Chuvas constantes em Porto Velho agravam situação

As fortes chuvas em Porto Velho e região não param de surpreender a população, a cada semana, as constantes chuvas tem se propagado em espaços bem menores, o que antes se via a cada 30 dias, com ventos e rajadas pesadas, agora se percebe a cada semana.

Parece que a chegada da Primavera, neste dia 22 de Setembro, não vai segurar o avanço destes temporais que estão se tornando em um grande prejuízo aos moradores de Porto Velho e região, já há relatos de milhares de casas destelhadas, empresas com toldos e painéis arrancados, árvores caídas sobre muros e carros, fachadas destruídas e muita dor de cabeça no comércio em geral que quando não tem suas lojas completamente invadidas pela água, como é o caso da loja Romera, na Av. 7 de Setembro e a agência do Bradesco, como sofrem com toda sorte sujeiras que são trazidas pelas fortes ondas e marolas que se formam nas ruas e avenidas.

Para complicar ainda mais, as chuvas tem ocorrido em horários de pico, com grande concentração de veículos, justamente entre as 16:00 e 18:00hs, o que torna-se um fator de risco para o trânsito já caótico da capital que promove um completa sensação de insegurança, pois os motorista se vê completamente impotentes em meios a engarrafamentos temerosos que se formam no centro e nos bairros.

Após uma rápida percorrida pelos bairros da capital de Rondônia mostrou que a infraestrutura, tanto do centro comercial como dos bairros nobres e periféricos não resiste por muito tempo  aos impactos de tanto volume de água, e que se nada for feito pela próxima gestão poderemos ter um quadro gravíssimo de contaminação epidêmicas, bem como uma destruição generalizada milhares de casas e obras mal concebidas espalhadas por todo canto do município.

No vídeo aqui exibido, vê-se desde o complexo turístico Madeira Mamoré até o alto da Av. 7 de Setembro e ao longo do percurso os estragos causados no momentos da chuva, entre estes motos caídas, pessoas assustadas, veículos lentos e com dificuldades de enxergar e a junção das águas que não conseguem escoar em casos de grandes volumes de chuva, mas, se formos comparar com o  vendaval do dia em que foi derrubada a torre da SIC/TV, a chuva de hoje nem foi lá aquelas coisas, pois durou pouco mais de 15 minutos, portanto ficam duas preocupantes perguntas pairando no ar: E quando realmente tivermos um temporal de grandes magnitudes? Será que as nossas autoridades tem plano de emergência para atender situações catastróficas?

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário