quais são as características físicas dos suspeitos, mas ainda não há conclusão sobre a identidade deles.

O delegado participou na manhã desta quinta-feira (26) de uma reunião com representantes do canal de humor e o subsecretário de Planejamento e Integração Operacional da Polícia Civil, Fábio Barucke, na sede da corporação, no centro do Rio de Janeiro.

Marco Aurélio de Paulo Ribeiro informou que foram identificados os donos de um carro e uma motocicleta usados durante o ataque, que está sendo tratado como um crime de explosão e uma possível tentativa de homicídio, já que um vigilante da produtora, que estava na portaria, sofreu risco de morrer.

O enquadramento do caso na Lei Antiterrorismo não foi descartado, segundo os delegados que estiveram na reunião e atenderam à imprensa no início da tarde de hoje. “O terrorismo, a princípio, não foi classificado, mas não descartamos qualquer hipótese”, disse Fábio Barucke. “Temos que trabalhar com os fatos até então acontecidos. Foi uma explosão dentro de uma unidade particular e que gerou perigo concreto à vida de uma pessoa que estava no local e sofreu, de fato, uma tentativa de homicídio.”

O subsecretário da Polícia Civil destacou que a corporação vê o caso como de extrema gravidade e mobilizou uma força-tarefa para solucioná-lo – o grupo envolve também a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI). A delegacia especializada já está produzindo provas para chegar à autoria do ataque, que foi filmado e publicado nas redes sociais supostamente por um grupo que se identifica como integralista e ainda está sob investigação da polícia. Segundo Barucke, o grupo que teria reivindicado a autoria dos ataques no vídeo nega relação com o ocorrido.

“O vídeo é verídico. O que não se sabe é se realmente foi o grupo que fez. O grupo integralista diz que não é deles”, disse Barucke, que espera que a responsabilização intimide ações semelhantes. “Julgamos importante, além de responsabilizar pelo fato já produzido, inibir ações futuras que esse grupo possa estar planejando.”

O canal Porta dos Fundos vem recebendo ataques virtuais e críticas desde que publicou no Netflix o especial de Natal deste ano, no qual retrata de forma humorística partes da vida de Jesus Cristo, que vive um relacionamento homossexual no longa-metragem. A Polícia Civil ainda analisa a possibilidade de que o atentado tenha alguma relação com o filme. “Não posso, no início da investigação, dar certeza da motivação dos agentes”, disse o delegado titular da 11ª DP, que vai conduzir o inquérito.

Após a reunião com os delegados, o ator João Vicente de Castro deu uma declaração à imprensa em nome do Porta dos Fundos e disse que confia no trabalho da Polícia Civil. “A gente não está falando do Porta dos Fundos, a gente está falando sobre liberdade de expressão. A gente tem um ato violento que aconteceu e que não se pode permitir que aconteça”, disse. “O Rio de Janeiro não precisa de mais violência e de mais grupos violentos, e a gente precisa cortar esse mal pela raiz.”

Na manhã de hoje, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, comentou o ataque à produtora e disse que “a via correta para buscar qualquer eventual reparação” é o Poder Judiciário. “Queremos, no prazo mais rápido possível, encontrar os autores dessa espécie de atentado e dar imediatamente à sociedade as respostas necessárias”, disse o governador a jornalistas no Palácio Guanabara, sede do executivo estadual.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Caminhão da Amazon Forte é apreendido por transporte irregular de lixo hospitalar

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Os resíduos armazenados em caixa de papelão e sacolas plásticas seriam levados para a cidade de Porto Velho, Rondônia.

O motorista de um caminhão baú foi preso em flagrante e o veículo foi apreendido por transporte irregular de lixo hospitalar, na tarde deste sábado (21). A abordagem aconteceu no trevo de Senador Guiomard, na rodovia AC-40, no interior do Acre.

Segundo informações da polícia, o lixo hospitalar havia sido recolhido nos municípios de Brasiléia, Epitaciolândia, Assis Brasil, Xapuri, Acrelândia, Plácido de Castro e a Vila Campinas. Os resíduos armazenados em caixa de papelão e sacolas plásticas seriam levados para a cidade de Porto Velho, no estado de Rondônia.

Segundo as normas da Anvisa, o descarte de lixo hospitalar deve ser feito com bastante cuidado e atenção. Cada tipo de material — seringas, luvas, curativos, medicamentos, bolsas de sangue etc. — deve ser descartado de forma diferente.

Como os resíduos são altamente perigosos, o descarte deve ser realizado de forma separada e identificada, conforme as orientações da Resolução de número de 306 de 2004 (Anvisa).

Dentre as normas especificadas, entre outras coisas, os lixos infectantes devem ser identificados (conforme símbolo disposto na NBR-7500 da ABNT) e acondicionados em um saco branco.

Ainda segundo os militares que atuaram no flagrante de crime ambiental, o motorista mostrou o certificado de inspeção veicular e certificado de inspeção para transporte de produtos perigosos vencidos, e também não possuía licença ambiental.

Diante dos fatos, foi dado voz de prisão ao motorista, que foi conduzido junto com o caminhão para a Delegacia da Polícia Civil, para os devidos procedimentos cabíveis.

HISTÓRICO

No início de 2019, a Amazon Fort já havia sido multada por jogar lixo hospitalar no lixão da capital.

Fotos comprovam que, durante os meses de março e abril desse ano, a Amazon Reclicly, empresa do grupo Amazon Fort, destinou, deliberadamente, lixo hospitalar para o lixão de Porto Velho.

A empresa foi multada em R$ 15 mil.

Em setembro de 2019, a mesma empresa tentou vender 1.500 toneladas de cereais estragados em Porto Velho.

Em uma ação realizada por policiais da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor (Decon) e coordenada pela delegada Noelle Caroline Xavier, em conjunto com Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), resultou na apreensão de 650 mil quilos de cereais impróprios para o consumo, em um armazém localizado próximo a Jaci-Paraná, distrito de Porto Velho.

Os investigadores apuraram, que no mês de julho deste ano uma balsa que saiu de Porto Velho com destino a Manaus (AM) transportando aproximadamente 1.500 toneladas de cereais, bateu em um banco de areia no Rio Madeira durante o trajeto. Com isso, toda a carga sofreu umidade e foi descartada para o consumo humano ou animal.

Fonte: ROBR.com

Jovem agride namorada em SP e se gaba nas redes sociais: ‘Merece mais’

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Agressões ocorreram em Santos, SP. Amiga da vítima expôs postagens do agressor nas redes sociais e internautas ficaram revoltados com a situação

A Polícia Civil investiga um rapaz acusado de agredir a namorada em Santos, no litoral de São Paulo, e fazer postagens em seguida pelas redes sociais. Imagens mostram postagens feitas pelo agressor, em que ele destaca que deveria ter ‘amassado mais’ e que ‘se arrependia de ter batido pouco’ na vítima.

A agressão, conforme relata uma amiga da jovem, a estudante Júlia de Sá, de 18 anos, ocorreu na última sexta-feira (13). “Minha amiga ficou e ainda está muito abalada. No fim de semana, ele passou a postar mensagens em que ressaltava o que fez”, conta.

Após as agressões, o rapaz fez postagens nas redes sociais. “Eu só consegui me envolver no caso quando compartilhei todas as postagens dele e passei a expor o que ele estava fazendo”. Depois disso, conforme relata, o garoto passou a ameaçá-la por mensagens e ligações, dizendo que ela pagaria pelo que fez.

“Ele passou a coagir ainda mais ela e sua família, falando que se isso não parasse, ele agiria de outra forma. Ela ficou machucada, mas apenas com dor muscular, não ficou roxa. Além de agredi-la, ele quebrou o celular dela no meio e o relógio também. Há umas três semanas ele também tomou o celular dela e foi para cima para bater, mas o irmão dele o segurou”, diz a colega.

As postagens e as ameaças do garoto compartilhadas nas redes sociais tiveram centenas de comentários e compartilhamentos. Internautas repudiaram a atitude e prestaram solidariedade as vítimas. Ao publicar a situação, a amiga da jovem agredida chegou a destacar que outras meninas não deixem de reagir e expor esse tipo de situação.

A situação também gerou o posicionamento de algumas entidades. A União da Juventude Socialista (UJS) foi uma das que se pronunciou após o ocorrido, por ter fotos do suspeito como parte da equipe. Porém, a UJS afirmou que o jovem envolvido em questão não é mais membro da Direção e nem participante da organização há mais de dois anos. “Não compactuamos de maneira alguma com tal atitude e repudiamos veementemente essa ação. As devidas providências deverão ser tomadas e estamos a disposição para ajudar no que for necessário”, destacou.

Segundo a estudante, o rapaz estava em um relacionamento com a vítima há cerca de cinco meses. “Estava sempre ofendendo ela. O típico relacionamento abusivo, que grita, humilha e depois pede desculpas e agrada. Apesar das ameaças dele, não tenho medo de denunciar, não podemos nos calar diante de situações como essa”, acrescenta.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que o caso foi registrado no Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Santos. A equipe policial investiga os fatos por meio de inquérito policial que segue sob segredo de justiça. Segundo relata Júlia, nesta sexta-feira, elas comparecerão com um advogado na delegacia, juntamente com outras vítimas do mesmo rapaz que apareceram após o compartilhamento das postagens. Via G1

Continue lendo…

Homem é preso após quebrar perna do filho de 11 meses em briga com esposa

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Claudinei Lourenço, que foi detido nesta quarta (27), no Rio por suspeita de agressão ao filho durante briga com esposa, vai responder por tortura

O pai de um bebê de 11 meses foi preso por agentes da 58ª DP (Posse) por suspeita de quebrar o fêmur do filho durante uma discussão com a companheira. O caso aconteceu no sábado (23). Claudinei Lourenço Costa da Silva foi indiciado pelo crime de tortura e detido nesta quarta-feira (27).

De acordo com a Polícia Civil, durante a briga com a esposa, Claudinei pisou na perna do bebê , fraturando o osso . O homem ainda tentou esconder as lesões ao trocar a roupa do filho e colocar uma calça comprida. O ato fez com que as lesões se agravassem e retardassem o atendimento à criança.

Segundo a corporação, investigações seguem para apurar a prática de outras agressões contra a criança.

LEIA TAMBÉM

Assistente de palco do SBT vai à polícia após se chutada ao vivo por Ratinho

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Apresentador minimizou o ocorrido no programa, do SBT, e disse que tudo não passou de “uma grande brincadeira”

A assistente de palco Milene Pavorô, precisou ir à polícia algumas vezes após ser chutada por Ratinho durante uma “brincadeira” no programa, do SBT, que é transmitido ao vivo.

Durante uma entrevista ao canal “Lisa Leve e Solta, no Youtube, Milene disse que prestou depoimento após as imagens do vídeo, gravado em 2016, viralizarem na internet.

Na gravação, a assistente de palco aparece se escondendo em uma caixa de papelão que é frequentemente chutada pelo apresentador do programa, Ratinho.

Um inquérito policial foi aberto para investigar exatamente o que houve, mas os internautas logo criticaram a atitude do comunicador e pediram para Milene acionar a Lei Maria da Penha.

Mas, a artista minimizou o ocorrido no programa, do SBT, e disse que tudo não passou de “uma grande brincadeira”, e que Ratinho sabia que ela estava dentro da caixa. o Dia

LEIA TAMBÉM

Quadrilha tira R$ 5 milhões de mulher em esquema com sede falsa da PF

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Tratava-se de mais uma das supostas trapaças sofridas por ela em esquema que envolveu ao menos oito pessoas (entre policiais, advogados e empresários)

O coração da empresária Sueli Maluta, 69, acelerou ao ver o símbolo da Polícia Federal fixado no lugar ao qual foi levada para uma reunião, no início de 2016, em Piracicaba (SP). Passava mal só de pensar na hipótese de ser presa e, por isso, aceitou pagar os R$ 800 mil solicitados para que fossem resolvidas pendências criminais contra ela.

Só tempos depois ela viria a descobrir que o cenário era falso. Tratava-se de mais uma das supostas trapaças sofridas por ela em esquema que envolveu ao menos oito pessoas (entre policiais, advogados e empresários), durou cerca de três anos e conseguiu tirar dela cerca de R$ 5 milhões.

Seis pessoas foram condenadas pela Justiça em setembro por participação no esquema. As penas variam de 2 a 28 anos de prisão. Todos se declaram inocentes e recorrem em liberdade da decisão de primeira instância. A Promotoria também recorre para aumentar a pena.

O imbróglio vivido pela empresária de Rio Claro (SP) teve início, conforme ela contou à Justiça em um acordo de delação premiada, em julho de 2014, quando recebeu visita do investigador de polícia André Luís Barbalho de Toledo.

O policial disse que o delegado Marcos Garcia Fuentes, então integrante da cúpula da Polícia Civil da cidade e que conduzia inquéritos contra Sueli, investigada por sonegação fiscal, solicitava R$ 100 mil para beneficiá-la.

Sueli disse à Justiça que acredita ter pago, em 12 meses, algo próximo de R$ 400 mil a Fuentes. Tornou-se íntima do delegado e aceitou dele indicação para contratar o advogado Marcelo Aith e, também, para receber conselhos do empresário Cristiano Sorano, dono de lojas de veículos.

Em setembro de 2015, ela também conheceu outras pessoas indicadas por essas novas amizades, o também advogado Alcyr Menna Barreto de Araújo Filho, ex-promotor de Justiça (exonerado), e os “abridores de portas” Carlos Eduardo Guimarães Marques e Almir Aparecido dos Santos.

Segundo a sentença, Aith e outro investigado no processo (Mário Rogério dos Santos, absolvido) disseram a Sueli que um rapaz a levaria à sede da Polícia Federal em Piracicaba, onde “as coisas poderiam ser ajeitadas”.

“Foi levada em um local em que havia um brasão da Polícia Federal, mas posteriormente soube que não era a Polícia Federal”, disse Sueli à Justiça. “Nessa ocasião, Carlos Eduardo pediu R$ 800 mil para ‘resolver tudo’.”

Sueli continuou realizando outros pagamentos ao longo do tempo até que, no início de 2017, foi levada a um hotel com a promessa de que iria conversar pessoalmente com um promotor, primo de Carlos Eduardo. Era outro engodo. Ela acabou assinando um contrato no valor de R$ 3,8 milhões, que incluía imóveis da família estimados em R$ 2,5 milhões.

As supostas extorsões sofridas por Sueli só foram descobertas porque em 17 de julho de 2017 ela foi, de fato, alvo de uma operação do Gaeco por sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. Na busca e apreensão, os promotores encontrariam indícios da extorsão. Presa, Sueli fez o acordo de delação premiada.

De acordo com a sentença de Caio Cesar Ginez Almeida Bueno, há provas que corroboram a versão de Sueli. “Verifica-se que Sueli não pode ser definida apenas como uma velhinha indefesa, tampouco apenas como uma criminosa astuta. Sueli é uma pessoa complexa, com seus próprios traços de personalidade e peculiaridades”, escreveu o juiz.

O promotor André Camilo Castro Jardim, integrante do grupo que investigou o esquema, afirma nunca ter visto algo parecido com que foi descoberto em Rio Claro, dada “a estrutura e sofisticação do esquema, envolvendo agentes públicos, advogados, empresários.”

LEIA TAMBÉM