PAINEL POLITICO lança podcast com as principais notícias da semana

Politico - https://politico.painelpolitico.com

Primeiro episódio já está no ar

Lançamos nesta sexta-feira, 10, o podcast de PAINEL POLÍTICO, com narração e comentários do jornalista Alan Alex sobre os principais assuntos da semana. “O podcast será atualizado às sextas-feiras, mas durante a semana também estaremos fazendo comentários sobre diversos temas”, explicou o jornalista.

Ele também acrescentou que este é o primeiro episódio, uma espécie de ‘programa piloto’ e que com o decorrer dos programas, serão acrescentados novos elementos, como entrevistas e comentários de ouvintes, “vamos aguardar o feedback dos ouvintes, ver se o formato agrada e vamos melhorando”, destacou.

Os episódios podem ser ouvidos no Spotify e ainda nas próximas horas estará disponível no iTunes.

O primeiro episódio já está no ar. Ouça

Coluna – Confúcio amarela, tumultua o processo e joga Rondônia no caos

E ainda, vaiado, Hildon Chaves sobe mais um degrau rumo a impopularidade. Isequiel Neiva falou, falou e não fez, Espaço Alternativo continua inacabado

Irresponsabilidade

Mais que um mero jogo político, a decisão de Confúcio Moura em não deixar o cargo, conforme ele próprio havia combinado com seu vice Daniel Pereira, no dia 12 de março, afeta a vida de todos os rondonienses graças a atitude que podemos classificar de, no mínimo, irresponsável. Ao comunicar seu afastamento e dar carta branca à Pereira, o vice passou, em comum acordo com Confúcio, a fazer trocas na estrutura administrativa do Estado, que ele acreditava, resolveria alguns problemas, como a segurança pública.

Porém

Confúcio decidiu mudar de idéia como quem muda de camisa. No fim de semana, alegando sentir-se pressionado por deputados e pelo MDB, desistiu (extra-oficialmente) de ser candidato ao senado (ao menos por enquanto, vai que ele muda de idéia de novo) e nesta segunda, sem sequer fazer a gentileza de comunicar seu vice oficialmente, passou a desfazer o que Pereira tinha feito. Reempossou o exonerado Enedy Araújo e trocou o diretor do DER. Pior, vai enfrentar a greve da educação por pura falta de gente qualificada para dialogar com o sindicato.

LEIA A COLUNA COMPLETA NO POLÍTICO!!

Coluna – A pergunta do milhão, Cassol registra ou não sua candidatura?

E ainda, Hildon Chaves perde tempo demais com vereadores e esquece de administrar a cidade

Um ano

Passou desde que Hildon Chaves assumiu o comando da capital de Rondônia. Cercado de expectativas por grande parte da população, graças a um discurso que ele próprio desenvolveu durante a campanha, de que seria o “grande salvador da cidade”. E começou embalado, com muitas selfies, lives, elogios e postagens de incentivo, parecia que a coisa ia funcionar. Mas, logo de cara começaram as críticas, e ele passou a usar seu então adversário nas eleições, Léo Moraes, como “recalcado”, ou que “ele não desceu do palanque”. Léo silenciou. Foi cuidar de seus afazeres como deputado estadual.

Porém

A culpa não era de Léo. Hildon passou a ocupar grande parte de seu tempo reunido com vereadores, entre pedidos de cargos, futricas palacianas, viagens e bate-boca com munícipes. Alguns episódios, bem lamentáveis foram registrados e viralizaram nas redes sociais. Hildon acostumou a deixar seus eleitores “falando sozinhos”. Desacostumado à críticas, coisa que promotor nenhum gosta, adotou uma postura agressiva em relação a quem queria apenas aconselha-lo. Fez isso com praticamente todos os aliados de primeira hora, deixando-se ficar cercado apenas de quem tece elogios. Esse é o caminho mais rápido para o fundo do poço.

Salvando

A jornalista Ivonete Gomes foi a grande surpresa da gestão Chaves. Ela assumiu a secretaria de Esportes do município e graças a seu perfil empreendedor vem conseguindo salvar a pele do prefeito. Bem articulada, Ivonete transformou uma secretária insípida em vitrine de gestão. Mas, isso não é suficiente para garantir a popularidade de Hildon, que a cada semana despenca três ou quatro degraus naquela escala de 0 a 100.

Falha grave

A falha mais grave que Hildon vem cometendo é típica de quem não tinha um plano definido, ou experiência política, a falta de definição de prioridades. Enquanto o prefeito perde tempo precioso atendendo vereadores o dia inteiro, todos os dias, se torna refém das picuinhas trazidas por eles. Hildon tinha que dedicar apenas um dia da semana para atender as demandas trazidas pelos edis. Tinha que se cercar de três ou quatro assessores competentes que definiriam prioridades do dia a dia e ter um chefe de gabinete com traquejo para lidar com os assuntos mais espinhosos. Enquanto ele perde tempo com as futricas, a população começa a achar que a armadura do cavaleiro não era assim tão brilhante.

A coisa só não está pior

Porque muitos ainda não querem dar o braço à torcer, reconhecendo que fez uma má escolha. O fenômeno outsider que pipocou nas eleições de 2016 está se mostrando um fiasco em todos os lugares que adotaram essa novidade. Política não é para amadores, e boa vontade não faz de ninguém um bom gestor. Se Léo Moraes seria melhor? Honestamente não sei responder a essa pergunta, mas certamente ele não teria se deixado envolver na teia a qual Hildon está perdido agora. E se ele não se encontrar rápido, vai ter problemas bem mais sérios no futuro.

Por falar em futuro

A pergunta do milhão nessas eleições é, Ivo Cassol registra ou não sua candidatura à governador? Essa resposta vai depender fortemente do jurídico de campanha que ele escolher. Os tribunais superiores estão constantemente revendo seus próprios entendimentos, e o que não podia, passou a ser novamente discutido. É inegável que a situação jurídica de Cassol é delicada, então, se estivéssemos em uma bolsa de apostas, eu diria que a possibilidade é de meio a meio.

Não se discute

É que o futuro de Cassol mexe com o tabuleiro das eleições em Rondônia. Sem entrar no mérito de pesquisas de opinião, entre os prefeitos que circulam por Brasília, o nome do senador é sempre lembrado como “forte concorrente” e alguns recordam com saudosismo de sua gestão. Cero também é que ele tem planos bem definidos para caso seja eleito, “tudo que eu podia errar, errei quando fui governador eleito e reeleito. Se Deus permitir que eu assuma o comando do Estado novamente, as coisas vão ser muito diferentes, a começar pela equipe. Hoje eu sei quem estava junto para trabalhar em benefício próprio. Já deu para saber quem são os traíras”, declarou o senador à coluna.

Vai pensar muito

Já o ex-senador Expedito Júnior, também muito lembrado quando o assunto é governo, anda pensando seriamente em ficar onde está. Apesar de ser o segundo do grupo, caso Cassol não consiga registro, Expedito avalia que sua vida anda bem tranquila ultimamente, “tenho tempo de me dedicar à família e cuidar um pouco de mim”, disse o ex-senador. Mas, a política fala mais alto. A pressão para que Expedito volte à vida pública é grande, e ele se livrou de todos os empecilhos jurídicos do passado, “sofri muito com acusações e condenação injusta, mas enfim, é a vida”, desabafou essa semana ao ser questionado se seria ou não candidato, “essa é uma decisão que não tomarei agora”, afirmou.

Contas à pagar

Confúcio Moura deixou algumas dívidas bem grandes nas eleições de 2014. Algumas ele pagou, outras jogou nas costas do MDB, que agora anda querendo fechar o balanço, mas algumas não estão fechando. Resta saber quem vai assumir o prejuízo, o partido ou Confúcio. “Pedalada” é com Confúcio mesmo. Que o digam as contas do Estado de Rondônia. À conferir nos próximos meses.

Sai mais não

Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, que pelo jeito só não roubou a estátua do Cristo Redentor porque ela pesa demais, levou mais uma condenação por lavagem de dinheiro e suas penas somadas chegam a um século. Isso mesmo, 100 anos de prisão acumulados. Como no Brasil ninguém fica mais que 30 anos preso, Cabral vai sair da cadeia com uns 85 anos…completou 55 no dia 27 de janeiro.

Evite redes sociais 30 minutos antes de dormir

Os jovens de hoje passam uma quantidade impressionante de tempo diante de telas – adolescentes entre 11 e 15 anos, por exemplo, entre seis e oito horas por dia, isso sem incluir o tempo gasto em frente ao computador para fazer as tarefas de casa. Aliás, até mesmo o adulto médio no Reino Unido passa mais tempo olhando para uma tela do que dormindo, indicam as pesquisas. Desde o crescimento meteórico das redes sociais, Brian Primack, diretor do Centro de Pesquisa em Mídia, Tecnologia e Saúde da Universidade de Pittsburgh, tem estudado seu impacto na sociedade. Junto com Kessica Levenson, ele examina as relações entre tecnologia e saúde mental, observando o lado bom e o ruim. Ao pesquisarem a possível ligação entre redes sociais e depressão, eles esperavam um efeito duplo – que as redes sociais pudessem às vezes aliviar a depressão e às vezes exacerbá-la, um resultado que pode criar uma curva em formato de “u” em um gráfico. No entanto, uma pesquisa com quase 2 mil pessoas revelou algo muito mais surpreendente. Não houve curva alguma, a linha era reta e em uma direção indesejável. Em outras palavras, um aumento do uso de redes sociais está associado a um aumento da possibilidade de sofrer de depressão, ansiedade e um sentimento de isolamento social. Mas há outro impacto preocupante. Em um estudo de setembro de 2017 com mais de 1,7 mil jovens adultos, Primack e seus colegas descobriram que, em termos de interação nas redes sociais, o horário do dia tem um papel fundamental. O engajamento durante os últimos 30 minutos do dia era o mais forte indicador de uma noite de sono ruim. “Era completamente independente do tempo total de uso durante o dia”, diz Primack.

Coluna – Confúcio deixa governo dia 12 de março; e o novo “jênio” do governo que foi condenado por fraude

É mais um que integra a longa lista de enganadores que passou pelo governo da cooperação; E ainda, Confúcio vai “trair de novo”

Antecipando

Daniel Pereira assume o comando do Estado dia 12 de março, data em que Confúcio Moura renuncia ao mandato. O governador pretende disputar uma das duas vagas ao Senado nas eleições desse ano. Confúcio só precisaria sair em abril, e a antecipação faz parte de uma estratégia para fortalecer Daniel Pereira e dar mais tempo para que ele possa “mostrar serviço” e se capitalizar para disputar o governo.

Com isso

Fica bem claro que Confúcio não anda nem um pouco preocupado com a candidatura de Maurão de Carvalho, a quem Moura deve sua permanência no governo. Com dezenas de irregularidades, escândalos e muita explicação faltando, não fosse a leniência do Legislativo, Confúcio Moura sequer estaria fechando esse segundo mandato. Ao invés de ajudar Maurão, o governador resolveu traí-lo na cara dura, assim como fez com Raupp e todos os demais membros do MDB.

Engodo

O governo de Confúcio é marcado pelo engodo e enganação, virou uma verdadeira “curva de rio” onde engancharam alguns profissionais na arte da enrolação e do papo furado. Outros se vendem como “gênios” de qualquer coisa, em qualquer área. Para quem não sabe ou não lembra, Confúcio arrastou para Rondônia, e envolveu em um grave escândalo, o ex-ministro “de coisa nenhuma” Mangabeira Unger, pagando passagens com recursos públicos, alugando um apartamento caríssimo para que ele usasse uma semana por ano porque não gosta de hotéis. Isso foi ainda no primeiro mandato de Confúcio. E nos últimos tempos, ele arrumou um pseudo-escritor-produtor-marqueteiro-gênio das redes sociais que atende pelo pseudônimo de “Augusto Branco”, mas se chama Nazareno Vieira de Souza. E não, não é o “Professor Nazareno”.

Agora olha essa

Nazareno Vieira de Souza, ou Augusto Branco Tagliani Arenhart, ou Rogerio Romeu Dias e Silva, ou Carlos Eduardo Silva Pontes, ou  Cassiano Bulhosa Feijó, ou Celso Gomes dos Reis e Wilson Moreira da Cruz são todos a mesma pessoa. Nazareno foi condenado em 2016, a 3 anos e 6 meses de prisão por ter criado 88 (isso mesmo, oitenta e oito) CPFs e RGs entre agosto e setembro de 2005, quando trabalhou na Caixa Econômica em São Paulo, para obtenção de financiamentos fraudulentos. Ele recorreu da sentença e a Justiça Federal reduziu para 3 anos. Para entender o golpe todo (a história é longa) CLIQUE AQUI e veja a sentença. E é essa pessoa, com esse histórico, que atualmente circula pelo governo de Rondônia como “novo gênio”.

“Mundialmente conhecido”

Chegado a “escrever poemas” ele se vende como “grande escritor, de projeção mundial”, e vem ocupando espaços em áreas do governo sensíveis, como a educação. Nazareno é irmão da secretária de Assuntos Estratégicos do governo, Rosana Cristina Vieira de Souza e eles andam com uns projetos daqueles que gastam muito dinheiro e nenhum resultado. Estão bolando um tal “Facescola”, e foi lá, pelo Facebook que Nazareno mostrou seus dotes. Nas eleições de 2014 ele foi condenado pela Justiça Eleitoral por ter criado uma página para atacar o então candidato Expedito Júnior e exaltar Confúcio Moura.

E é assim

Que o governo da enganação vem agindo desde sempre, sorrateiramente, dando espaço para pessoas com passado (e presente) extremamente duvidosos, que vão se criando. A última do Nazareno foi ter usado a página dp evento público Infoparty para promoção pessoal e familiar.

Para encerrar o assunto

Mais conhecido como Augusto Branco (um dos nomes que ele fraudou para obter financiamento), nome que ele usa para se vender como poeta, criou até uma historinha, “ele conta que o pseudônimo veio do tempo de escola, quando a professora sempre o confundia com um amigo de classe que se chamava Augusto. Então, certo dia a professora de Português pediu para que todos escrevessem um texto literário e assinassem com um pseudônimo. Ele não teve dúvidas, assinou Augusto Branco. ‘Eu só lembrei dos palhaços de Shakespeare, o Augusto e o Branco, que representam opostos da natureza humana, e assinei assim um de meus primeiros poemas’, recorda. E tem uns tontos que acreditam nisso.

Vai trair, de novo

Acir Gurgacz, apesar de toda sua complicada condição jurídica, afirmou que pretende ser candidato ao governo em 2018. Ele conta com a ajuda de Confúcio (assim como Maurão), mas pelo jeito o governador vai passar uma rasteira também em Acir. Confúcio tem duas opções, caso saia do MDB, o PSB de Mauro Nazif e o DEM, que ele estaria negociando para tomar o controle que atualmente está nas mãos de Marcos Rogério.

Vitaminadas

E teve início a divulgação de pesquisas eleitorais “vitaminadas”, com números confusos com o propósito de influenciar o eleitor. O que não faltam são números escandalosamente manipulados, que contribuem enormemente para o descrédito dos institutos.

Duas coisas

Que uma pessoa precisa ter em Brasília é um crachá (ou broche) e trânsito entre as autoridades. O crachá é conquistado ou por cargo na estrutura de um dos três poderes e o broche pelo voto. O trânsito é mais complicado, não basta ter o broche, tem que ter influência, conquistada com relações ao longo dos anos. Brasília é complicada, e quem chega de paraquedas não consegue passar da maioria das recepções. Prefeitos, vereadores e parlamentares estaduais que vem à capital federal em busca de recursos ou projetos, sentem isso na pele. Quando não estão acompanhados de algum parlamentar federal com trânsito, ficam nas longas filas.

É por isso

Que se torna tão necessário que os parlamentares federais sejam pessoas com mínimo preparo e clareza sobre o funcionamento da estrutura. Evidente que o eleitor, em sua grande maioria, não tem compreensão sobre as engrenagens que movem essa máquina complexa que é o Brasil, e cobram coisas simples de seus representantes, como a honestidade. Mas o problema é exatamente esse. Ao oferecer seu voto em troca de alguma vantagem pessoal, você já inicia o processo de forma corrompida, e o resultado a gente vê depois, imprensa massacrando políticos, justiça julgando com base na legislação e o povo sofrendo. Por isso lembre-se, por vezes, trocar o carro velho que você já conhece os enguiços por outro que você acha que é novo só porque recebeu uma pintura, nem sempre é uma boa idéia. Normalmente o motorista fica à pé. Não, não estou defendendo ninguém, apenas pedindo para você eleitor, prestar muita atenção às novidades que costumam surgir nesses períodos que antecedem as eleições.

Nove fatores que prejudicam o fígado

Ainda na ressaca das festas de fim de ano, férias e carnaval? Judiou do “figueiredo” com whisky, cerveja e muita feijoada né? De acordo com a revista “Health”, são nove os fatores que podem danificar a saúde do fígado e, por isso, desencadear de uma forma direta ou indireta vários tipos de doenças hepáticas. 1 – Obesidade, pois aumenta consideravelmente o número de células gordas no fígado, deixando-o incapaz de funcionar corretamente. 2 – Consumo regular ou diário de refrigerantes, péssimo hábito que aumenta a gordura no fígado. 3 – Ingestão constante de paracetamol, um remédio que, quando consumido em altas doses, pode causar falência hepática. 4 – Ingestão a longo prazo de esteróides anabolizante. 5 – Sofrer de hepatite B ou C, duas variantes da doença crônica que mais desencadeia câncer no fígado. 6 – Doenças hereditárias como a hemocromatose, caracterizada pela absorção elevada de ferro. Esta condição pode provocar cirrose ou uma potencial falência hepática. 7 – Doenças auto-imunes, que, por si só, levam o próprio organismo a atacar o fígado. 8 – Ser um fumante, pois este hábito não só aumenta o risco de cirrose, como também de câncer no fígado (e noutras partes do corpo). 9 – Consumir bebidas alcoólicas de forma exagerada faz com que as pessoas ganhem uma condição chamada de cicatrização do fígado, além de que aumenta o risco de cirrose e outras doenças hepáticas.

Coluna – Maurão reage e cobra definição na candidatura de Confúcio

E ainda, 2018 o ano que acabou logo no início para Gurgacz e Capixaba, Emerson Castro é multado pelo TCE por irregularidades na Seduc

Repercussão

As condenações do deputado federal Nilton Capixaba (PTB-RO) e do senador Acir Gurgacz (PDT-RO) não chegaram a causar surpresa na classe política, o que surpreendeu foi a dosimetria aplicada em ambos os casos. Capixaba foi condenado a 6 anos e 4 meses em regime semi-aberto e como se trata de segunda instância, está sujeito a ter um mandado de prisão expedido a qualquer momento. Já o caso de Gurgacz, que depende da Mesa, é um pouco mais complicado, mas nos corredores do Senado rumores que circulam apontam que ele não terá a mesma sorte que teve o senador mineiro Aécio Neves, “não dá para comparar Aécio com Acir. Exceto pelo nome de ambos começarem com a letra “A”, Neves faz parte da elite política brasileira, já Acir…”, disse um parlamentar que para evitar bate-boca prefere o anonimato.

Sem torcida

O ex-senador Expedito Júnior (PSDB-RO), que teve o mandato cassado por um processo onde Gurgacz movimentou tudo que podia para atrapalhar a vida do tucano, e depois assumiu sua vaga, se limitou a dizer que “cada um colhe o que plantou”, e que “não ficou feliz com o resultado, mas também não ficou triste”. A mesma resposta deu o senador Ivo Cassol, desafeto declarado de Gurgacz, complementando “ele me ofendeu, falou o que bem entendeu, mas eu não fui condenado por crime doloso, tanto é que minha pena não prevê perda de mandato, já o caso dele, não dá para dizer a mesma coisa”.

Politicamente

É unanimidade entre todos os políticos ouvidos por Painel Político, entre prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais, que as carreiras de Nilton Capixaba e Gurgacz estão encerradas por um bom tempo. Nilton disputaria a reeleição e Gurgacz sonhava com o governo. O STF enterrou ambas pretensões. Com isso, Cacoal, reduto de Capixaba, passa a ser disputado pelos demais parlamentares que devem ocupar espaço. Mas, o deputado deve continuar no comando do PTB e mesmo não podendo disputar, vai fazer parte do processo político regional.

Já Gurgacz

Tem dois caminhos a seguir, pode compor com Daniel Pereira, integrando time de campanha e talvez indicando vice, ou “recolher os flaps”, como se diz na aviação, e brigar para tentar a reeleição daqui a quatro anos. Fato é que 2018 acabou ainda no início do ano, para ambos.

‘Jus sperniand’

No jornal da família Gurgacz (aquele que tem mais de 20 anos e pouco mais de 6 mil curtidas no Facebook), Acir se manifestou e declarou que “vai manter sua candidatura ao governo” e que “acredita conseguir reverter sua condenação no Pleno do STF”. Advogados ouvidos por PAINEL POLÍTICO informaram que ele pode até conseguir uma redução no pagamento das multas, mas a condenação dificilmente será revertida”.

Falando em eleições

Maurão de Carvalho está conduzindo um movimento de rebeldia dentro do MDB. Em contato com a coluna nesta quarta-feira, informou que não vai mais permitir que membros do governo, capitaneados por Confúcio Moura, interfiram nos trabalhos da Assembleia, e que a permanência do governador nas fileiras do partido vem causando um tremendo mal estar, vez que ele não se compromete com as diretrizes da legenda. Maurão lembrou que cumpriu todos os acordos e “esperou demais” por uma definição de Confúcio, “ele fragiliza o partido com essa coisa de que sai ou fica. Tem que resolver”.

O que falta?

A assembleia Legislativa tem pelo menos duas CPIs que não foram implantadas por falta de assinaturas. Elas deveriam estar em andamento investigando o caso do pagamento de R$ 30 milhões a uma construtora através de um acordo na justiça arbitral, cheio de ilegalidade e a desapropriação de áreas para recolocar os desabrigados da cheia do Madeira, com pagamentos superfaturados (em um dos casos o governo da cooperação pagou R$ 4,1 milhões em uma área comprada 9 meses antes pela bagatela de R$ 60 mil).

Mais uma rasteira

Um grupo de deputados estaduais, entre eles Maurão de Carvalho, conversou com Confúcio Moura e pediu para que ele mantivesse os comandantes da Polícia Militar. Confúcio fez o salamaleque de sempre, ligou para Emerson Castro e disse que “estava tudo certo”. Porém, esse foi mais um dos compromissos políticos que o governador não honrou. Na manhã desta quarta-feira, em solenidade oficial comandada por Daniel Pereira, a PM passou a ter um novo comando.

Vem aí

O deputado estadual Léo Moraes conseguiu com que o governo convocasse os 257 PMs, 23 policiais civis (15 delegados e 8 escrivães) e 20 bombeiros que havia sido aprovados no último concurso, e já emendou pedindo um novo certame. Segundo Moraes, existe uma defasagem imensa na área da segurança que precisa ser urgentemente resolvida. A promessa ele ganhou, já o edital…

O problema

É que por mais que a equipe governista alardeie que está “com as contas em dia”, o Estado não tem recursos para investimentos, principalmente em pessoal. Confúcio, que adora criticar o inchaço da máquina pública, abarrotou a folha com apadrinhados e cargos sem função prática com altos salários. O resultado é um monstro movido à comissionados. Bom lembrar que Daniel Pereira tem a mesma “pegada administrativa”.

Balão de ensaio

É só eu que estou sentindo o cheiro de candidatura presidencial no ar com a superexposição da pauta “segurança pública” tendo Raul Jungmann como “grande justiceiro do Brasil”?

Plano da enganação

O governo de Rondônia copiou (mais um) projeto do governo de Goiás e resolveu aplicar na educação. O Projeto Gênesis, um remanejamento de pessoal que na prática troca seis por meia dúzia vem sendo vendido como “o grande avanço educacional” e não é. Referência em educação é o Maranhão, que elevou o salário inicial do professor de 40h para R$ 5.750,00. Isso é investimento.

Falando em educação

Para quem não sabe ou não lembra, Emerson Castro foi secretário de educação por um período e no último dia 27, o Tribunal de Contas do Estado julgou irregulares (e multou) Emerson pela aquisição de câmeras de vigilância para as escolas do Estado sem que a licitação fosse feita pela Seduc, gerando, segundo o TCE, “perda da economia de escola e, portanto, de eficiência na realização da despesa; e ainda por falha no planejamento da substituição da vigilância presencial pela eletrônica, sem que a adoção de medidas suficiente à implantação tempestiva da vigilância eletrônica, tais como produção de estudos e projetos que contassem com os elementos necessários para a perfeita caracterização do serviço (mapeamento dos equipamentos necessários para cada escola, tai como: projetos individualizados; padronização; ART do responsável; parecer técnico e jurídicos”. Tá tudo AQUI

O que se sabe sobre a ligação entre o consumo de álcool e a demência

Há uma série de razões pelas quais beber muito álcool regularmente não é uma boa ideia. Isso pode gerar danos ao fígado, ao coração e ao cérebro e é ruim para a saúde em geral, por isso a recomendação de médicos britânicos é que não sejam consumidas mais do que 14 unidades de álcool por semana – o equivalente a quase dez latas de cerveja ou sete taças de vinho. Mas as pesquisas, incluindo uma divulgada recentemente, apontam que beber em excesso pode ter outro malefício: aumentar o risco de uma pessoa desenvolver demência. O novo estudo foi publicado no periódico científico Lancet Public Health e realizado na França com mais de 1 milhão de adultos que têm esse problema. Os pesquisadores descobriram que ser hospitalizado por alcoolismo ou outros problemas de saúde decorrentes do consumo excessivo de bebidas é um forte fator de risco para a progressão da demência, especialmente no surgimento precoce dos sintomas, antes dos 65 anos. Mas é difícil definir se essa é uma associação direta ou apenas um dos fatores entre muitos. Pessoas que bebem de forma excessiva têm maior tendência a fumar, ter depressão e levar vidas pouco saudáveis – fatores que aumentam o risco da demência. A demência é considerada, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma síndrome – um conjunto de sintomas que podem ter causas diversas, como doenças e outros danos. Ela leva à deterioração da memória e de funções cognitivas, tendo também impactos psicológicos e sociais.

Coluna – Maurão pode mudar o cenário político de Rondônia; basta querer

O que falta?

Confúcio Moura teve as contas como prefeito de Ariquemes reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado e como governador, também teve suas contas rejeitadas no mesmo tribunal por dois anos seguidos. Até hoje a Assembleia Legislativa não se manifestou sobre isso, e deveria, afinal Confúcio deve explicações, e muitas sobre seus gastos. Mas, escovado, Confúcio escalou seu fiel escudeiro, Emerson Castro para acalmar Maurão de Carvalho, o único que tem força para resolver, de uma vez, a bagunça que vem sendo armada por Moura e sua turma no Estado.

Falta firmeza

Falta a Maurão se livrar da influência que vem sofrendo por parte de membros do governo, e do MDB, que estão enrolando o presidente da Assembleia desde sempre. Confúcio descumpriu sistematicamente todos os acordos políticos que foram feitos, inclusive o apoio do próprio Confúcio à sua candidatura. Maurão está no MDB como um “visitante”, quando deveria estar como dono da casa. Ele tem mandato, tem o comando do principal poder na estrutura do Estado e permite que fiquem usando sua pré-candidatura como “moeda de troca”.

Protagonista

Maurão se consolidou com uma liderança política de peso desde que saiu da sombra de Ivo Cassol. Vem fazendo uma gestão tranquila como presidente, coisa rara por essas bandas, não se envolveu em escândalos, e mesmo assim vem deixando que outros conduzam o processo. A ausência de Confúcio em pelo menos dois eventos importantes para Maurão comprovam que o governador não dá muita bola para o sonho do deputado de governar Rondônia. Maurão precisa tomar as rédeas de seu futuro político e se colocar como protagonista do jogo, do contrário, vai virar história, e ficar conhecido como o “marido traído”, aquele que todo mundo sabe, mas ele mesmo vendo o vídeo, não acredita na traição.

Game over

O senador Acir Gurgacz foi condenado a quatro anos, seis meses e 228 dias-multa por crimes contra o Sistema Financeiro Nacional, nesta terça-feira pelo Supremo Tribunal Federal. O Senado deverá decidir pela perda de mandato, prevista na sentença, coisa que não tem na condenação de Ivo Cassol. Para Gurgacz, a condenação enterra suas pretensões de disputar o governo. E ele ainda terá que pagar uma multa no valor de 5 salários mínimos/dia de 228 dias (valor vigente à época).

E cabe recurso?

Cabem embargos de declaração e embargos infringentes, mas o próprio STF vem rejeitando sucessivamente esses recursos, que a Corte considera meramente protelatórios. A conclusão, entre publicações, prazos, etc, deve adiar o cumprimento da sentença por alguns meses. De qualquer forma, o prejuízo político para Acir é inegável e complica inclusive a permanência dele dentro do PDT, que vem tentando ser o “mais limpo possível”. E o candidato à presidência do partido, Ciro Gomes, não é chegado a “alisar” políticos condenados quando se trata de críticas. Resta saber como Carlos Lupi vai conduzir esse processo internamente.

“Virou”

Sobre a condenação de Acir, Ivo alfinetou, “ele desejou pra mim uma tornozeleira ou uma cela com grades. Eu não desejo o mal de ninguém, mas ofereço a ele tudo que ele quis dar para mim”, cutucou o senador, desafeto declarado de Gurgacz.

Olha essa

A bancada federal destinou ano passado R$ 150 milhões para os municípios de Rondônia adquirirem equipamentos, como tratores, caminhões, pás carregadeiras, etc. Ainda ano passado o Estado conseguiu licitar as caçambas e o governo federal repassou R$ 30 milhões (serão cinco parcelas de R$ 30 milhões). Mas agora em 2018 começa o problema de verdade.

Explico

Os recursos são para comprar 28 motoniveladoras, 440 tratores de pneus com grade aradora e carreta, 14 escavadeiras hidráulicas, 47 pás carregadeiras, 43 retroescavadeiras, 87 caminhões caçambas traçados e trucados, 4 caminhões de carroceria de madeira, 2 micro ônibus adaptados para cadeirantes e 8 micro ônibus normais. Esses equipamentos devem ser distribuídos entre os 52 municípios, mas a licitação está longe de desenrolar e o mais grave, o governo federal não tem dinheiro e nem tempo devido às eleições. Como não se pode realizar nenhum tipo de ato, como entregas, contratações ou inaugurações nos meses que antecedem as eleições, dificilmente essas compras serão concluídas agora em 2018.

Outro ponto

A bancada federal havia colocado no projeto de compra, para que fosse inserido no edital de licitação, a exigência de que as empresas que vendessem esses equipamentos, tivessem serviços de revenda de peças e manutenção no Estado, o que foi rejeitado pelo governo federal, alegando que isso seria um “direcionamento de licitação”. Como o sistema de compras funciona com “menor preço”, certamente a vencedora será alguma empresa que importa maquinário da China. Preço baixo, qualidade baixa e sem peças de reposição. O resultado, um desastroso pátio cheio de máquinas quebradas em menos de um ano.

E mais

Esses equipamentos se transformam em uma tremenda dor de cabeça para alguns prefeitos, que tem outras prioridades. Nesta quarta-feira, 28, a bancada federal deve se reunir para que cada parlamentar apresente as indicações, definindo para onde vai cada um dos maquinários. A parte da bancada foi feita, o problema está no governo do Estado, que não consegue fazer as licitações e em alguns municípios, que estão inadimplentes. E mesmo que tudo estivesse “ok”, o governo federal não tem o dinheiro para liberar.

E fechando

Michel Temer, ao menos esse ano, deve concentrar todos os esforços na pauta da segurança pública. Nenhuma matéria de interesse do governo está prevista, então os parlamentares não terão uma “moeda de troca” para negociar. Portanto, prefeito que estiver aguardando esse maquinário para 2018, pode começar a buscar outra solução.

Tic-tac

Em 2015, PAINEL POLÍTICO revelou com exclusividade, que o governo do Estado havia desapropriado uma área na margem esquerda do Rio Madeira para doar às famílias que haviam ficado desabrigadas com a enchente de 2014. A área de 40 hectares havia sido comprada 9 meses antes da desapropriação pela bagatela de R$ 60 mil e o governo pagou R$ 4,1 milhões. O processo todo feito administrativamente e o dono era um auditor fiscal do Estado. Pois é, a água está rolando…

Reconhecimento

Recebi nesta terça-feira, das mãos do radialista Fábio Camilo, presidente da Federação Nacional dos Comunicadores, a medalha Abelardo Barbosa (O Chacrinha), que foi entregue a comunicadores do Brasil em um grandioso evento que aconteceu em dezembro de 2017 no Rio de Janeiro. Infelizmente, por compromissos marcados anteriormente, não pude comparecer, mas Fábio fez a gentileza de me entregar. A medalha é o reconhecimento pelo meu trabalho em PAINEL POLÍTICO, que neste ano completa 9 anos. Quero deixar registrado meu agradecimento à Fenacom, uma entidade que vem crescendo em todo país, pela homenagem.

Estudo afirma que para emagrecer tanto faz cortar gordura ou carboidratos

Cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, compararam os efeitos das dietas com redução de carboidrato e de gordura. Mas o que é melhor para emagrecer? Os resultados estão na revista médica “Journal of the American Medical Association” (JAMA).
Segundo os cientistas, quando se fala em redução de peso, as duas opções têm efeitos similares: levam à redução de peso de forma equivalente. Eles também tentaram responder se os níveis de insulina ou algum padrão genético específico poderia prever o sucesso de uma pessoa com uma dieta – e a resposta é não, apesar dos achados ainda precisarem de mais considerações na avaliação dos próprios cientistas. Para o nutrólogo Hélio Osmo, os resultados do estudo são “decepcionantes”, principalmente no que tange à não influência da genética na escolha da dieta. O nutrólogo não esteve envolvido diretamente no estudo, mas analisou os resultados da pesquisa. “Em relação à saúde, o estudo mostrou o que já é conhecido: para baixar o colesterol, melhor uma dieta pobre em gordura. Para diminuir triglicérides, melhor uma dieta baixa em carboidrato”

Confira todas as edições impressas de PAINEL POLÍTICO

PAINEL POLÍTICO disponibilizou nesta terça-feira, 30, 15, das 17 edições da revista PAINEL POLÍTICO, que circulou durante os anos de 2010 a 2014 em Rondônia e Brasília.

A 14ª edição, que trouxe na capa o ex-deputado estadual Adriano Boiadeiro, foi alvo de processo da justiça eleitoral e sua circulação chegou a ser contestada, mas ela foi liberada e o parlamentar, à época, absolvido. Boiadeiro travava uma batalha para provar sua inocência após ter sido acusado pela polícia civil de Rondônia de ter contratado servidor fantasma em seu gabinete.

A primeira edição da revista circulou no final de dezembro de 2010 e trouxe como reportagem de capa a divisão orçamentária que havia sido feita pela Assembleia Legislativa. Em janeiro de 2011, Confúcio Moura assumia o governo com um orçamento de pouco mais de R$ 5 bilhões.

A segunda edição de PAINEL POLÍTICO foi histórica, um dos últimos trabalhos do jornalista Paulo Queiroz, que colaborou com a edição produzindo a reportagem sobre os elefantes brancos, as obras públicas abandonadas em Porto Velho e no Estado. A capa, produzida pelo diagramador César P. Faria, foi uma obra de arte. Aliás, César foi o responsável por todas as artes das revistas e cada uma das capas, era tratada com primor e profissionalismo digno de grandes edições nacionais.

A edição seguinte de PAINEL POLÍTICO foi uma das mais tristes, trazia a memória da perda de três grandes figuras de Rondônia, Paulo Queiroz, que faleceu em 9 de março de 2011, o carnavalesco Manelão, fundador da Banda do Vai Quem Quer, uma das maiores do Brasil, que morreu no dia 1 de março e do deputado federal Eduardo Valverde, vítima de um acidente automobilístico no dia 11. A Morte dos Magos, foi a terceira edição da revista.

Capa da revista Painel Político

Falamos ainda sobre a Operação Termópilas, Operação Dominó, os escândalos do TRT de Rondônia no caso dos precatórios do Sintero, o descaso com o patrimônio histórico e a morte precoce de adolescentes por ex-namorados.

PAINEL POLÍTICO também mostrou os desmandos na Fiero, a invasão do crack em Porto Velho e uma edição especial de novembro e dezembro de 2012 que apontava o então Procurador Geral de Justiça, Héverton Aguiar como o “homem do ano”, devido a sua atuação no combate à corrupção. Nos próximos dias estaremos disponibilizando todas as edições.

As revistas eram editadas inicialmente por Alan Alex e a partir da quarta publicação a editoria ficou à cargo de Rafaela Schuindt.

As revistas estão disponíveis para download e para leitura em qualquer dispositivo. 

CLIQUE AQUI para acessar as revistas e relembre os principais acontecimentos em Rondônia.

Chefe da Casa Civil estaria impedindo diálogo entre servidores da Caerd e governo

O Governador Confúcio Moura deve enfrentar a sua primeira greve por atraso na folha de pagamento de servidores públicos. A greve se dará no CPA e tem como atores a Diretoria da CAERD e os colaboradores da Companhia que estão com os salários em atraso.

A causa, razão, motivo e circunstância do atraso na folha de pagamento dos funcionários da CAERD, chama-se Iacira Azamor, que resolveu priorizar a contratação de comissionados e pagamento de fornecedores, de forma desenfreada e descabida, causando descontrole nas finanças da Companhia.

O Problema deve ficar ainda pior, financeiramente falando, pois a Companhia tem apenas dois meses de arrecadação até o fim de 2017 (Novembro e Dezembro), mas tem pelo menos 5 folhas a serem pagas (Setembro, Outubro, Novembro, Dezembro e o Décimo). Não bastasse isso, as arrecadações nos primeiros meses do ano normalmente despencam e 2018 não deve ser diferente, ou seja, a tendência é da Companhia continuar com o atraso até o fim do mandato de Confúcio Moura, caso não haja vontade política de se resolver o imbróglio.

Emerson Castro, fator conflitante

Após uma reunião do Sindicato que representa a categoria dos trabalhadores da CAERD, com os principais Secretários do Governo, o Chefe da Casa Civil Emerson Castro tem criado dificuldades dentro do próprio Governo para que o diálogo chegue até o Governador, que deve dar uma resposta sobre intenção de dialogo do executivo com os trabalhadores.

Na reunião que contou com a participação de George Braga, Wagner Garcia, Juraci Jorge e Emerson Castro, o sindicato apresentou algumas alternativas ao Executivo, ficou combinado que ao menos a folha de pagamento seria regularizada e iniciariam um diálogo para tratar do futuro da Caerd e dos seus trabalhadores efetivos.

Entretanto, nenhum resposta retornou da reunião. Nos últimos dias, fontes palacianas, revelaram discussões acaloradas e mal-estar entre o governador, seus principais secretários de Estado com a pessoa de Emerson Castro.

Exoneração dos Comissionados e Bloqueio das contas da CAERD

Enquanto o governa tenta alinhar, o Sindicato dos Urbanitários de Rondônia pediu que a Justiça do Trabalho bloqueie todas as contas da Caerd, para que a empresa pague os três meses de salários atrasados, além de encargos e rescisões.

Na audiência e em Contestação, a Companhia informou incorretamente o juíz ao afirmar que a folha de agosto estaria quitada, entretanto restou um pequena parcela de trabalhadores que receberam dois dias depois da audiência, e alguns que receberam hoje (06/11), segundo o sindicato.

Após a declaração de inconstitucionalidade da Lei n. 3.778/2016 do Estado de Rondônia, que criou cargos comissionados na Companhia de Águas e Esgotos do estado, o TRT da 14ª Região determinou para que a Presidente Iacira Azamor exonerasse todos os cargos comissionados, a CAERD tem até esta segunda-feira (06/11) para exonerar absolutamente todos os CAS’s.

CAERD quer mais cargos comissionados

Mesmo com dificuldades financeiras, com folha de pagamento em atraso por três meses e sem quitar seus débitos e com várias decisões judiciais determinando a redução nos quadros e exoneração de todos os cargos comissionados, a companhia de Águas e Esgotos de Rondônia – CAERD, pretende criar 48 cargos temporários.

A mensagem 243 protocolada na Assembléia Legislativa, afirma que existe a necessidade desses cargos para a gestão das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que nunca foram adiante.

Os deputados retiraram de pauta a votação do projeto. Alguns declararam na tribuna serem contrários, frente a pressão dos colaboradores da empresa que lotaram o auditório da casa de leis.

De acordo com informações do Sindur, a paralisação acontece a partir desta terça-feira em frente ao CPA – Centro Político Administrativo, na Av. Farquar, a partir das 7 da manhã.

Coluna – Diretor do DER segue fazendo promoção pessoal com máquina pública

Falamos sobre isso

O ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, ao se ver encalacrado com a justiça, resolveu fazer uma delação premiada e entregou geral. Mas, além de documentos, ele apresentou vídeos mostrando prefeito, deputado e ex-deputado recebendo propina nas mais variadas negociatas. Porém, uma em especial chamou a atenção, foi o pagamento de R$ 1 milhão a ex-deputada federal e atual prefeita de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira. A propina era um adiantamento para que a então parlamentar liberasse R$ 10 milhões em emendas dela própria para obras de saneamento. PAINEL POLÍTICO revelou no início desse mês como funciona esse esquema, que virou praxe no Congresso por boa parte dos políticos corruptos.

Adiantamento

Só para refrescar a memória rapidamente, funciona assim, o deputado destina um valor “X” para determinada obra. Ele então solicita ao prefeito (ou governador) um percentual, normalmente 10% do valor da emenda, adiantado para poder liberar o recurso. No caso da ex-deputada, Silval Barbosa declarou que deu o calote, pagando apenas parte do valor combinado. Essa prática está na mira da PF e em breve teremos uma bomba estourando.

Chupinguaia, de novo

Os vereadores da pequena Chupinguaia em Rondônia, são chegados em uma viagem. E não é de agora. Em 2013 PAINEL POLÍTICO repercutiu levantamento que havia sido feito pelo jornal Extra de Rondônia, mostrando que, de janeiro a outubro daquele ano eles tinham recebido dos cofres municipais, R$ 111.850 em diárias. Passados 4 anos, uma nova legislatura, mas com velhas manias. Os atuais vereadores da cidade já receberam esse ano R$ 100 mil em diárias. E assim como seu antecessor, o atual campeão em gastar o dinheiro público é o presidente da casa Toninho Bertozzi. Ele recebeu R$ 18.700. Em 2013, o presidente Roberto Pinto havia recebido R$ 32.250. Chupinguaia tem pouco mais de 10 mil habitantes.

Romaria

E Brasília é um dos destinos preferidos dos vereadores desses municípios pequenos. Eles visitam gabinetes, tomam café, passam no plenário para conhecer e seguem para casa de amigos, parentes ou hotéis. O resultado prático dessas viagens é menos que zero, já que deputados e senadores estão sempre visitando esses municípios. Outros preferem ir à Porto Velho, onde lotam os corredores da Assembleia, enquanto sangram os cofres municipais.

Cadê o Ministério Público Eleitoral?

O atual diretor do DER, Ezequiel Neiva vem utilizando a máquina pública para se promover quase que diariamente, em clara propaganda eleitoral antecipada. Ele é candidatíssimo em 2018 e anda aparecendo mais que poeira e fumaça durante a estiagem em Rondônia.

Eletrobrás

Nos Estados Unidos o parque hidroelétrico, que corresponde a 15% da matriz energética, é estatal federal, porque lá se acredita que energia elétrica, que envolve recursos hídricos são de interesse nacional e não podem ser privados. Lá há muito cuidado com água, rios e represas e nunca se pensou em privatizar. No Brasil, Ao governo federal fez uma avaliação de R$ 20 bilhões para a venda da Eletrobrás, o que equivale a menos da metade de uma usina como Belo Monte. A Eletrobrás tem 47 usinas hidroelétricas, 114 térmicas e 69 eólicas, com capacidade de 47.000 MW, o que a faz provavelmente a maior geradora de energia elétrica do planeta. É uma empresa tão estratégica quanto a Petrobras. Mas, em breve deve cair nas mãos de empresas estrangeiras. E não se engane, os produtores desse filme são os mesmos daquele “vamos cobrar pela bagagem nos voos porque o preço das passagens vão reduzir”.

Apagão

E nesta terça-feira o desligamento acidental de da linha de transmissão deixou Rondônia e Acre sem energia elétrica. A interrupção começou às 15h48 e o restabelecimento das cargas teve início às 16h15 em Porto Velho e às 16h40 em Rio Branco. Segundo a Eletrobras Distribuição Rondônia, a interrupção ocorreu por causa da atuação da proteção do sistema de transmissão, que afetou parte do estado desde o município de Pimenta Bueno até o Acre. Ainda não se sabe o que fez com que o sistema de proteção tenha sido ligado automaticamente.

Caminhar 10 minutos por dia reduz risco de morte em 15%, dizem britânicos

Um guia do Serviço de Saúde Pública da Inglaterra está estimulando britânicos a caminhar pelo menos 10 minutos por dia. A diretriz tem por base estudos que apontam que, mesmo essa pequena quantidade, reduz o risco de morte precoce em 15%. A caminhada deve ser diária e é necessário manter o ritmo — o passo tem que ser de 5 km/h durante todo o período. “De uma maneira geral, [a caminhada] reduz os fatores de risco para a doença cardiovascular, melhora o controle do peso, do colesterol e da pressão”, disse Otávio Rizzi Filho, cardiologista da Universidade Estadual de Campinas.Segundo estudo do Serviço de Saúde Pública Britânico, mais de 6.3 milhões de ingleses não conseguiam atingir sequer a meta de dez minutos diários. O estudo fez com que o governo lançasse um aplicativo para estimular os ingleses. Chamado de “Active 10”, o app gratuito consegue medir quando o usuário está conseguindo manter o ritmo de 5 km/h por meio de sensores do celular.

Coluna – STF caminha para absolver Cassol e abre caminho para o governo

Ação penal contra senador deve ir à julgamento ainda esse ano; e ainda, morte de filho de Rover, um crime que poderia ter sido evitado

Crime de oportunidade

Uma verdadeira tragédia se abateu sobre a família do ex-prefeito de Vilhena José Rover neste fim de semana, quando seu filho foi morto, dentro de casa, durante uma tentativa de assalto. Uma dor indescritível um pai enterrar um filho. Pior, uma morte que poderia ser evitada se o Estado investisse adequadamente em segurança. Foi um crime de ocasião, mas a falta de policiamento nas ruas causa isso, permite que bandidos fiquem à espreita, que circulem pelas madrugadas sem incômodo. O sucateamento da segurança pública em Rondônia tem nome e sobrenome, Confúcio Moura.

Não é de hoje

Que criticamos esse desmonte irresponsável que foi feito na gestão do PMDB. Investimentos sem critérios, fechamento de delegacias, obras eleitoreiras que foram priorizadas ao invés de investimentos em segurança, redução no efetivo e sucateamento do que restou. Crimes como esse podem ser evitados com viaturas nas ruas, policiamento ostensivo e aumento do efetivo.

Descaso

E Rondônia pode perder 30% dos royalties das usinas do Madeira e Samuel em função da privatização da Eletrobrás. Uma audiência pública foi realizada para debater o assunto na Assembleia Legislativa e buscar alternativas, mas dos 24 deputados estaduais apenas três estavam presentes, Léo Moraes e Lazinho da Fetagro. Algum tempo depois chegou Hermínio Coelho Os demais estavam ocupados com afazeres ‘mais importantes’. A prefeitura de Porto Velho e o governo da cooperação enviaram representantes que chegaram depois do início dos debates, a Câmara de Vereadores não mandou ninguém. Sinal que os edis devem estar muito atarefados.

5 anos e 4 meses

Essa foi a condenação da ex-deputada estadual Ana da 8, pelos crimes de desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro. A ex-parlamentar, que representava a região de Nova Mamoré teve uma passagem complicada pela Assembleia desde o início de seu mandato, quando foi cobrada publicamente por seus financiadores de campanha que queriam os cargos ‘vendidos’ por ela, além de parte de suas emendas. Essa condenação foi por propinas recebidas para dar sustentação política ao ex-deputado Valter Araújo, mas outras virão em breve.

No STF

O ministro Alexandre de Moraes já mandou para o pleno do Supremo a Ação Penal 565 contra o senador Ivo Cassol que deve ser julgada em breve. Cassol já está preparado para o embate jurídico em relação a essa ação. Juntou uma decisão do Tribunal de Contas da União que o isenta de qualquer culpa em relação ao processo licitatório que havia sido feito quando ainda era prefeito de Rolim de Moura. O senador comprovou que não houve dolo no procedimento e o que está em discussão agora é a dosimetria da pena, que já havia sido reduzida.

Com isso

A caminhada de Ivo rumo as eleições em 2018 começa a se delinear de forma mais sólida. Ele já declarou diversas vezes que pretende disputar o governo mesmo por força de liminar, mas pelo andar do processo, é bem provável que ele não precise de uma.

Alívio

E o senador Valdir Raupp comemora o parecer da Polícia Federal que o isentou de qualquer ato de corrupção em relação a acusação de recebimento de propina, que havia sido feita pelo lobista Fernando Baiano. Foi essa delação que colocou o senador como réu na Lava-Jato e ela perde força com o parecer da PF.

Dificuldade para perder peso? O café pode ser o vilão

Se você está enfrentando dificuldades para perder peso, cortar o café da dieta talvez ajude. Pode ser mais difícil para os amantes da cafeína, mas, de acordo com um novo estudo publicado no periódico científico Journal of Food Science, o café pode aumentar a vontade de comer doces. Além disso, o fato de a cafeína deixar as pessoas mais alertas pode reduzir a percepção do sabor doce nas papilas gustativas, fazendo com que consumam mais açúcar, segundo informações do site britânico Daily Mail. Os pesquisadores acreditam que a capacidade da cafeína em amortecer os receptores do sabor, leva ao estado de alerta, mas também reduz a percepção das pessoas sobre a doçura dos alimentos. Isso poderia fazer com que elas tenham uma ânsia maior por esses sabores e acabem consumindo uma quantidade maior de doces.